5 passos para abrir uma construtora

Ronal Balena

Escrito por Ronal Balena

8 de junho 2022| 11 min. de leitura

Compartilhe
5 passos para abrir uma construtora

Abrir uma construtora não é uma tarefa complicada, embora seja um processo que exija atenção, especialmente aos trâmites burocráticos próprios da abertura de um CNPJ e aos detalhes específicos da abertura de uma empresa de construção.

Resumidamente, vamos percorrer uma jornada de cinco passos: definir o público-alvo da construtora, fazer uma pesquisa de mercado na região, criar um plano de negócio bem estruturado, regularizar sua empresa e, por fim, montar sua equipe. Boa leitura!

Passo a passo para abrir uma construtora

Nos parágrafos seguintes, detalharemos cada passo dessa nossa pequena jornada, além de elencar os documentos necessários para abrir uma empresa desse segmento e fornecer informações e dicas úteis sobre o assunto.

1. Estabeleça o seu público-alvo

O primeiro passo é determinar o “carro-chefe” da sua construtora, ou seja, o público-alvo da sua empresa, se você atuará em obras residenciais ou em obras comerciais.

Afinal, o setor de atuação da sua empresa vai se tornar a especialidade da construtora, além de determinar os contratos firmados no futuro.

Portanto, antes de tudo, vai ser preciso decidir entre a construção de casas, prédios, hotéis, shoppings, prestação de serviços para pessoa física, pessoa jurídica ou órgãos do governo, público de baixa renda, pessoas de poder aquisitivo maior ou construções de alto padrão, por exemplo.

2. Realize uma pesquisa de mercado

Com o público-alvo definido, inicie uma pesquisa de mercado, buscando responder às seguintes perguntas:

  • Quais são os meus concorrentes?
  • Quantas empresas do mesmo segmento existem na região em que quero atuar?
  • Há procura pelo produto que desejo oferecer?

Com as respostas em mãos, vai ficar mais fácil visualizar um cenário mais realista para sua construtora, além de mensurar a viabilidade do seu negócio.

3. Faça um plano de negócios

Um plano de negócios nada mais é do que um documento que descreve uma empresa, registra seus objetivos e os passos necessários para alcançá-los. 

O documento funciona como um mapa de tudo que deve acontecer para que os objetivos da sua construtora sejam alcançados. Para isso, será necessário:

  • Reunir o máximo de informações e características sobre o futuro negócio: missão, diferencial, perfil dos empreendedores, perfil dos colaboradores, localização, forma jurídica e enquadramento tributário.
  • Descrever seu público-alvo, concorrentes e preços.
  • Descrever, detalhe por detalhe, os produtos ofertados e a estratégia de venda para cada um deles.
  • Definir como será o funcionamento interno da construtora: quantidade de profissionais contratados, equipamentos utilizados, capacidade de produção, fornecedores.
  • Fazer um levantamento dos custos financeiros do negócio: investimento inicial, custos fixos e variáveis, estimativa de retorno financeiro.
  • Revisar o seu plano de negócio e, se necessário, fazer alterações.

O plano de negócios da construtora será o norte para suas ações futuras, por conta disso, deve estar digitalizado, ok?

4. Regularize sua empresa

O próximo passo será fazer a abertura do CNPJ da sua construtora, ou seja, abrir de fato a sua empresa. Uma vez que, antes de prestar qualquer tipo de serviço, tudo deve estar formalizado.

A seguir, você confere uma lista de pontos que devem ser considerados durante o processo de formalização da construtora civil:

 

4.1. Registro no CREA do seu estado

Toda pessoa jurídica que presta/executa serviços e/ou obras em Engenharia Civil deve ser registrada no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) da região. Assim, para a abertura de uma construtora, vai ser preciso de, no mínimo, um profissional engenheiro com registro no CREA.

 

4.2. Definição do tipo de empresa

Para decidir qual será o tipo da sua empresa, considere as características do seu negócio, por exemplo: atividade que desempenha, existência ou não de sócios, regime tributário, faturamento anual, entre outras coisas.

Uma dica é consultar a Classificação Nacional de Atividades Econômicas ou CNAEs para delimitar suas atividades e, em seguida, pesquisar em quais tipos de empresa determinadas atividades se enquadram.

Por exemplo, um dos CNAEs para o segmento de construção civil é o 4120-4/00, referente à Construção de Edifícios, atividade econômica que inclui construção de casas residenciais, edifícios comerciais, entre outros. 

No entanto, essa atividade em questão não se enquadra no regime tributário do Simples Nacional e, consequentemente, não pode ser executada pela categoria do Microempreendedor Individual.

Portanto, sua construtora pode ser uma:

  • Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI).
  • Empresa Individual (EI).
  • Sociedade Empresária Limitada (LTDA). 
  • Sociedade Simples. 
  • Sociedade Anônima.
  • Sociedade Limitada Unipessoal. 

