Planejamento de obra: como trabalhar com linha de balanço na prática

O planejamento e o cronograma de uma obra são etapas essenciais para uma execução de sucesso. Porque é quando definimos cada etapa e criamos uma visão clara do desenvolvimento do projeto. Assim, uma ferramenta muito útil para isso é a linha de balanço, que vai demonstrar visualmente o tempo e espaço de cada tarefa. 

A linha de balanço é um processo de controle de planejamento criada pela Goodyear na década de 1940. E ainda hoje é amplamente utilizada na construção civil, principalmente em projetos que possuem padrão de repetição, como prédios, loteamentos, obras de infraestrutura etc.

Mas você sabe como trabalhar com linha de balanço na prática? É isso que vamos abordar neste post, conhecendo um pouco dessa técnica que engloba princípios de construção enxuta e padronizada. 

O que é linha de balanço?

Em resumo, a linha de balanço é uma técnica de planejamento e controle de prazo. Ela tem como princípio organizar e planejar os locais da obra no tempo, favorecendo as obras que têm padrões de repetição de serviços no tempo mais claros. 

Assim, a técnica permite que o engenheiro tenha uma visão ampla e simples de cada etapa – tanto as em andamento quanto as futuras. 

Além disso, como ela se baseia em alguns dos princípios do Lean Construction, ela entrega informações que podem melhorar a produtividade e qualidade das tarefas nos canteiros de obras. 

Portanto, saber como utilizar a linha de balanço vai trazer benefícios e ganhos significativos para a produtividade da obra e, consequentemente, para o resultado final. 

Como a linha de balanço funciona na prática

Segundo o blog da Prevision, o balanceamento em linhas consiste em um planejamento em que os locais da obra, como pavimentos, lotes, casas, trechos, são dispostos no eixo y, enquanto o calendário segue o eixo x. 

A linha de balanço ajuda na visualização de cada etapa de obra
Reprodução de linha de balanço (imagem: Prevision)

Dessa forma, as atividades ou serviços aparecem na junção dos dois eixos, formando um gráfico com diversas retas. Além das linhas, é possível visualizar em conjunto de blocos, no qual a espessura equivale à duração da atividade.

Então, o planejamento é feito com atividades com padrão de repetição. Por isso, as obras que apresentam mais padrões de repetição levam vantagem e atingem resultados melhores com a linha de balanço. 

Exemplo: obras de edificação ou rodovias, nas quais os serviços se repetem, respectivamente, em cada pavimento ou em cada trecho do trajeto.

Ou seja, fica mais fácil entender a sequência lógica de execução dos serviços e o ritmo de produção, indicado pela inclinação da reta de cada serviço. 

Portanto, é necessário adicionar informações sobre o que está programado para cada pacote de serviço que será executado, e ainda sobre a produtividade da equipe. Tais dados vão determinar qual a demanda de mão de obra para executar o projeto dentro do prazo esperado. 

Por que usar a linha de balanço?

Como mencionamos, a linha de balanço traz o benefício da visualização do fluxo de trabalho do projeto, facilitando o planejamento da continuidade das atividades. Mas quais as outras vantagens? 

A linha de balanço proporciona maior controle do andamento do projeto

A Prevision listou as 5 principais vantagens ao usar as linhas de balanço. Veja quais são:

  1. Facilita a troca de informações entre os gestores da obra e a mão de obra do canteiro: torna a comunicação mais eficiente, pois todos conseguem entender de forma fácil o cronograma e o que precisam realizar em cada etapa, democratizando a informação;
  2. Proporciona maior controle do andamento do projeto e do ritmo com que as atividades são executadas: permite que se consiga implementar soluções para aumentar a produtividade, sempre que necessário. Ou, ainda, poder otimizar as equipes em obras, evitando períodos de ociosidade e interrupções na produção;
  3. Permite a visualização total dos serviços: dos que estão adiantados (ou não) e ainda oferece uma visualização dos recursos operacionais que podem ser descartados ou realocados em outras obras;
  4. Mostra quais unidades foram concluídas, bem como as atividades e seus grupos de trabalho: essas informações oferecem maior controle com relação ao prazo de entrega final;
  5. Evidencia as interferências: ajuda a entender as que podem prejudicar o planejamento de execução e afetar a entrega no prazo definido.

Tudo isso vai refletir em uma obra mais eficiente, com economia de recursos e maior comunicação entre todas as partes. A seguir, você vai entender como projetar com uma linha de balanço.

Planejamento com linha de balanço

A princípio, pode parecer complicado, mas a tarefa de projetar e planejar com linha de balanço não é difícil.

Veja três passos importantes: 

1. Cronograma e expectativa de conclusão

Tudo começa com um cronograma da obra, separado por atividades a serem concluídas e por unidades de tempo, sejam elas dias, semanas ou meses. O gestor define as repetições do projeto, ou seja, os pacotes de trabalho.

Cada atividade deve ter uma data de início e previsão de fim, com progresso definido, local por local, andar por andar ou trecho por trecho.

Essa tarefa vai permitir a condução do planejamento conforme as dependências de cada fase.

2. Ferramenta

Outro passo importante é utilizar as ferramentas certas para aplicar a técnica. O mais utilizado entre engenheiros e projetistas é o Excel, por ser semelhante ao plano cartesiano, com linhas e colunas. 

Outra opção é utilizar softwares específicos para criação da linha de balanço. A Prevision é uma destas soluções, pois otimiza o tempo de execução da linha de balanço e permite planejar em poucas horas. 

Além disso, disponibiliza a exportação de todas as informações em Excel, permitindo conexões e compartilhamentos com mais facilidade. Com isso, pode-se manter o planejamento atualizado, de forma integrada, em outras plataformas, como o próprio Sienge.

3. Aplicação

Com cronograma de atividades e a ferramenta em mãos, o próximo passo é fazer a aplicação da metodologia, transformando-os em um planejamento detalhado e preciso de cada etapa da obra. 

Esse planejamento pode ser levado direto para o canteiro para controle e aplicado na prática para a execução.

Correções

Ao utilizar a técnica, a construtora poderá visualizar claramente as falhas no cronograma. E com a mesma facilidade ela poderá corrigi-las, por meio do balanceamento das linhas.

O balanceamento ocorre através do deslocamento de uma reta, para frente ou para trás na linha do tempo, para que não haja interrupções.

Com a linha de balanço a construtora pode visualizar claramente as falhas no cronograma

Em serviços com relação de dependência, a técnica auxilia a ordenar com eficiência as atividades. Um exemplo é a pintura, que só é feita depois que o reboco estiver pronto.  

Com o balanceamento, o gestor da obra pode descobrir qual a data correta para começar a pintura, evitando que a equipe fique ociosa esperando pelo reboco.

Conclusão

Nunca é demais repetir que, pensando no sucesso do projeto, a importância do planejamento de obras é uma unanimidade na construção civil. E aos poucos esse entendimento vai se disseminando no setor. 

Em países mais desenvolvidos, como a Alemanha, o planejamento de obras já toma cerca de 50% do tempo total dos empreendimentos. No Brasil, esse número está na casa dos 20%, segundo pesquisa da Fundação Dom Cabral, citada pela revista Exame.

Portanto, temos que trabalhar ainda mais na etapa de planejamento e, sem dúvidas, a linha de balanço é um processo útil nesse sentido, trazendo vários benefícios não só para quem planeja, mas para quem está na linha de frente na obra. 

Afinal, usar linha de balanço na obra é fazer com que todos tenham uma visão mais completa sobre os processos e um controle maior sobre as atividades. O resultado não poderia ser diferente: mais produtividade e menos falhas, desperdícios e atrasos.

Quer saber mais sobre planejamento de obra? Baixe agora mesmo o nosso Kit de Planejamento de Obra!

Compartilhe