Controle de EPIs: como fazer de forma eficiente e segura

Gustavo Prata

Gustavo Prata

Engenheiro Civil com mais de 12 anos de experiência atuando com gerenciamento de obras, planejamentos, controle de cronograma físico-financeiro, orçamentos e organização de obras.
Atualmente Product Manager na Softplan/Sienge

4 de maio 2021

Compartilhe

O controle de EPIs é uma daquelas tarefas que parece fácil deixar para depois. Mas isso seria um grande engano, com perigos potenciais sérios demais para ignorar.

Afinal, controlar o uso dos equipamentos de proteção individual significa usá-los até o limite da sua vida útil, sem comprometer a segurança de ninguém. Além disso, o canteiro fica mais organizado e produtivo quando os materiais estão onde deveriam estar.

Mas a questão que fica é:

Como fazer o controle de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) de forma eficiente e aliado às normas de segurança? Neste artigo eu vou te mostrar tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

Por que toda empresa de construção precisa de um bom controle de EPIs

O controle de EPIs é uma atividade mais importante do que parece, e toda empresa de construção precisa prestar atenção a essa tarefa. Por quê?

A resposta é simples:

Os EPIs são parte essencial da segurança da obra. A falta de um item básico de proteção poderia causar um acidente grave, até fatal. E a falta de controle adequado dos EPIs é o que poderia deixar alguém sem esse item.

Controle de EPIs é essencial

Então, pense assim:

Sem um bom controle de EPIs, os funcionários da obra correm o risco de trabalhar sem a devida segurança, seja pela falta de um item ou por usar um equipamento impróprio.

Por outro lado, o bom controle de EPIs facilita o trabalho de todos, dá segurança e agilidade e ainda ajuda a deixar o canteiro de obras mais organizado.

Qual a responsabilidade de cada parte no controle de EPIs

É claro que a responsabilidade de fazer um bom controle de EPIs não é só da construtora ou incorporadora. Todos os envolvidos na obra, o que inclui os trabalhadores, têm de prestar atenção nisso e ajudar a manter os equipamentos de proteção em ordem.

E veja só:

Isso significa mais do que apenas guardar os itens no lugar certo no fim do dia. Antes, tem a ver também com fatores como o modo como o trabalhador cuida do equipamento. Mas qual é a parcela de responsabilidade de cada parte no bom controle de EPIs? Veja abaixo:

Empresa

A parte que cabe a empresa no que diz respeito aos EPIs, vale destacar:

  • Comprar os EPIs corretos para cada atividade;
  • Controlar o estoque de EPIs, para que nunca falte;
  • Dar treinamento aos trabalhadores sobre como usar e conservar cada EPI;
  • Trocar os equipamentos assim que não estiverem mais apropriados para uso;
  • Registrar a entrega dos EPIs para cada colaborador;
  • Higienizar e fazer manutenção periódica em EPIs não descartáveis;
  • Fiscalizar o uso dos EPIs por parte dos funcionários;
  • entre outras coisas.

Funcionários

Já as responsabilidades dos funcionários no controle de EPIs incluem:

  • Usar o EPIs certo para cada atividade, e fazer isso de modo correto;
  • Manter os equipamentos bem preservados e sempre acessíveis;
  • Avisar o empregador assim que o EPI ficar impróprio para uso;
  • Seguir o treinamento e as orientações de uso e conservação dos equipamentos.

O que isso mostra é:

Ebook Gerencimento de valor agregado e a conexão fisico-financeira da obra. Baixe Grátis Agora!

De nada adianta uma das partes fazer bem o seu papel se a outra não colaborar. O controle de EPIs é tarefa de todos.

Como tornar o controle de EPIs mais eficiente: 5 ações práticas

Como tornar o controle de EPIs mais eficiente? Será que você precisa fazer mudanças radicais na forma como lida com os equipamentos de proteção? Em geral, é mais fácil conseguir que todos adotem uma mudança suave do que uma alteração drástica na forma de trabalhar.

Controle de EPIs dá segurança e agilidade

Por isso, veja na lista abaixo 5 ações práticas e simples que você pode tomar para tornar o controle de EPIs mais eficiente:

1. Designe um lugar para guardar os EPIs

A primeira ação é bem simples: tudo o que você precisa fazer é separar um espaço do canteiro para colocar os EPIs no fim do dia. O tamanho e a disposição do espaço vão depender de alguns fatores, como:

  • tamanho da obra e da equipe;
  • quantidade de EPIs que precisará guardar;
  • tamanho dos EPIs;
  • tamanho do estoque necessário para materiais reserva.

Mas o mais importante aqui é que todos saibam que existe um lugar certo no canteiro para guardar os EPIs depois do dia de trabalho.

2. Separe claramente os EPIs novos dos usados

Reservar um espaço separado para os EPIs novos é de grande ajuda porque facilita para que os trabalhadores peguem novos EPIs sempre que for necessário sem interromper o fluxo de trabalho de mais ninguém.

Mas é importante sempre manter o acesso controlado aos EPIs reserva. Afinal, se os itens de estoque estiverem sempre a disposição, pode ser que nem todos os funcionários prestem tanta atenção a manter os EPIs conservados. Em vez disso, talvez prefiram apenas trocar de equipamento com uma frequência maior que a necessária, o que seria um desperdício.

3. Estabeleça um protocolo de descarte dos EPIs impróprios

Assim que um EPI fica impróprio para uso, ele precisa ser descartado. Criar um tipo de protocolo de descarte, o mais simples possível, resolve qualquer dúvida sobre isso.

Em alguns casos, pode ser bom fazer a troca do EPI, ou seja, o funcionário entrega o velho e pega o novo. Assim, dá para conferir se os itens estão mesmo impróprios. Além disso, é possível ver se os materiais se desgastam de forma igual entre todos, e se é necessário mudar algo na forma de conservar os materiais.

Já outras empresas podem preferir deixar um local reservado para o destarte, no qual os funcionários apenas colocam os equipamentos que não irão mais usar. Seja como for, é importante definir um processo claro de descarte e informar isso aos trabalhadores.

4. Identifique os EPIs que não têm condições de uso

Pode ser que, por alguma falha no processo de descarte, um equipamento de proteção que já deveria estar fora de uso volte para a pilha de EPIs adequados. Para evitar que isso aconteça, vale a pena criar uma forma de identificar claramente todo EPI impróprio para uso.

Uma maneira simples de fazer isso seria colocar etiquetas em cada EPI descartado. Assim, mesmo que ele volte para a pilha de equipamentos bons, seria rápido ver que se trata de um erro e devolvê-lo ao descarte.

5. Organize a higienização dos EPIs

A higienização de materiais e equipamentos nunca foi tão importante quanto depois da pandemia de Covid-19. Por isso, é tão importante organizar a higienização constante de cada item protetivo.

Além disso, é importante fazer a higienização de acordo com a necessidade de cada material. Ou seja, o que mais suja deve ser limpo com mais frequência. Dessa forma, além de conservar os materiais por mais tempo, a empresa também protege os trabalhadores de problemas de saúde.

Assim, fica claro que o bom controle de EPIs é uma tarefa simples, mas que contribui muito para o sucesso da obra. Quando cada um respeita seu papel, entende o que deve fazer e segue o plano de controle, esse trabalho se torna quase invisível.

Agora que você já aprendeu como fazer o controle de EPIs de forma inteligente, que tal contar com uma ferramenta grátis e de qualidade para te ajudar nessa tarefa? Baixe agora mesmo a ficha de entrega de EPIs do Sienge!

Compartilhe