Plataforma BIM: quais os benefícios para a sua empresa

André Quinderé

André Quinderé

CEO da Aval Tecnologia, engenheiro civil com pós-graduação em gestão de projetos e experiência em implantação de novas tecnologias e práticas do Lean Construction em diversos tipos de obra, totalizando mais de 3.000.000,00 de m² de área construída impactados. É um dos responsáveis pelo desenvolvimento do Agilean, solução pioneira em levar o Lean Construction de forma digital ao canteiro de obras e vencedora do Prêmio CBIC de Inovação e Sustentabilidade 2020.

24 de agosto 2021

Compartilhe

Em 2020, uma pesquisa feita pelo Sienge e a Grant Thornton mostrou que apenas 38,4% das empresas do setor da construção já usam a plataforma BIM. Das que ainda não usam, 70% têm intenção de adotar a metodologia nos próximos dois anos. 

Ou seja, se por um lado ainda existe um longo caminho a ser percorrido até que a cadeia se digitalize, por outro, fica claro que a maioria das empresas pretende adotar a plataforma BIM. E o tema vem ganhando destaque no mundo todo. 

Nos EUA, por exemplo, o Corpo de Engenheiros do Exército Americano exige o uso do BIM desde 2008; no Brasil, ele já é obrigatório em obras públicas desde o início de 2021; na Europa, o Parlamento Europeu aprovou, em 2014, uma diretriz que também incentiva o uso do BIM em obras públicas.

Complexidade dos projetos

Além disso, com o aumento da complexidade e detalhamentos dos projetos, normas e métodos construtivos, o BIM se torna ainda mais essencial. Isso porque ajuda construtoras e incorporadoras no ganho de produtividade desde o desenvolvimento dos projetos até a execução das obras.

Para se ter uma ideia do aumento da complexidade em nossa atividade, quando eu comecei a trabalhar em obras, no início dos anos 2000, havia basicamente oito disciplinas de projetos, que contemplavam todas as necessidades para execução de um edifício residencial. Atualmente, esse número pode facilmente ser duplicado, mostrando de forma clara que precisamos urgentemente de novas ferramentas para lidar com esse novo cenário e novas necessidades do nosso mercado. 

Por isso, entendo que o BIM é uma das principais vias para que consigamos operar dentro dessa nova era. Com uso da tecnologia e colaboração entre todos os envolvidos, dentro de uma plataforma centralizadora das informações e decisões, conseguimos ter uma visão mais ampla e precisa das etapas de projeto, execução e planejamento. 

E tudo isso contribui para uma tomada de decisão mais ágil e certeira. Por isso, continue a leitura e entenda os principais pontos sobre a metodologia e tecnologias envolvidas nas plataformas BIM.

O que é BIM?

De forma resumida, a Modelagem da Informação da Construção (Building Information Modeling – BIM, em inglês) é uma nova metodologia, viabilizada por tecnologias avançadas que permitem projetar, gerenciar, construir e operar as edificações de forma mais assertiva e eficiente. O BIM envolve e agrupa informações de todo o ciclo de vida de um projeto.

O conceito de “plataforma BIM” está associado ao fato de ela agregar todas as disciplinas e informações relevantes para os gestores em uma única plataforma. Dessa forma, possibilita a integração entre projeto, planejamento, custos e qualidade, reduzindo e antecipando erros e problemas, através da pré-construção virtual de sua obra. 

Um dos diferenciais da tecnologia é que a pré-construção virtual permite que sejam contempladas não só informações geométricas, mas também informações como insumos, custos, produtividades e até relativas à fabricação e ao uso e operação dos componentes inseridos no modelo. 

Outro ponto importante é que o BIM não é só uma tecnologia ou um conjunto de softwares. Mas sim uma metodologia que permite uma mudança no fluxo de produção dos empreendimentos desde a concepção dos projetos, tornando essa etapa mais colaborativa. Permite ainda que múltiplos projetistas desenvolvam o seu projeto em um modelo único, visualizando interferências e possíveis otimizações.

Mas atenção: o BIM deve ser visualizado como um centralizador das informações a respeito de cada empreendimento, com as informações desde a fase de projeto até a utilização da edificação sendo inseridas e armazenadas no modelo. 

BIM e 3D são a mesma coisa?

Não. A plataforma BIM vai muito além de uma modelagem 3D. Os programas de modelagem 3D são muito utilizados para gerar renders, que permitem visualizar melhor o resultado final dos projetos. 

Já a plataforma BIM oferece diversas informações sobre o projeto incorporadas ao modelo 3D. Além disso, os objetos de um modelo BIM são parametrizados, ou seja, é possível inserir propriedades neles. 

Por exemplo: ao inserir uma janela em uma parede, os parâmetros já descontam as alvenarias que se sobrepõe à janela, e também informações como tipo de materiais, custos, propriedades de desempenho, dentre outras que serão úteis em diversos estágios do ciclo de vida de sua obra.

Com essa característica, fica muito fácil enxergar as interferências entre diversas disciplinas e calcular os impactos decorrentes de seus ajustes ou novas decisões de projetos em diversas áreas de gestão do empreendimento. 

Outro exemplo: ao se excluir uma janela ou modificar um tipo de acabamento, podemos ter de imediato a atualização do orçamento da obra, algo que da forma tradicional poderia levar até dias.

Os benefícios do uso da plataforma BIM

De acordo com relatório da SmartMarket “The Business Value of BIM in North America“, 41% das construtoras citam a redução de erros como um dos três maiores benefícios do BIM. Sem dúvidas, esse é um dos principais benefícios, mas não para por aí.

Plataforma BIM

A plataforma BIM agrega muito valor ao dia a dia dos profissionais de construção civil. Vou citar alguns para você ter uma ideia:

  • permite um entendimento geral de todas as etapas da construção, com a pré-construção virtual do empreendimento; 
  • contribui com a qualidade geral do projeto, aumentando o nível de detalhamento e permitindo uma visão de construtibilidade da obra;
  • minimiza conflitos durante a execução da obra; 
  • tem ciclos de aprovação mais rápidos; 
  • facilita a qualificação do controle de previsão de custos; 
  • gera mais produtividade fazendo uso de menos recursos e reduzindo retrabalhos durante a execução, uma vez que facilita a visualização da melhor solução para cada tipo de projeto; 
  • traz versatilidade de aplicações, tornando a plataforma BIM uma ferramenta estratégica de planejamento e de controle de riscos das obras; 
  • melhora a logística e organização do canteiro de obras; 
  • tem dados salvos na nuvem, exigindo menos infraestrutura física de servidores;
  • entre outras coisas.

Esta lista ajuda a entender os benefícios do BIM, mas vamos nos aprofundar e conhecer um pouco mais sobre 4 benefícios essenciais – que também são destaque no e-book que produzimos sobre como implantar o BIM.  

1. Visualização antecipada do projeto finalizado

Diferente das vistas em 2D, que devem ser sobrepostas e compiladas para se ter uma imagem do projeto finalizado, a modelagem 3D gerada a partir do BIM cria um modelo único. Tal modelo engloba diversos aspectos e disciplinas de um projeto, podendo ser visualizado em qualquer etapa do processo de construção, com a expectativa de que terá dimensões consistentes em todas as visitas.

Além disso, ao integrar mais informações ao modelo 3D, como o orçamento e o planejamento, você poderá obter uma visualização precisa para a execução de cada serviço. Viabilizando a simulação de cenários, resolução de problemas e a definição adequada do planejamento.

Dessa forma, as alterações dos projetos e os impactos na sua obra são analisadas antes mesmo de serem executadas. Com isso, os impactos de custos e prazo são facilmente rastreados.

2. Redução das incompatibilidades 

A plataforma BIM também otimiza o trabalho simultâneo de múltiplas disciplinas de projeto. Dessa forma, reduz o tempo de projeto, melhorando a comunicação entre os projetistas e reduzindo, significativamente, os erros de projetos e compatibilização. 

Apesar da compatibilização de disciplinas usando desenhos 2D também ser possível, ela apresenta um alto nível de dificuldade de análise. Isso porque o método de sobreposição de pranchas se torna altamente complexo quando estamos lidando com múltiplas disciplinas de uma grande obra. 

Além disso, com o auxílio da funcionalidade como clash detection, o BIM nos permite criar regras e checagens automáticas de choques entre as disciplinas. Assim, por meio dos relatórios que apresentam a localização e a disciplina responsável pela incompatibilidade, o gestor de obras consegue visualizar facilmente os erros. 

E o melhor é que isso acontece bem antes da execução daquela etapa, evitando o desperdício de material, tempo e dinheiro. 

3. Quantitativos automáticos com plataforma BIM

Uma das funcionalidades mais utilizadas nas ferramentas do BIM é a extração automática de todas as quantidades de serviços e componentes dos modelos. 

Assim, essa funcionalidade permite a maior precisão e agilidade no cálculo do orçamento, que pode ser organizado conforme uma Estrutura Analítica de Projeto (EAP) previamente definida e compatível com o planejamento da obra. 

Algumas soluções presentes no mercado possibilitam a integração direto do modelo BIM com as composições de custos definidas pela construtora. Dessa forma, é possível realizar simulações dos impactos de decisões de projeto nos custos da obra a ser realizada.

4. Redução de custos 

O último benefício desta breve lista é o grande aumento da eficiência operacional. Pois a redução do custo é um benefício natural decorrente dos tópicos acima citados. 

Isso acontece porque a plataforma BIM permite o teste de soluções e correções de projetos antes mesmo da execução do empreendimento. Além disso, proporciona a simulação de diversas possibilidades de ataque com a visualização direta dos impactos através de imagens 4D (3D + a variável tempo). 

Dessa forma, sua empresa reduz os riscos de execução e as decisões estratégicas se tornam mais assertivas, trazendo ganhos comprovados de até 6% do custo de execução das obras.

Os níveis da plataforma BIM

Agora que você já conhece os benefícios da plataforma BIM, é hora de entender as principais dimensões do BIM. Entenda a seguir. 

3D: Modelagem paramétrica

O 3D é a representação de edificação em três dimensões. Dessa forma, o modelo é projetado de forma virtual, permitindo a visualização em altura, profundidade e largura. Essa etapa reduz as possíveis falhas de compatibilidade e facilita a compreensão do empreendimento.

4D: Planejamento

Toda gestão de obra demanda a elaboração de um cronograma como base para a tomada de decisão em relação ao seu plano de ataque à produção. Para elaborar esse plano, existem métodos como a linha de balanço ou gráfico de gantt, que nos permitem visualizar de forma gráfica os tempos de ciclo e as redes de precedência estabelecidas pela metodologia construtiva a ser adotada. 

Com o uso de uma plataforma BIM, é possível ter o link entre os objetos do modelo e as barras do cronograma obtendo o plano 4D de sua obra, gerando projeções, visualizando interferências e permitindo que todos da equipe consigam ver as suas metas de uma forma extremamente interativa. É possível também interligar o BIM a um software de gestão como Agilean.

5D: Orçamentação

O modelo BIM 5D significa a adição da variável custo ao modelo BIM. Então, essa dimensão permite a extração de quantitativos a partir dos objetos 3D gerando um orçamento com um grau de precisão bem superior às formas tradicionais de quantificação via AutoCad. 

Assim, após a extração dos quantitativos, o modelo BIM também permite a operação de atribuição dos preços aos serviços ou etapas de obras. Dessa forma, é possível mensurar, simular e monitorar as quantidades e custos de sua obra de uma forma assertiva a otimizada. 

6D: Sustentabilidade

Como você deve saber, a adoção de conceitos de sustentabilidade no mercado da construção civil está em constante ascensão. Por isso, o modelo 6D está vinculado diretamente ao processo de eficiência energética, que visa a obter obras mais inteligentes e sustentáveis. Esse nível é amplamente incentivado pela Green Building Council.

7D: Gestão e manutenção

Por fim, o modelo 7D tem foco na manutenção das instalações, resultando em benefícios como a substituição mais rápida das peças. Tem grande serventia para os líderes de projetos que precisam gerenciar todo o tempo de vida de um empreendimento.

Por exemplo: indica a necessidade de manutenção em bombas, os níveis dos reservatórios no modelo, o registro das características técnicas dos equipamentos existentes, entre outras informações. 

Pontos de atenção

Quando falamos da aplicabilidade do BIM, é importante ter em mente alguns pontos de atenção. É essencial que antes de iniciar o processo seja feito um planejamento detalhado de como será o padrão de adoção BIM em sua empresa.

Para isso existe uma ferramenta chamada de BIM Execution Plan (BEP), que tem como objetivo garantir os padrões de fluxo de trabalho, modelagem, ferramentas a serem utilizadas e a forma de comunicação entre os envolvidos no processo. Tudo isso de forma que o modelo construtivo represente efetivamente a metodologia construtiva de cada empresa.

Conclusão

Conforme falamos no começo deste texto, a adoção da plataforma BIM tem tudo para deslanchar no Brasil. Inclusive, já existe um esforço nacional nesse sentido, a exemplo da “Estratégia Nacional de Disseminação do BIM” (Estratégia BIM BR), lançada em 2018. Vale a pena acompanhar as iniciativas.

E para entender a maturidade do BIM no Brasil, recomendo o download do mapeamento produzido pelo Sienge, que é nosso parceiro de integração na plataforma Agilean.

Mapeamento do BIM no Brasil

Se você ainda tem dúvidas sobre os benefícios ou como implantar o BIM, baixe agora o e-book produzido pelos especialistas do Grupo Aval e saiba como reduzir as incompatibilidades na sua obra. Além de se aprofundar nos tópicos que apresentei neste texto, o material explica como você pode medir o desempenho do BIM na sua empresa. 

Por fim, gostaria de ressaltar que o Agilean tem integração ao BIM. Somos a primeira plataforma de planejamento e controle da produção a integrar BIM e Lean. Quer saber como funciona na prática? Fale agora mesmo conosco!

Compartilhe