Infraestrutura: País aumentará os investimentos em transporte

Tomás Lima

Tomás Lima

Gestor de Conteúdo do Sienge
Graduado em Administração pela UFMG
Apaixonado por Construção Civil

13 de dezembro 2012

Compartilhe

Otimismo foi a tônica na capital francesa. A presidente Dilma Rousseff garantiu que os investimentos em infraestrutura serão aumentados.

Nesta quarta-feira dia 12 em Paris na França, houve o “Seminário Empresarial: Desafio e Oportunidades de uma Parceira Estratégica”. Onde a presidente Dilma Rousseff apresentou um plano afirmando que o governo federal brasileiro pretende construir um ambiente seguro e amigável para o investimento privado. De acordo com Dilma, essas parcerias são estratégicas para o país.

A presidente abordou a importância das parcerias público-privadas e falou também sobre melhorar a infraestrutura do Brasil. Dilma disse que, além dos 5 mil quilômetros de ferrovias já construídas ou em fase de execução, ainda serão feitos mais 10 mil quilômetros de ferrovias e mais 800 aeroportos regionais no Brasil. “Nós queremos que as cidades com até 100 mil habitantes tenham um aeroporto no entorno de no máximo 60 quilômetros. É uma necessidade também importante para o crescimento do país”, afirmou.

 “Com o objetivo de elevar o desenvolvimento, vamos aumentar taxa de investimento, centrando em dois grandes movimentos, o investimento em infraestrutura e na indústria manufatureira. O Brasil não vai ser somente um exportador de commodities, seremos sempre uma potência alimentar e mineral, mas queremos também ser uma potência na área de manufatura. E esse é um cenário que permite um novo patamar de cooperação entre o Brasil e as indústrias francesas como nunca antes ocorrido. Nunca tivemos uma conjuntura tão favorável a essa cooperação”, afirmou Dilma.

Confira o discurso de Dilma Rousseff no Seminário Empresarial: Desafios e Oportunidades de uma Parceria Estratégica

“Tínhamos de retomar esse sistema rodoviário, que foi descuidado nas últimas décadas. Nós lançamos um plano de ferrovias para construir 5 mil km, basicamente no eixo longitudinal. (…) Agora, recentemente, nós consideramos  que é fundamental dar um passo à frente. Primeiro, constituímos uma empresa de planejamento que visa pensar a integração dos modais e do sistema portuário, a Empresa de Planejamento Logístico (EPL), que vai nos ajudar a construir nosso próximo desafio, que são 10 mil km de rede ferroviária”, explicou Dilma.

Compartilhe