banner sienge

5 formas de usar a tecnologia para fazer o Memorial Descritivo

Blog > erp, gestao, listas, memorial-descritivo, software
13 de julho de 2017

O memorial descritivo, documento público e obrigatório pela Lei 4.591/64, deve ser elaborado antes mesmo do lançamento de um empreendimento. Nele, o projeto construtivo deve estar descrito de forma detalhada e aprofundada. E apresentar detalhes que associam a qualidade dos produtos utilizados na obra ao resultado que eles proporcionam ao consumidor.

Essa é a diretriz da NBR 15.575 que está em vigor desde julho de 2013. A norma estipula níveis de conforto, segurança e resistência para os sistemas que constituem um imóvel.

Você já sabe que, além de ser uma exigência legal, o memorial descritivo é uma maneira de resguardar a construtora de eventuais exigências além do contrato. Por outro lado,  também protege consumidores de problemas de entrega na construção civil, principalmente quando se trata de empreendimentos na planta.

Saber o que ele é e para que serve é crucial para sua construtora atender a legislação e comprovar seriedade. Entretanto, fazer o memorial descritivo no início do projeto e entregá-lo atualizado, conforme o que foi realizado na obra, não é tarefa muito fácil.

Se considerado o volume de informações envolvidas e as variáveis durante um projeto da construção civil, as mudanças são praticamente certas. Ter maior controle nas informações é fundamental para confeccionar o memorial descritivo da obra com qualidade .

Que tal lançar mão de um software especializado para facilitar essa jornada?

Confira três formas de usar a tecnologia para fazer e manter o memorial descritivo das obras da sua construtora!

#1 Memorial descritivo: planejamento e orçamento da obra estruturados como base

Você já sabe da necessidade do planejamento e do orçamento da obra como os primeiros passos de um projeto na construção civil. O memorial descritivo acaba por consolidar as informações que transitam nas pranchetas durante essa etapa do projeto.

E se, ao invés de procurar literalmente nas pranchetas, ou em planilhas eletrônicas, você tiver essas informações à mão?

Com um ERP (software de gestão) o estudo de viabilidade de obra alimenta o planejamento da obra, que é consolidado em um orçamento preciso. No orçamento, todos os insumos a serem utilizados na obra são detalhados, para compor o custo da empreitada.

Para confeccionar um memorial descritivo com todas as premissas exigidas, ele precisa conter:

  • Dados da obra;
  • Localização da obra;
  • Proprietário;
  • Detalhamento das etapas de construção;
  • Especificação da alvenaria;
  • Listagem dos acabamentos;
  • Conceituação do projeto;
  • Normas utilizadas para a realização dos cálculos;
  • Premissas básicas do projeto.
 

CONTEÚDO ESCOLHIDO A DEDO PARA VOCÊ:

 
        » Memorial Descritivo – 11 Dicas para fazer e usar

Quando sua construtora conta com um software especializado, os dados estão todos reunidos em um único lugar. Com isso, relacionar as informações necessárias para confeccionar o memorial descritivo da obra é muito mais rápido!  

Lembre-se: o memorial descritivo pode atrasar um projeto ou fazer a diferença na imagem da construtora! É nele que constam todas as informações necessárias para formalizar a construção. Sem ele, não há liberação de financiamentos nem de vendas. Logo, ele precisa ser tratado como prioridade na sua empresa.

Com tecnologia também é mais fácil atualizar o memorial descritivo da obra. Planejar é replanejar, e as mudanças nos projetos da construção civil são inevitáveis.

Você pode ter planejado a utilização de determinado revestimento de um fornecedor específico. No entanto, meses depois, o mesmo revestimento pode ter saído de linha. Aqui, a revisão do projeto será indispensável. E a atualização do memorial descritivo também!

O memorial descritivo é um documento que detalha todo o projeto que vai ser desenvolvido. Considerando a complexidade e variedade de informações que circulam em um projeto da construção civil, mantê-lo atualizado pode ser extremamente trabalhoso.

Mas, se sua construtora conta com um software de gestão que conhece o setor da construção civil, é um problema a menos pra você!  

#2 Tecnologia fornece insumos controlados de acordo com a marca e seus detalhes

Com uma solução especializada, sua construtora registra de forma detalhada todos os insumos que são utilizados durante as obras. Marca e detalhes que caracterizam toda a matéria-prima que será utilizada na obra são mapeados.

Se for necessária uma mudança, basta escolher o insumo substituto. Caso ele ainda não seja cadastrado, basta registrar e ele estará disponível para seus projetos.

#3 Tecnologia para rastrear insumos vinculados às normas que os regulamentam

A NBR 15.575 citada lá no início  é a Norma de Desempenho de Edificações Habitacionais.  Com ela, as exigências sobre o memorial descritivo aumentaram, parâmetros objetivos e quantitativos passaram a ser exigidos.

Se no memorial descritivo é apontado o uso de alvenaria em blocos de concreto, deve ser informada a natureza e dimensões destes blocos. A apresentação de informações genéricas não é válida. O memorial descritivo precisa trazer detalhadamente os materiais e componentes empregados na construção.

Os critérios de desempenho dos produtos e dos processos envolvidos na obra devem estar previstos e detalhados no memorial descritivo. O consumidor precisa ter acesso a essas informações.

Então se, no momento de registrar o insumo, você indicar se o mesmo está  dentro das exigências da NBR 15.575, vai facilitar o processo? Claro que vai! Sabe-se que a construção civil é regida por inúmeras normas regulamentadoras (NRs e NBRs), e toda forma de automatizar o atendimento delas é bem vinda.

Você pode adotar na sua construtora diretrizes voltadas à utilização apenas de insumos que atendam determinada norma e vinculá-los a elas. No planejamento e acompanhamento dos projetos, essa informações estarão à mão, facilmente.


A NBR 15.575 é aplicada a edificações com qualquer número de pavimentos. Ela não é aplicável para:

  • Obras já concluídas / construções pré-existentes ou em andamento quando da sua publicação;
  • Projetos protocolados nos órgãos competentes até a entrada em vigor da norma;
  • Obras de reforma ou retrofit;
  • Edificações provisórias.

#4 Tecnologia para controle de pedidos e notas fiscais de compra

E se você tiver dúvidas sobre quais insumos foram utilizados em uma obra? Com a tecnologia certa do seu lado, basta buscar pedidos e notas fiscais de compra atribuídas ao projeto em questão. Dessa forma, fica fácil identificar os insumos apropriados na obra.

À medida em que há geração de uma nota fiscal de compra vinculada à obra, é possível rastrear facilmente os materiais utilizados no projeto, e assim apontá-los no memorial descritivo.

#5 Gestão do fornecimento de material, com contratos e medições

Quando você tem uma demanda muito grande de um material, você pode trabalhar com contratos. Por exemplo, os insumos de concretos e aço, que tem demanda mais constante e várias entregas durante a obra.

Nesse caso, a cada entrega, é gerada uma nota fiscal e a medição do contrato com aquele fornecedor. Nessa medição, o insumo fornecido é registrado cuidadosamente, o que serve também para a atualização do memorial descritivo.

Concluindo

Qualquer informação fora do lugar pode comprometer a qualidade do memorial descritivo das suas obras. Desenvolvê-lo de forma manual, então, fica fora de cogitação, quando o assunto é manter a eficiência e o controle das informações.

Nesse cenário, escolher o ERP de gestão certo para sua construtora é o primeiro passo. Um software especializado vai gerenciar todas as informações indicadas inicialmente, consolidadas no planejamento e, também, no orçamento da obra.

Se você gostou do post, curta e compartilhe e se ficou alguma dúvida é só deixar nos comentários abaixo.

Compartilhe no Facebook
compartilhe-facebook
memorial descritivo tecnologia capa

Brenda Bressan Thomé

  • Editora do blog Sienge
  • Especialista em comunicação em mídias digitais
  • Jornalista formada pela UFSC
  • Filha de Engenheiro Civil e apaixonada por Construção
 

2 Comments

  1. Fabio Mesquita

    O mais legal é que você além de ir ajustando pode em outra construção otimizar ha outra obra com os dados da primeira e com isso fugindo de gastos extras e mesmo melhorando a produtividade e com isso passando esta economia para o consumidor, com certeza a construtora ganha em todos os sentidos qualidade e satisfação do cliente
    Abraços

    Responder

Deixe um Comentário

Receba Novidades do Blog
Coloque o seu email acima para receber gratuitamente as atualizações do blog!
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa