Como fazer um Projeto Hidrossanitário Excelente

4 de abril de 2019

Em uma edificação pequena ou média o projeto hidrossanitário muitas vezes não é feito pois o cliente acredita que o encanador pode resolver isto durante a execução. Em outros casos, o projeto hidrossanitário é feito pensando mais na aprovação na prefeitura do que propriamente na execução.

Neste artigo você receberá informações importantes para melhorar seus projetos hidrossanitários e torná-los ainda mais relevantes durante a execução, compra de materiais e aprovação.

Para isto, vou apresentar a você o que o seu projeto deve conter, como apresentar melhor seus projetos, tipos de tubulações e suas aplicações dentre outros pontos importantes. Além disso, serão apresentados sistemas que interferem ou dependem do sistema hidrossanitário e como incorporá-los da melhor forma aos seus projetos.

Mas quais elementos um projeto hidrossanitário não pode deixar de ter?

projetos hidrossanitários

O que deve constar no projeto hidrossanitário

Um bom projeto hidrossanitário contém as plantas baixas, detalhes isométricos e de entrada. Um projeto hidrossanitário excelente vai além e traz detalhes 3D do projeto global, não só de cada ambiente, traz imagens de exemplos, traz quantitativos detalhados, etc.

Quanto mais precisas forem as informações e melhor apresentadas, menor a chance de erro de quem está executando.

Dentre os itens importantes que devem contar no seu projeto hidrossanitário posso mencionar o sistema de ventilação, localizado logo após um ralo ou algo que possua selo hídrico. Esta tubulação, geralmente de 50mm, existe para desviar qualquer gás que possa pressionar o selo hídrico e assim evita que o mesmo seja rompido e passe mal cheiro para o ambiente.

Outro ponto importante é prever uma rede independente para o esgoto de pias de cozinha ou copa. Estes pontos recebem gordura e outros resíduos de alimentos e por isso não podem passar por ralos. Esta rede deve ser diretamente direcionada a uma caixa de gordura que será ligada no sistema de tratamento de esgoto.

Certifique-se da existência de sistema de coleta de esgoto. Em muitas localidades, onde não há rede de coleta de esgoto, é necessário fazer um sistema de fossa, filtro e sumidouro. É importante fazer estes sistemas em um local do terreno que facilite a sua manutenção e limpeza periódica, conforme previsto no cálculo do sistema.

E como que você pode passar todas estas informações e ter certeza de que foram compreendidas?

Tire um tempo para apresentar o seu projeto para quem irá executá-lo. Isso possibilita que o encanador entenda melhor o que está sendo representado e ao mesmo tempo tire dúvidas. Passe o seu contato e se coloque à disposição para qualquer dúvida que surja durante a execução. Com isso você demonstra abertura e evita que algum possível erro ocorra por impossibilidade de contato.

Cuidados na execução de suas instalações hidrossanitárias

E que conselhos posso dar a quem está executando para que não haja problemas depois?

O sistema hidrossanitário é um sistema que, quando mal executado, pode gerar vazamentos, mal cheiro, entupimento, falta de pressão, etc. Portanto, é importante se manter um bom controle de qualidade durante o processo de execução atentando-se a alguns detalhes.

Para se garantir um sistema hidráulico estanque, é necessário fazer o teste de pressão hidrostática antes de fechar a parede e cobrir o encanamento. Este teste é feito utilizando um compressor com manômetro. Após atingir a pressão exigida pela norma, o sistema deve manter esta pressão por um período de uma hora. Assim é possível verificar se há vazamentos.

É importante no sistema sanitário utilizar anéis de vedação com cera ao invés de cola. Ao utilizar anéis se possibilita uma manutenção mais fácil do sistema em caso de entupimento, por exemplo. Na execução, não é permitido o aquecimento com fogo das tubulações para evitar que o material do cano torne-se frágil devido a uma reação causada pelo calor.

Você sabe como o sistema hidrossanitário se integra aos outros sistemas como o de aquecimento e de reaproveitamento de água?

Integração com outros projetos

O sistema hidrossanitário pode estar interligado a outros sistemas como o de coleta de água da chuva, o de reaproveitamento de águas cinzas e o de aquecimento. Nesta seção vou apresentar a você insights sobre estas integrações.

Para reduzir o consumo de água e com isso tornar a edificação mais sustentável, é possível reutilizar a água pluvial para usos que não exigem a sua potabilidade. Exemplos desses usos são lavar as roupas, irrigação de jardim, descarga e até chuveiro. Neste caso será necessário contar com um sistema de cisterna equipada com bomba compressora e um par de bóias.

Quando escolher o sistema de cisterna para o seu projeto, leve em consideração o consumo diário da edificação e a quantidade e sazonalidade das chuvas. Assim será possível prever um sistema que atenda à demanda durante o período de estiagem. Esta cisterna deve ser alimentada pela água da rede pública quando o seu nível estiver abaixo do mínimo.

Além da água da chuva, é também possível instalar um sistema semelhante para se reaproveitar as águas cinzas.

Você sabe o que são as águas cinzas?

projetos hidrossanitários

Águas cinzas são as águas que já foram utilizadas, porém, pelo seu grau de pureza, ainda podem ser reutilizadas para algo menos nobre. Por exemplo, é possível utilizar a água do banho para se dar descarga.

Por isso, é possível usar um reservatório semelhante a cisterna para se armazenar águas cinzas, lembrando que estas devem ser descartadas se não forem utilizadas em até 24h.

A integração com os sistemas de aquecimento também requer atenção especial em seus projetos. Verifique com o fornecedor do sistema quais exigências o produto tem em relação a vazão, nível em relação a reservatórios, etc. O sistema de aquecimento a gás exige uma vazão mínima enquanto o de aquecimento solar deve ser instalado em um nível específico.

Em alguns casos se faz necessário a utilização de compressores para garantir a pressão mínima de 1 mca para chuveiros elétricos e outros pontos de água. Estes equipamentos são relativamente baratos e simples de instalar.

Para saber como compatibilizar melhor os seus projetos leia este post com 7 dicas essenciais.

Tipos de tubulações

Para garantir a qualidade do sistema hidráulico e até mesmo facilitar a sua manutenção, é possível utilizar outros tipos de tubulação além do tradicional PVC.

O PPR, além de resistir a água quente, possibilita a passagem de tubulação por dentro do contrapiso com um risco menor de vazamento. Isso se deve ao fato de que o PPR é feito de um material mais maleável e flexível que o PVC e também por utilizar junções fundidas por aquecimento.

Outra opção é a utilização do PEX, tubulação flexível vendida em bobinas. Este tipo de tubulação apresenta a vantagem de não se ter desperdícios por ser possível cortar o tamanho exato diretamente da bobina. Outra vantagem é que, por ser flexível, ele elimina a necessidade de diversas conexões, diminuindo as perdas de pressão dinâmica e os riscos.

projetos hidrossanitários

O PEX também é pode ser aplicado dentro de camisas, canos de maior diâmetro. Com isso, é possível remover e trocar o cano em caso de manutenção.Para agilizar ainda mais as instalações hidráulicas, existem kits prontos com, por exemplo, a tubulação do chuveiro pronta já com registros, misturadores, etc.

Este tipo de kit é muito utilizado em prédios onde há uma grande repetição de espaços como banheiros e cozinhas. Em geral, estes kits são aplicados atrás de paredes drywall que já servem como mochetas hidráulicas destes ambientes.

Software

Para a elaboração dos projetos hidrossanitários, o ideal é você utilizar um software 3D que já possibilita a geração das listas de materiais automaticamente. Exemplos destes softwares são o Revit e o QiBuilder Hidrossanitário. O Revit possui templates muito completos e é muito prático para se criar um projeto bem detalhado e o QiBuilder possui uma biblioteca brasileira completíssima.

Independente do software que você usará, lembre-se de que o seu projeto é feito para passar da melhor maneira possível a sua ideia para quem irá executar. Portanto, certifique-se de que o que é importante constar está bem claro e converse com os profissionais que irão executar para entender melhor as suas demandas e dúvidas.

Gostou do conteúdo? Não esqueça de curtir e compartilhar!

Eng. Jonathan Degani

  • CTO da Brasil ao Cubo
  • Criando inovação na Construção Civil
 

Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa