PERT: saiba o que é o Program Evaluation and Review Technique

Gustavo Prata

Escrito por Gustavo Prata

11 de maio 2022| 9 min. de leitura

Compartilhe
temas para dds uso de maquinários

O Program Evaluation and Review Technique ou simplesmente PERT é uma das técnicas utilizadas em gestão de projetos com objetivo de identificar o tempo estimado para cada tipo de tarefa. 

Em tradução livre, o termo significa Técnica de Avaliação e Revisão de Programa e foi uma metodologia criada em 1958, pela NASA. Os resultados obtidos por essa técnica foram tão satisfatórios que ainda hoje ela continua sendo utilizada no gerenciamento de projetos, sobretudo para estimar prazos e calcular orçamentos de vários tipos. 

Quer entender melhor sobre o assunto? A gente te explica como funciona o PERT e como aplicá-lo na gestão de projetos de construção civil. Continue acompanhando até o final! 

O que é Program Evaluation and Review Technique

Como explicamos acima, o Program Evaluation and Review Technique é uma ferramenta muito usada na gestão de projetos e tem por finalidade definir prazos mais assertivos em todas as etapas, inclusive, levando em consideração todos os riscos e possíveis atrasos no cronograma. 

Sabendo disso, a técnica PERT se baseia em conceitos de rede e utiliza três estimativas possíveis para prever os prazos em um projeto, que são: 

  • estimativa Otimista (O); 
  • Pessimista (P); 
  • e Mais Provável (MP). 

Ao mensurar essas três possibilidades, é possível definir uma sequência lógica para o planejamento.

O grande diferencial do PERT é justamente essas três combinações, que auxiliam o gerente de projetos a antever possíveis riscos, atrasos em cada ciclo de vida e, principalmente, mensurar prazos realistas para toda a equipe. Entenda melhor agora sobre cada uma dessas estimativas:

  • Otimista: Essa seria a projeção de um cenário perfeito, sem atrasos e com o menor prazo possível para a conclusão do projeto.
  • Pessimista: Sob essa perspectiva, deverão ser avaliados todos os riscos e supor um cenário desfavorável para o projeto, prevendo o período de tempo mais longo. 
  • Mais Provável: Por último, esse seria o cenário mais realista para a conclusão de todas as etapas do projeto.  

Além dessas três estimativas, a técnica PERT também prevê que cada ciclo de vida do projeto seja bem definido, com tarefas segmentadas tendo em vista a criação de um cronograma a ser seguido. 

Para isso, será necessário definir os cargos de liderança e gerência, alinhar todas as fases do projeto e estimar a duração de cada etapa a ser seguida. A partir dessas ações será possível elaborar a rede PERT, que é composta pelo Método do Caminho Crítico ou, em inglês, Critical Path Method (CPM)

Entendendo o Método do Caminho Crítico 

O CPM é considerado uma extensão da metodologia PERT e é muito utilizado no gerenciamento de projetos mais complexos. Mas claro, também é possível aplicá-lo em projetos mais simples e obter ótimos resultados, já que a sua principal função é otimizar toda a cadeia produtiva de um projeto.

Partindo desse princípio, o método serve para organizar as tarefas a serem seguidas por meio de um diagrama. Com isso, o gerente de projetos consegue visualizar todas as etapas, quais atividades estão interligadas e qual o período de duração de cada fase. 

Para a criação desse diagrama são utilizados três tipos de símbolos: setas, setas pontilhadas e círculos. As setas indicam quais são as atividades a serem realizadas e costumam acompanhar uma indicação numérica, que significa o seu tempo de execução.

As setas pontilhadas, por outro lado, indicam aquelas tarefas que estão interligadas, ou seja, que dependem da realização de outra atividade para serem executadas. Por fim, os círculos, que demonstram a transição entre as tarefas e ligam uma seta na outra. O diagrama também pode conter letras, que indicam a cronologia do projeto.

Veja a seguir um exemplo simplificado do gráfico PERT:

Modelo de gráfico PERT
Modelo de gráfico PERT. Fonte: Lucidchart.

Quais são as vantagens da técnica PERT?

Saber mensurar prazos realistas por si só já é um grande benefício para o gerenciamento de obras. No entanto, ao aplicar a técnica PERT em projetos de construção civil, por exemplo, você consegue obter outras vantagens, como:

  • Otimizar a execução de tarefas por meio de um planejamento mais eficiente;
  • Estimar datas mais precisar para entregar resultados aos seus clientes;
  • Identificar possíveis modificações no cronograma ou execução de tarefas ao longo do projeto; 
  • E claro, ao aplicar essa técnica, fica mais fácil seguir um cronograma bem definido e concluir o projeto dentro do prazo e orçamento definidos inicialmente. 

Além de tudo isso, os resultados que você obtiver utilizando a metodologia PERT poderão servir como referência para projetos futuros. No tópico a seguir, veja como é feito o cálculo da estimativa PERT e como mensurar possíveis variações em seus prazos. 

Como aplicar o PERT em projetos de construção civil

Agora que você já sabe em que consiste a metodologia PERT, para implementá-la em seus projetos é necessário aprender o cálculo dessa estimativa, levando em consideração os cenários Pessimista, Otimista e Mais Provável. Confira a fórmula padrão abaixo:

PERT = (Pessimista + 4 x Mais provável + Otimista)/6

Agora suponhamos que ao iniciar um projeto de construção civil a sua estimativa Otimista para determinada tarefa seja de 15 dias, a estimativa Pessimista de 30 dias e a estimativa Mais Provável seja de 25 dias. Logo, esse cálculo ficaria da seguinte forma:

PERT = (30 + 4 x 25 + 15)/6 = 24,16

Neste caso, a estimativa PERT para a conclusão dessa atividade seria de 24 dias. E caso você queira descobrir o desvio padrão, ou seja, o quanto esse prazo poderá variar para mais ou para menos, o cálculo que você precisa fazer é o seguinte: Estimativa Pessimista – Otimista/6.   

Em nosso exemplo, esse desvio padrão seria de 2,5 dias. Sendo assim, o melhor cenário para a execução dessa tarefa seria entre 21 dias (24,16 – 2,5) e 26 dias (24,16 + 2,5). 

Limitações do Program Evaluation and Review Technique

Apesar de todas as vantagens que a técnica PERT oferece para o gerenciamento de projetos, ela também possui suas limitações, sobretudo em projetos mais complexos e com maior duração. Nesses casos, pode ser difícil interpretar o diagrama PERT e, por isso, muitos profissionais optam por outra estratégia, como a utilização do gráfico de Gantt.

Esse gráfico é uma excelente ferramenta visual para que toda a equipe acompanhe o cronograma do projeto, além de ser uma versão muito mais simplificada do que o diagrama PERT.  

Outra limitação do Program Evaluation and Review Technique é a sua necessidade de atualização constante ao longo do projeto, que requer um trabalho intensivo em cima dos prazos já definidos. Para alguns, esse trabalho pode ser um pouco cansativo em todas as etapas do projeto. 

Conclusão 

Agora que você já sabe o que é a ferramenta PERT e como aplicá-la em seus projetos de construção civil, aproveite para descobrir outras técnicas importantes no gerenciamento de projetos, como a Análise de Valor Agregado e a Curva S.

Se você gostou desse conteúdo e acredita que ele possa ser útil para outros profissionais, compartilhe agora mesmo em suas redes sociais e continue acompanhando o blog do Sienge!