As Dores do Gerenciamento de Empreiteiros e Como Tratá-las

1 de maio de 2019

Construir com qualidade e com o menor custo possível é o objetivo maior de qualquer construtora. Para isso, contratar empreiteiros é, muitas vezes, a melhor opção.

Desde a década de 1990, essa prática tem ganhado força nas empresas, como forma de diminuir os encargos sem perder a qualificação necessária no canteiro de obras.

Mas gerenciar empreiteiros pode se tornar um verdadeiro pesadelo sem a devida organização. Felizmente, existe uma forma de gerenciar os contratados sem grandes surpresas e evitar problemas em toda a obra.

Neste artigo, vou te mostrar quais são as principais dores no gerenciamento de empreiteiros e como evitar cada uma delas.

As dores do gerenciamento de empreiteiros

O bom gerenciamento de empreiteiros é fundamental para que as suas obras saiam conforme o planejado e não tenham problemas com a entrega.

gestão de empreiteiros

Entre as principais dores enfrentadas pelas empresas na gestão desses profissionais terceirizados, estão:

Atraso de entregas

O atraso de entregas é um problema crônico da construção civil no Brasil. Aliás, é uma das principais causas de processos judiciais contra construtoras no país.

Se um empreiteiro contratado não cumpre com sua parte no acordo e atrasa uma obra, é a sua construtora que fica exposta à ações judiciais por parte dos clientes.

Só para você ter uma ideia do tamanho desse problema:

De 2008 a 2013, o número de processos contra construtoras cresceu 2.600%! Um número tão elevado mostra o tamanho do risco que um empreiteiro atrasado significa para a saúde da sua empresa.

Descumprimento do contrato

O atraso na entrega é apenas um de vários tipos de problemas com o contrato que podem surgir. Por exemplo, talvez o contratado tenha aceitado manter um alto padrão de segurança no canteiro, mas não o coloca em prática.

Seja qual for o problema, qualquer descumprimento de contrato, de forma parcial ou integral, pode expor a construtora a riscos legais com órgãos reguladores.

Serviço de baixa qualidade

A falta de qualidade é um sério problema na construção civil. Um trabalho mal feito gera retrabalho depois, e pode até comprometer a reputação da construtora.

Entre os problemas que mostram baixa qualidade, estão:

Outros problemas

Além dos problemas mostrados acima, existem outros fatores que podem gerar muita dificuldade para a construtora. Alguns deles são:

Como diminuir os riscos na contratação dos empreiteiros

Todos os problemas citados acima vão surgir rapidamente se você não tomar uma ação fundamental:

Reservar tempo para o processo de contratação.

Não adianta contratar o empreiteiro que você acha mais agradável, ou só focar no que oferece o menor preço na proposta comercial. Há uma série de medidas que você precisa tomar para reduzir ao máximo os riscos e garantir uma parceria de sucesso.

Entre elas, é importante que você verifique de perto os seguintes aspectos:

  • Documentação: isso envolve tanto a documentação dos funcionários quanto da empresa do empreiteiro, bem como certificados de segurança;
  • Estrutura: veja se o empreiteiro tem os equipamentos, equipe suficiente e certificações de NRs necessárias para o serviço;
  • Qualificação técnica: comprove que o empreiteiro e sua equipe são qualificados para atender ao grau de dificuldade do trabalho;
  • Apoio jurídico: é fundamental que o profissional não tenha pendências com a justiça, quer tributárias, quer trabalhistas.

Uma dica legal que eu tenho para você é o Modelo de Contrato de Empreitada que o Sienge disponibiliza gratuitamente. Ele será muito útil para servir de base em seus negócios com empreiteiros. Para fazer o download é bem rápido, é só clicar na imagem abaixo!

modelo de contrato de empreitada

Clique na imagem para baixar

Como fazer o controle do trabalho dos empreiteiros

Além de contratar com base em critérios técnicos e legais, e ter um processo bem definido, você também precisa acompanhar de perto o trabalho realizado. Só assim você vai garantir que tudo saia de acordo com os objetivos, do início ao fim da obra.

E deixa eu te falar:

Esse controle é contínuo e tem de ser feito de perto. Converse com o empreiteiro sobre o processo de trabalho antes de fechar contrato. Se ele achar problema nisso, aí está um sinal de alerta.

Para fazer esse controle de modo preciso, você precisa ser atuante nesses pontos:

Planejamento

A falta de planejamento da obra torna muito maior a chance de ter problemas com o empreiteiro depois. Em alguns casos, o planejamento é feito sem a participação desse profissional.

gestão de empreiros

Nesses casos, espere problemas, como:

  • Desperdício de materiais;
  • Atraso ou retrabalho por falta de qualificação técnica;
  • Problemas de comunicação que afetam o orçamento e o cronograma;
  • Entre outros.

A melhor solução é incluir os profissionais terceirizados no planejamento e colocá-los a par de tudo que tem de ser feito. Qualquer dificuldade técnica ou problema de tempo precisa ser visto com precisão nessa etapa.

Fiscalização

Depois de alinhar todos os envolvidos na obra com o que foi planejado, você estará mais perto de uma obra tranquila. Mas isso só se aplica se você fiscalizar o trabalho realizado.

gestão de empreiteiros

Mas veja bem:

Não se trata de microgerenciar cada movimento dos profissionais terceirizados no canteiro de obras. Mas sim de ver se o que estão fazendo confere com a proposta combinada, em termos de qualidade, prazo, segurança e bom uso de recursos.

Medição

Avaliar o progresso físico e financeiro da obra vai te dar a “visão de águia” que você precisa para saber se o trabalho do empreiteiro está de acordo com a expectativa.

Imagine o seguinte:

No planejamento, vocês definiram que seria necessário usar 50 sacos de cimento. Depois de fazer a medição, percebe que foi preciso usar 70. Perceber o problema cedo pode ajudar a evitar um problema muito maior depois.

Correção

Por fim, não importa se o empreiteiro é agradável e mantém uma boa relação com a sua equipe. Qualquer problema com o serviço deve ser corrigido sem falta.

Afinal, quem vai absorver o prejuízo se ele não fizer isso é a sua construtora. Nesse caso, a economia de contratar o empreiteiro vai se perder, sem contar o serviço de qualidade inferior no fim das contas.

Por que usar um ERP para fazer o controle dos custos de obra

Um bom trabalho de gestão depende do uso de ferramentas de qualidade. No caso da gestão de obra, é essencial contar com um bom sistema ERP (Enterprise Resource Planning).

Esse tipo de sistema tem tudo que você precisa para gerenciar uma obra do início ao fim, o que inclui recursos para lidar com os empreiteiros.

Nesse cenário específico, a atuação que o ERP desempenha no controle de custos com profissionais terceirizados se resume a um ponto:

Acompanhamento de orçamento

Com o ERP, fica muito mais fácil comparar o que foi planejado com o que está sendo feito no canteiro de obras é muito importante para reduzir custos.

É só observar os dados que o sistema organiza de forma lógica, e você terá tudo que precisa para tomar decisões e manter o orçamento em dia.

E o melhor de tudo:

Você acompanha isso por meio de relatórios precisos, gerados de forma automática de acordo com critérios preestabelecidos.

Gerenciar os empreiteiros é indispensável para o sucesso dos seus empreendimentos. Esses profissionais podem dar a produtividade e a redução de custos que você busca, mas só se estiverem bem alinhados com a visão estratégica da sua construtora.

E nada melhor que processos bem definidos e um ERP de qualidade para garantir que essa parceria tenha sucesso.

Outra forma de gerenciar melhor o orçamento da sua obra é por aplicar a engenharia de custos. Saiba mais sobre esse conceito e aprenda a colocá-lo em prática!

 

Tomás Lima

  • Gestor de Conteúdo
  • Graduado em Administração pela UFMG
  • Apaixonado por Construção Civil
 

Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa