Como fazer um memorial descritivo: quais as especificações que não podem faltar?

Gustavo Prata

Gustavo Prata

Engenheiro Civil com mais de 12 anos de experiência em gerenciamento de obras, planejamentos, controle de cronograma físico-financeiro, orçamentos e organização de obras. Atualmente, é Product Manager no Sienge.

14 de julho 2021

Compartilhe

Não é segredo que o memorial descritivo é essencial para a legalização de uma obra, além de servir muito bem para diferenciar a sua construtora ou incorporadora no mercado. Mas você sabe como fazer um memorial descritivo do jeito certo?

Nós falamos bastante sobre o memorial descritivo aqui no blog, e não é à toa. Aliás, conforme os clientes ganham mais consciência do memorial descritivo, mais importante ele se torna.

Por isso, no artigo de hoje eu vou partir para uma abordagem um pouco mais “mão na massa” e mostrar o que você precisa incluir em um documento como esse.

Como fazer um memorial descritivo: o que não pode faltar

Quem já conhece um pouco sobre o memorial descritivo sabe que existem vários tipos desse documento. Então, o conceito de “não pode faltar” varia um pouco, de acordo com o tipo de memorial que você vai elaborar.

memorial descritivo é essencial para a obra

Como exemplo, eu resolvi usar um memorial descritivo de obra residencial. Além de ser um dos mais comuns, ele abrange vários pontos que toda construtora e incorporadora está acostumada a trabalhar.

Então, aqui está uma estrutura de como fazer um memorial descritivo residencial com cada item e o que você deve incluir nele:

1. Serviços preliminares

Nesta seção você vai falar sobre alguns pontos importantes a fazer antes de a obra começar, como a placa de obra com os dados do responsável e a preparação do local.

2. Infraestrutura

Aqui é onde você vai detalhar toda a parte de infraestrutura, ou seja, o que vai abaixo do solo. A estrutura depende bastante do método construtivo, mas se usarmos de exemplo uma obra de alvenaria, teria de conter informações sobre serviços como sapatas e vigas baldrame.

E que tipo de informações incluir sobre cada serviço?

Além das dimensões e os materiais das vigas, pode ser útil descrever até a marca e a composição dos materiais, se for útil e relevante para a obra.

3. Impermeabilização

Todo o projeto de impermeabilização do imóvel precisa ser descrito aqui. Alguns profissionais incluem apenas um breve resumo do que será feito em algumas partes das vigas, mas o ideal é ser mais detalhista que isso.

Em alguns métodos construtivos, como o Steel Frame, incluem manta de impermeabilização em volta de toda a estrutura. Se for o caso, é importante incluir isso nesta seção do memorial descritivo, inclusive com marca e modelo.

4. Método construtivo

E já que falamos de método construtivo no item acima, aqui é onde você vai explicar qual é o método usado para a residência em questão. Ainda hoje o tipo de obra mais conhecido e usado no Brasil para imóveis residenciais é a alvenaria, mas já há vários métodos novos no mercado.

método construtivo deve estar no memorial descritivo

Por isso, é importante descrever os pontos mais importantes do sistema escolhido. Por exemplo, se for alvenaria use esta parte do documento para falar das paredes internas, isolamento térmico e acústico, etc.

5. Supraestrutura

A supraestrutura envolve o que sustenta a casa acima do solo. Aliás, dependendo do sistema de construção a casa só tem supraestrutura, e nada abaixo do solo. É o caso do Steel Frame com fundação do tipo Radier. Por fim, você também pode descrever os materiais e detalhes sobre uma laje nesta seção.

6. Cobertura

Na parte da cobertura você precisa descrever tanto a estrutura do telhado quanto os materiais que vai usar, como o tipo de telha, qual o material dela, etc. Também pode ser útil aqui descrever o tipo de telhado escolhido, quantas águas terá e qual a inclinação desejada.

Na questão da estrutura do telhado, é bom explicar qual o tipo de material e quais as suas especificações técnicas.

7. Instalações elétricas

Alguns profissionais preenchem esta parte do memorial descritivo apenas dizendo que as instalações vão seguir as indicações do projeto, mas é bom ser mais claro do que isso. Explique qual será o sistema de iluminação usado, qual a potência das lâmpadas e até questões mais técnicas, como tipo de aterramento escolhido.

Não se esqueça que, além de ser uma exigência da lei, o memorial descritivo é um documento para o cliente final. Quanto mais informações ele tiver, numa linguagem que ele entende e que mostre preocupação com a entrega, melhor para você.

8. Instalações hidráulicas

A rede hidráulica, assim como a elétrica e a sanitária, sobre a qual já vamos falar, precisa do seu próprio projeto, com seu próprio memorial descritivo. Ainda assim, incluir alguns detalhes sobre o projeto torna o memorial da residência mais completo e independente.

Em outras palavras, é possível entender melhor a obra como um todo sem precisar olhar cada documento isolado.

9. Instalações sanitárias

Destaque aqui as informações relevantes sobre as instalações sanitárias, como o tipo de caixa de gordura que vai usar. Além disso, inclua outros outros detalhes, como o tanque séptico e o filtro anaeróbio, e deixe claro quais NBRs e NRs o projeto segue.

Por sinal, registrar quais as normas reguladoras e técnicas o projeto vai seguir é uma boa dica para usar em qualquer seção do memorial que seja guiada por NRs ou NBRs.

10. Revestimento

O revestimento da casa envolve, em geral, o reboco e os azulejos usados em toda a obra. É bom registrar quais os tamanhos, os materiais e até as marcas tanto das peças quanto dos materiais de rejunte.

E aqui vai uma dica extra:

Se quiser organizar as informações de forma ainda mais detalhada, separe o que vai ser usado em cada ambiente, como banheiros, cozinha e área externa.

11. Piso

Na parte do piso vale o mesmo princípio usado na hora de registrar os revestimentos: declare o material, o tamanho e onde cada um será usado. Além disso, não se esqueça também de registrar os materiais usados na composição do contrapiso.

Mais do que em outros materiais, é importante deixar claro qual será a cor do piso, de preferência com um código ou escala reconhecida no mercado.

12. Esquadrias

Na parte das esquadrias, que inclui as portas, janelas e vidros de toda a casa, registre quantas esquadrias a casa terá e suas medidas exatas. Além disso, cor, modelo e material de cada peça também é relevante para garantir que a construção siga o projeto.

Neste respeito, declare até a quantidade de folhas das portas e janelas, bem como a espessura dos vidros que vai usar.

13. Pintura

Na área da pintura, descreva o processo de preparação, como passar lixa, massa corrida e fundo preparador, e o processo de pintura, como usar rolo, pincel ou spray. Além disso, também destaque quantas camadas de tinta a parede vai receber. Se o projeto já tiver cor definida e for relevante incluir, pode fazer isso.

14. Conclusão

Na conclusão você pode encerrar falando sobre o processo de preparação final depois da obra e entrega da casa. Por exemplo, incluir o registro de que a casa será entregue limpa e pronta para uso por parte do cliente final.

Agora que você viu como fazer um memorial descritivo de uma obra residencial, uma última dica: quanto mais detalhado e claro, melhor. Inclua todos os detalhes importantes para a empresa, as autoridades e o cliente final de uma forma que não fique dúvidas sobre o que será feito na obra. Assim o memorial vai cumprir seu objetivo de maneira perfeita.

Quer ver um exemplo na prática? Então baixe agora o modelo de memorial descritivo que preparamos e use na sua próxima obra com facilidade!

Compartilhe