Indicadores de produtividade na construção civil: saiba como a tecnologia pode ajudar

Yan Bedin

Yan Bedin

Founder & COO na Prevision.

20 de maio 2021

Compartilhe

Usar indicadores de produtividade na construção civil para medir a eficiência dos processos dentro e fora da obra não é um hábito ainda tão consolidado no setor. Prova disso são as perdas financeiras significativas que as empresas precisam lidar a cada projeto concluído.  

A principal causa dessa falta de controle está em valorizar mais a entrega do que a sua eficiência. Esse pensamento está diretamente atrelado à cultura tradicionalista do setor, o que acaba prejudicando o orçamento da obra, pois mais dinheiro é investido para suprir os desperdícios e as perdas. 

Entender a importância de usar indicadores de produtividade na construção civil pode mudar para sempre a forma com que seus projetos são concluídos e os resultados são obtidos. Neste artigo, trago conceitos básicos sobre produtividade, quais são os principais indicadores para medi-la e como a tecnologia pode ajudar a sua empresa nessa empreitada.  Vamos lá?

O que é produtividade?

Produtividade é um conceito amplo que pode ser aplicado em diferentes áreas, mas em todas elas tem o mesmo significado. O termo se refere à relação entre entrega, qualidade,  tempo e recursos. Isso quer dizer que a produtividade é quando conseguimos entregar algo com a máxima qualidade, no menor tempo possível e utilizando o mínimo de recurso necessário. 

Quando falamos em recursos, podemos incluir desde a mão de obra do profissional contratado — ou seja, o valor do seu trabalho —, até os materiais necessários. Quando uma atividade é entregue dentro do prazo, com a máxima qualidade, usando o mínimo de recursos e com valor justo pago ao profissional, podemos considerar que a produtividade foi alcançada.

Na construção civil, os materiais e a mão de obra são recursos caros, que não podem ser desperdiçados, pois isso gera muitos prejuízos para as empresas. Porém, não é isso que acontece com frequência, pelo contrário. Frequentemente, vemos projetos em que a obra não foi entregue no prazo determinado e ainda gastou acima do orçamento. 

Isso se repete porque os prejuízos não são colocados na ponta do lápis. As empresas não sabem quanto tiveram de perda com os dias que profissionais ficaram parados ou com a quantidade de material que foi desperdiçado. 

Produtividade se refere à relação entre entrega, qualidade,  tempo e recursos

Assim, a falta desse acompanhamento de indicadores de produtividade na construção civil impede que a empresa consiga evoluir seus processos, reduzindo seus custos e alcançando a eficiência desejada. Para começar a adotar esses indicadores, primeiramente é preciso conhecê-los. Saiba, a seguir, quais são os principais.

Conheça os principais indicadores de produtividade na construção civil

Na construção civil, existem dois indicadores principais que são utilizados para medir a produtividade nas obras: RUP – Razão Unitária de Produção e CUM – Consumo Unitário de Materiais. Entenda sobre cada um deles a seguir.

Razão Unitária de Produção (RUP)

Esse é o primeiro dos indicadores de produtividade na construção civil que quero apresentar aqui.  A Razão Unitária de Produção (RUP) é utilizada para medir a produtividade na obra a partir do esforço total acumulado em relação ao total de serviços executados. É, portanto, um indicador utilizado para mensurar a produtividade da mão de obra.

Para fazer essa medição, são considerados os momentos ruins e os momentos positivos da obra. Em geral, o indicador é usado para definir quantos profissionais serão necessários para realizar o trabalho de forma produtiva. Uma RUP ideal é aquela em que nada atrapalhou os processos que foram executados. 

A avaliação da produtividade, por meio desse indicador, é possível utilizando a seguinte fórmula:

RUP = Hh / QS,  onde:

  • Hh = homens-hora da equipe disponíveis para o trabalho;
  • QS = quantidade de serviço líquida.

Exemplo: a execução de uma estrutura de alvenaria depende da quantidade de homens-hora (hh) que serão necessários para concluir o metro quadrado da alvenaria. Isso quer dizer que uma RUP de 4 significa que 4 homens são necessários para que 1m² de alvenaria seja concluído.

Importante destacar que, na análise estratégica deste indicador, temos que um valor muito alto revela que a produtividade está ruim e um índice baixo significa que está positiva. De acordo com o resultado, você deve fazer ajustes para alinhar sua produtividade.

A Razão Unitária de Produção (RUP) é utilizada para medir a produtividade na obra a partir do esforço total acumulado em relação ao total de serviços executados

Além da fórmula, é preciso considerar que alguns fatores podem influenciar nos resultados da produtividade. Esses fatores podem ser de contexto ou de anormalidades.  Veja quais são!

  • Fatores ligados ao contexto: o tipo de equipamento de transporte, as condições meteorológicas, a motivação dos profissionais, a forma de pagamento e o tamanho da equipe são exemplos de fatores de contexto que podem influenciar nos indicadores de produtividade RUP. 
  • Fatores ligados a anormalidades: falta de material, falta de instrução adequada, falta de profissionais ou de equipamentos também são fatores que podem influenciar a produtividade, pois fogem da normalidade ou do que é esperado. 

Consumo Unitário de Materiais (CUM)

O indicador de Consumo Unitário de Materiais (CUM) é a métrica relacionada a materiais que mede as perdas – ou seja, todo material subaproveitado, danificado ou perdido de qualquer forma. Também podemos chamar essas perdas de desperdício. O que é considerado como perda na construção civil?

  • entulho: tudo que sobrou da obra, como restos de materiais que não serão utilizados, recursos quebrados ou que por algum motivo não podem mais ser usados etc.; 
  • incorporada: aquilo que foi utilizado além do necessário, por exemplo quando excesso de cimento previsto para uma tarefa é incorporado em alguma outra atividade;
  • furtos/roubos: quando não há segurança no canteiro de obras e os materiais são furtados ou roubados, levando à necessidade de compra de mais materiais para substituí-los.

O acompanhamento do uso dos materiais ajuda a evitar que as perdas aconteçam, mas não só isso. É preciso investir em treinamento e conscientizar as equipes para que os profissionais entendam quais são os danos causados pelas perdas e para que aprendam a usar os recursos de forma mais consciente e controlada

Para chegar ao indicador CUM, é preciso utilizar as seguintes fórmulas:

CUM = Qmat / Qserviço, onde:

  • Qmat = quantidade de material.
  • Qs = quantidade de serviço realizada com tal material.

E, para interpretar as perdas, a fórmula é Perda (%) = Qreal – Qteórica / Qteórica x 100, onde:

  • Perda (%) = perda percentual;
  • Qreal = quantidade de material realmente consumida;
  • Qteórica = quantidade de material teoricamente necessária.

RUP e CUM são indicadores de produtividade na construção civil importantes para aumentar a eficiência dos processos e reduzir os custos da obra. Identificando esses índices, a construtora consegue entender onde estão suas principais falhas, agindo rapidamente para corrigi-las de forma estratégica.  

Assim, além de melhorar os resultados, com o aumento da eficiência, é possível reduzir também o prazo de entrega da obra.

Como a tecnologia ajuda a melhorar a produtividade na construção civil

Para conseguir acompanhar essas métricas e entender seus resultados, contar com o auxílio da tecnologia é fundamental. Adotando sistemas tecnológicos, a construtora consegue eliminar uma série de processos completamente manuais. Com esse primeiro resultado, é possível identificar quanto tempo era perdido em tarefas nada estratégicas e até desnecessárias. 

A tecnologia ajuda a melhorar a produtividade na construção civil

Neste sentido, apenas o que é realmente importante para o projeto é mantido, e passa a ser feito de forma inteligente. Podemos usar como exemplo os clientes da Prevision, plataforma para gestão eficiente de obras, que conseguem reduzir o processo de planejamento de obras de um prazo de alguns dias para poucas horas. 

Na hora de montar e controlar o cronograma, a própria ferramenta organiza as datas de entrega e mostra quais atividades estão sendo realizadas e em qual fase estão. Isso reduz de forma significativa o tempo dedicado ao replanejamento. 

Além disso, os clientes ganham em previsibilidade, pois conseguem ver o projeto adiante e podem se preparar para imprevistos que possam acontecer.  Com todos os dados disponíveis em um só lugar, fica muito mais fácil de acompanhar e controlar a obra. 

Gostou desse conteúdo? Quer saber mais sobre os indicadores de produtividade na construção civil? Vem bater um papo com o nosso time de especialistas da Prevision e Sienge!

Compartilhe