banner sienge

TCPO – Como utilizar e analisar

Blog > passo-a-passo, tcpo
18 de agosto de 2017

De quantas composições de custos são feitos os seus projetos?

São muitos e exaustivos os cálculos que levam ao orçamento de obra ideal. Esse caminho é, sim, difícil. Chega a se tornar ineficiente, principalmente, quando não há embasamento na TCPO (Tabela de Composição de Custos de Obra).

Quem nunca fez um orçamento furado que atire o primeiro tijolo!

Toda construtora pode um dia sofrer ou já padeceu diante da elaboração de uma estimativa de gastos distante da realidade.

Para situações em que a dúvida domina as decisões, a tabela reúne uma série de codificações dos principais serviços da construção civil.

Pensando no seu dia a dia, esse post foi elaborado para desvendar como você pode usar a TCPO a favor da sua construtora.

Entenda:

Como é composta, qual é o melhor modo de interpretá-la e, ainda, observe alguns exemplos de uso da TCPO.

Vamos começar?

Cada etapa de um projeto é feita por inúmeras composições de custos. A gente concorda que a orçamentação na construção civil é complexa, justamente, por causa disso. Ainda mais quando você nunca provou dos benefícios da TCPO.

Muitos dirão:

Para ter um uma boa composição de custo, basta conhecer a construtora e os colaboradores. Outros arriscariam seguir com os projetos embasados em orçamentos simplificados. Mas o fato é que nenhuma construtora sobrevive por muito tempo sem base em um raciocínio como a da TCPO.

Sabe como fazer a sua composição de custos?

Nesse post, a gente descobre como ela é composta, qual é o melhor modo de interpretá-la e, ainda, se arrisca em alguns exemplos práticos.

Vamos lá?

Do que a TCPO é feita

Antes de chegar ao uso das codificações propriamente ditas, uma leitura da TCPO da Pini nº 13, por exemplo, conduzirá você pelo básico da engenharia de custos. Primeiramente, surgem as diretrizes da preparação do orçamento. Depois, aparecem os modos de organizar as composições e códigos TCPO.

Relembrando:

No post sobre O que é TCPO, você viu como deve ser feita a leitura das codificações. Já no texto que abordava a importância da tabela [ID241] foram mostradas as categorias principais, conforme as etapas de execução de obras.

Mas não custa reforçar!

Na cartilha de compreensão da TCPO da Pini a seguinte composição é desvendada logo na introdução:

04221.8.1.18  ALVENARIA de vedação com blocos de concreto, 19 cm x 19 cm x 39 cm, espessura da parede 19 cm. Juntas de 10 mm com argamassa; mista de cimento, arenoso e areia sem peneirar traço 1:4:4 – unidade: m*

Os grupamentos de números fazem referência a informações catalogadas na TCPO, conforme você pode ver na tabela a seguir:

Tabela Exemplo TCPO

Juntos, cada um dos códigos forma a descrição dos tipos de composição mencionados na TCPO. A leitura acontece sempre da categoria menos específica para a mais especializada.

As páginas seguintes da TCPO mostram modelos de orçamento detalhado que seguem categorias das edificações da construção civil. São elas:

  •   Edifício residencial de padrão médio;
  •   Residência de alto padrão;
  •   Agência bancária;
  •   Escola infantil;
  •   Galpão pré-fabricado.

Além dos modelos que podem servir de base para os cálculos da construtora, a TCPO traz índices de produtividade variável em relação à mão de obra. Quanto tempo membros da equipe levam para executar funções conforme os cargos que ocupam? A TCPO também ajuda a responder essa questão.

Antes de chegar à alma da TCPO – a codificação – ainda é feita uma explanação sobre os custos de equipamentos e a depreciação.

Como interpretar a TCPO

A TCPO reúne modelos de composições de custos parciais. A ideia da tabela é nortear o processo de precificação.

A gente explica!

Quando você decide começar a elaborar o orçamento de obra, precisa saber detalhadamente quais são os gastos de cada etapa. Na TCPO podem ser encontrados exemplos práticos que ajudam a fazer essa listagem ou esse inventário de serviços compostos.

Você somente chegará ao preço se fizer a sua própria composição de custos. Para isso, precisa cruzar os dados de referência que constam na TCPO e os preços praticados pelos fornecedores da sua região. Além disso, a tabela serve como referencial para que você consiga mensurar o desempenho da equipe.

A gente sabe que manter a equipe engajada é um desafio. Ainda mais quando o número de trabalhadores da construção civil apresenta queda. É o que consta na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), elaborada pelo Ministério do Trabalho.

Os trabalhadores da construção civil passaram dos 3 milhões em 2012. Desde então, está em constante queda, experimentando uma redução de meio milhão até 2015. Além de serem importantes para o bom desempenho da construtora, trabalhadores qualificados valem por dois! A TCPO pode ajudar nisso?

Certo é que você deve buscar qualificar a mão de obra. Afinal, um bom colaborador vale por dois.

Mas como fazer isso?

Continue a ler sobre a TCPO e sobre como ela participa do dia a dia da sua construtora.

O seu dia a dia no cálculo de custos

Primeiramente é preciso separar os custos das despesas!

Você não verá na TCPO referências a gastos com escritório, por exemplo. Isso porque, eles não são considerados custos, mas despesas. A diferença está na delimitação de quais são os investimentos essenciais para produção na construção civil. Estes são os custos que estão na TCPO.

Então, a gente fala diretamente de custos quando aborda a TCPO!

Cada investimento da construção civil é composto. Sacos de cimento não são suficientes para erguer uma parede. Eles precisam estar relacionados ao metro quadrado total e ao tipo de alvenaria escolhido. Isso sem contar a mão de obra. Assim acontece com todas as etapas de um projeto.

Pensando nisso, a gente elaborou um guia simples sobre a TCPO!

Guia simplificado da TCPO na composição de custo unitário

Ao seguir na leitura do post, você entenderá como a TCPO ajuda a formar a composição de custos nas fases mais comuns da obra. No seu dia a dia você enfrenta esse desafio, de interpretar essas composições.

Com isso, a gente quer que você perceba que o BDI (Benefícios e Despesas Indiretas) não entra diretamente nessa história. O foco é o custo direto e a elaboração de tabelas de custos unitários a partir da tabela.

Para começar o cálculo, você precisa reunir informações sobre os seguintes itens:

  •   Mão de obra;
  •   Custo da mão de obra (incluindo encargos);
  •   Materiais;
  •   Equipamentos.

Dados sobre eles serão organizados em tabelas de composição de custos a partir das categorias, lado a lado:

Tabela Exemplo TCPO 2

Nas linhas desenhadas a partir das colunas da tabela acima, devem ser colocados todos os tipos de materiais e serviços envolvidos. O código (aquele com mais de cinco dígitos) e índices ou informações sobre o consumo são dados estratégicos da TCPO.

Agora que você já conhece nas premissas necessárias, a gente vai comparar dois tipos de supra estrutura a partir da TCPO.

TCPO na supra estrutura

Imagine que a sua construtora recebeu um projeto e deve ajudar o cliente a optar por um método específico de construção. A composição unitária será crucial, pois a escolha depende do preço. Então, suponha que você deve comparar a alvenaria tradicional ao steel frame

Como a TCPO ajuda você a fazer essa comparação?

Ao abrir o guia e seguir os códigos, o item cinco apresenta as opções de alvenaria para erguer as paredes, ou seja, a supra estrutura. É importante mostrar ao cliente que deve ser considerado o tipo de alvenaria, conforme a TCPO:

  •   Tijolos furados (tipo 1);
  •   Blocos para vedação (tipo 2);
  •   Blocos estruturais (tipo 3);
  •   Componentes de concreto celular (tipo 4);
  •   Tijolos de barro (tipo 5).

Os três tipos de material geram mão de obra com índices de desempenho diferenciados. Mas a TCPO ajuda você a mostrar ao cliente que trabalhar com tijolos de cerâmica faz com que o pedreiro não consiga alcançar o máximo de produtividade.

Viu como voltamos ao assunto da mão de obra?

Para qualificar o operacional da construtora, muitas vezes, é preciso investir em um material melhor.

Pensando no steel frame, a mão de obra atende a padrões constantes e tem como referência apenas um tipo. Você já deve saber, por exemplo, que estruturas pré-moldadas garantem prazo mais curto. Mas sabia que elas envolvem, pelo menos, 11 itens na TCPO?

Observe o código e o tipo de composição:

05125.8.15._

STEEL FRAME para parede interna, fechamento em gesso acartonado para ambiente seco – unidade: m2

Nas composições trazidas pela TCPO são comparados vários tipos de composição em gesso acartonado, classificadas pelo número do item. Ao automatizar e integrar esse banco de dados que é a tabela, a resposta chegaria mais facilmente ao cliente.

Bastaria preencher os códigos na composição de custos e… voilà!

Conclusão

A TCPO é complexa, mas também eficiente. Pode tirar a sua construtora da inércia, quando o assunto é planejamento orçamentário. O que acaba surtindo um efeito positivo nas finanças da empresa.

Seus benefícios também compreendem escolhas que potencializam o desempenho da mão de obra. Além do detalhamento na orçamentação, permitindo comparativos e atenção a todos os itens necessários.

Gostou dessas orientações?

Deixe um comentário sobre complementos que gostaria de ver aqui. Também não esqueça de curtir esse post, se ele foi útil para você. E pode esperar por mais textos sobre a TCPO no blog do Sienge!

 

Compartilhe no Facebook
compartilhe-facebook
TCPO Como Usar - Capa

Tomás Lima

  • Gestor de Conteúdo
  • Graduado em Administração pela UFMG
  • Apaixonado por Construção Civil
 

Receba Novidades do Blog
Coloque o seu email acima para receber gratuitamente as atualizações do blog!
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa