Vantagens e desvantagens do uso do BIM no orçamento de obras

Leonardo Kock Adriano

Leonardo Kock Adriano

Engenheiro Civil, especialista em Gerenciamento de Projetos e atua há 10 anos com planejamento e gestão de obras.
Atualmente é sócio diretor da Methodo Engenharia, consultoria especializada em soluções de gestão de custo e tempo para projetos da Construção Civil.

5 de fevereiro 2021

Compartilhe

A tecnologia BIM (Building Information Modelling) permite que você crie modelos virtuais completos e precisos de uma construção. Ela costuma ser aplicada no desenvolvimento de projetos e na compatibilização de diferentes disciplinas e reúne, de forma inteligente e integrada, todas as informações utilizadas ao longo do ciclo de vida de um projeto. 

Por possibilitar a visualização tridimensional da edificação, também proporciona uma maior facilidade na identificação das interferências visuais de um projeto. Deste modo, quando aplicada no momento certo, a compatibilização se torna mais assertiva, possibilitando que as interferências sejam discutidas durante a elaboração dos projetos.

Há algum tempo, ao estudar e ler sobre a metodologia BIM, muito se falava que essa plataforma de projetos seria o futuro da engenharia civil no Brasil e no resto do mundo. Entretanto, muitos não imaginavam que a evolução da tecnologia fosse tão rápida como nos últimos anos. O BIM no orçamento de obras e em outras etapas vem ganhando força e se tornando cada vez mais presente na construção civil.

Os decretos criados pelo governo federal entre 2019 e 2020 são bons exemplos disso. O Decreto nº 9.983, por exemplo, tem por objetivo a disseminação da plataforma BIM em todo o país e, por isso, instituiu a Estratégia BIM BR para implementá-lo.

Dessa forma, para auxiliar nessa disseminação, o governo federal também criou o Decreto n° 10.306 que estabelece a utilização do BIM na execução direta ou indireta de obras e serviços de engenharia realizados pelos órgãos e pelas entidades federais.

É por isso que, ao buscar proporcionar um maior grau de assertividade em seus trabalhos, é importante aos profissionais da Arquitetura, Engenharia e Construção (AEC) do país que se especializem e aprendam cada vez mais sobre a tecnologia BIM. Para ajudar nisso, hoje falarei de um aspecto muito importante: o uso do BIM no orçamento de obras.

A relação da tecnologia BIM no orçamento de obras

Orçar uma construção consiste no processo de agregar custos estimados à realização de atividades individuais ou de pacotes de trabalho, a fim de determinar o orçamento inicial mínimo necessário do projeto ou de alguma etapa dele. Consiste também em analisar e comparar, por meio de indicadores de desempenho, o que está sendo executado com o que foi orçado.

Apesar do modelo de desenho 2D ainda ser muito utilizado, as informações indicadas nele são restritas, dificultando a visualização do projeto a ser executado. Isso, no geral, torna a etapa de orçamentação extremamente trabalhosa, pois demanda que todas as quantidades de materiais sejam levantadas com seus preços unitários e associadas com os serviços a serem executados por meio de planilhas, manualmente. E caso haja alguma alteração, ela deve ser realizada em cada projeto de modo individualizado.

Neste sentido, a tecnologia BIM torna o processo de orçamentação muito mais eficiente. Com base em um modelo virtual de uma edificação, é possível acessar as informações de cada disciplina do projeto, de forma precisa e integrada.

A partir do cadastro dos elementos, as informações geradas possuem dados capazes de conceber composições de itens e insumos, os quais são construídos a partir de várias regras e quantificados de forma mais ágil após o lançamento do projeto.

Veja a seguir algumas outras vantagens no uso do sistema BIM no orçamentos de obras e na sua construção como um todo.

Banco de dados único

Por meio do software BIM, é possível armazenar os dados inseridos em qualquer uma das etapas do ciclo construtivo da sua obra em um modelo com dados únicos, mantendo-os sempre atualizados e disponíveis em uma só plataforma.

Fácil identificação dos elementos do projeto

Em apenas um clique, o software BIM é capaz de representar informações sobre cada componente da sua construção (Figuras 1 e 2). Isso faz toda diferença no momento de ajustar ou adaptar o projeto conforme as solicitações dos clientes, além de gerar informações relevantes para o seu orçamento a partir da especificação dos materiais, considerando a variação de preços unitários.

Fácil identificação dos elementos a serem utilizados na construção, por meio da tecnologia BIM.
Figura 1 – Fácil identificação dos elementos a serem utilizados na construção, por meio da tecnologia BIM.

Neste sentido, por meio do software BIM, é possível fazer a modelagem de elementos fidedignos à construção, para as diferentes disciplinas envolvidas na concepção de uma edificação. Entretanto, esta identificação embora pareça simples, na prática, exige grandes esforços por parte dos modeladores. A quantificação dos elementos de uma disciplina, por exemplo, somente será feita de maneira correta, se a modelagem também estiver correta, pois, obviamente, só são quantificados os elementos presentes no modelo. 

 

Com BIM, a identificação dos elementos pode ocorrer em diferentes disciplinas e etapas da construção.
Figura 2 – A identificação dos elementos pode ocorrer em diferentes disciplinas e etapas da construção.

Integração de todas as etapas da obra e maior agilidade

O BIM integra todas as etapas da obra, compatibilizando diferentes disciplinas e reunindo todas as informações utilizadas ao longo do ciclo de vida de um projeto. Essa integração possibilita que, independente do tamanho da edificação, o tempo destinado para o levantamento de quantitativos seja reduzido significativamente.

Alterações necessárias de forma automatizada e sem retrabalho

A tecnologia BIM proporciona uma integração entre o que é modelado e o que é quantificado. Quando um elemento de uma disciplina sofre uma alteração, os dados deste elemento sofrem mudança de forma automatizada. Assim, diminuindo o tempo de revisões e gerando maior confiabilidade nos dados gerados.

BIM no orçamento de obras e planejamento: maior precisão

Com a modelagem tridimensional, a integração das etapas da obra e a fácil identificação dos elementos no software BIM, os dados se tornam mais consistentes, apresentando menos erros e conflitos. Logo, o planejamento e orçamento da sua obra serão realizados com uma exatidão maior, reduzindo o tempo e o custo de cada etapa do seu projeto.

Através deste sistema, também se verificam facilmente as interferências no planejamento de forma visual e com maior facilidade. É possível, inclusive, criar um vídeo simulando a construção da edificação, onde se pode prever com antecedência, por exemplo, os conflitos entre os elementos construtivos.

Problemáticas com o BIM no orçamento de obras

Ao falar de BIM no orçamento de obras, é comum ressaltarmos que o quantitativo é gerado automaticamente e de maneira rápida. Todavia, as palavras “automático” e “rápido” devem sempre ser utilizadas com muita cautela.

De fato, a metodologia BIM possui parâmetros que interpretam e geram resultados em tempo real, de maneira automatizada. Entretanto, esses dados são extraídos conforme as informações são modeladas, assim, se faz necessária uma análise técnica para verificar se o modelo compreende todo o escopo do projeto.

Por isso, ao utilizar a tecnologia BIM na sua construção, é importante que se basear em dois processos:

1. BEP (BIM Execution Plan) ou Plano de Execução BIM

É um documento que pode definir o sucesso de um projeto BIM. Sua finalidade é promover uma estrutura de trabalho e estratégias que conduzirão o projeto de forma eficiente. Nele definem-se as diretrizes, critérios e usos do modelo para todas as fases do projeto.

2. Especificação dos materiais

Este documento pode estar incluso no próprio BEP ou pode ser um documento à parte e define os critérios de construção dos elementos construtivos. As informações precisam ser claras para a correta modelagem e para, consequentemente, a correta quantificação.

Ao utilizar a tecnologia BIM na sua construção, é preciso se atentar à especificação dos materiais

Utilizando a impermeabilização como exemplo, podem ser definidos critérios como:

  • O tipo de impermeabilização e o local que será utilizada. Exemplo: manta asfáltica ou argamassa polimérica para o piso da sacada de um apartamento;
  • A quantidade de aplicações necessárias e em qual altura será aplicada.

Caso a modelagem não se baseie nestas instruções, a utilização da tecnologia BIM pode ser ineficaz na geração de quantitativos e na formação do projeto executivo, tornando seu uso uma desvantagem a ser considerada. A implantação da metodologia BIM necessita de maturidade e gestão eficiente para que a mesma traga todas as vantagens citadas.

Conclusão

Com base em um modelo virtual de uma edificação, é possível acessar todas as informações relativas ao projeto em um modelo de dados único, de forma precisa e com a identificação dos elementos. Além disso, há integração de todas as etapas do processo, realizando as alterações necessárias de forma automatizada. Assim, a tecnologia BIM torna os processos de orçamentação e planejamento muito mais eficientes.

Contudo, algumas precauções devem ser tomadas ao utilizar a plataforma. Durante sua utilização, a análise técnica de um profissional capacitado é fator fundamental.

Embora os softwares BIM facilitem e agilizem muitos processos, ele não tem a capacidade de distinguir o certo e o errado. Por isso também, é importante construir o BEP ao iniciarem os trabalhos, para que ele facilite a modelagem e traga confiabilidade às informações.

Para saber mais sobre o uso do BIM no orçamento de obras e em outras etapas, baixe agora o Mapeamento Maturidade BIM Brasil, produzido pelo Sienge!

Acesse também o nosso Guia de informações sobre BIM, nele você encontrará tudo sobre BIM em um só lugar com materiais, vídeos e artigos com muitas informações para tirar todas as dúvidas sobre o assunto.

Compartilhe