banner sienge

Gerenciamento de Obras: 8 Erros que podem levar sua gestão ao fracasso

9 de novembro de 2018

Garantir a qualidade na entrega e cumprir o cronograma é o que prova a eficácia de um Gerenciamento de Obras.

Para que o engenheiro fuja de alterações em seu cronograma, é necessário basear-se em ações preventivas. Dimensionar e planejar cada etapa, utilizar de recursos que o facilite antever os custos, bem como estabelecer uma comunicação clara garantirá o correto desenvolvimento das atividades propostas.

Basta observar o andamento do cronograma e a situação do orçamento que descobrimos se a gestão desta obra está recebendo a devida atenção. Caso houver algum estouro ou atraso em ambos os quesitos, já podemos imaginar as dificuldades que surgirão neste caminho até acertarmos os ponteiros.

Cientes dos problemas que podem corroer os resultados na execução de um projeto, separamos 8 erros comuns que não devem estar presentes durante seu gerenciamento de obras:

1. Mal gerenciamento do tempo

O tempo mal administrado é o maior inimigo em uma gestão de obras, pois quem sofre diretamente as consequências deste gerenciamento de tempo são os prazos.

O impacto é consideravelmente grande, uma vez que medidas como, dobrar a jornada de trabalho e regimes de horas extras torna-se um recurso comum a ser adotado pelos gerentes diante situações de risco. O que afeta gravemente no orçamento, já que o valor adicional das horas extras na maioria das vezes não são levadas em conta.

Separe as prioridades e incentive seus colaboradores para que sejam pró ativos diante de uma dificuldade. A pró atividade irá fazer com que sua equipe tenha autonomia para filtrar os problemas, fazendo com que o ritmo de produtividade se supere.

Para ajudar você nesse controle temos uma dica boa para você, o Cronograma Físico-Financeiro do Sienge. Você pode baixar gratuitamente clicando na imagem abaixo.

gerenciamento de obras cronograma

Clique na imagem para baixar

2. Controle escasso das finanças

Dar aquela olhada de vez em quando na planilha, ou até mesmo nem olhar para evitar sustos, não é a maneira mais adequada de gerir as finanças em uma gestão.

Acima citamos o recurso comum adotado por gerentes, de aumentar a jornada de trabalho, o que implica nos gastos da obra. Eu sei que a teoria da organização é muito mais bonita do que a prática, mas ela precisa ser aplicada, ao contrário, quando você perceber que está no vermelho será tarde demais.

Adapte-se à uma rotina de compromisso com sua planilha de gastos (previstos e não previstos) e organize-se de maneira preventiva dentro da realidade e condições do seu empreendimento.

Controlar pagamentos e gerenciar as compras exige foco total na execução. Por tanto, não deixe para amanhã a disciplina que você pode adotar hoje. Nós temos uma planilha gratuita de fluxo de caixa que pode ser muito útil nessa hora.

gerenciamento de obras fluxo de caixa

Clique na imagem para baixar

3. Chuva

Perder dias inteiros de produção por conta das condições climáticas pode ser algo crucial no seu cronograma de gerenciamento de obras. Sabemos que não podemos prever exatamente o período de chuvas. Por isso, utilizar estatísticas pluviométricas da região da obra para um planejamento com essas informações é uma saída para melhor aproveitar o desenvolvimento da obra nestes dias chuvosos.

Para este caso, ao finalizar a leitura, confira as 3 dicas excelentes para melhorar o planejamento da obra em período de chuva.

4. Falta de comunicação interna

Falta de comunicação no gerenciamento de obras resulta em prejuízos e pode fazer seus colaboradores não se engajarem o suficiente nos processos. Isso permite que pequenos detalhes que poderiam ser reparados, transformem-se em grandes problemas até mesmo irreversíveis.  

O diálogo na maioria das vezes é o elemento principal no momento de encontrar uma solução e numa equipe de construção não deve ser diferente. Uma comunicação alinhada, motivada a compartilhar pontos relevantes a contribuir com a organização, pode ser a chave do sucesso de um projeto.

É fundamental na fase da execução que as áreas da construção estejam integradas para que, em momentos críticos, todos os profissionais estejam cientes a quem se reportar.

É importante também conscientizar a equipe de obra. A comunicação é tão importante no desenvolver do projeto, quanto  manter a própria integridade de todos e os riscos que podem ser evitados na região de trabalho.

5. Falta de manutenção preventiva no canteiro de obras:

gerenciamento de obras

Ao contrário da manutenção comum, que é baseada na reparação de danos, uma manutenção preventiva no canteiro impede que qualquer tipo de falha que possa afetar na produção. Por tanto não consista a manutenção em consertos, mas sim em evitar qualquer problema. As paradas de obras por exemplo, são graves consequências da falta de manutenção preventiva. Procedimentos preventivos faz com que os equipamentos se mantenham em boas condições evitando quebras e falhas.

Os insumos utilizados em itens de reposição, se comprados com antecedência o preço fica mais barato, o que atua diretamente no orçamento programado.

Adote hábitos preventivos e garanta uma elevada produtividade, o que automaticamente reduz a incidência de despesas inesperadas.

6. Descumprimento das Normas Regulamentadoras

Uma vez que a segurança do canteiro de obras é tratada como uma prioridade secundária, a chance de situações irreversíveis e prejuízos materiais aparecerem, é muito maior, ao contrário, toda ação de prevenção será efetiva.

Observando direitos e deveres, toda equipe é responsável pela segurança. Sendo assim, qualquer infração de possa ferir a política de segurança no canteiro, jamais deverá ser ignorada no gerenciamento de obras.

Seja qual for a ocorrência, deverá ser tratada com muita seriedade de modo que impacte todo o grupo e tenha a devida importância.

7. Falta de Controle de materiais

O estoque de materiais para construção também faz parte da gestão, por mais que muitos achem que não. O gerenciamento de obras, tem como papel evitar desperdícios e manter-se dentro dos gastos previstos em orçamento.

Acompanhar o uso dos materiais  é um tópico primordial que deve estar na lista de afazeres de um gestor, pois esta atitude se traduz em economia, além de controlar melhor o rítmo de uso da mão de obra.

8. Atrasos

Pesquisas realizadas na região metropolitana de São Paulo nos últimos 7 anos apontam que, atrasos de obras estão significativamente relacionados a questões internas  no gerenciamento de obras dos canteiros do que com questões externas, como chuvas, variação de mercado e até mesmo alteração de escopo.

É importante reforçar o conhecimento da equipe em relação a tudo que acontece internamente, principalmente as medidas preventivas que já citamos na matéria.

Nesta era tecnológica em que vivemos temos o privilégio e vantagem de contar com softwares feitos para facilitar nossa vida.  É possível contar com ferramentas que facilitam e agilizam o monitoramento de todo o trabalho. Assim você pode ter acesso a todos os dados do seu projeto em execução até mesmo na palma da mão.

A implantação de sistemas e metodologias no planejamento e controle de obras, é fundamental para erradicar este tipo de situação que afeta diretamente nos custos e principalmente na credibilidade da empresa para com o cliente.

Agora que você já sabe de que planejamento e gestão tem que andar juntos e alinhados, ficará muito mais fácil administrar um canteiro de obras com eficácia e organização.

Seja consistente na execução de seu planejamento de obras, isso demonstra seu comprometimento como gestor, com seu time de colaboradores e demonstra o seu respeito com todo o investimento feito.

Agora curta e compartilhe conosco suas experiências mediante alguns erros citados. Comente quais destes erros é o mais comum para você em um canteiro de obras?

Tomás Lima

  • Gestor de Conteúdo
  • Graduado em Administração pela UFMG
  • Apaixonado por Construção Civil
 

Receba Novidades do Blog
Coloque o seu email acima para receber gratuitamente as atualizações do blog!
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa