5 passos para gestão de estoque em pequenas empresas

Lucio Woytovicz Jr

Escrito por Lucio Woytovicz Jr

7 de junho 2024| 11 min. de leitura

Compartilhe
5 passos para gestão de estoque em pequenas empresas

Descubra como otimizar a gestão de estoque em pequenas empresas com 5 passos essenciais que você pode aplicar agora mesmo. Confira!

A gestão de estoque é uma peça fundamental para o sucesso de qualquer empresa, especialmente para construtora de pequeno porte, onde cada recurso precisa ser otimizado ao máximo. Porém, a má gestão de estoque é um problema comum que pode causar uma série de complicações, desde a perda de vendas até custos operacionais desnecessários.

Para pequenas empresas, manter um controle eficiente do estoque pode ser um verdadeiro desafio. A falta de organização e planejamento pode levar a excessos ou faltas de produtos, ambos extremamente prejudiciais. Um estoque excessivo resulta em capital imobilizado e custos adicionais de armazenamento, enquanto a falta de produtos pode afastar clientes e diminuir a credibilidade da empresa.

Além disso, problemas na gestão de estoque podem provocar perdas financeiras devido à deterioração de produtos, obsolescência e até mesmo furtos. Sem um controle adequado, a empresa pode enfrentar dificuldades na previsão de demanda, o que complica ainda mais a tomada de decisões estratégicas.

Outra questão crítica é a falta de integração entre o sistema de estoque e outros departamentos da empresa, como vendas e compras. Isso pode gerar inconsistências nos dados, impactando negativamente a eficiência operacional e a satisfação do cliente.

Portanto, uma gestão de estoque eficaz não só previne problemas, mas também otimiza o fluxo de trabalho, melhora o atendimento ao cliente e, consequentemente, contribui para a lucratividade da empresa. 

Pensando nisso, nos próximos tópicos, apresentaremos cinco passos essenciais para ajudar construtoras de pequeno porte, de pequenas obras, a melhorar sua gestão de estoque e evitar esses problemas comuns. Vamos lá? 

Como fazer o controle de estoque? 5 passos 

Gerenciar o estoque de maneira eficaz é crucial para o sucesso de qualquer pequena empresa. Um controle de estoque bem estruturado garante que os produtos certos estejam disponíveis no momento certo, evitando tanto a falta quanto o excesso de itens. Assim, é possível otimizar os custos operacionais, mas também melhorar a satisfação do cliente e a eficiência do negócio. 

A seguir, apresentamos cinco passos essenciais que ajudarão sua empresa a manter um controle de estoque preciso e eficiente, garantindo uma operação mais organizada e lucrativa. 

1) Realize um levantamento inicial do estoque

O primeiro passo para uma gestão eficiente de estoque é realizar um levantamento inicial completo. Isso envolve a contagem física de todos os itens no estoque e o registro detalhado das quantidades, localizações e condições dos produtos. 

Esse levantamento deve ser realizado com precisão, pois servirá como a base para todas as operações futuras. Durante o processo, é crucial identificar itens obsoletos ou danificados que possam ser descartados ou vendidos com desconto. Além disso, esta etapa oferece uma visão clara do inventário existente, permitindo que a empresa tome decisões mais informadas sobre reabastecimento e planejamento de compras.

Realizar um levantamento inicial também ajuda a identificar discrepâncias entre os registros de estoque e a realidade física. Essas discrepâncias podem resultar de erros anteriores de contagem, furtos ou perdas por deterioração. Resolver essas inconsistências é essencial para estabelecer um controle de estoque preciso. Após o levantamento inicial, é recomendável implementar uma rotina de contagens cíclicas, onde partes do estoque são verificadas regularmente para manter a precisão dos registros.

2) Categorize e organize os itens de estoque

Depois de realizar o levantamento inicial, o próximo passo é categorizar e organizar os itens de estoque de maneira lógica e eficiente. A categorização pode ser baseada em vários critérios, como tipo de produto, frequência de uso, ou valor. 

Uma metodologia comum é a curva ABC, onde os itens são divididos em três categorias: A (itens de alto valor e baixa quantidade), B (itens de valor moderado e quantidade moderada), e C (itens de baixo valor e alta quantidade). Essa abordagem ajuda a focar nos itens que mais impactam o negócio.

A organização física do estoque também é fundamental. Produtos devem ser armazenados de forma que sejam facilmente acessíveis e identificáveis. O uso de etiquetas claras e codificação de cores pode facilitar a localização rápida dos itens, reduzindo o tempo gasto na busca de produtos e minimizando erros. 

Além disso, o layout do armazém deve ser planejado para otimizar o fluxo de trabalho, com itens de alta rotatividade posicionados em locais de fácil acesso.

3) Estabeleça políticas de reposição de estoque

Estabelecer políticas claras de reposição de estoque é essencial para evitar excessos e faltas. Isso envolve definir níveis mínimos e máximos de estoque para cada item, bem como pontos de reordenação, que indicam quando é necessário fazer um novo pedido. Essas políticas devem ser baseadas em análises de vendas passadas, sazonalidade e previsões de demanda.

A reposição de estoque pode ser automatizada para alguns itens, utilizando sistemas que alertam quando os níveis de estoque caem abaixo de um certo ponto. Isso garante que a empresa mantenha uma quantidade adequada de produtos sem exageros que imobilizam capital desnecessariamente. Além disso, é importante considerar o tempo de entrega dos fornecedores e ajustar os pontos de reordenação para garantir que os produtos cheguem a tempo para atender à demanda.

4) Monitore e analise os dados de estoque regularmente

O monitoramento e a análise regular dos dados de estoque são cruciais para manter a eficiência e identificar áreas de melhoria. Isso inclui a revisão periódica dos níveis de estoque, análise das vendas e avaliação do desempenho dos produtos. Ferramentas de análise e relatórios ajudam a identificar tendências, padrões de consumo e sazonalidades que impactam a demanda.

A análise dos dados de estoque também permite identificar produtos de baixa rotatividade, que podem ser descontinuados ou promovidos para liberar espaço e capital. Além disso, monitorar os dados de estoque ajuda a identificar possíveis problemas, como furtos ou perdas inesperadas, permitindo que a empresa tome medidas corretivas rapidamente.

5) Utilize softwares de gestão de estoque

Implementar um software de gestão de estoque é um passo crucial para pequenas empresas que desejam otimizar suas operações. Um ERP (Enterprise Resource Planning) para pequenas construtoras, por exemplo, pode integrar todas as áreas da empresa, desde compras e vendas até finanças e estoque, em uma única plataforma. Isso facilita o acompanhamento em tempo real dos níveis de estoque, a automatização de processos de reposição e a geração de relatórios detalhados.

Esses sistemas ajudam a eliminar erros manuais e fornecem dados precisos e atualizados, permitindo uma gestão de estoque mais eficaz. Além disso, um software de gestão pode ser escalável, crescendo junto com a empresa e adaptando-se às necessidades em constante mudança. A implementação de um ERP, portanto, não só melhora a eficiência operacional, mas também fornece insights valiosos para a tomada de decisões estratégicas, ajudando a empresa a se manter competitiva no mercado.

Software de gestão de estoque para pequenas empresas

Um bom software de gestão de estoque é uma ferramenta indispensável para pequenas empresas que desejam otimizar suas operações e aumentar a eficiência. Esse tipo de software pode proporcionar uma gestão integrada, abrangendo áreas essenciais como engenharia, financeiro e suprimentos. 

Com todos esses setores interconectados, é possível ter uma visão completa e em tempo real do andamento dos projetos, facilitando a tomada de decisões estratégicas e a identificação de áreas que necessitam de melhorias.

A economia nos custos de compras de materiais é outro dos principais benefícios de utilizar um software de gestão de estoque. Com um controle preciso e uma previsão de demanda mais acurada, é possível evitar compras excessivas e minimizar desperdícios. Além disso, a capacidade de negociar melhores preços com fornecedores, baseada em dados confiáveis e históricos de compras, contribui para uma significativa redução de custos.

A otimização das horas de trabalho por semana é mais um aspecto crucial. Com processos automatizados e uma melhor organização do estoque, os funcionários podem dedicar menos tempo a tarefas manuais e repetitivas, como contagem de itens e atualização de registros. Isso libera tempo para que se concentrem em atividades mais estratégicas e produtivas, aumentando a eficiência geral da empresa.

Se você está buscando uma solução completa e eficaz, precisa conhecer o GO Gestor Obras. Este software oferece todas essas funcionalidades que mencionamos neste artigo e muito mais, ajudando sua empresa a alcançar um novo patamar de eficiência e produtividade. 

Dê só uma olhada e conheça um pouco mais do GO Gestor Obras