Maquete tridimensional: como utilizar em seus projetos

Ulisses Nenê

Notícias da Construção / Dados da Construção / BIM

29 de novembro 2021

Compartilhe

A maquete tridimensional é uma representação muito realista, em escala menor, de construções, espaços físicos, objetos ou mecanismos. Com certeza você já viu muitas maquetes, nas mais diversas situações. Este é um recurso técnico tão antigo quanto a história da humanidade. Há milhares de anos, os generais já utilizavam maquetes dos campos de batalha na preparação das suas estratégias.

Grandes obras, como a Muralha da China, as pirâmides do Egito, as cidades romanas e seus aquedutos foram construídas a partir de maquetes tridimensionais. E a sua importância na construção civil só aumentou com o passar dos séculos.
Hoje a maquete tridimensional está presente desde as escolas técnicas, faculdades de engenharia e arquitetura, nos escritórios de projetos e estandes de venda de imóveis.

Assim, no meio de tantas inovações tecnológicas, a maquete não pode ser esquecida como uma ferramenta indispensável para os profissionais da área.

Você vai saber mais sobre maquetes, seus diferentes usos e porque ainda são extremamente úteis, prosseguindo a leitura do artigo.

Usos da maquete tridimensional

A maquete tridimensional expressa bem a ideia, repetida tantas vezes, de que “uma imagem vale por mil por mil palavras”. A visualização permite à pessoa perceber aspectos que não veria numa representação gráfica, bidimensional.

Conforme seus usos, as maquetes podem ser classificadas em três grupos principais:

  • Topográficas: são maquetes montadas para reproduzir modelos de terrenos, de paisagens e jardins.
  • De edificações: apresentam miniaturas de edifícios e de interiores, individuais ou de conjuntos, por exemplo.
  •  Específicas: são as que representam modelos de design, de móveis e objetos.

No caso da construção civil, estamos falando de uma ferramenta essencial tanto na elaboração dos projetos como na promoção das vendas. Quando se trata dos projetos, sua visualização estimula a criatividade na busca das melhores soluções para os ambientes externos e internos.

Ao mesmo tempo, a maquete permite descobrir e resolver com antecedência problemas que poderão surgir tanto na obra como na utilização dos imóveis pelas pessoas. Nos estudos iniciais, por exemplo, a maquete tridimensional possibilita a visualização da volumetria entre as partes e sua interação com os espaços.

Mudanças são comuns neste momento, visando o melhor aproveitamento das áreas disponíveis para a obra ou circulação.

Num livro muito detalhado sobre o tema, Criss B. Mills apresenta a grande contribuição e os vários usos das maquetes tridimensionais como ferramentas de projetos. A função das maquetes, diz ele, é gerar ideias e servir como instrumentos de aperfeiçoamento.

Classificação das maquetes de projetos

Neste sentido, o autor traz várias classificações para as maquetes tridimensionais na fase de projetos, entre elas:

  1. Maquetes Preliminares: aparecem na fase inicial do estudo, como croquis ou desenhos tridimensionais, com mais preocupação na visualização dos espaços.
  2. Maquetes de Conceito: são elaboradas nos estágios iniciais de um projeto, para explorar qualidades abstratas, como materialidade, relações com o sítio e temas interpretativos. “São usadas como o ‘código genético’ que orientará as direções arquitetônicas a serem tomadas”, diz o autor.
  3. Maquetes de Volumes: são maquetes simples, feitas em pequena escala, devido à falta de detalhes, pois representam apenas o tamanho e a proporção de uma edificação.
  4. Maquetes de Cheios e Vazios: apresentam a relação entre as áreas abertas e fechadas das edificações. São mais úteis para se entender a característica de uma edificação do que maquetes de volumes.
  5. Maquetes de Desenvolvimento: As maquetes de desenvolvimento têm escala maior do que os estudos preliminares, permitindo ao projetista visualizar o próximo nível de projeto.
  6. Maquetes de Apresentação ou Maquetes com Acabamento:  São elaboradas com cuidados especiais e representam um projeto finalizado. “São usadas para confirmar decisões de projeto e comunicar com os clientes que talvez não consigam entender bem estudos menos elaborados.”
  7. Maquetes do Sítio ou Relevo: são feitas para estudar a topografia, reproduzindo a declividade do terreno ou as curvas de nível.
  8. Maquetes do Contexto e de Urbanismo: mostram também as edificações do entorno, podendo apresentar toda uma área urbana e seus componentes.

A evolução das maquetes: físicas e eletrônicas

Sendo uma ferramenta tão útil, é muito grande a produção de maquetes para os empreendimentos da construção civil. Mas nisto também houve uma enorme evolução técnica.

Além da maquete tridimensional física, que continua em grande uso, existem hoje as maquetes virtuais ou eletrônicas 3D, cada vez mais sofisticadas.  A partir das referências do projeto ou pré-projeto da construção, os maquetistas procuram reproduzir o empreendimento da forma mais detalhista  possível.  

Vamos agora conhecer melhor cada uma das técnicas usadas na montagem das maquetes. 

Maquete tridimensional física 

Apesar de todas as facilidades da maquete virtual, a maquete física continua sendo largamente usada. O seu impacto visual, a textura e o aspecto tátil continuam insubstituíveis, porém, cada vez mais aperfeiçoados.  É verdade que ainda há muito trabalho manual e tem quem ainda faça tudo bem artesanalmente.  

 Entram em ação os velhos estiletes, tesoura, cola, e materiais como poliestireno, metais, madeira, compensado, papel kraft, fibras, poliuretano, policarbonato e outros. Porém, já existe o corte a laser das peças, automatizado, muito mais preciso e rápido, assim como materiais mais resistentes e tintas especiais, que duram vários anos.  

 Com o desenho em mãos, o maquetista consegue reproduzir até mesmo pequenos móveis de um apartamento. O resultado são conjuntos impressionantes, que maravilham pela sofisticação e beleza. São  como obras de arte e chegam mesmo a acontecer grandes concursos de maquetes. 

 Maquete em impressão 3D 

Outro progresso na área, já bastante difundido, é a impressão 3D de peças das maquetes tridimensionais. Essa tecnologia ainda não gera maquetes inteiras, mas pode produzir detalhes preciosos da representação do empreendimento.  O que poderia ser apenas uma experiência virtual, na tela ou no papel, com este recurso se materializa numa experiência tridimensional. E traz como vantagens mais facilidade e rapidez na construção das maquetes. 

 Na impressão 3D, um modelo tridimensional é criado por sucessivas camadas de material, especialmente polímeros termoplásticos. Não necessita do uso de moldes e permite produzir formas que não são viáveis em outros métodos de produção.  

 

maquete tridimensional sie

As diferenças na rapidez e detalhamento dos projetos são incríveis. Essas maquetes, por exemplo, podem ser modificadas ao toque de uma tecla, apenas. Ficou muito mais fácil realizar ajustes no projeto, acrescentar detalhes para melhor visualização dos clientes ou customizar um apartamento ao gosto do comprador. 

Para isso existem diversos softwares que representam os imóveis com fidelidade impressionante, no ambiente virtual da tela.  

 

Entre eles, por exemplo:  

  • Sketchup 
  • Blender 
  • Kerkythea 
  • V-Ray 
  • 3D Studio Max 
  • Archicad 
  • SimLab 

Maquetes na promoção de vendas 

 Como objeto de estudo na fase de projeto, a maquete tridimensional não se limita a reproduzir uma edificação numa escala menor. Ela é fundamental na análise dos elementos construtivos, se eles formam realmente um conjunto harmônico e eficiente. 

 É assim que a volumetria, iluminação, fachada, espaços de circulação são confrontados com o espaço urbano onde estão inseridos. Aqui a maquete funciona como uma ferramenta para a correção de erros e aprimoramento dos projetos. Porém, elas são mesmo mais conhecidas do grande público através dos lançamentos imobiliários, como estímulo de vendas. Boas maquetes funcionam como um chamariz de possíveis compradores.  

 

Ao ver a maquete tridimensional, as pessoas conseguem vivenciar a experiência de se imaginar no espaço representado. É isto que justifica tanto investimento dos empreendedores nas maquetes dos seus produtos.  Onde há uma grande e bonita maquete tridimensional, sempre há gente interessada em conhecê-la. 

 E você, lembra qual maquete lhe impressionou mais até hoje? Costuma usar esta ferramenta no seu trabalho, na promoção de seus empreendimentos?  

 Obrigado pela leitura, espero que você tenha gostado de nosso conteúdo. Deixe seu comentário, compartilhe com seus amigos, e nos siga no Instagram!

Compartilhe