banner sienge

Veja como ter mais produtividade e eficiência com o Diário de Obras

28 de Maio de 2018

É bem provável que você já tenha ouvido falar do Diário de Obras (DO). Se não, basta dizer que é um dos documentos mais importantes das construtoras e incorporadoras.  

diário de obras

Ele consiste no registro detalhado dos principais passos e dos acontecimentos, previstos ou imprevistos, na execução das obras.

Tanto do ponto de vista técnico como legal, ele é indispensável para a segurança jurídica e maior produtividade do empreendimento.

Mas precisamos dizer uma verdade: nem todo mundo está consciente disso no setor.  

Para muitos, o diário de obras continua sendo uma mera formalidade ou uma burocracia que somente atrapalha. Ainda existe bastante negligência em relação a isso.

“Infelizmente nem todas as empresas elaboram o diário de obra por julgar uma perda de tempo ou por desconhecer o seu real valor técnico e jurídico”, afirma o engenheiro civil Fábio Rodrigues da Costa.

Ele, que é especialista em planejamento e gerenciamento de obras, com atuação em São Paulo, complementa:

“Normalmente, o diário é elaborado de forma muito simples e sucinta, tornando o rastreamento de informações mais difícil. Por isso, muitas vezes a informação desejada não é encontrada.”

Assim, vou mostrar a você mais sobre a importância do DO e o quanto, na verdade, é vantajoso dar a atenção devida a essa ferramenta de trabalho.  

Gestão eficiente do canteiro de obras 

DO é obrigatório e deve registrar o andamento da obra passo-a-passo (Foto: Wikipedia)

  • Um diário de obras preenchido com seriedade, detalhadamente, contribui bastante para a eficiência da gestão do canteiro de obras. Ele organiza as informações numa sequência cronológica que permite avaliar o andamento do trabalho.  
  • Também sinaliza a repetição de eventos, falhas e imprevistos que podem ser corrigidos ou prevenidos, como as chuvas, falta de materiais ou quebra de equipamentos.
  • Colabora para a transparência na relação entre o contratante e a contratada, pois todos poderão monitorar o andamento da edificação sempre que quiser, passo a passo.  
  • Torna mais fácil saber quem está cumprindo o cronograma da obra, quando ocorrem atrasos e por quê. Caso necessário, facilita também a renegociação dos prazos e valores.
  • Permite a identificação de quem se encarregou de cada etapa, tarefa ou processo. Isso amplia a consciência de responsabilidade na equipe toda.  

Resolução do Confea tornou DO obrigatório

Por isso, o DO deve conter todos os dados necessários que mostrem o dia a dia da construção, bem como as informações básicas do empreendimento.

Conforme a Resolução n° 1.024 de 21 de agosto de 2009, do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), é obrigatória a adoção do Diário de Obra ou Livro de Ordem por todos os profissionais que têm ligação com o Sistema Confea/Crea.

Seu uso chegou a ser facultativo por esses profissionais por um determinado tempo, mas se tornou obrigatório, novamente, com a revogação da Resolução nº 1.084 do Confea, de 26 de outubro de 2016.

Conforme o artigo 1º da resolução de 2009 ele deve:

  • comprovar autoria de trabalhos;
  • garantir o cumprimento das instruções, tanto técnicas como administrativas;
  • dirimir dúvidas sobre a orientação técnica relativa à obra;
  • avaliar motivos de eventuais falhas técnicas, gastos imprevistos e acidentes de trabalho;
  • eventual fonte de dados para trabalhos estatístico;

Devem ser registrados, obrigatoriamente:

  • dados do empreendimento, de seu proprietário, do responsável técnico e da respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica (ART);
  • as datas de início e de previsão da conclusão da obra ou serviço;
  • as datas de início e de conclusão de cada etapa programada; a posição física do empreendimento no dia de cada visita técnica;
  • orientação de execução, mediante a determinação de providências relevantes para o cumprimento dos projetos e especificações;
  • nomes de empreiteiras ou subempreiteiras, caracterizando as atividades e seus encargos, com as datas de início e conclusão, e números das ARTs respectivas;
  • acidentes e danos materiais ocorridos durante os trabalhos; os períodos de interrupção dos trabalhos e seus motivos, quer de caráter financeiro ou meteorológicos, quer por falhas em serviços de terceiros não sujeitas à ingerência do responsável técnico;
  • as receitas prescritas para cada tipo de cultura nos serviços de Agronomia; e
  • outros fatos e observações que, a juízo ou conveniência do responsável técnico pelo empreendimento, devam ser registrados.


Mantenha o DO sempre atualizado

É muito importante que o Diário de Obras seja atualizado diariamente. Não deixe para depois ou faça isso somente uma vez por semana, pois é certo que assim dados relevantes serão esquecidos e poderão fazer falta mais tarde.

Você já deve ter entendido que esse diário deve ser um relatório fiel do que acontece no dia-a-dia de um empreendimento em obras, não é mesmo?

Mas quem tem essa responsabilidade?

