Por que o reboco racha: entenda o que causa esse problema em paredes

Daniel Moraes

Engenharia Civil / Construção

1 de dezembro 2021

Compartilhe

Por que o reboco racha com tanta frequência em obras residenciais e comerciais? Esse problema, que assombra muitas construtoras e profissionais da área, tem uma explicação mais lógica do que muitos imaginam.

E mais importante:

Ele tem solução e prevenção, desde que você saiba quais são as boas práticas para evitar e tratar esse tipo de rachadura da forma certa. Afinal, rachaduras e problemas similares comprometem muito a qualidade da construção e podem gerar muito transtorno relacionado à garantia e manutenção pós-obra.

Por isso, neste artigo eu vou mostrar para você, de uma vez por todas, por que o reboco racha e como lidar com isso de forma definitiva.

Entenda de uma vez por que o reboco racha

A primeira coisa que você precisa para lidar com o problema das rachaduras no reboco das paredes é entender os motivos disso. E são vários:

  • acomodação estrutural: com o tempo, a construção cede aos poucos. Porém, nem sempre a construção cede por igual, e quando uma parte desce mas que a outra, formam-se as rachaduras;
  • cálculo errado da sobrecarga de uso: além do peso dos elementos da construção, é preciso calcular o peso do uso do imóvel, o que inclui móveis e tráfego de pessoas. Quando o cálculo é mal-feito, aparecem as rachaduras;
  • retirada prematura das escoras: durante a construção, as escoras precisam ficar tempo suficiente para solidificar os alicerces. Retirar esse apoio antes da hora pode causar rachaduras;
  • dilatação térmica: vários materiais dilatam com o calor, e essa expansão contínua pode fazer com que as paredes se rachem com o tempo;
  • retração térmica: o mesmo princípio do que acontece com a dilatação também se aplica com a retração, ou seja, quando um elemento ou material diminui de tamanho por conta da temperatura fria;
  • infiltração: se aparecem infiltrações a chance de surgirem rachaduras aumenta, pois a área infiltrada fica mais fraca;
  • erro na formulação ou aplicação de produtos: alguns produtos usados na construção precisam de cuidado na aplicação. Quando os profissionais cometem algum erro, a parede fica desprotegida e forma rachaduras com o passar do tempo.

Qual é a diferença entre rachadura, trinca e fissura

Há quem pense que ao falar sobre rachadura, trinca e fissura, estamos falando do mesmo problema, apenas com nomes diferentes. Mas não é bem assim: elas têm algumas diferenças sutis, mas importantes.

betoneira

Em resumo, a diferença entre os três problemas tem a ver com a espessura da divisão. Sendo assim, conforme o problema avança e fica mais sério, ele muda de nome.

Mas antes de partir para a explicação, vale deixar claro que essa classificação vem da NBR 9575:2003, que fala sobre impermeabilização. Ou seja, trata-se de uma definição técnica sobre o assunto. Então, veja agora quando considerar a abertura nas paredes uma fissura, trinca ou rachadura:

Fissura

A fissura é o primeiro grau do problema, e portanto o menos grave. Apesar disso, é também o mais difícil de notar. Por isso, nem sempre é possível identificar uma fissura logo que ela surge, mas é importante fazer o máximo para perceber a situação ainda neste estágio inicial.

Quando a abertura é inferior a 0,05 mm ela é considerada uma microfissura. Então, ela passa a ser considerada uma fissura quando sua espessura é de até 0,5 mm.

O único problema da fissura em si é o efeito estético, pois além de ser feio ele já indica que um problema maior pode ocorrer. Mas se ficar só nisso, a obra está segura e o problema pode ser corrigido apenas de forma visual.

Trinca

A partir do momento em que a abertura passa de 0,5 mm ela deixa de ser uma fissura e passa a ser considerada uma trinca.

Aqui ela já fica mais profunda e também mais evidente, por isso um olhar atento consegue identificar o problema de forma mais fácil. Mas, ainda assim, as trincas são aberturas pequenas e vão até, no máximo, 1,0 mm.

Apesar disso, algo que pode ajudar a identificar tanto trincas quanto fissuras é a extensão delas pela parede. Afinal, mesmo que não seja profunda, ela pode se estender por uma área grande e bem visível.

Em termos de efeito na obra, a trinca já começa a representar um problema maior, pois a abertura é grande o suficiente para absorver umidade e mofo.

Rachadura

Por fim, temos as rachaduras, uma versão muito mais visível e profunda do problema. Aqui nós já estamos falando de aberturas grandes o bastante para passar água ou vento. E as rachaduras são um problema muito maior, inclusive na manutenção.

Alguns profissionais abrem a rachadura e a preenchem com um material de vedar trincas. Mas outros acreditam que a única forma de resolver o problema é remover o reboco todo, aplicar uma tela metálica sobre a área e refazer o reboco todo da área em questão.

A melhor solução para tratar rachadura em paredes

O que pouca gente conta é que a única forma de resolver de vez as fissuras, trincas e rachaduras é impedir que elas apareçam, em primeiro lugar. Caso contrário, elas voltam a aparecer com o tempo.

Então, como impedir que esse problema aconteça e que você precise aplicar soluções paliativas de manutenção pós-obra?

Vergas, contravergas e cintos de amarração

Quando se fala em alvenaria, a resposta para prevenir as rachaduras nas paredes está em aplicar vergas, contravergas e cintos de amarração na sua obra.

E o motivo é simples:

Esse tipo de estrutura tem função estrutural que previne as rachaduras e não afeta em nada o formato da obra. Inclusive, nós fizemos aqui no blog um post detalhado explicando o papel das vergas, contravergas e cintos de amarração como recurso valioso para prevenir fissuras, trincas e rachaduras.

Então, é essencial colocar profissionais qualificados para realizar essas tarefas durante a obra, e avaliar bem cada caso para tomar as decisões certas. Caso contrário, você pode fazer o serviço pela metade e ter de lidar com esse problema depois.

Métodos construtivos inovadores

Outra alternativa de prevenção é usar métodos construtivos que não sofrem com o risco de rachaduras e fissuras. A cada dia surgem novas formas de construir que são mais simples, de melhor custo-benefício e que eliminam problemas comuns, como as fissuras.

métodos inovadores não têm risco de rachaduras

Entre eles, podemos destacar os containers, Steel Frame e Wood Frame, construções que distribuem o peso da obra por igual em toda a estrutura. Desde a fundação até o acabamento, esse tipo de construção é bem diferente e não tem risco de rachaduras.

Outra opção muito atrativa é a construção off-site, que usa peças modulares feitas sob medida fora do canteiro. Assim, por usar métodos construtivos industriais, a precisão é mais alta e não há desafios como as rachaduras no reboco que são tão comuns na alvenaria.

No fim das contas, a verdade é que há muitos motivos para explicar por que o reboco racha nas paredes, mas há poucas soluções para lidar com isso.

O grande segredo é aplicar essas soluções e tomar todos os cuidados durante o planejamento e a execução da obra. Se fizer isso, você não vai precisar se preocupar com pedidos de garantia e serviços extra de manutenção pós-obra.

Além de entender por que o reboco racha, se você quiser saber mais sobre métodos construtivos inovadores, veja este post que preparamos sobre o assunto!

Compartilhe