O que você precisa saber para contratar um seguro de obra

Giseli Barbosa Anversa

Customer Success Manager do Sienge, atuando no desenvolvimento de ações para impulsionar o desempenho de empresas da Indústria da Construção.

27 de setembro

Não importa quantos planos os engenheiros façam ou quanto a equipe do canteiro de obras é competente, sempre existe o risco de algo sair errado numa obra. Isso expõe o proprietário da obra e os profissionais envolvidos a quantias financeiras astronômicas em caso de precisar ressarcir os prejuízos. 

Felizmente, existe uma solução para isso. Estou falando do seguro de obra, feito para garantir o sucesso do empreendimento caso algo dê errado na construção ou reforma. Mas alguns têm receio de contratar esse serviço por que têm muitas dúvidas sobre ele.

É por isso que neste artigo eu vou te explicar exatamente o que é um seguro de obra, se ele vale mesmo a pena e, caso você decida usá-lo, um passo a passo para fazer a contratação.

O que é um seguro de obra?

O seguro de obra tem o mesmo objetivo que outras formas de seguro, como o de automóveis, de casa e de vida. A ideia é que se algum imprevisto comprometer a obra, a seguradora tem os recursos financeiros para cobrir o prejuízo.

Alguns dos problemas que podem surgir numa construção são:

Cada um desses problemas pode causar tanto prejuízos materiais ao projeto quanto danos físicos aos trabalhadores, que também precisam de suporte. Em qualquer desses casos, quem contrata um seguro de obra tem onde recorrer por ajuda.

Por que é importante fazer um seguro para cada obra?

Naturalmente, todo profissional da construção civil sabe que o setor envolve muitos riscos. Trabalho em altura, maquinário pesado e objetos cortantes são apenas algumas das vulnerabilidades do trabalho construtivo.

seguro de obra 1

Então talvez você se pergunte se vale mesmo a pena fazer um seguro de obra. A resposta é um grande “Sim!”. Afinal de contas, não importa há quanto tempo a empresa está no mercado, ou se nunca houve acidente grave no canteiro antes. É impossível garantir que amanhã isso não vai mudar. 

Além disso, aqui estão pelo menos 3 motivos para não deixar de fazer um seguro para cada obra da sua construtora:

1. Manter o empreendimento vivo

Imagine que no meio de um grande projeto, depois de milhões de reais já investidos, acontece um acidente no canteiro de obras. Apesar de ninguém se ferir, boa parte do trabalho é arruinada. O que pode ser feito em seguida?

Pense um pouco:

Dependendo das condições financeiras da empresa, a obra pode se tornar inviável dali para frente se tiver de arcar com o prejuízo do próprio bolso. Por outro lado, se tiver um seguro de obra com as coberturas necessárias, pode continuar o projeto e ainda ter lucro, mesmo que menor por conta do atraso.

Percebe o valor de ter um seguro de obra bem estabelecido? Ele pode ser a diferença entre perder um empreendimento inteiro ou mantê-lo vivo, mesmo em caso de grandes imprevistos.

2. Resguardar a empresa de prejuízos maiores

Vamos pensar em outra situação similar à que descrevi acima. Desta vez, a construtora está fazendo um projeto em parceria com outra empresa, ou mesmo uma obra terceirizada. De repente, acontece um acidente sério que estraga todo o trabalho já feito. 

A responsabilidade legal de pagar os danos é da empresa que está cuidando da obra. Se não tiver contratado um seguro, isso dificilmente vai terminar de outra forma que não seja uma briga na justiça com o proprietário do empreendimento.

Além de gastar com advogados e perder o pagamento do serviço em questão, a empresa corre o risco de perder a ação e ainda precisar reembolsar o valor perdido no acidente. 

3. Cumprir a legislação

Para evitar alguns problemas como o que acabei de citar, a lei exige a contratação de um seguro de obra em muitos casos, para blindar o empreendimento e os envolvidos nele. Se esse for o caso de algum projeto no qual a sua empresa está envolvida, a questão se torna obrigatória.

Deixar de contratar o seguro seria imprudente não só por todos os riscos envolvidos, mas também porque colocaria a empresa em problemas com a justiça.

Como contratar um seguro de obra: 3 passos que você precisa seguir

Contratar um seguro de obra não é tão complicado quanto alguns pensam. Na verdade, o processo é simples, mas você precisa entender alguns pontos-chave antes. Por exemplo, há 3 tipos básicos de seguro, que são:

  • obras civis em construção: para danos durante a construção;
  • instalações e montagem: para problemas em reformas e instalações, como no caso de estandes temporários;
  • quebra de equipamentos: para problemas com equipamentos no canteiro de obras. As máquinas em questão podem ser tanto elétricas quanto eletrônicas.

Depois de entender quais os tipos de seguro que deseja contratar, é só seguir os passos abaixo:

1. Procure um corretor de confiança

Como em outras modalidades de seguro, você precisa de um corretor para contratar a proteção da sua obra. Por isso, pesquise por alguém de confiança para ajudar no processo. Você pode pedir indicações a outros profissionais do setor que já contam com seguros de obras ou pesquisar bem as várias opções do mercado.

Um bom corretor pode ajudar até a definir algumas das melhores opções de contratação, em caso de dúvidas. Mas, no geral, você já precisa falar com ele preparado e ciente do que busca.

O mais importante é descobrir quais as regras da seguradora em questão para o tipo de seguro que você busca. Entenda quais são as limitações, os diferenciais de mercado e como cada recurso ajuda (ou não) a proteger a empresa e os funcionários.

2. Compare os fatores mais relevantes

Antes de decidir qual seguradora contratar, coloque os fatores mais importantes na balança. Eles são:

  • qualidade do atendimento: é esse atendimento que você vai receber em caso de dar tudo errado na obra. É bom que ele seja de primeira qualidade;
  • preço: o preço do seguro varia entre 0,1% e 0,5% do total da obra. Busque a melhor condição com a melhor cobertura;
  • estrutura: a estrutura de suporte da seguradora faz toda a diferença na agilidade do atendimento e na garantia de cobertura diante de problemas.

seguro de obra 3

3. Dê entrada na documentação

O segundo passo é dar entrada na documentação exigida pela seguradora. Ao contrário do que muitos pensam, a burocracia não é tão grande nessa parte do processo. Em geral, os documentos exigidos são estão na posse do engenheiro, mas isso deve ser esclarecido antes com o corretor.

No caso de obras grandes talvez seja necessário enviar documentos como:

  • memorial descritivo;
  • projeto da obra;
  • e cronograma físico/financeiro.

Também pode ser necessário realizar vistorias no canteiro para garantir que tudo esteja de acordo com as regras da seguradora para aprovar o seguro. 

Já obras menores, principalmente reformas pequenas, são consideradas mais simples e o processo de aprovação tende a ser mais ágil, sem precisar enviar muitos documentos.

O seguro de obra é essencial para manter a proteção jurídica e material da sua construtora diante de uma série de imprevistos. O custo-benefício da contratação compensa muito, sem falar na facilidade de fazê-lo. Assim, não há motivos para deixar o seguro de obra de lado, a única questão que você precisa considerar é qual seguro escolher.

Uma das coisas que pode ajudar a reduzir riscos numa construção é um bom planejamento. Conheça agora a metodologia Scrum e veja como ela pode ser usada nas obras!