banner sienge

O que é NR 26 – Sinalização de Segurança

19 de dezembro de 2018

Hoje vamos falar sobre a Norma Regulamentadora 26 – Sinalização de Segurança (NR 26) – que é uma das medidas para melhorar condições de trabalho em uma indústria.

As empresas precisam conhecer e aplicar leis relativas à segurança e medicina do trabalho. Segundo a Previdência Social e o Ministério do Trabalho, o nosso país é a quarta nação com o maior número de acidentes laborais.

nr 26 nr26

Os profissionais precisam entender os riscos aos quais estão expostos durante sua rotina de trabalho, e isso só é possível quando há sinalizações de fácil visualização. A NR 26 é essencial nessa hora.

Por isso, rotinas de trabalho não devem oferecer riscos à saúde humana, ao patrimônio público ou privado e ao meio ambiente. A seguir, você vai entender melhor sobre o assunto. Vamos te explicar do que se trata, os principais detalhes da norma e por que seus procedimentos precisam ser seguidos. Continue a leitura e confira!

O que é a NR 26?

A NR 26 é uma norma simples de entender, descreve as regras para sinalizações de informações dentro de uma empresa, prezando pela segurança dos trabalhadores. Foi publicada pela primeira vez em 1978 com sua última atualização em 2015 (até a data de publicação deste post).

Em uma indústria por exemplo, existem diversos riscos no dia a dia dos trabalhadores que podem prejudicar sua saúde e bem-estar.

Assim a NR 26 foi criada com o intuito de alcançar todas as gestões dentro de uma empresa, oferecendo mais segurança aos seus trabalhadores. Além disso, transmitindo informações de fácil compreensão, reduzindo os erros de interpretação e riscos, pois todo o mercado trabalha com as mesmas regras, tendo grande melhoria dos processos.

Qual é o seu principal objetivo da NR 26?

Alertar para a necessidade de prevenção de acidentes, oferecendo medidas a tomar para garantir a segurança de todos. Em todas as situações de sinalização de segurança do trabalho, são usadas cores para indicar riscos a saúde de um profissional. Além disso pode delimitar áreas ou mostrar tubulações para condução de gases e líquidos.

As placas devem ser posicionadas estrategicamente, você deve tomar muito cuidado para não utilizá-las de forma errada, podendo ocasionar distrações ou confusões dos trabalhadores.

Classificações e Rotulagens

A NR 26 determina que produtos químicos devem ser identificados como perigosos à segurança ou saúde dos profissionais. Estes riscos podem vir das características físico-químicas ou toxicológicas dos produtos.

Os produtos quando não identificados, podem ser manipulados de forma incorreta, ocorrendo acidentes como explosões, incêndios e derramamentos. Além de perigo com queimaduras e intoxicações, pode ser prejudicial ao meio ambiente.  Estas embalagens têm a possibilidade de serem descartadas na natureza ou em lugar inapropriado.

As classificações e rotulagens de substâncias são baseadas em uma lista harmonizada ou tem levada em consideração resultados obtidos em ensaios e testes. Essas informações devem seguir critérios estabelecidos pela GHS, Sistema Globalmente Harmonizados de Classificação e Rotulagem de Produtos.

GHS

o que é nr 26 nr26É um documento criado pela ONU para padronizar as informações de risco em todo o mundo. No Brasil começou a ser implantado em 2007, por um Grupo de Trabalho Interministerial. Em 2009, a ABNT publicou as Normas Brasileiras ABNT NBR 14725 partes 1-4. Baseadas no GHS, ela padronizam os dados sobre segurança, saúde e meio ambiente referentes aos produtos químicos.

Entenda em quais casos a GHS determina a rotulagem de produtos perigosos:

: identificação e composição do produto químico: nome comercial, aplicação, lote, peso bruto, peso líquido, telefone de emergência e dados do fornecedor;

: pictograma(s) de perigo: imagem contida no rótulo com símbolo de aviso e cores específicas para transmitir informações sobre os efeitos nocivos;

: palavra de advertência “Perigo” (para categorias mais graves) e “Cuidado” (para categorias menos graves);

: frase(s) de perigo: como por exemplo, “Mantenha afastado de material combustível”;

: frase(s) de precaução: dados sobre perigo físico, como evitar danos à saúde, providências em casos de acidentes com o produto e meio ambiente, destinação correta;

: informações suplementares: inclusão da frase “A Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos deste produto químico perigoso pode ser obtida por meio de (telefone 24 horas e/ou site)”.

Você não pode se esquecer dos compostos que não são classificados como perigosos, estes também devem ter uma ficha com dados de segurança. Já os classificados como saneantes pela ANVISA são dispensados de obrigações para rotulagem preventiva.

Para as misturas, a ficha de dados de segurança deve conter a concentração e o nome das substâncias que representam riscos à saúde. Também neste caso, quando estiver igual ou superior aos limites estabelecidos pelo GHS.

Cores da NR 26 para sinalização de segurança

nr 26 nr26

Agora que eu já mostrei para você a importância das cores e a sinalização nos locais de trabalho, veja como identificar a cor correta e fique por dentro das diferenças de sinalização:

Vermelho:  Deverá ser usado para distinguir e indicar equipamentos e aparelhos de proteção e combate a incêndio,  inclusive portas de saída de emergência. Não deverá ser usado na indústria para assinalar perigo, por ser de pouca visibilidade em comparação com o amarelo (de alta visibilidade) e o alaranjado (que significa Alerta).

A cor vermelha também é utilizada em sinais de parada obrigatória e de proibição, bem como nas luzes de sinalização de tapumes, barricadas e etc. Também utilizadas em botões interruptores para paradas de emergência e nos equipamentos de soldagem oxiacetilênica, a mangueira de acetileno deve ser de cor vermelha.

Amarelo: É a cor usada para indicar “cuidado!”. É utilizada, por exemplo, em: partes baixas de corrimões, parapeitos, pisos e portas de elevadores que fecham verticalmente. Este cor é normalmente utilizada para equipamentos de transporte e manipulação de material (ex: empilhadeiras e tratores industriais). Onde há presença da listra amarela na vertical ou inclinada, associadas com preto, pode significar perigo duplo.

Branco: Utilizada em faixas para demarcar passadiços, passarelas e corredores pelos quais circulam exclusivamente pessoas; setas de sinalização de sentido e circulação; localização de coletores de resíduos; áreas em torno dos equipamentos de socorros de urgência e outros equipamentos de emergência; abrigos e coletores de resíduos de serviços de saúde.

Preto: É a cor empregada para identificar coletores de resíduos, exceto os de origem de serviços de saúde. Normalmente identifica canalizações de inflamáveis e combustíveis de alta viscosidade.

Azul: É a cor utilizada para indicar uma ação obrigatória, como determinar o uso de EPI (Equipamento de Proteção Individual) (por exemplo: “Use protetor auricular”); impedir a movimentação ou energização de equipamentos (por exemplo: “Não ligue esta chave”, “Não acione”).

Verde: É a cor usada para caracterizar “segurança”. É empregada para identificar a localização de caixas de equipamentos de primeiros socorros; caixas contendo equipamentos de proteção individual; faixas de delimitação de áreas seguras quanto a riscos mecânicos; faixas de delimitação de áreas de vivência (áreas para fumantes, áreas de descanso, etc.); sinalização de portas de entrada das salas de atendimento de urgência;

Nos equipamentos de soldagem oxiacetilênica, a mangueira de oxigênio deve ser de cor verde.

Laranja: É a cor empregada para indicar “perigo”. É utilizada, por exemplo, em partes móveis e perigosas de máquinas e equipamentos; faces e proteções internas de caixas de dispositivos elétricos que possam ser abertas; equipamentos de salvamento aquático, como boias circulares, coletes salva-vidas, flutuadores salva-vidas e similares.

Púrpura: É a cor usada para indicar os perigos provenientes das radiações eletromagnéticas penetrantes e partículas nucleares. É empregada, por exemplo, em portas e aberturas que dão acesso a locais onde se manipulam ou armazenam materiais radioativos ou contaminados por materiais radioativos; locais onde tenham sido enterrados materiais radioativos e equipamentos contaminados por materiais radioativos; recipientes de materiais radioativos ou refugos de materiais radioativos e equipamentos contaminados por materiais radioativos; sinais luminosos para indicar equipamentos produtores de radiações eletromagnéticas penetrantes e partículas nucleares.

Uma dica é manter uma ficha de dados de segurança para cada produto químico, assim a NR 26 será cumprida integralmente. Com isso os trabalhadores terão acesso à esses dados referentes aos produtos químicos utilizados em sua rotina.

Além disso, é um dever das empresas treinar seus funcionários para que haja conhecimento quanto aos riscos e medidas em sua rotina de trabalho. Com a NR 26 o trabalhador terá compreensão sobre rotulagem preventiva, ficha de perigos, precauções para manipulação segura e procedimento em situações de emergência.

Você pode perceber como é possível trabalhar de forma segura seguindo os procedimentos da norma NR 26, poupando a saúde dos trabalhadores, o meio ambiente e o patrimônio. Além disso, a empresa ficará livre de sanções e multas ao implantar uma gestão segura.

Agora queremos saber o que você achou. Gostou do nosso conteúdo ou achou relevante para sua rotina de trabalho? Curta e compartilhe com a gente a sua opinião!

Tomás Lima

  • Gestor de Conteúdo
  • Graduado em Administração pela UFMG
  • Apaixonado por Construção Civil
 

  • sienge

    Ótimo artigo

Receba Novidades do Blog
Coloque o seu email acima para receber gratuitamente as atualizações do blog!
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa