Tipos de plantas e desenhos que compõe um projeto arquitetônico

Marília Gaspar

Marília Gaspar

Arquiteta e urbanista com especialização em gestão de projetos e arquitetura e cidade. Professora e mestranda.

25 de novembro 2021

Compartilhe

Os desenhos técnicos são a linguagem utilizada para transmitir informações sobre um projeto para que ele possa ser executado conforme o planejado pelo arquiteto. Mas é impossível colocar todas as informações necessárias em um único desenho, não é mesmo? 

Por isso um projeto é composto por diversos desenhos e plantas, que conjuntamente devem transmitir tudo o que é necessário para a execução. Nesse artigo, vamos explicar todos os desenhos que um projeto possui e o que deve estar em cada um deles e quando utilizá-los. 

 

Projeto arquitetônico básico  

Dentro de um projeto algumas partes são consideradas básicas, são aquelas que passam informações essenciais para o entendimento global. Esses desenhos são os mesmos exigidos para aprovar uma planta na prefeitura. 

 

Planta baixa ou Planta da edificação 

A planta baixa ou planta da edificação é o desenho que contém a maior quantidade de informações, por isso é considerado o mais importante e serve como base para as plantas complementares que veremos abaixo. 

Possui informações como da alvenaria e/ou vedação, das esquadrias (portas e janelas), nome dos ambientes com seu nível e área, indicação do mobiliário fixo (pia, chuveiro e vaso) e das áreas molhadas, cotas e indicação do norte e das linhas de corte. Veja um exemplo abaixo.  

Em uma edificação com múltiplos pavimentos temos uma planta por andar, como do térreo, do subsolo, do pavimento tipo e da cobertura.  

 

Corte  

Enquanto a planta baixa é a representação de um plano secante horizontal, o corte representa o que vemos com um plano secante vertical, conforme pode ser observado na figura abaixo.  

 

 

corte de planta baixa
Fonte: Viva decora

Com isso, o corte representa as medidas verticais de um projeto, que não aparecem em planta, como a altura do pé direito, do telhado e do mobiliário fixo. Uma característica importante do corte é que ele indica o material que está sendo cortado, como alvenaria, concreto, argamassa, madeiras.

Em alguns casos, dependendo do sistema estrutural, os cortes podem indicar também a posição da fundação e altura das vigas.  

O que normalmente é exigido nas prefeituras, é que se represente um corte longitudinal (no sentido de maior comprimento) e um transversal (no sentido de menor comprimento). Mas podemos (e devemos!) ter mais cortes quando nosso projeto tiver mais detalhes que devam ser representados, como desníveis, movimentação de terra, escada e caixa d’água.  

 

Fachada 

São a representação dos planos externos da edificação. A fachada é um desenho técnico que representa em um único plano as alturas da parte externa, e por intermédio da espessura de linha representa a proximidade e a distancia dos planos. Os materiais a serem empregados também são indicados.  

Fachada técnica 

 

A fachada pode ser feita também de forma mais humanizada para ser apresentada para o cliente. Nesse caso, podemos inserir as cores e as texturas o que facilita o entendimento tanto do cliente como dos fornecedores.   

 

Fachada humanizada 

Planta de Situação 

 A Planta de situação mostra a relação do terreno em que vai ser implantada a edificação com a vizinhança. Imagine uma obra em um local com vários terrenos vazios que por uma confusão começa a ser construída no lugar errado? Para evitar esse tipo de erro a planta de situação indica a distância do terreno até a esquina mais próxima, além dos nomes das ruas.  

Planta de Implantação ou locação 

Tem como objetivo mostrar como a edificação, ou as edificações, estão implantadas no terreno. Essas aparecem hachuradas e as cotas indicam a distância entre ela e o limite do terreno, para que sejam locadas corretamente. A planta de implantação destaca também o rebaixo que deve ser feito na calçada para a entrada de veículos e a posição do norte.  

A implantação deve ter um quadro de áreas que indique a área destinada a cada um dos diferentes usos que o terreno possui, como área permeável, cobertura vegetal e área construída, como pode ser observado na legenda abaixo:  

Planta de cobertura 

Em uma edificação temos diversos tipos de telhado, que são indicados na planta de cobertura, que indica o tipo de telha, a inclinação, o sentido das águas e a posição das calhas, conforme pode ser observado na figura abaixo.

Em alguns casos opta-se por representar a implantação juntamente com a planta de cobertura, mas deve-se tomar cuidado caso haja beiral.  

Projetos complementares 

Não são considerados essenciais para a execução de uma obra, mas otimizam tempo e contribuem para uma execução de acordo com o que foi planejado.  

Layout 

A planta de layout vai muito além do mobiliário fixo da planta baixa, ela representa todos os móveis da casa e possibilita que o cliente leigo compreenda o que cabe naquele espaço projetado. Também pode ser humanizada, quando é apresentada com textura de materiais e detalhes como vegetação e tapete, tudo isso para atrair ainda mais a atenção do cliente. Por isso, é muito empregada como uma aliada na venda de imóveis, como pode ser observado na figura abaixo.   

Paginação de piso 

O projeto de paginação de piso indica, após a escolha do revestimento, onde deve começar o assentamento do piso para evitar recortes e desperdício, ele é um importante aliado para a economia, como discutimos nesse artigo. A paginação pode ser feita tanto em planta para o piso como em corte para a paginação do revestimento de parede, conforme pode ser observado nos exemplos abaixo.  

Projeto Luminotécnico  

Planeja a iluminação de um ambiente de forma que atenda da melhor forma a função que ali é executada e contribua para que o ambiente fique ainda mais bonito, como podemos ver nesse artigo. Ele prevê a intensidade luminosa, o tipo de luz e a sua forma de distribuição, além das luminárias que são uma especificação importante desse projeto.  

Planta de Gesso 

É integrante do projeto luminotécnico, mas ele é destinado somente para a execução do gesso que, como podemos ver no exemplo abaixo, é representado tanto em planta quanto em corte para que se consiga executa-lo com precisão.  

Planta de pontos elétricos 

É a base utilizada para a elaboração do projeto e do orçamento elétrico. Nela o arquiteto indica os pontos de luz, tomadas e interruptores, tudo de acordo com o uso planejado para cada ambiente. É fundamental que esses pontos sejam cotados em relação a parede e que se tenha uma legenda com as diferentes alturas para que possam ser alocados corretamente. 

 

Planta de pontos hidráulicos 

Indica os pontos de abastecimento de água como torneiras, chuveiros, vasos sanitário, filtros, máquinas de lavar e os pontos de drenagem de esgoto como ralos, lavatórios e vasos sanitários. A planta de pontos hidráulicos utiliza-se de símbolos com legendas e deve ser feita sobre da planta com as instalações sanitárias para facilitar a sua elaboração. 

Planta Estrutural  

É feita pelo arquiteto com um lançamento prévio da estrutura do projeto e sugestão de locação de pilares. Ela deve servir como base para o cálculo estrutural, realizado pelo engenheiro, em alguns casos é necessário que esses profissionais conversem para compatibilizar as suas ideias.  

Prevenção e combate contra incêndio 

Em edificações de uso coletivo é obrigatória a elaboração do projeto de prevenção e combate à incêndio. Deve prever desde saídas de emergência, a posição de extintores e hidrantes até o projeto de sinalização com a identificação de rotas de fuga, indicação de saídas de emergência, sinalização de extintores e hidrantes, como pode ser visto na imagem abaixo.  

Demolir/construir 

Essa planta, elaborada pelo arquiteto responsável pela obra, é essencial em reformas. Ela indica as paredes que vão ser demolidas, as que vão permanecer e as que vão ser construídas, que são representadas de formas diferentes e identificadas de acordo com a legenda.  

É fundamental que seja acompanhada por uma planta baixa comum na obra, pois em caso de dúvidas ela permite a visualização de como o projeto vai ficar após a intervenção.  

Bancadas e armários 

Todo bom projeto precisa conter indicações para todos os profissionais envolvidos na execução da obra para que tudo saia conforme o planejado. É o caso dos projetos de bancadas enviados às marmorarias, que podem ser visto abaixo, e os de armários para as marcenarias.  

Em obras de maior porte, como prédios, esses projetos contribuem para que se possa fazer um planejamento de compra e, assim, reduzir o custo. É importante que os fornecedores confiram as medidas na obra a fim de evitar que as peças sejam produzidas na dimensão errada.  

Você já conhecia todos esses projetos? Sabia da importância de cada um? Conta para a gente aqui nos comentários qual deles você utiliza na sua obra e o porquê, e não se esqueça de curtir o post.  

Compartilhe