O diário de obras pode ser preenchido por um engenheiro, arquiteto, técnico ou mesmo um estagiário, mas com a indispensável supervisão do profissional responsável, sempre.  

A resolução é bem clara:

“O uso do Livro de Ordem constituir-se-á em obrigação do responsável técnico pelo empreendimento, que o manterá permanentemente no local da atividade durante o tempo de duração dos trabalhos.”

Neste sentido, a falta do livro de ordem significa descumprimento da alínea “c”, artigo 6 da lei 5.194. Ela trata do exercício ilegal da profissão de engenheiro, quando o profissional empresta seu nome sem sua real participação nos serviços.  

Também implica em infração ao código de ética da profissão.  

Documento fundamental na execução do projeto

O engenheiro Fábio Costa reforça que se trata de um documento fundamental para as boas práticas da execução de um projeto. “Quanto mais detalhado, melhor a organização da informações e rastreabilidade dos dados”.  

Há muitos modelos de DO disponíveis.  Veja no vídeo do engenheiro um exemplo de planilha e seu preenchimento.

Além de ser o registro formal dos passos seguidos, o documento também pode ter peso jurídico em relação ao cumprimento do contrato ou na justificativa do pedido de recursos aditivos.

O aditivo ou  aditamento significa acrescentar informações ao contrato, quando é necessário modificar, corrigir ou esclarecer alguma cláusula específica, inclusive em relação a valores.

Muita atenção para as implicações jurídicas do DO

Caso ocorra algum problema na sua obra, que resulte em uma demanda judicial, com certeza a perícia vai requisitar o seu Diário de Obras para investigar o que ocorreu. Lembre-se sempre desse detalhe.  

“Outra vantagem é que, com os registros, podemos extrair as lições aprendidas para um novo projeto. O diário também pode ser consultado pelo departamento de orçamento para avaliar a otimização dos recursos, logística, vantagens e desvantagens”, ressalta Fábio Costa.

O diário ainda pode ser utilizado pelo setor responsável pelos orçamentos para avaliar a aplicação dos recursos e da estrutura de logística a fim de otimizá-los.

Uma avaliação periódica de todas as anotações pode identificar padrões de comportamento no fluxo da obra. Por exemplo, interrupções que se repetem ou decisões que agilizam o trabalho.  

Com isso, é possível estabelecer diagnósticos e soluções para dar maior produtividade a todo o processo da obra. Levada a sério e feita com o devido detalhamento, a análise dos relatórios resulta em ganhos consideráveis de tempo e diminuição de custos.

Tecnologia facilita elaboração do DO

Neste aspecto, a tecnologia trouxe facilidades. Além do procedimento manual em um livro-diário, existem meios mais rápidos e produtivos de registar um diário de obras.

Um exemplo disso é o DO por aplicativo de voz do celular, em que o profissional roda a obra registrando as atividades por voz no celular e o programa converte tudo para texto.

É possível exportar esses dados para o programa de diário ou planilha. Desta forma, teremos tudo organizado de forma dinâmica, detalhada e objetiva.

Para ficar mais completo ainda, também é possível, conforme o programa, lançar mão de documentação do andamento da construção por fotografia e vídeo.  

Um relatório online permite o acompanhamento das obras pelos interessados sem a necessidade do deslocamento ao canteiro.

Isso vem facilitar qualquer justificativa que seja necessária para eventuais atrasos, alteração de cronograma ou mudanças de projeto. Além de acrescentar elementos para eventual defesa jurídica do empreendimento.  

Você vai gostar disso: aqui temos um vídeo sobre uma ferramenta que permite acessar o Diário de Obras por tablets ou smartphones a qualquer momento e em qualquer lugar.  

Evite problemas e adote o Diário de Obras

Como você viu, não há um modelo único de Diário de Obras mas há muitos motivos para adotá-lo, como os ganhos de produtividade e eficiência no canteiro.

Alguns preenchem a planilha à mão, outros em Excel e outros adotam softwares mais sofisticados.

A propósito, temos um modelo do Sienge para você baixar gratuitamente, no link, e com ele aumentar a produtividade da sua empresa.

O importante é que o preenchimento seja correto e reflita com precisão os acontecimentos na construção. Tanto as atividades executadas como os percalços e mudanças de rumo que aconteçam.

Evite problemas e adote o Diário de Obras que for mais conveniente para sua atividade. Mas não deixe de usar essa ferramenta. As vantagens já foram enumeradas, mas a principal talvez seja a visão completa, em tempo real, que você tem do que está acontecendo na sua obra.

Obrigado pela leitura. Espero que estas informações tenham sido úteis a você. Se gostou, deixe seu comentário e repasse para seus amigos. Pode ser útil para eles também!

Tomás Lima

  • Gestor de Conteúdo
  • Graduado em Administração pela UFMG
  • Apaixonado por Construção Civil
 

Receba Novidades do Blog
Coloque o seu email acima para receber gratuitamente as atualizações do blog!
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa