Confira o Mapa de Construtechs e Proptechs 2020!

Bruno Loreto

Bruno Loreto

Head of Construtech Ventures | Innovation Advisor | Corporate Venture

4 de Maio

Mapa de Construtechs: Crescimento das startups no país reforça o fortalecimento da transformação digital no setor e apresenta novos desafios a serem enfrentados pelas empresas

Em meio a crise que impactou o setor de construção e mercado imobiliário a partir de 2015, vimos a aceleração da transformação digital nas empresas construtoras e incorporadoras brasileiras. 

A necessidade de reduzir custos, otimizar receitas, criar diferenciais competitivos, impulsionou a inovação. Profissionais líderes de empresas de todo o país, cada dia mais, entendem o valor da adoção de novas soluções digitais em seu negócio. 

Esta crescente digitalização no segmento traz também novos desafios

O primeiro deles é como encontrar as soluções ideias para os problemas da sua empresa. Isso, hoje, não está mais limitado aos planos da área de tecnologia da construtora, mas sim disponível para qualquer usuário da organização.  

O segundo é como conseguir que, diante de inúmeras startups e empresas de tecnologia provendo soluções, sua empresa consiga que as informações fluam entre as diferentes áreas da construtora. O resultado disso é uma gestão integrada.

Nesse artigo, trago minha visão sobre o fenômeno da multiplicação no número de inovações no ambiente construtivo. Além disso, falarei como as plataformas tecnológicas ajudarão a tratar alguns dos novos desafios imposto por esse novo contexto.

A multiplicação das startups no setor da construção

O Mapa de Construtechs e Proptechs, produzido pela Terracotta Ventures, contempla a maior cobertura do ecossistema de Construtechs e Proptechs no Brasil. Ele é um símbolo de como a transformação digital tem ganho força junto às empresas do mercado.

A iniciativa tem como intuito compartilhar com profissionais do setor e empreendedores um retrato do que está acontecendo no ambiente de inovação no mercado. 

Ele é uma maneira de empresas tradicionais conhecerem soluções que podem ajudar seus negócios em meio ao cenário de crise e empreendedores darem visibilidade a sua startup.

Mapa de Construtechs : Imagem mostra o Mapa de Construtechs e Proptechs 2020

No mapeamento deste ano a Terracotta Ventures identificou 702 startups Construtechs e Proptechs ativas no país. Este é um crescimento de 23% em relação ao ano anterior, e 180% em relação ao primeiro mapeamento publicado no país em 2017. 

O que significa que construtoras e incorporadoras de todo o Brasil, possuem à sua disposição um acervo cada vez maior de soluções digitais que podem impulsionar seu negócio.

Um novo contexto na busca por soluções digitais na construtora

Em 2008, ano que comecei a trabalhar com tecnologia no setor, o ambiente era muito diferente do que vemos hoje. 

Naquela época, uma construtora buscava que um único software atendesse todas as necessidades da empresa. Uma intenção que naturalmente não era realizada e a empresa acabava se acostumando a lidar com um conjunto de alguns poucos fornecedores.

Ainda sim, sempre que uma nova necessidade era identificada, batia-se na porta do seu fornecedor atual na expectativa que um novo módulo fosse criado já conectado a todos os demais.

Desde então, muita coisa mudou.

Não apenas na forma de uma construtora e incorporadora contratar tecnologia, mas no ambiente como um todo.

Surgiram os smartphones, o mundo migrou para a computação na nuvem, as soluções digitais passaram a ser contratadas na modalidade Saas (software como serviço). A tecnologia ficou mais acessível para todos.

Nesse novo cenário estabelecido, esperar que uma única empresa produza todas as soluções tecnológicas para seus problemas virou utopia. 

É muito mais provável que empreendedores espalhados por “garagens” em vários cantos do mundo criem startups com soluções eficazes para as necessidades das empresas. Isso em uma velocidade muito maior do que qualquer grande corporação de tecnologia com todos seus profissionais sentados lado a lado. Esta é a premissa básica do conceito de inovação aberta.

Diante disso, a realidade mudou, e ao invés de a construtora se habituar a ter três ou quatro sistemas implantados, passa a ter uma gama de opções produzidas por múltiplos fornecedores. Estes podem ser empresas tradicionais ou jovens startups Construtechs e Proptechs como aquelas presentes no mapeamento da Terracotta Ventures.

A vantagem é poder ter a melhor solução para o seu problema, conseguindo acelerar a transformação digital, e gerar assim o maior valor possível utilizando de tecnologia no seu negócio. 

Contudo, surgem os inconvenientes de ter que lidar com vários fornecedores, além de encarar principal o desafio: conseguir que a informação flua entre as inúmeras soluções de forma a poder manter a convergência dos dados e comunicação dentro da sua empresa.

O desafio da integração entre as soluções

No passado, integrar sistemas era uma arte complexa, exigia dos profissionais e empresas envolvidas, entender a arquitetura de cada produto. Era necessário desenvolver códigos específicos para conseguir que a informação fluísse de um sistema para o outro. 

Quando atingiam sucesso, uma simples atualização do sistema em muitos casos colocava tudo a perder, a tão desejada integração parava de funcionar.

A tecnologia evoluiu, novas arquiteturas de sistemas passaram a ser adotadas, e o mundo iniciou a migração para a API economy. Hoje o esperado é que um sistema possua interfaces de conexão que permitam o mesmo ser plugado com outras soluções do mercado. 

Basicamente um fluxo de entrada e saída pré documentado que facilite o processo de interação entre as ferramentas.

Ainda sim, falamos de um mercado que possui mais de 700 startups com diferentes soluções, desenvolvidas em diferentes tecnologias e em níveis de maturidade distintos. Isso torna conseguir que a informação flua se torna um desafio ainda maior.

Como consequência, as empresas vão tentando se adaptar. Exportam dados para planilhas, utilizam de soluções de BI (business intelligence) para ao menos conseguir gerar gráficos e indicadores, mas silos de informação acabam sendo criados. A vantagem trazida pela inovação acaba sendo corroída por ineficiências presentes no novo contexto.

Em empresas de grande porte, naturalmente times robustos de tecnologia vão identificando e resolvendo cada gargalo, mas na maior parte do segmento a realidade é bem diferente.

A evolução das plataformas tecnológicas 

Estamos ainda em um momento onde a maior parte das empresas construtoras e incorporadoras está engatinhando na transformação digital. O maior desafio, no curto prazo, é encontrar soluções que possam lhe ajudar a ser mais eficientes. 

Aos poucos, novas soluções digitais vão sendo adotadas, e o desafio de lidar com inúmeras ferramentas vai aflorando. No entanto, conheço inúmeras construtoras e incorporadoras que já possuem mais de duas dezenas de fornecedores de tecnologia provendo soluções para seu negócio, sejam elas startups ou empresas tradicionais.

Por conta disso, começam a surgir plataformas tecnológicas, um conceito que envolve uma visão mais ampla do que apenas oferecer um sistema a sua construtora. A ideia é conseguir ser um viabilizador de soluções, conectando diferentes sistemas, sugerindo soluções, sejam elas desenvolvidas pelo próprio fornecedor ou integradas por empresas parceiras.

Nesse ambiente tecnológico, quantos mais empresas participantes, maior o valor da plataforma, uma vez que maiores são as possibilidades de aplicações diferentes que você pode usufruir, consequentemente maior o impacto no seu negócio.

Adoção de plataformas tecnológicas para impulsionar a transformação digital de sua empresa traz uma série de benefícios:

  • Possibilidade de encontrar em um único lugar múltiplas soluções;
  • Integração entre as ferramentas garante o fluxo de informações;
  • Qualidade dos parceiros presentes na plataforma, garante que você está se relacionando com fornecedores confiáveis;
  • Acordos comerciais, agregam vantagens financeiras para quem contrata as soluções em conjunto ao invés de adotar cada uma individualmente.

Uma forma de entender o impacto que isso pode ter na sua construtora e incorporadora é observar o que acontece na sua vida pessoal. Se você utiliza um iphone, está diante de um ótimo exemplo de plataforma. 

Seu celular te permite acessar uma gama de aplicativos desenvolvidos por fornecedores diferentes e espalhados por todo o mundo:

  • o pagamento é feito por meio de um cartão de crédito configurado uma única vez em sua conta da Apple;
  • quando há uma atualização do sistema, todas aplicações já estão alinhadas e mantém seu funcionamento constante;
  • os mesmos aplicativos podem ser acessados não apenas no seu celular, mas também em  seu tablet, computador, tv, relógio. 

Informações sincronizadas quase em tempo real. Um conjunto de vantagens que te incentiva a usar cada vez mais a plataforma e aumentar ainda mais sua captura de valor.

O mesmo efeito você deve esperar na sua construtora. Veremos a evolução das plataformas de tecnologia focadas no setor, agregando maior número de soluções digitais de startups Construtechs e Proptechs ou mesmo empresas tradicionais de tecnologia. 

Em resumo

No curto prazo, continuaremos vendo uma multiplicação no número de soluções existentes no mercado, startups surgindo a cada dia com inovações em produto e modelos de negócio capazes de impulsionar os resultados da sua empresa. 

No entanto, o fortalecimento das plataformas irá acelerar. Veremos um maior número de ferramentas integradas, acordos comerciais trazendo vantagens aos seus clientes, e maior infraestrutura de apoio aos seus participantes. Quanto maior o número de inovações, maior a necessidade de soluções integradoras buscando convergência e otimização. 

Ainda sim tenha a certeza que qualquer futuro em uma construtora e incorporadora digital, será mais eficiente e produtivo do que em uma empresa analógica.