Containers na construção civil: vantagens e desvantagens

Marília Gaspar

Marília Gaspar

Arquiteta e urbanista com especialização em gestão de projetos e arquitetura e cidade. Professora e mestranda.

14 de abril 2021

Compartilhe

A construção civil está sempre em evolução. E com o desenvolvimento tecnológico surgem novas opções construtivas, não é mesmo? A utilização de containers na construção civil faz parte dessas técnicas que chegaram no mercado com uma proposta diferenciada. 

Nesse artigo, vamos explicar o que são containers e como eles começaram a ser usados na construção civil; os aspectos sustentáveis, ou não, do seu uso; as vantagens e as desvantagens; os tipos de containers disponíveis no mercado; qual o seu custo benefício; e, ainda, ver alguns exemplos de uso. 

O que são containers? 

Tratam-se de caixas feitas de chapas metálicas estruturadas e resistentes que podem ser de aço, alumínio ou de fibra. Originalmente, são destinados para armazenamento e transporte de produtos de forma segura. A sua utilização é muito difundida: 90% do transporte de mercadorias em todo o mundo é feito com containers, que revolucionaram o sistema de transportes.

Um container possui vida útil de 8 a 10 anos e é descartado após esse período. Como os materiais metálicos que os constituem não são biodegradáveis, apesar de alguns casos poderem ser reciclados, sua destinação se tornou um problema ambiental. 

Diante desse cenário, surgiu a preocupação com a destinação dos containers, que muitas vezes eram abandonados nos portos. Assim, a construção civil passou a enxergar inúmeras possibilidades para a sua aplicação. 

Containers utilizados em portos 
Figura 1: Containers utilizados em portos

Histórico do uso de container na construção civil 

A ideia de se reutilizar materiais como o container vem desde de 1850, quando se reutilizou vagões de trem para alocação de restaurantes. No final da década de 1980 e início da de 1990, iniciou-se a difusão de outros usos para os containers, ligados a construção civil. 

Em um primeiro momento, os containers passaram a servir em funções operacionais, como depósitos de materiais, escritórios, guarda-volumes e refeitório, principalmente em canteiros de obra, pois possuem custo e tempo de execução reduzidos.  

Container adaptado para escritório
Figura 2: Container adaptado para escritório

Atualmente o uso de containers na construção civil é uma tendência por trazerem uma estética diferenciada de estilo industrial e pela pegada sustentável do material.

No Brasil, essa aplicação chegou na segunda década dos anos 2000 com a construção da primeira loja e da primeira residência, e desde então seu emprego teve rápida difusão. Veja alguns exemplos:

Projeto comercial com container
Figura 3: Projeto comercial com container
Projeto residencial com container 
Figura 4: Projeto residencial com container
Área externa de escola com containers – Projeto de Gustavo Bomfim
Figura 5: Área externa de escola com containers – Projeto de Gustavo Bomfim
Interior de sala de aula feita com containers – Projeto de Gustavo Bomfim
Figura 6: Interior de sala de aula feita com containers – Projeto de Gustavo Bomfim

Sustentabilidade na utilização de containers na construção civil

O uso de container na construção civil ganhou muitos adeptos pelo caráter sustentável associado ao material. Você pode conhecer um pouco mais aqui no nosso blog sobre materiais sustentáveis na construção civil e tendências de materiais de construção e tecnologias

Uma das principais características sustentáveis dos containers é que se retira da natureza um material que havia sido descartado. Para isso, é importante o emprego de containers usados para serem reutilizados na obra. 

Assim como outros materiais pré-fabricados, o container apresenta outra característica sustentável que é o fato de ser uma construção seca e dispensar o emprego de areia, cimento e água.

Vantagens do uso de container 

  • Redução do gasto com mão de obra – Por ser pré-fabricado, o custo com a mão de obra é menor;
  • Diminuição significativa do custo com a fundação – É necessário apenas um apoio em quatro pontos em sapata simples;
  • Execução mais rápida – Como se trata de um pré-fabricado, a sua execução é cerca de quatro vezes mais ágil do que a convencional. Essa vantagem é ainda mais interessante para obras comerciais, pois o negócio gera capital mais depressa; 
  • Redução do descarte de containers na natureza;
  • A obra com containers é modular e flexível – O que facilita expansões;
  • A construção é seca – O container já vem pronto para o canteiro. E como, normalmente, utiliza-se o dry wall para o acabamento, podem ser dispensados o uso de areia, cimento e água na obra, além do impacto que esses materiais geram;
  • Os containers podem ser itinerantes – Interessante para uso em feiras; 
  • Material durável – Característica essencial para um material sustentável; 
  • Material resistente – São feitos para suportarem as mais difíceis condições climáticas como também a incêndio e terremotos e para serem empilhados em até oito containers.

Desvantagens do uso de containers

  • Exige uma análise logística – Como a instalação dos containers precisa ser feita com o uso de guindaste, pode ser necessária uma intervenção na fiação elétrica, o que pode inviabilizar ou encarecer sua aplicação; 
  • Pode ter alto custo de transporte para seu destino – Principalmente para locais distantes dos portos marítimos e dos secos; 
  • É necessário programar o isolamento térmico e o acústico – Os metais que constituem os containers são condutores e para garantir o conforto no seu interior é utilizar isolantes entre a estrutura e o drywall;
  • São necessários certificados de segurança para a utilização – Como os containers transportam todo tipo de carga é essencial que se tenha laudos de descontaminação contra agentes químicos, biológicos e radiativos e de integridade da estrutura;
  • Tratamento antes do uso – O material tem que passar por um tratamento de recuperação que inclui limpeza, funilaria, serralheria, pintura e revestimento;
  • É necessária mão de obra e equipamentos específicos para o recorte das chapas e montagem dos módulos; 
  • Exige trâmite legal de aprovação na prefeitura – Por se tratar de um material de menos empregado é importante estar atento ao seu processo de legalização. Em alguns usos, os containers podem ser aprovados como instalação provisória, processo mais rápido e que precisa ser renovado a cada dois anos. No caso de construções permanentes, é necessária a aprovação na prefeitura de acordo com o protocolo das construções tradicionais. Mas fique de olho que em algumas prefeituras é exigida documentação especial, por ser uma técnica construtiva diferente. 

Tipos de containers: 

Reefer: Geralmente são usados no transporte de cargas perecíveis e congeladas e já vêm com isolamento térmico semelhante ao que encontramos em geladeiras. Apesar de serem mais caros, a sua vantagem é que ele já possui seu próprio isolamento. É importante observar que eles não são recomendados para ambientes de longa permanência, pois o material utilizado para fazer seu isolamento em caso de incêndio é tóxico. Quanto ao seu tamanho temos:

  • 20 pés (5,38m x 2,438m x 2,695m)
  • 40 pés (12,192m x 2,438m x 2,695m)

Dry: Marítimo comum, não possui isolamento térmico e acústico e pode ser encontrado nas seguintes dimensões:

  • 20 pés (6,05m x 2,43m x 2,59m)
  • 40 pés (12,20m x 2,43m x 2,59m)

HC (“High Cube“, ou “alta cubicagem”): Mais utilizados por ter o pé direito maior: 2,89 metros. Esse modelo também é disponibilizado em dois comprimentos 20 pés (6,05m) e 40 pés (12,20m). Possuem a mesma largura dos outros (2,43m).

Custo dos containers na construção civil

Ao se comparar o custo de uma construção tradicional e uma com container, é necessário se considerar muitos fatores. O primeiro é o custo do transporte, que é varia de acordo com a sua distância aos portos. 

Outro fator relevante é o tipo de uso. Para um depósito, por exemplo, o container pode ser utilizado sem tratamento de revestimento e isolamento, o que diminui consideravelmente o custo. 

Para o uso residencial ou comercial a comparação deve ser feita com a inclusão do custo de isolamento e revestimento, de forma que seja uma alternativa que proporcione o mesmo conforto da técnica tradicional.

Mesmo se considerarmos tudo isso, a construção com container tem o custo entre 10 e 35% mais barato do que a técnica tradicional. Destaque para a fundação, que é a etapa que garante maior economia. 

Como começar a utilizar containers?

Segundo o arquiteto Gustavo Bomfim, que já realizou vários projetos com containers, “a edificação em container não é a solução mágica para a construção civil, e não é a melhor opção sempre, mas com um projeto bem encaixado e boa execução, é uma excelente alternativa”.

Pois, além de utilizar uma estrutura de logística já sem finalidade, gera menos resíduo, executa-se em um prazo menor, podendo resultar em economia e futuros deslocamentos.

Acredita que a proposta de uso de containers de encaixa nas suas necessidades e quer analisar a viabilidade da sua aplicação nas suas obras? Fique atento a algumas coisas. 

Sua operação e instalação exige mão de obra especializada. No mercado existem várias empresas que oferecem esse tipo de serviço. Elas possuem um catálogo no qual se pode escolher entre as opções que melhor se adaptem as suas necessidades, ou, ainda, você pode contratar um arquiteto para fazer um projeto exclusivo!

Compartilhe