banner sienge

Como subir o nível da sua Gestão de Obras

14 de dezembro de 2017

Você enfrenta problemas na sua gestão de obras?

Este é um problema recorrente na maioria das construtoras do país. Mas se você levar em consideração alguns pontos chave, você consegue mitigar riscos e otimizar os processos no seu canteiro de obras.

Neste post te ajudaremos a validar se a sua gestão de obras vem sendo feita de forma eficiente, e quais os principais pontos a serem observados durante a jornada da construção.

Do início ao fim da obra

Para que uma obra tenha qualidade, do início ao fim, além de contarmos com um bom gestor, devemos nos atentar as diversas variáveis que farão total diferença durante o andamento do projeto.

Orçamento, prazos, planejamento e mão de obra, são alguns dos pontos de atenção que devemos observar mais atentamente! Lembrando que todos ele podem impactar positiva ou negativamente na produtividade, e gerar impactos financeiros.

Veja agora:

5 pontos que a maioria das pessoas não sabe sobre gerenciamento de obras.

1 – Planejamento Físico-Financeiro

Com base no seu orçamento, avaliar se o andamento da obra está de acordo com o planejamento financeiro.

   Um bom planejamento permite que os responsáveis comprem os materiais no momento certo. Esta ação ajuda a diminuir os riscos de falta de materiais no canteiro de obras, assim permitindo que a obra siga o fluxo dentro do planejado.

2 – Suprimentos

Um simples atraso na entrega de um material pode ser crucial para que sua obra saia do planejamento realizado.O ideal é encontrar bons fornecedores, que cumprem com os prazos estabelecidos, entregando materiais com a qualidade esperada.

 Um bom ERP pode te auxiliar nesta parte da gestão, controlando de forma fácil seus pedidos, e mapeando suas cotações por valores, qualidade e entrega.

3 – Mão de Obra

Criar cronogramas semanais, de acordo com a quantidade de funcionários e demandas.

4 – Planejamento Operacional e Logístico da obra

Inclui o planejamento do canteiro, dimensionamento das instalações provisórias, fluxo de tráfego de pessoas e materiais, escolha e dimensionamento de equipamentos de transporte, entre outros.

5 – Controle e Acompanhamento das Atividades

Medições de indicadores de produtividade, verificação da qualidade dos serviços, eliminação de desperdícios de tempo e materiais.

superbanner Jornada da construção

Como lidar com os imprevistos?

Orçamento

Manter um orçamento sólido, sempre atento também as despesas Indiretas, BDI (Budget Difference Income ou Benefício e Despesas Indiretas) , que são mais difíceis de ser mensuradas.

Planejamento

Além do planejamento e acompanhamento dos cronogramas, devemos levar em consideração ter um bom plano de contingência, para eventuais crises ou situação imprevistas.

Um bom planejamento na gestão de obras, nos permite entregar com antecedência uma obra, ou empreendimento, o que mitiga o risco de multas, e/ou desconforto com os clientes.

Comunicação

Manter um bom fluxo de comunicação com os responsáveis pelo canteiro de obras, e parte administrativa da empresa. Manter um acompanhamento diário de situações que fogem ao comum, e tentar saná-las o quanto antes, alguns dias perdidos no início de um projeto podem impactar negativamente no final da execução, sendo passível de multa e perdas financeiras. Um bom Software 100% pode te auxiliar muito neste quesito.

Clima

Um item muito importante, porém não recebe a devida relevância. Se atentar para períodos com tempo mais instável e chuvoso, e adequar seu planejamento de acordo. Para isto, manter um diário-de-obras sempre em dia, é muito importante, até para futuros estudos e planejamento de viabilidade.

Como escolher um profissional capacitado?

Um perfil dinâmico e criativo é de grande interesse para lidar com as situações e imprevistos do dia-a-dia. Ele vai além de características como organização, liderança, habilidades gerenciais e capacidade de planejamento.

Um bom gestor deverá saber a importância de conhecer e compreender a dinâmica entre Projeto, Orçamento e Obra. Também deve estar ciente das principais ações e instrumentos para planejar, gerenciar e controlar.  Sempre se atentando para os principais conceitos e exigências para o cumprimento das metas de prazo, custo, qualidade, e sustentabilidade econômica e ambiental.

Por que escolher um Software de Gestão de Obras para me auxiliar?

Um bom profissional para auxiliá-lo continuando sendo indispensável, porém com uma boa ferramenta de gestão você consegue otimizar ainda mais seu projeto, e alcançar melhores resultados.

Antes de partir para a avaliação e possível aquisição, é importante ter em mente o que você busca otimizar no seu dia-a-dia, priorizar seus processos e “dores” de uma forma clara e intuitiva.

Algumas perguntas que você deve fazer são:

  • Procuro uma ferramenta apenas com acesso local, ou prefiro uma ferramenta 100% web, que me auxilie de onde estiver?
  • Possuo uma equipe dedicada a alimentar o Software e trazer os resultados que espero de forma concreta?
  • Como será o suporte? Terei alguma equipe de suporte em minha região?

Na dúvida, sempre é possível conversar com outras empresas que atuam no seu segmento e já utilizam algum software ou ferramenta que os auxilie. Cases de clientes são sempre muito importantes e construtivos.

LEIA TAMBÉM: 10 DICAS PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA NO CANTEIRO DE OBRAS

Como evitar

Uma boa gestão de obras, além de atender os preceitos básicos, de planejamento e eficiência, também deve contemplar seu controle de materiais e estoque.

Se eu te perguntar hoje, o que você orça é o que você realmente gasta?

Você tem total controle dos seus insumos e sabe onde estão sendo utilizados, e ou alocados?

Já comprou algum material em duplicidade por não saber que já possui estoque?

Você possui este tipo de controle das suas informações?

Este é um problema muito comum em todo o mercado da construção civil. Na correria do dia a dia estamos tão focados em controle de mão de obra, andamento do projeto, entrega, metas e prazos, que acabamos não dando a devida importância para nosso estoque e suprimentos.

Na indústria da construção geralmente trabalhamos com valores expressivos, o que certamente acarreta em desperdícios e perdas financeiras também expressivas.

Podemos observar no último semestre vários estudos que comprovam que a média de perda financeira de uma obra está em 8%, podendo na maioria dos casos chegar a 30%.

Quanto isto impacta no seu orçamento?

Em caso de construtora que trabalha para terceiros, muitas vezes esse seria seu lucro esperado dentro de uma obra.Caso você trabalhe com obras públicas, todos os insumos devem ser tratados com ainda mais rigor.

A falta de um material ou suprimento pode facilmente acarretar em atraso de mão-de-obra, levando ao fatal problema de obra parada.E como nós sabemos, isso pode gerar multas, depreciação dos lucros, e muita dor de cabeça.

Você só saberá realmente o quanto está ganhando ou perdendo estando realmente alinhado a uma boa gestão de obras e uma ferramenta de gestão eficiente e segura.

Meio Ambiente

Por último, porém não menos importante, cada vez mais estamos nos conscientizando de que construir de forma a não causar, ou mitigar os danos ao meio ambiente é crucial para nosso futuro.

Hoje, ao falarmos de construção sustentável estamos contribuindo economicamente, através dos recicláveis, socialmente, pois estamos fazendo nossa parte no todo. Ambientalmente, estamos renovando os recursos já utilizados, otimizando inclusive nosso estoque, por que não?

Por isso ao iniciar sua gestão de obras, leve sempre em consideração ser sustentável. Hoje já temos vários selos que podem qualificar sua obra como sustentável, e trazer diversas vantagens para os empreendimentos. Vantagens essas como a redução dos custos operacionais e valorização do imóvel.

Temos bons exemplos aqui mesmo, no Brasil

Localizado na avenida Nações Unidas, em São Paulo, o prédio da Gafisa foi entregue em 2007 e recebeu o selo LEED em 2009. O LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) é um sistema de certificação e orientação ambiental de edificações.

Criado pelo U.S. Green Building Council, é o selo de maior reconhecimento internacional e o mais utilizado em todo o mundo, inclusive no Brasil. As 16 empresas sediadas no edifício contam com 120.000 m² de área construída, bicicletário, centro de convenções e heliporto.

Dentre as soluções adotadas estão a utilização de torneiras automáticas, restritores de vazão e bacias sanitárias com sistema dual flush, o que proporcionam uma economia de 30% de água. Além disso, há o sistema de reuso de água da chuva e condensação do ar condicionado. Ele faz com que 100% da água usada no paisagismo e na limpeza das garagens seja reaproveitada.

Para otimizar o uso da energia elétrica, os elevadores possuem sistema de frenagem regenerativa. A Frenagem Regenerativa é um dispositivo mecânico que transforma a energia cinética liberada durante a freagem/travagem em energia elétrica, sendo usada em vários veículos elétricos, desde carros a lambretas.Isso gera em economia de até 37% em comparação aos elevadores convencionais.

Conclusão

Como vimos, um bom planejamento e acompanhamento são essenciais e peças fundamentais para uma boa gestão de obras.

Dependendo da quantidade de obras a serem administradas e a complexidade do projeto a ser executado, este se torna um trabalho nada simples.

Por isso, além de profissionais especializados na área de gestão de obras, é imprescindível contar com uma eficiente ferramenta de gestão colaborando e otimizando o tempo de toda a equipe!

Se você acha que este conteúdo pode ajudar um amigo, compartilhe!

Carolina Klabunde

  • Analista de desenvolvimento de vendas
  • 5 anos atuando na área comercial e venda de Software
 

Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa