INCC, IPCA, IGP-M? A importância dos índices na tomada de decisão

Rafael Damaceno

Sales Ops
Corredor amador nas horas vagas

17 de outubro

Vivemos em um mundo dinâmico onde os mercados estão em constante transformação e o excesso de informação muitas vezes acaba por nos confundir, não é mesmo? Diariamente somos bombardeados por dados e notícias e índices, como o INCC, IGPA e outros, onde precisamos tomar decisões rápidas. 

Mas onde buscar informações confiáveis e como interpretá-las?

Vou te mostrar logo abaixo!

Por que é importante a tomada de decisão baseada em fatos e dados?

Conhecer os indicadores financeiros é um importante passo para a gestão da sua empresa. O conhecimento da situação econômica e financeira do mercado, através dos índices evita problemas futuros e auxilia em medidas corretivas.

O ambiente competitivo da construção civil exige planejamento e capacidade de se antecipar aos acontecimentos.

Falaremos sobre os índices utilizados no mercado da construção civil, e apresentaremos os mais utilizados pelas empresas desse segmento.

Quais são os índices podemos utilizar no mercado imobiliário?

Existem diversos índices, vamos citar alguns que são utilizados pela indústria da construção e que provavelmente você já ouviu falar:

CUB/M²

Custo Unitário Básico, é regulamentado pela Lei Federal 4.591. Tem como objetivo medir os custos básicos da cadeia da construção civil para fins de orçamento de obras. É base para contratação de serviços entre outras aplicações.

O CUB não pode ter a finalidade de reajuste de valores contratuais.

Sua abrangência é regional e de responsabilidade do Sinduscon.

Contudo existem outras instituições e empresas que coletam os dados de todos os Sinduscons e divulgam estes índices de forma prática, como a CBIC através do CUB e o Buildin.

INCC

O Índice Nacional da Construção Civil é um indicador econômico de responsabilidade da FGV (Fundação Getúlio Vargas). Diferente do CUB é utilizado para correções de prestações de imóveis em construção e tem uma abrangência mais macroeconômica. Sua pesquisa é realizada em 7 cidades (Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro, Recife, São Paulo, Salvador, Porto Alegre).

O INCC é um dos índices que compõe o IGP (falaremos dele logo abaixo) e é disponibilizado através da plataforma da FGV.

Os principais Sinduscons do país também disponibilizam em seus sites.

IGP-DI

Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna – Índice utilizado como indicador macroeconômico, deflator de valores monetários e indexador de contratos. Avalia a evolução dos preços sem considerar os produtos exportados. É disponibilizado pela FGV (Fundação Getúlio Vargas).

IGP-M

Índice Geral de Preços – do Mercado – Índice utilizado para reajuste de índice dos preços de aluguel e contratos de energia elétrica. Mede a variação dos preços da construção civil (o INCC compõe este índice) e dos preços no mercado de atacado. É disponibilizado pela FGV (Fundação Getúlio Vargas).

IPCA

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – É utilizado pelo governo para medir a inflação e para estabelecer metas. Apura o custo para família com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos.

ICST

Índice de Confiança da Construção – É uma pesquisa que gera mensalmente um conjunto de informações usadas no monitoramento e antecipação de tendências econômicas no setor. Aborda temas como acesso a crédito, absorção de mão de obra, nível atual de demanda e situação geral dos negócios. É composto por 13 perguntas direcionadas a atividade econômica da empresa.

Siga as pistas dos indicadores

Os índices têm muito a nos dizer, eles são como pistas e podem indicar uma hipótese de tendência do mercado ou podem explicar um momento de acordo com a combinação de uma série de fatores.

A queda ou aumento nas vendas de insumos, por exemplo, pode representar um aumento na atividade econômica na construção civil. A variação dos preços irá influenciar diretamente no INCC.

Por sua vez o INCC é um dos índices que compõem o IGP-M, utilizado nos reajustes de contratos de aluguéis.

Mais abaixo vamos mostrar um gráfico interativo que mostra a variação do IGP-M, INCC e IPCA.

Fatores que influenciam os índices

Na construção civil, temos inúmeros fatores que influenciam a variação dos índices, que vão desde a disponibilidade de crédito no mercado, preço dos insumos, confiança do consumidor e situação política.

Analisando o gráfico apresentado, podemos observar o ano 2017.

Para detalhar a variação dos índices, arraste ou determine uma data de ínicio e fim. O gráfico exibirá apenas as informações entre as datas selecionadas.

O indicador de confiança da indústria da construção começou a ser medido apenas em 2011 e informações anteriores a essa data não serão exibidos.

Quer colocar esse Gráfico Interativo no seu site? Copie o código abaixo:

Observe que o IGPM ficou negativo em abril, maio, junho e julho, acumulando uma queda por 4 meses seguidos. O INCC por sua vez ficou negativo em abril, influenciado pela deflação do grupo de Materiais, Equipamentos e Serviços, que compõe o INCC.

O que pode ter deflacionado os preços dos produtos?

Podemos analisar o Índice de Confiança da Construção (falaremos mais dele abaixo), onde de abril para maio houve uma queda na confiança, e por sua vez uma redução no consumo de insumos.

A notícia boa é que o índice nos meses seguintes acumulou quatro altas consecutivas. Segundo a FGV, a alta deste indicador aponta para uma melhora no segundo semestre para um cenário menos negativo para as empresas da indústria da construção civil.

Viram que seguindo algumas pistas, conseguimos compreender o mercado?

E de onde vem essas informações?

Existem renomados institutos como SIDRA IBGE, FGV, CBIC que fornecem dados e análises macroeconômicas e sindicatos como o Sinduscon que fornecem indicadores regionais que são disponibilizados periodicamente.

Vamos falar sobre alguns deles:

O Sidra possui informações atualizadas sobre estudos e pesquisas realizados pelo IBGE. Nele encontramos uma base com 33 pesquisas e 600 milhões de dados que são alimentados continuamente. Todas as informações são gratuitas.

A FGV IBRE fornece indicadores, índices de preços, cotações de moedas, taxas de juros e índice de ações. É necessário realizar um cadastro para pesquisar os dados.
Possui dados disponibilizados de forma gratuita, outros exigem o uma assinatura.

O Sinduscon por sua vez fornece apoio e informações regionais para a toda a cadeia da construção civil, como custos de materiais de construção, mão de obra, legislação, tecnologias entre outras informações importantes. Cada cidade ou região é representada por um Sinduscon.
Os Sinduscons disponibilizam o CUB da região, que são usados para reajuste de contratos.

A CBIC – Câmara Brasileira da Indústria da Construção reúne informações importantes do mercado imobiliário, indústria da construção.

Na CBIC é possível encontrar dados sobre os principais índices do mercado imobiliário.

Como interpretar todas essas informações?

Você não precisa estudar economia e nem mesmo entender sobre todos os índices que são utilizados no mercado imobiliário, embora seja importante um conhecimento básico.
As instituições que divulgam os índices fazem a análise e prospectam as tendências de mercado através de periódicos, com análises de economistas, cientistas financeiros e especialistas na área.

A FGV além de notícias, disponibiliza através de assinatura a revista Conjuntura Econômica, uma das mais tradicionais revistas de economia da Brasil. Traz reportagens e artigos sobre economia, macroeconomia, estatística  .
As últimas 4 edições são apenas para assinantes, as edições anteriores estão abertas ao público.

O SEBRAE, realizou uma análise de tendência do mercado para a construção civil, prospectando os anos de 2016 a 2018, abordando aspectos econômicos e fatores políticos.

A CBIC disponibiliza em seu site o informativo  “Economia em Perspectiva” com periodicidade semanal, elaborados pelo economista Luis Fernando Melo Mendes.  
O informativo traz uma análise crítica dos principais temas da economia e é disponibilizado gratuitamente.

O mercado imobiliário em constante transformação

O mercado imobiliário não para, ele está em constante transformação e as empresas devem acompanhar as mudanças e fazer correções rápidas de planejamento quando necessário.

O acompanhamento dos índices e das informações disponibilizadas por instituições renomadas, como vimos acima, é essencial para um crescimento sustentável e para sobreviver em um mercado cada vez mais competitivo.

Esperamos que tenha gostado e caso tenha uma sugestão de alguma instituição que não tenhamos mencionado aqui, por favor nos diga. E se gostou do post, compartilhe!