Conheça os principais tipos de mármore e quando usar cada um deles

Giseli Barbosa Anversa

Giseli Barbosa Anversa

Engenheira Civil, é Product Manager do Sienge, atuando no desenvolvimento de ações para impulsionar o desempenho de empresas da Indústria da Construção.

24 de setembro 2020

O mármore é daqueles materiais que encantam qualquer um com a maior facilidade. Não importa em que ambiente, se é no chão, nas paredes ou em alguma bancada, ele sempre rouba as atenções.

E o melhor é que existem muitos tipos de mármore, mas as diferenças entre eles vão além da cor. É preciso entender suas variedades para escolher o tipo certo de mármore e em quais locais vale a pena usá-lo.

Por isso, neste artigo eu vou mostrar para você qual a diferença do mármore para outras pedras naturais, quais os tipos mais comuns dessa bela pedra e suas vantagens.

Qual a diferença do mármore para outras pedras naturais

A olho nu pode parecer que o mármore é exatamente igual outras pedras naturais, como o granito. Além disso, já existem materiais sintéticos que imitam a consistência e aparência da pedra natural.

Por isso, pode ser ainda mais complicado fazer uma avaliação precisa só de olhar para as pedras. Mas as diferenças são reais e podem causar impacto direto nas suas obras, ou seja, é relevante saber o que diferencia o mármore de outros tipos de pedra.

Granito

Não precisamos ser muito técnicos aqui, mas o fato é que tanto o mármore quanto o granito são pedras naturais, mas de formações diferentes. As maiores diferenças são:

  • Textura: o mármore tem marcas parecidas com veias, enquanto o granito é mais granulado;
  • Resistência: o granito é mais duro e resistente que o mármore. Mas em muitos casos o nível de resistência do mármore não será um problema;
  • Brilho: o mármore tem menos brilho natural que o granito. Apesar disso, existem processos de acabamento que podem resolver isso;
  • Porosidade: por ser mais poroso que o granito, o mármore absorve mais umidade. Sem o devido cuidado, isso pode causar manchas na pedra em caso de contato constante com água.

Pedras sintéticas

Diferente do granito, que também é natural, existem variedades sintéticas que fazem frente ao mármore. Como não são da natureza, seu processo de fabricação possui escala maior e, portanto, elas são mais baratas.

Apesar disso, não têm o charme e a originalidade da pedra de mármore legítimo. Por conta disso, não valorizam o imóvel da mesma forma que a peça original faz.

5 tipos mais comuns de mármore

Será que mármore é tudo igual? A resposta simples é que não. Apesar de as características da pedra serem quase as mesmas, existem variações importantes a considerar. Aqui estão os principais tipos do mercado:

1. Branco Carrara

De origem italiana, essa pedra é uma das mais desejadas por conta de suas cores claras que dão um aspecto de nobreza para o ambiente. Além da bela cor clara, o Carrara é conhecido por ter sido usado nas obras renascentistas de artistas como Michelangelo.

Mármore branco Carrara é um dos tipos mais desejados

Mas um cuidado:

Essa pedra é mais porosa e absorve facilmente a umidade e pode manchar facilmente. Então é melhor não colocar esse tipo de mármore em locais em que isso seria mais provável, como a cozinha.

2. Nero

Ao contrário do Carrara, o Nero é uma peça bem escura com veios brancos que se destacam bastante. A origem do mármore Nero é espanhola, e como é bem escura pode ser ideal para ambientes que mancham mais, como bancadas de cozinha e banheiros.

Mármore Nero é uma peça bem escura com veios brancos

3. Calacatta Oro

A pedra Calacatta Oro é uma das mais valorizadas e, por isso, mais caras por conta de seu aspecto claro com veios de cor cinza e dourada. Assim, é uma pedra que fica muito bonita em qualquer tipo de ambiente, desde banheiros até halls de entrada.

Calacatta Oro é um mármore indicado para qualquer tipo de ambiente

4. Travertino

Assim como o Carrara, o Travertino é um tipo de pedra italiana. A diferença é que ele é mais comum em cores beges, e não branco.

Mármore Travertino costuma ser mais poroso que os demais

Porém, assim como o Carrara, o Travertino também é bastante poroso, o que o torna mais indicado para ambientes internos que têm pouco contato com água.

5. Piguês

Esse tipo é grego e se parece um pouco com o Carrara, já que é claro e com veios cinzas. A diferença é que ele tem uma aparência mais homogênea, com menos veios que o Carrara.

Mármore Piguês é de origem grega

5 tipos mais comuns de acabamento de mármore

Além dos tipos de pedra, existem diversos tipos de acabamento para o mármore. E é importante conhecer cada um deles para acertar na escolha para o seu próximo empreendimento.

E vale lembrar mais uma vez:

A diferença entre um tipo e outro não se resume a estética e coloração. Cada variação da pedra tem sua própria textura, peso e até porosidade. Assim, escolher o tipo certo de pedra é essencial para não ter problemas em um imóvel.

Então veja agora os acabamentos de mármore mais conhecidos e como eles são:

  • Bruto: a pedra bruta tem esse nome porque não recebe nenhum tipo de tratamento. Ela é instalada de maneira natural, ou seja, do mesmo jeito que foi retirada da natureza;
  • Levigado: apesar de ser lixado, esse tipo de mármore não tem brilho. Depois desse acabamento, fica com uma aparência de de semipolido;
  • Resinado: a resina presente nesse tipo de pedra fecha os poros e fissuras da pedra. Por isso, além de ficar com uma aparência muito brilhante, se torna ideal para ambientes como cozinha e banheiro;
  • Polido: diferente do levigado, o mármore polido tem brilho e chama bastante atenção. Por outro lado, a pedra fica muito escorregadia em contato com água. Assim, não é indicado que se instale em qualquer ambiente, pelo risco de acidentes;
  • Jateado: o acabamento jateado dessa peça faz com que ela apresente um aspecto áspero. Por essa presença rústica, o ideal é usar esse mármore em áreas externas.

Além dos tipos já citados, qualquer um deles pode passar pelo processo de cristalização. Nele, você coloca uma película que protege na pedra. Assim, fica ideal para uso como piso.

Será que vale a pena usar mármore nas suas obras?

Será que vale mesmo a pena usar mármore nas suas obras? É claro que estamos falando de uma pedra nobre, que nem de longe vai ser a opção mais barata do mercado. Mas a questão nunca deve ser só o preço.

É preciso levar em consideração pontos como a nobreza do ambiente, a durabilidade da pedra no local e a forma como ela vai valorizar toda a obra. Uma peça dessas em um ambiente pode ser tudo que você precisa para modificá-lo por completo.

Por isso, ao considerar o uso da pedra, é válido pensar no padrão de acabamento que o projeto precisa. Ao mesmo tempo em que certos projetos não comportam o uso de um acabamento com esse valor e nobreza, a pedra é indicada para projetos com mais requinte.

Assim, o mármore é uma pedra muito versátil, bela e útil para muitos ambientes dentro de um imóvel. A questão entre usá-la ou não depende de cada projeto, mas ao fazer isso é importante considerar as características e os níveis de acabamento de cada pedra.

Além do tipo de pedra que você precisa escolher para a sua obra, existem muitos outros itens de acabamento que precisam de atenção. Um deles, que passa despercebido com facilidade, é a pintura. Veja agora como escolher o tipo de pintura residencial certo para a sua próxima obra!