Você sabe como calcular o preço de obra? Descubra aqui!

Martha Ramos

Martha Ramos

Jornalista, Especialista em Marketing
Redatora do Sienge

10 de junho 2020

De todos os elementos que compõem um empreendimento imobiliário, o preço de obra é um dos mais importantes. Se o cálculo for feito de forma errada, toda a viabilidade econômica do empreendimento, bem como seu potencial de lucro, fica comprometida.

Mas como calcular corretamente o preço de obra?

Existem 2 elementos importantes na hora de precificar uma obra. Neste artigo vou te mostrar cada um deles, além de algumas ferramentas valiosas que você pode usar para precificar suas obras de forma clara e objetiva.

Como precificar uma obra de forma justa?

Em todos os setores da economia, existem fatores tangíveis e intangíveis na hora de precificar um produto ou serviço. O que isso quer dizer? Na prática, quer dizer que o preço de venda de algo não é medido apenas pela avaliação de custos físicos e mão de obra. É algo muito mais complexo que isso.

preço de obra: imagem mostra um calculadora

Vamos entender melhor quais são os elementos de tangíveis e intangíveis na hora de determinar o preço de obra, e como você precisa considerar cada um deles.

Tangíveis

Esta é a parte para a qual todos os olhos se voltam na hora de precificar qualquer tipo de produto ou serviço, os elementos tangíveis que justificam o preço. Em geral, isso inclui:

  • materiais necessários: estamos falando dos componentes isolados de um produto, ou da estrutura e ferramentas necessárias para realizar um serviço.
  • mão de obra: aqui entra o quanto vale o trabalho dos profissionais envolvidos na criação ou fabricação do produto, ou na realização do serviço em questão;
  • encargos legais: na conta dos elementos tangíveis também entram os impostos, encargos trabalhistas e tributação;
  • margem de lucro: quando consideramos todos os elementos acima, seu papel no preço é apenas fazer com que o produto ou serviço se pague. A margem entra para tornar o empreendimento lucrativo.

Mesmo dentro dos elementos tangíveis você vai perceber que existem questões um tanto subjetivas. Os preços de componentes e impostos podem ser iguais, mas mão de obra e margem de lucro já são mais difíceis de quantificar.

Afinal, quanto mais específica e especializada a função, mais cara a mão de obra. Da mesma forma, a margem de lucro depende dos objetivos e condições de cada empresa.

Intangíveis

Agora vamos entrar de forma mais profunda nos elementos intangíveis. E aqui já vale o aviso:

Eles podem parecer não fazer sentido à primeira vista, mas têm tanta influência no preço de obra quanto os pontos tangíveis, ou até mais.

Em especial no caso da construção civil, os intangíveis envolvem:

  • localização: o local onde a obra vai ser feita influi diretamente no preço, porque também terá efeito direto sobre o valor percebido do empreendimento.
  • status: o nível de status que a compra oferece para os clientes também é difícil de ser quantificada. Mas as pessoas pagam caro para aumentar seu status.

Para entender melhor essa questão, vale a pena observar mercados diferentes da construção civil. Mais precisamente, vale a pena observar algo que está na sua mão o tempo todo: o celular.

Exemplo de efeito intangível na precificação: Apple

Milhões de pessoas pagam muito mais caro por um celular da Apple, mesmo sem precisar de todos os recursos que ele oferece. Aliás, mesmo que um concorrente tenha especificações melhores por um preço mais baixo, ainda assim muita gente prefere a Apple.

E o motivo é simples:

A marca da Apple representa exclusividade, status, poder. Nada disso é tangível. Se fôssemos considerar só o preço dos componentes e a comparação técnica, a Apple nunca poderia cobrar tão mais caro por seus aparelhos. Mas graças aos elementos intangíveis, ela pode e faz isso, com muito mais sucesso e lucro que seus concorrentes.

preço de obra: imagem mostra um smartphone da Apple com os fones sobre ele. Os aparelhos postos em cima do teclado de um notebook.

O que aprendemos com isso?

Que preço justo não depende só de custos e mão de obra, mas de qual é o valor percebido do empreendimento aos olhos do cliente. Se o cliente vê o preço de venda e fica feliz em pagar, o preço é justo.

Ferramentas de cálculos tangíveis

Existem duas ferramentas muito úteis para ajudar você a calcular os componentes tangíveis e determinar o preço de obra. Elas são:

1. Tabela SINAPI

Para facilitar na questão tangível ao definir seu preço de obra, existem algumas ferramentas que são importantes e que vale a pena você conhecer. Uma delas é a tabela SINAPI.

E o termo SINAPI quer dizer:

Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil. Em português mais claro, é uma tabela de referência para composições e definição de preços relacionados à atividades de construção civil.

Como a SINAPI é atualizada todo mês, ela é um instrumento confiável de consulta na hora de realizar seus orçamentos. A tabela SINAPI é gratuita, mas ganha relevância especial se você usá-la como apoio de um sistema de gestão ERP voltado para a construção civil.preço de obra: imagem de uma tela de computador com diversas informações em fundo preto.

Esse tipo de sistema facilita a organização e acompanhamento das informações, o que garante maior produtividade, segurança e precisão nos orçamentos.

2. CUB/m² – Custo Unitário Básico de Construção

Outra ferramenta que pode ajudar bastante a definir o custo dos materiais e facilitar seus orçamentos é o Custo Unitário Básico/m², ou simplesmente CUB/m². O objetivo dessa ferramenta, que existe desde 1964, é servir como um padrão de acompanhamento do custo médio da construção no país.

Mas como isso funciona?

Na prática, os Sindicatos de Construção (Sinduscons) de cada estado acompanham e calculam o custo médio das construções e atualizam a referência do CUB todo mês. O resultado é considerado o custo médio por metro quadrado de construção.

Assim, fica fácil medir de forma bem rápida e simples o preço de uma obra com base na metragem. Por exemplo, se o custo é de R$1.000,00 por m², uma obra de 100m² custará, em média, R$100.000,00.

Como calcular os componentes intangíveis?

Os custos tangíveis são essenciais para controle interno da empresa, ou seja, para saber quanto será gasto no empreendimento. Mas é na parte intangível que se esconde quanto dinheiro é possível ganhar.

É aí que entra uma estratégia de comunicação e marketing forte. Uma empresa que domina a comunicação persuasiva consegue imprimir uma percepção de valor mil vezes mais forte que uma que só vende com base nos custos.

Ou seja, se a sua construtora investir em criar relacionamento com os clientes e entender como a mente deles funciona, conseguirá dar não só o que eles querem. Como a Apple faz com seus produtos, a sua empresa pode ser capaz superar as expectativas dos clientes e cobrar mais caro por isso.

Por fim, um alerta:

Mesmo empresas que vendem para públicos de renda mais baixa podem aumentar as margens em relação à concorrência e vencer. Não subestime o valor que o ser humano, seja qual for sua renda, dá a ofertas que oferecem a ele uma elevação de status.

O preço de obra não é determinado só pela soma dos custos e da mão de obra com uma margem de lucro fixa. O fator intangível tem grande influência no valor percebido do imóvel pronto. Além disso, usar a tabela Sinapi e o CUB vai te ajudar a fazer todo o cálculo sem estresse.

Depois de calcular o preço de obra, você precisa saber como avaliar o preço de venda de um imóvel pronto. Veja aqui como fazer essa análise do jeito certo!