Lembre-se de consultar o regulamento e faturamento de cada uma das opções de empresa antes de optar por uma delas, certo?

 

4.3. Porte da empresa e regime tributário

O porte da sua empresa é definido de acordo com o seu faturamento. Porém, como uma construtora não pode ser MEI, as opções serão as seguintes:

  • Microempresa (ME): possibilidade de sociedade, contratação de até 9 empregados e faturamento de até R$ 360 mil ao ano.
  • Empresa de Pequeno Porte (EPP): possibilidade de sociedade, contratação de 10 a 49 empregados para comércio e serviço ou contratação de 20 a 99 empregados para indústria, além de um faturamento anual entre R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões.
  • Média Empresa: deve optar obrigatoriamente pelo regime tributário Lucro Presumido ou Lucro Real, já o faturamento anual pode variar de R$ 4,8 milhões a R$ 300 milhões.
  • Grande Empresa: deve optar obrigatoriamente pelo regime tributário Lucro Real, o faturamento anual fica acima de R$ 300 milhões.

Quanto ao regime tributário, você pode optar pelo Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido, veja as condições:

  • Simples Nacional: o limite máximo de faturamento anual é de R$ 3,6 milhões; pagamento de 8 impostos através de uma guia de recolhimento única (IRPJ, CSLL, CPP, ISS, ICMS, IPI, PIS/Pasep e Cofins); ideal para pequenas empresas.
  • Lucro Real: exclusivo para empresas que faturam até R$ 78 milhões ao ano; aplicação de um percentual que varia de 1,8 a 32% ao valor da receita bruta para a apuração de impostos; ideal para empresas com lucro superior a 32% do faturamento bruto, bastante utilizado por prestadores de serviço.
  • Lucro Presumido: obrigatório para empresas com faturamento anual maior que R$ 78 milhões, mas também pode ser adotado por qualquer empresa; a base de cálculo dos impostos é a própria quantidade de ganhos recolhida, por isso, há necessidade de acompanhar todas as movimentações financeiras da empresa e separar todas as operações lucrativas; permite a recuperação de créditos fiscais e a declaração de prejuízos.

4.4. Documentação necessária

Os documentos necessários para abrir uma construtora podem variar de estado para estado, no entanto, de modo geral, para a obtenção do CNPJ, os principais documentos são:

  • RG e CPF.
  • Comprovante de endereço.
  • Certidão de nascimento ou certidão de casamento.
  • IPTU ou outro documento que conste a inscrição imobiliária do imóvel onde a empresa será instalada.
  • Registro profissional.
  • Alvará de funcionamento, solicitado junto à prefeitura e ao corpo de bombeiros.
  • Contrato Social para apresentação na Junta Comercial.

Lembrando que se a sua construtora tiver sócios, também vai ser preciso providenciar a papelada de todos os envolvidos, hein? Além disso, algumas situações ou atividades podem exigir documentos adicionais.

Para isso, o contador responsável pela abertura da empresa irá avisar e recolher a documentação pendente, se for necessário.

5. Selecione sua equipe e agentes envolvidos

O quinto passo é selecionar sua equipe e agentes envolvidos, ou seja, aqueles que serão os pedreiros e ajudantes da sua construtora e aqueles que serão contratados de modo periódico, como os responsáveis pela demografia, topografia, sondagens, arquitetura, fornecimento de matéria-prima e eletricidade das obras. 

Uma seleção adequada desses profissionais é importante para entregar um produto de qualidade, já que será o nome e a reputação da sua construtora que estará em jogo. Além da preocupação com a qualidade dos serviços terceirizados, atente-se ao custo-benefício de cada contratação.

Em relação aos pedreiros, o ideal é definir um perfil para esses trabalhadores, manter uma equipe fixa e, se possível, investir na qualificação desses profissionais.  

Construtora aberta: hora de gerir a sua empresa

Abrir uma construtora é fácil, fazer a gestão dessa empresa é que é difícil. Afinal, além do desempenho no canteiro de obras, vai ser preciso cuidar de todas as frentes de um novo negócio.

Financeiro, contabilidade, fiscal, área comercial e pós-venda são apenas alguns exemplos. Por isso, nesse momento, você pode contar com os conteúdos e soluções do Sienge, uma plataforma que automatiza e gerencia seus processos na construção civil.

Outra dica valiosa é divulgar sua construtora em imobiliárias locais ou suas obras em um site para compra de imóveis, caso esse seja seu objetivo.

Além disso, é importante ter um portfólio com fotos, vídeos, descrições e indicações do seu trabalho, o que trará credibilidade para o seu negócio e mostrará o potencial da sua empresa, tanto para futuros clientes quanto para possíveis investidores.

Por fim, agora que você conferiu o que é necessário para abrir uma construtora, lembre-se de montar uma empresa com responsabilidade ambiental e social, reduzindo entulhos e reaproveitando recursos, viu?