Por que as lâmpadas LED viraram tendência de mercado?

Giseli Barbosa Anversa

Giseli Barbosa Anversa

Engenheira Civil, é Product Manager do Sienge, atuando no desenvolvimento de ações para impulsionar o desempenho de empresas da Indústria da Construção.

17 de outubro

Uma boa iluminação transforma qualquer ambiente. Mas além da necessidade de manter a luz apropriada, uma grande preocupação dos donos e ocupantes de qualquer edificação é a eficiência energética.

Afinal, estamos falando de um efeito imediato na conta de energia e de um efeito de médio e longo prazo para a sustentabilidade do planeta em si. 

Felizmente, novas tecnologias têm surgido todos os dias para ajudar a resolver esses problemas. Uma das mais conhecidas, que já está entre nós há um bom tempo, são as lâmpadas de LED.

Neste artigo eu vou te mostrar por que ela tem se destacado entre todas as opções do mercado e o que você precisa saber para usá-la nos seus próprios projetos.

Quais são os tipos de lâmpadas que existem no mercado?

Existem vários tipos de lâmpadas no mercado, e as LEDs são apenas mais um modelo que você pode escolher. Antes de nos aprofundarmos nos motivos desse tipo de iluminação estar em alta, vamos ver quais são as outras opções disponíveis:

Incandescentes

A lâmpada incandescente é a mais antiga do mercado, e pode ser usada para iluminar todo tipo de coisa, desde edificações comerciais e residenciais até geladeiras e fogões. 

lâmpadas 1

O grande problema é que as lâmpadas desse tipo têm baixa iluminação para a quantidade de energia que gastam. Isso significa que a sua vida útil é baixa para os padrões atuais (cerca de 1.000 horas) e apresenta um consumo alto de eletricidade.

A característica da luz incandescente é sua luz amarelada, menos eficaz em deixar os ambientes claros e seguros.

Fluorescentes

A próxima opção na escala das lâmpadas é a fluorescente, mais eficaz que o tipo anterior e, por muito tempo, a grande queridinha do mercado. 

E não era para menos, já que sua eficiência de consumo é muito mais alta que a incandescente, com poder de iluminação melhor e muita economia de energia. Para você ter uma ideia, a vida útil dessa lâmpada chega até as 10 mil horas.

Halógenas

As lâmpadas halógenas são uma espécie de versão melhorada das incandescentes, já que funcionam de forma parecida, só que com maior eficiência energética e de iluminação.

Elas se diferenciam por conseguir recuperar o calor liberado durante o funcionamento, o que reduz a necessidade de eletricidade para manter sua iluminação.

Sua vida útil chega até as 4 mil horas. Então mesmo ganhando das incandescentes, ela perde para as fluorescentes em economia. 

Apesar disso, ela possui autocontrole do facho de luz. Isso significa que é ideal para ser usada para projetos de iluminação diferenciados, em que se pretende destacar um objeto ou área específica.

Descarga

As lâmpadas de descarga são muito úteis no quesito “força bruta”, ou seja, muito usadas em ambientes amplos, nos quais não há necessidade de controle de cor da iluminação. É o caso de grandes lojas, galpões de fábricas e vias públicas.

Elas têm esse nome porque a corrente elétrica é conduzida por meio do gás que fica dentro delas. Existem vários modelos de lâmpada de descarga, cada um com um tipo específico de gás (ou uma mistura deles) e características particulares. 

LED

Por fim, temos a lâmpada LED, a opção mais avançada que existe hoje no mercado. Para começar a explicar a preferência atual por ela, vamos falar da eficiência de consumo, que chega a 25 mil horas, mais que o dobro das fluorescentes!

lâmpadas 2

Se formos comparar o desempenho da lâmpada LED com o da incandescente, a economia de energia é de incríveis 80%.

E tem mais:

Elas não poluem o meio ambiente, têm alto poder de iluminação e geralmente podem ser encontradas em grande variedade de modelos e cores. Tudo isso faz dela a opção ideal para residências e edificações comerciais.

Qual a legislação para uso, venda e recolhimento dos materiais de descarte das lâmpadas?

Se você se interessou pelas lâmpadas LED e o que elas podem fazer, com certeza não é o único. Todo mundo quer reunir produtos da melhor qualidade com baixo consumo de energia.

Mas ao trocar todas as lâmpadas atuais da sua empresa ou mesmo de uma edificação sob sua supervisão por essa solução tecnológica, onde vai descartar o material velho?

É muito importante ficar atento ao que a legislação fala a respeito disso. E a Política Nacional de Resíduos Sólidos, lei n° 12305/10, art. 33, diz:

“São obrigados a estruturar e implementar sistemas de logística reversa, mediante retorno dos produtos após o uso pelo consumidor, de forma independente do serviço público de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos, os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de:

V – lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista;”

Isso quer dizer que os fabricantes e comerciantes das lâmpadas precisam contar com sistemas de descarte apropriados. Apesar disso, existem campanhas e programas do governo para descarte apropriado. 

Vale a pena pesquisar como isso funciona na sua região e seguir os procedimentos apontados para não prejudicar mais o meio ambiente com a adoção das lâmpadas LED.

Como a lâmpada de LED está alinhada com o conceito de sustentabilidade

A grande característica das lâmpadas LED é a união entre melhor qualidade de iluminação, alta durabilidade e baixo consumo de energia. 

Essa é, talvez, a própria definição de sustentabilidade, principalmente na construção civil: uma solução melhor e que prejudica menos (ou nem prejudica) o meio ambiente. 

lâmpadas 3

Mas o que faz com que a lâmpada LED seja tão boa? A lâmpada LED:

  • não tem nenhum elemento nocivo à saúde;
  • tem 98% dos componentes recicláveis;
  • economiza energia elétrica;
  • tem maior tempo de vida útil, o que torna necessário menos descarte.

Qual a tendência de iluminação para o mercado

As tendências do mercado seguem um movimento que envolve muito mais do que estética ou preço, mas focam na sustentabilidade. E na construção civil há muito espaço para novas soluções mais sustentáveis, desde materiais até a iluminação, como estamos vendo agora.

No caso das lâmpadas, vale a pena destacar 3 tendências para ficar de olho:

  • LED como padrão: hoje ainda há muitas empresas usando outros tipos de lâmpadas nas obras por conta do preço inicial menor. Mas a adoção total do LED deve ser o padrão daqui para frente;
  • iluminação direcionada: em vez de usar grandes luzes para ambientes inteiros, direcionar a iluminação para ambientes específicos, conforme a necessidade, é um fator a se observar;
  • iluminação natural: sim, a tendência de iluminação mais interessante que vamos ver é justamente o aproveitamento da luz natural na concepção dos ambientes. Isso reduz o uso da iluminação artificial, mesmo a de menor impacto.

A junção de luzes de LED com bons projetos de iluminação natural tem tudo para revolucionar por completo a forma como a construção civil lida com a luz. Essa forma modular de iluminar os ambientes, ainda mais com estruturas direcionadas, é algo que vale a pena observar de perto.

As lâmpadas LED se tornaram moda, mas não só porque são alguma novidade no mercado. Pelo contrário, elas existem há décadas, e têm se provado a melhor solução de iluminação disponível em grande escala, ao menos com preços competitivos. Agora resta se adaptar a essa tecnologia nos seus empreendimentos, atuais e futuros.

Mas a iluminação é apenas um dos fatores a observar para tornar uma obra sustentável. Veja quais outros critérios vale a pena considerar para ter um empreendimento verde!