Comunidades e loteamentos planejados: um mercado de muito futuro

Tomás Lima

Tomás Lima

Redator do Sienge
Graduado em Administração pela UFMG
Apaixonado por Construção Civil

30 de março 2018

Vamos convir, está cada vez mais difícil viver nas nossas cidades barulhentas, poluídas e de trânsito caótico, não é mesmo? Uma alternativa que vem despontando, para quem busca um novo estilo de vida, são as comunidades e loteamentos planejados.

Esta é uma tendência que já se firmou lá fora, especialmente nos Estados Unidos, e dá seus primeiros passos no Brasil. Trata-se de um mercado de grande futuro, garantem os conhecedores da área.

Mas se você ainda não ouviu falar disso, pode imaginá-los como bairros ou pequenas cidades com uma lógica completamente inversa à das nossas metrópoles atuais.

Você vai gostar de conhecer.

Comunidades e loteamentos planejados: conforto e tranquilidade

Comunidades e loteamentos planejados
Granja Marileusa/Divulgação

Como o nome já define,  esses são empreendimentos mistos, totalmente planejados, da sua implantação aos seus diversos estágios de crescimento pelas próximas décadas.

As comunidades e loteamentos planejados reúnem praticamente tudo que as pessoas precisam para viver de forma confortável e muito mais tranquila.

Isso compreende não só as residências e a infraestrutura completa, ou seja, água, esgoto, drenagem, iluminação, comunicações e transporte público. Inclui também centros profissionais, áreas de comércio, lazer e serviços.

Ali está, basicamente, tudo o que é necessário para garantir a sobrevivência, a mobilidade e o bem-estar das pessoas e suas famílias.

Vou detalhar um pouco mais para você.

Expansão das comunidades planejadas nos Estados Unidos

As comunidades planejadas apareceram há algumas décadas e estão em grande expansão nos Estados Unidos. Lá, cada vez mais existem pessoas se preocupando com formas mais simples de viver, com menos veículos, menos consumo e mais tempo para si.

Querem viver mais perto do seu local de trabalho, sentir-se mais integrados na sua comunidade, fugir das situações estressantes e o convívio com a natureza.

Por isso, os princípios do Novo Urbanismo são a base conceitual das comunidades e s loteamentos planejados.

Isto quer dizer:

  • Mobilidade diversificada, com prioridade e todas as facilidades para os pedestres e ciclistas;
  • Interação com o transporte público e outras alternativas de deslocamento mais sustentáveis em relação ao carro;
  • Uso misto e bastante diversificado do empreendimento: moradia, trabalho, educação, consumo,  lazer, cultura;
  • Preservação ambiental das áreas não construídas e paisagismo;
  • Estrutura de bairros tradicionais, com senso de comunidade e muitos espaços de convivência e interação;
  • Governança com forte participação dos próprios moradores;
  • Destaque para a sustentabilidade do empreendimento, através da iluminação solar, energia fotovoltaica, reuso da água, reciclagem de materiais, consumo de produtos orgânicos e Certificação LEED.

 

Todo morador pode se locomover sem maiores dificuldades, preservar a saúde e encontrar bem próximo de onde mora tudo o que precisa para se manter. O resumo disso é qualidade de vida, que todo mundo tanto anseia.

Projeto pioneiro de comunidade planejada

O projeto tido como pioneiro neste sentido foi o Seaside, criado por Robert Davis, um dos papas do Novo Urbanismo, na Flórida, no final dos anos 70.

comunidades e loteamentos planejados
Robert Davis/Divulgação

Começou com 300 casas, centro de lojas, mercados, restaurantes, teatro, escola, prédios públicos e foi considerado o design mais surpreendente da sua época pela revista Time. Ainda hoje continua em expansão e implementando propostas inovadoras.

Veja que interessante:

Um projeto em desenvolvimento no Seaside, atualmente, é o Aging With Grace (Envelhecer com Graça). Seu objetivo é adaptar a comunidade para que as pessoas possam envelhecer com bem estar ali mesmo e não precisem se mudar para casas de saúde de idosos.

É um cenário de cinema, tanto que lá foi filmado o “Show de Truman”, estrelado por Jim Carrey e que antecipou a febre dos reality shows. O filme deu um ar artificial ao lugar, que não é verdadeiro, mas por outro lado tornou Seaside uma atração mundial.

comunidades e loteamentos planejados
Agência dos Correios em Seaside /Wikipedia/Divulgação

Desde então, inúmeros empreendimentos semelhantes cresceram no país e, mais recentemente, ganharam novo impulso graças a Bill Gates.

Ele mesmo, o dono da Microsoft.

comunidade e loteamentos planejados
Bill Gates/Wikipedia/Divulgação

Agora, tenho uma dica para você se aprofundar muito mais o tema das comunidades e loteamentos planejados:

Missão técnica vai visitar empreendimentos

A ADIT Brasil – Associação para o Desenvolvimento Imobiliário e Turístico do Brasil está organizando uma missão técnica aos Estados Unidos para maio.

Ela é uma entidade pioneira nessa área e realiza anualmente o Complan, o maior evento de comunidades e loteamentos planejados do país.

A missão é dirigida a arquitetos e urbanistas, construtoras, incorporadoras, loteadoras, investidores, proprietários de terrenos e outros.

Está prevista a visita a vários empreendimentos planejados que são referência no país. Veja nos links, vale a pena conhecer:

01 – Serenbe | Atlanta – Geórgia

comunidades e loteamentos planejados
Residência em Serenbe/Divulgação

02 – The Waters | Montgomery – Alabama

03- Hampstead | Montgomery – Alabama

04 – Village Of Providence | Hunstville – Alabama

05 – Glenwood Park | Atlanta – Geórgia

06 – Hammond’s Ferry | North Augusta’s – Carolina do Sul

Agora você deve estar querendo saber como anda esse mercado no Brasil.

Eu vou lhe mostrar.

Investimento de longo prazo

No Brasil, as comunidades e loteamentos planejados representam um mercado ainda novo. Segundo Lucas Tortelli, gerente executivo da ADIT-Brasil, há muito espaço para crescimento. Ele ressalta que se trata de um investimento de longo prazo em relação aos empreendimentos tradicionais, que requer maior compromisso e esforço de planejamento do empreendedor.

Enquanto um edifício começa a dar retorno em cinco anos, a comunidade ou loteamento planejado leva dez anos ou mais de maturação.

O investidor brasileiro, em geral, é conservador ainda, quer retorno imediato. Mesmo assim, há várias iniciativas no país e algumas comunidades já estão funcionando, como Pedra Branca (SC), Riviera de São Lourenço (SP), Granja Marileusa (MG) (foto) e outras.

comunidades e loteamentos planejados
Granja Marileus/Divulgação

 

Um caso à parte, que merece registro, é o da unidade agroecológica Santa Branca Ecoturismo, que fica em Terezópolis, Goiás. São mais de 300 lotes, com florestas temáticas, trilhas, ciclovias, praças e centros de convivências.

Ela integra a Rede de Ecovilas que tem mais 15 mil comunidades em todo o mundo. Mesmo sendo um empreendimento rural, voltado à agroecologia, tem os mesmos princípios das comunidades planejadas. Vale conhecer.

Capitais e grandes cidades no limite da exaustão

Este é o futuro, assegura Tortelli, porque as grandes cidades e as capitais, ao crescerem desordenadamente, estão no seu limite, a ponto de exaustão. Em Maceió, por exemplo, onde fica a sede da ADIT, existem hoje três projetos de grande porte desse tipo em andamento.

Assim, é primordial que as comunidades planejadas comecem a se desenvolver agora para ser a alternativa concreta paras os próximos 20, 30 anos.

Em relação ao capital para o investimento Robert Davis ensina:

É preciso que o empreendedor não tenha que se endividar desembolsando um alto valor pelo terreno. Ele deve buscar processos e modelos alternativos para desenvolver o projeto de forma gradual.

“O sucesso de um projeto como o nosso é proporcional à capacidade do empreendedor em criar valor no longo prazo”, disse ele. “É preciso tempo e paciência para controlar a evolução do projeto e sua valorização constante”.

Tenho uma sugestão para você a esse respeito, o nosso manual Estudo de Viabilidade Econômica – Garantia de Retorno, que você baixar gratuitamente no link.

Empreendimento de natureza multidisciplinar

Algo que precisa ser enfatizado é a natureza multidisciplinar desses empreendimentos. Eles envolvem engenharia, arquitetura, paisagismo, meio ambiente, design, finanças, direito ambiental e imobiliário, administração condominial, entre outras áreas.

Afinal, estão envolvidos desde aspectos de financiamento até as mais básicas questões de relacionamento humano, que precisam ser consideradas.

Como muitos especialistas salientam, é um comprometimento da empresa que vai além do empreendimento e se estende à vizinhança.

Envolve ainda a parceria com os agentes públicos que deve ser costurada para garantir os serviços onde eles são indispensáveis.

Queda dos juros traz otimismo para o setor

É claro que, quando se fala de Brasil, não podemos deixar de lembrar das incertezas da macroeconomia. Isso representa um estorvo quando se fala de planejamento.

Mas há uma boa nova:

Dirigentes do setor apostam que a queda da taxa de juros vai atrair o apetite do mercado de capitais para o setor imobiliário. O reflexo deverá ser positivo também para os loteamentos, acreditam.

Uma pesquisa da ADIT revelou que 91% dos seus associados pretendem empreender no mercado imobiliário neste ano. O principal interesse para o período é a Região Sudeste. As cidades com população de até 500 mil habitantes são as mais visadas. 

A perspectiva é que uma parte razoável desses investimentos seja destinada a novos projetos de comunidades e loteamentos planejados

Concluindo:

Lá fora e aqui, as experiências estão mostrando que esse é um nicho de mercado altamente promissor para os empreendedores. Não há registro de quem tenha se arrependido e o setor da construção está acordando para isso.

Afinal, estamos falando de um público-alvo com alto poder aquisitivo e objetivo bem definido: qualidade de vida, um “produto” altamente valorizado nos dias atuais.

Nestes empreendimentos está o estilo de vida diferente, humanizado e sustentável que muitos anseiam nos dias de hoje.

Enfim, temos aí um cenário bastante otimista para quem tem visão de futuro.

Então, se você gostou, comente conosco o que achou e compartilhe com seus contatos das redes sociais.