Líder de alta performance: o que fazer para se tornar um?

Gabriel Andrade

Gabriel Andrade

Engenheiro civil, especialista em Gerenciamento de Projetos pela FGV e sócio-fundador do Engenharia de Alta Performance

21 de outubro 2021

Compartilhe

O segredo para engajar equipes e atingir resultados se tornando um líder de alta performance!

A liderança é um aspecto importante a respeito da engenharia civil que muitas vezes só fica claro quando iniciamos nossa atuação profissional. Nesse artigo você vai entender exatamente o que é um líder de alta performance e como transformar esse elemento em uma força profissional que vai te diferenciar no mercado e trazer benefícios para sua carreira.

O engenheiro ou engenheira civil que se direciona profissionalmente a atuar com a gestão de obras, assume em primeiro lugar o papel de líder daquele desafio, seja do projeto, contrato, ou de toda a organização. O fato é, o resultado esperado de nós é ter a capacidade de realizar uma gestão eficiente de todos os recursos, materiais, equipamentos e agentes envolvidos naquela estrutura.

Quando concluímos a nossa formação e entramos no mercado da construção civil automaticamente nos tornamos gestores. Em todo o ciclo iremos lidar com pessoas e construir os caminhos para o resultado é o que se espera dessa posição estratégica, ou seja, o papel do líder é saber como extrair o maior potencial das pessoas envolvidas, entendendo como e quando aplicar as ferramentas corretas para garantir que os objetivos do projeto sejam alcançados.

O que fazer para se tornar um líder?

A liderança deve ser desenvolvida, pode esquecer aquela história que a liderança é um dom e só é possível de ser alcançada por uma pequena parcela dos profissionais. Em geral, não nascemos líderes, precisamos construir essa jornada através do entendimento dos elementos que compõem uma liderança efetiva.

Em primeiro lugar, vale ressaltar que nas relações interpessoais não existem atalhos. A confiança e reciprocidade nas conexões precisam acontecer de forma genuína, logo, o autoconhecimento das forças e fraquezas das nossas habilidades comportamentais é o ponto de partida para iniciarmos o processo de desenvolvimento.

Podemos destacar três elementos fundamentais na formação da liderança:

  • Conhecimento: caracterizado como o saber adquirido, a organização das informações que temos sobre um respectivo tema ou área.
  • Habilidade: a capacidade de colocar em prática o conhecimento adquirido, saber fazer e transformar em ação aquilo que sabemos.
  • Atitude: pode ser descrita como a proatividade de executar a ação, tomar a decisão de realizar o que precisa ser feito com aquilo que sabemos.

Também conhecido como o tripé das competências o acrônimo CHA, reúne elementos essenciais e complementares para nortear a jornada de crescimento pessoal e profissional de quem quer evoluir o seu nível de resultado.

Inclusive esse é o nosso propósito no Engenharia de Alta Performance: potencializar engenheiros, arquitetos e construtores em técnicas de gerenciamento eficientes na busca de resultados individuais e coletivos, trazendo os conceitos para a prática. Como sempre falamos nos episódios do nosso podcast, o EAPCast: “Alta Performance é fazer o que deve ser feito”.

Características do líder de alta performance

Em primeiro lugar temos que lembrar sempre que a construção civil é um ambiente diverso, feita por pessoas com diferentes níveis educacionais, funções e perfis comportamentais, e o desafio do líder de alta performance é integrar as ações sabendo direcionar as tarefas para um único propósito e objetivo. Para isso, se faz necessário o desenvolvimento das habilidades comportamentais. Destacamos aqui as 7 habilidades comportamentais essenciais para o profissional eu quer desenvolver a liderança e gestão de equipes:

  1. Colaboração: postura de humildade e simplicidade traduz o genuíno prazer em dar de si em prol do desenvolvimento de todos. Motivação a servir, em vez de desejar ser servido, é desprovido de vaidades e compreende que a forma mais eficaz de potencializar as forças individuais é mobilizar as forças integradas e coordenadas de todos e das circunstâncias. Possui convicções próprias, confia nas pessoas e no seu potencial de se desenvolver e está disposto a influenciar e ser influenciado, em busca do que é certo.

  2. Comunicação: possui um eficiente potencial de comunicação, aliando alto desempenho com baixo ego. Tem foco em criar entendimento dos objetivos e processos com toda a equipe. Utiliza de forma espontânea da escuta ativa, e é disponível para fornecer e receber feedbacks. Mantém a comunicação alinhada em tempo hábil evitando ruídos e possíveis conflitos.

  3. Capacidade de realização: apresenta potencial para executar os objetivos traçados. Possui comprometimento para estabelecer as prioridades necessárias a fim de realizar o que precisa ser feito, e entregar os resultados. Tem foco na solução e contorna os problemas com proatividade e dedicação. Tem disponibilidade para atender as demandas eventuais e entende a importância das etapas e processos para atingimento das metas.

  4. Desempenho: sucesso no atingimento das metas. Consegue entregar os resultados mensuráveis que foram estabelecidos e comprometidos. É capaz de buscar soluções diferenciadas para novos desafios. Está comprometido com o estabelecimento das metas e assume compromissos com determinação. Busca o conhecimento já existente na organização como alavanca para potencializar resultados. Busca redirecionar a rota da execução quando necessário e incorporar as lições aprendidas quando por alguma razão a meta não é atingida.

  5. Sentimento de dono do negócio: possui comprometimento com a estratégia e ativos da organização, considera-se parte de um ecossistema integrado, busca promover a interação entre as partes para melhor execução dos processos. Tem respeito pelas pessoas e pela cultura da organização. Sabe se relacionar, conhece bem a si mesmo, mantém o seu equilíbrio emocional e das pessoas que o cercam em situações adversas.

  6. Adaptação: capacidade de visão global e facilidade de adaptação e convívio com novas culturas e pessoas. Sabe construir rede de relacionamentos a partir de relações de confiança e de longo prazo. É capaz de compreender e lidar com as indefinições e com os limites que cercam as relações humanas. Convive bem em situações de ambiguidade. Está disposto a assumir novos desafios e formar novas equipes.

  7. Crescimento e desenvolvimento: promove a cultura de aprendizagem com a equipe, garantindo a perpetuidade das informações. É inquieto por aprender novas soluções ou potencializar suas habilidades. Considera o ambiente de trabalho como um local de aprendizagem, e está sempre disponível para compartilhar conhecimento com sua equipe ou outros colaboradores.

As habilidades, também conhecidas como  soft skills, complementam as habilidades técnicas e a entrega de resultados. Saber conduzir a equipe com propósito em prol de um objetivo comum, os tornando motivados, potencializando sua criatividade e execução, além disso, poder minimizar a improdutividade e desperdícios. Lembre-se que a maneira mais efetiva para liderar é pelo exemplo! Então, saiba colocar emprática aquilo que está esperando da sua equipe.

líder de alta perfomance

 

Habilidades e ferramentas na busca pelo resultado

Em nossa metodologia trazemos os 4 pilares da gestão para qualquer obra da construção civil: prazo, custo, qualidade e segurança, afinal, na construção civil não podemos olhar somente para um único pilar sem analisar os demais. O resultado acontece na integração de cada um dos pilares, por isso visão sistêmica é um elemento fundamental!

Para isso é necessário ter o pleno entendimento de cada um, tendo consciência que esses pilares são dinâmicos e precisam ser monitorados e controlados ao longo de todo o ciclo de vida do empreendimento, e a função do líder de alta performance é garantir que as diretrizes corretas sejam seguidas:

  • Prazo: aplicação efetiva do Planejamento e Controle de Produção, desenvolvendo um bom cronograma e executado com a equipe;
  • Custo: entender o orçamento por completo, o tornando executivo e prático para o controle dos custos diretos e indiretos;
  • Qualidade: tratar do produto como um todo, do início ao fim, estabelecendo as condições do projeto e os resultados esperados, entendendo as normativas e capacitando a equipe para execução;
  • Segurança: prioridade e responsabilidade do gestor da obra, proporcionando estruturas para o bem-estar da nossa própria equipe, sendo cautelosos com as normas, conscientizando a todos e medindo o desempenho também deste pilar.

Se isso faz sentido para você significa que está no caminho da alta performance, e precisa iniciar a prática dos assuntos discutidos aqui. A união entre conhecimento e prática para potencializar os seus resultados é uma combinação poderosa para se tornar um líder de alta performance, se você deseja se aprofundar sobre o tema temos um treinamento completo a respeito.

Ah! Sua opinião é importante para nós deixa aqui seu feedback sobre o tema e compartilhe com outros profissionais para fazer essa mensagem chegar mais longe! Nos vemos em breve!

EAPTexto produzido por EAP – Engenharia de Alta Performance:
O Engenharia de Alta Performance atua diretamente na qualificação e capacitação das habilidades e processos de gestão do profissional e das empresas da construção civil, através de treinamentos e assessoria executiva viabiliza e otimiza seus resultados integrando educação com a atuação prática, proporcionando uma jornada de sucesso.

Leia mais!
Cultura de Aprendizagem: diferencial competitivo em profissionais da construção civil

Compartilhe