Taxa Selic: o que é e como ela impacta a construção civil

Marcus Vinicius D. B. Castro

Escrito por Marcus Vinicius D. B. Castro

26 de abril 2022| 9 min. de leitura

Compartilhe
temas para dds uso de maquinários

Provavelmente você já ouviu falar sobre a taxa Selic, mas você sabe exatamente como ela influencia a economia brasileira e a construção civil? Trata-se de uma taxa que afeta diretamente os juros do mercado imobiliário, por exemplo. Por isso é tão importante conhecê-la mais a fundo.

Dito isso, iremos te explicar o que é a taxa Selic, como ela funciona e influencia na economia brasileira, como ela é definida, qual a periodicidade de revisão e, principalmente, como ela impacta a indústria da construção civil. 

Entenda o que é a taxa Selic

A taxa Selic é o que norteia todas as outras taxas de juros no Brasil e, por isso, é considerada a taxa básica de juros, mas para que você compreenda melhor, é preciso entender as origens do nome Selic e ao que se refere essa taxa.

O nome Selic é a abreviação de Sistema Especial de Liquidação e Custódia, que nada mais é do que uma infraestrutura do mercado financeiro que pertence ao Banco Central do Brasil. Esse sistema é responsável pela custódia e transações de títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional.  

Entretanto, a taxa Selic e o Sistema Selic são duas coisas distintas. Como acabamos de explicar acima, o Sistema Selic é basicamente um mercado de títulos públicos, implementado no Brasil em 1979 por meio da circular Nº 466 do Banco Central (BC). 

Em contrapartida, a taxa é o principal instrumento de política monetária utilizado pelo BC. Seu nome faz referência ao Sistema Especial de Liquidação e Custódia porque a taxa média registrada pelas operações realizadas diariamente por esse sistema equivale à taxa Selic

Quais operações são realizadas pelo Sistema Selic?  

As operações realizadas pelo Sistema Selic consistem em empréstimos de curto prazo (com vencimento de um dia útil) para diversas instituições financeiras, que por sua vez utilizam títulos públicos federais como garantia. 

Essas negociações, que ocorrem diariamente, possuem uma taxa de juros média, conhecida como taxa Selic Efetiva, já que é o percentual de juros que efetivamente é aplicado no dia a dia. 

Contudo, essa taxa é diferente daquela que é estabelecida pelo Copom, conhecida como taxa Selic Meta. E é sobre essa taxa que iremos te explicar nos próximos tópicos. Acompanhe! 

Qual a influência da Selic sobre a economia? 

Também conhecida como taxa básica de juros, a Selic serve como uma referência para todas as outras taxas de juros, seja para financiamento de um imóvel, empréstimo pessoal ou cheque especial. Sendo assim, quanto maior estiver a taxa Selic, mais altas serão as outras taxas de juros no Brasil.  

Por outro lado, quando está baixa, há um estímulo na economia e as demais taxas de juros também diminuem. A variação dessa taxa também está ligada ao rendimento de investimentos de renda fixa e a quantidade de empréstimos realizados pelas instituições financeiras. 

Além disso, ela impacta diretamente no consumo da população e, por isso, é considerada a taxa de juros mais importante da economia brasileira. Isso acontece porque quando a Selic está muito alta, os empréstimos acabam ficando mais caros e há uma diminuição no consumo do brasileiro.

E seguindo a mesma lógica, quando a taxa Selic está baixa, o consumo da população e o número de empréstimos com juros mais baixos também tendem a aumentar. Ao impactar na economia brasileira de todas essas formas, o principal objetivo da Selic é atuar no controle da inflação. 

Qual a periodicidade de revisão da taxa Selic? 

Agora que você já compreendeu como a taxa Selic influencia na economia brasileira, é importante saber como ela é definida, quem determina o percentual da taxa Selic e qual é a periodicidade da revisão. Quer entender melhor sobre tudo isso? Confira neste tópico! 

É muito comum ouvirmos que a taxa Selic é definida pelo Copom, o Comitê de Política Monetária do Banco Central, mas essa afirmação não está totalmente correta. Na verdade, o Copom é responsável por definir uma meta para a taxa Selic, mas não é imposto um percentual fixo a ser seguido.

Entretanto, cabe ao Banco Central atuar como um regulador, impedindo que os juros fiquem muito altos e a taxa Selic esteja de acordo com a meta estabelecida pelo Copom. Para isso, são aplicadas diversas políticas monetárias, como a compra e venda de títulos públicos. 

A revisão da taxa Selic ocorre a cada 45 dias pelo Copom e a definição de uma nova meta se dá por meio de uma análise da inflação, balanço de riscos e outros indicadores financeiros da atividade econômica no país. 

Após a reunião do Copom e a definição da meta para a Selic, ocorre a divulgação da Ata no dia seguinte, sempre às 8h da manhã, e todos os dados podem ser consultados no site do Banco Central do Brasil.    

Quais são os impactos da Selic na indústria da construção civil? 

Assim como a variação da taxa Selic afeta diversos setores da economia brasileira, o poder de compra da população e até mesmo a oferta e demanda de bens, produtos e serviços, ela também impacta diretamente na indústria da construção civil. Entenda agora o porquê. 

A taxa Selic tem o poder de impulsionar ou desacelerar os financiamentos imobiliários e empréstimos, tanto para as construtoras quanto para os compradores. A elevação dessa taxa também resulta em um aumento dos custos da construção civil, no que diz respeito a insumos e repasse para o preço final dos imóveis. 

Por esses motivos, é tão importante que os profissionais da área da construção estejam sempre atentos à variação da taxa básica de juros. Afinal, quando os juros estão mais baixos, há uma tendência de aquecimento na indústria da construção civil, favorecendo novos empreendimentos, inclusive nos programas habitacionais do governo. 

Com a taxa Selic mais baixa, também ocorre um aumento pela busca de financiamentos imobiliários, já que os juros estão mais acessíveis para os consumidores. E, por fim, a diminuição da taxa tem um efeito positivo nas vendas de imóveis em construção.  

Percentual da taxa Selic e previsões para 2022

A taxa Selic teve o seu aumento divulgado pelo Copom em março deste ano, subindo de 10,75% para 11,75%. Como já explicamos anteriormente, o principal objetivo do aumento da taxa Selic é controlar a inflação, fazendo com que o consumo da população e das empresas diminua, e os preços caiam.  

As previsões para este ano é que a taxa continue a subir e o próximo aumento já deve ocorrer no início de maio, na próxima reunião do Copom. De acordo com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, a estimativa é de que a taxa suba para 12,75%.

No entanto, especialistas divergem sobre o percentual anunciado pelo presidente do BC. De acordo com as projeções feitas pelo mercado, como medida para frear a inflação, seria necessário um aumento um pouco maior, com estimativa de 13% ao ano.

Conclusão 

Agora que você já compreendeu tudo sobre a taxa Selic e seus impactos na indústria da construção civil, confira algumas dicas sobre como ajudar o cliente no processo de financiamento pela Caixa

Se você gostou deste conteúdo e acha que ele pode ser útil para outros profissionais, aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais. E não deixe de conferir os outros artigos do blog do Sienge!