Como escolher a pintura residencial adequada para o seu empreendimento

Giseli Barbosa Anversa

Giseli Barbosa Anversa

Engenheira Civil, é Product Manager do Sienge, atuando no desenvolvimento de ações para impulsionar o desempenho de empresas da Indústria da Construção.

23 de setembro 2020

Alguns itens de um projeto de construção podem enganar, pois parecem ser só detalhes, mas são muito importantes para o sucesso do empreendimento. A pintura residencial é um exemplo claro disso.

Afinal, o dia a dia de gestores e engenheiros envolve muitas decisões que têm impacto direto na segurança e no lucro da obra, como estrutura, sustentação, materiais de construção etc. Nesses momentos, a ideia de escolher qual tinta usar pode parecer tão fútil quanto escolher que cor de camisa usar no trabalho.

Mas as aparências enganam, e o tipo de pintura escolhido para o seu projeto tem efeito no sucesso do empreendimento. Por isso, neste artigo eu vou mostrar para você por que é tão importante escolher bem a pintura residencial e 5 pontos a levar em conta ao fazer isso.

Por que a escolha da pintura residencial é importante

A ideia de que qualquer tinta serve ou de que a cor dos ambientes não muda a construção em nada não passa de uma enganação.

Assim, veja agora pelo menos 4 motivos para prestar atenção e fazer uma pesquisa cuidadosa na hora de escolher a pintura residencial do seu próximo empreendimento:

Manutenção

O primeiro fator a levar em conta é a manutenção predial. Existem garantias sobre novas construções. Então, qualquer problema que for de responsabilidade da construtora deve ser resolvido dentro desse período, sem custo para o cliente.

Imagine a dor de cabeça de ver vários clientes reclamando da tinta de suas casas descascar depois de pouco tempo dentro do imóvel. Isso poderia causar um prejuízo financeiro grande, sem contar possíveis processos judiciais de clientes insatisfeitos.

Escolher a tinta errada pode resultar em grandes problemas

Por outro lado, uma boa escolha da pintura residencial previne esse tipo de problema e mantém sua empresa livre de acusações, com boa reputação no mercado.

Custo-benefício

O segundo motivo é que a boa escolha da pintura pode fazer a diferença entre pagar mais caro do que deveria ou conseguir um bom custo-benefício pelo material.

A ideia de todo gestor deve ser esta:

Conseguir o melhor preço pelo melhor material. Mas não dá para fazer isso se você comprar sempre a tinta mais barata ou encomendar qualquer marca que o fornecedor consiga entregar mais rápido. É preciso fazer pesquisa, entender do assunto e selecionar com calma a pintura ideal.

Função

Cada ambiente de um imóvel tem uma função diferente, e dos vários tipos de tinta, existe uma opção mais adequada para se encaixar nessas funções todas.

Se você tirar tempo para entender bem qual a função de cada tipo de tinta e em qual ambiente ela deve ser aplicada, vai ser muito mais fácil conseguir alcançar os 2 pontos anteriores: manutenção tranquila e bom custo-benefício.

Valorização

É preciso reconhecer que há muito mais por trás do preço de venda de um imóvel do que o custo dos tijolos e da argamassa. Assim como boa localização e nível de qualidade dos acabamentos fazem diferença, a pintura escolhida vai valorizar ou desvalorizar o imóvel.

Para ficar mais fácil entender isso, pense no seguinte:

Um possível cliente faz uma visita ao seu imóvel para decidir se compra. A impressão dele ao entrar vai ditar o “sim” ou o “não”.

Então, se ele encontrar cores que deixam os ambientes escuros e tristes, dificilmente vai se dar ao trabalho de comprar o imóvel para pintar tudo de novo. O mesmo vale para cores fortes e chamativas demais pela casa toda.

5 pontos a levar em conta ao escolher a pintura residencial do seu empreendimento

Agora que deixamos claro o valor de escolher uma boa pintura residencial para o seu empreendimento, vamos partir para os 5 pontos que você precisa considerar nesse sentido.

Não há nenhum segredo aqui, mas deixar de ver o óbvio é pior do que deixar passar algo escondido. Por isso, não ignore nenhum dos seguintes aspectos:

1. Local

O primeiro aspecto importante a prestar atenção é o local que você vai pintar. Fatores como tamanho, iluminação natural e conceito desejado para o ambiente entram em cena aqui. Por isso, responda perguntas como:

  • Como é a iluminação natural do local? Eu quero deixar esse ambiente mais claro ou escuro?
  • Qual é o tamanho do cômodo? Eu quero fazer esse local parecer mais espaçoso ou compacto e aconchegante?
  • Existe alguma tradição de usar uma cor específica na região deste imóvel?

E tem outras perguntas que você pode responder para chegar a um bom resultado. Afinal, essas são apenas algumas perguntas que servem para ajudar você a ajustar a cor ao local da obra.

2. Durabilidade

O segundo item da lista é pensar na durabilidade da tinta para o ambiente em questão. Naturalmente, o objetivo é sempre conseguir a maior durabilidade possível, e isso envolve escolher tintas de boa qualidade.

Mas alguns ambientes precisam de tintas mais fortes e resistentes que outros. Por isso, na busca pelo melhor custo-benefício, vale a pena buscar o equilíbrio entre a tinta mais durável e adequada para cada ambiente.

3. Tipo de aplicação

Como já falamos acima, existem vários tipos de tinta. Cada um deles serve para um contexto, ou tipo de aplicação, diferente. E isso é muito importante na hora de escolher e aplicar as tintas.

Por exemplo, algumas áreas precisam de impermeabilização, outras precisam de tintas emborrachadas, ou que permitem a remoção de manchas com facilidade. Um bom plano de ação é mapear os tipos de aplicação de cada área do empreendimento para comprar as medidas adequadas.

É preciso conhecer cada tipo de tinta para fazer a escolha correta

Alguns tipos de tinta comuns são:

  • tinta de cal;
  • látex;
  • acrílica;
  • esmalte;
  • epóxi;
  • entre outras.

4. Custo

Estamos falando tanto de qualidade, mas o custo não deve ser deixado de lado nunca quando o assunto é construir um empreendimento rentável. Afinal, algumas marcas mais conhecidas custam mais caro, mas têm concorrentes de nível de qualidade equivalente e preço mais baixo.

Além disso, em alguns casos a queda de qualidade entre a marca mais cara e uma mais em conta é tão pequena que mal dá para notar diferença. Ou seja, tome cuidado para não gastar mais do que o necessário em tintas.

Por fim, com o planejamento adequado e uma boa negociação com seus fornecedores você consegue encontrar materiais de muita qualidade por preços competitivos.

5. Estilo e função do ambiente

Por último, vale a pena pensar também em 2 pontos que algumas pessoas deixam de lado com frequência: o estilo e a função do ambiente. E isso depende muito de quanto você conhece os clientes em potencial de cada empreendimento.

O estilo de vida e as características do cliente dizem, até certo ponto, o estilo de decoração que ele mais gosta e deseja em seu imóvel. Além disso, a função de cada ambiente no dia a dia dos moradores muda de acordo com os hábitos deles.

Leve em conta o estilo do imóvel para definir a tinta adequada

Pensando nisso, faça uma adaptação das cores e tipos de tinta ao estilo do cliente e a função que cada ambiente terá para ele. E lembre-se de que quanto mais precisa for a avaliação nesse sentido, mais pessoas vai atrair.

Assim, a escolha da pintura residencial do seu próximo empreendimento vai ser uma peça estratégica para aumentar a lucratividade da sua empresa. Mas fazer a pesquisa adequada, levando em conta os 5 pontos que mostramos aqui, vai colocar você no caminho certo para isso.

Além da escolha de pintura, existem algumas tendências que têm causado grande impacto nas construções modernas. Uma delas é a inclusão de plantas e vegetação nas construções. Veja como essa tendência vem crescendo no setor da construção civil!