O desempenho do mercado imobiliário no primeiro trimestre de 2019

16 de abril de 2019

O Brasil não vive uma boa situação econômica já faz alguns anos. Infelizmente, isso se reflete claramente no mercado imobiliário.

Mas desde o fim de 2018, ainda mais impulsionado pela troca de governo, o otimismo com relação ao desempenho da economia, de forma geral, voltou a crescer.

Mas agora, que já passou o primeiro trimestre de 2019, fica a pergunta:

Será que as expectativas foram cumpridas? Neste artigo eu vou te mostrar qual foi o desempenho econômico do Brasil nesse período, e como o mercado imobiliário reagiu a isso.

O panorama geral da economia no primeiro trimestre de 2019

A economia do país, em geral, não cresceu como esperado. Isso fica claro quando vemos as previsões de especialistas para o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) para 2019.

No fim de 2018, existia a expectativa de que o PIB pudesse alcançar 3% de aumento, número que não acontece desde 2013.

Mas aí veio o problema:

Ainda no fim de 2018, vários setores da economia diminuíram o ritmo. Isso já foi suficiente para mudar, em fevereiro de 2019, as previsões. A maioria dos economistas passou a estimar um crescimento de 2% para o ano.

Para piorar, a previsão caiu novamente em abril, para 1,5% de crescimento. Esses cortes na expectativa de crescimento acontecem por vários motivos, que vou explicar agora.

Receio ainda presente

Por que a realidade do crescimento econômico se distanciou das expectativas iniciais dos especialistas e da população?

A resposta para esse receio geral pode ser resumida em uma frase: a melhora econômica não veio tão rápido quanto se esperava.

Isso causou uma certa falta de confiança que prejudica ainda mais o avanço da economia. E há vários motivos para o ritmo mais lento nesse primeiro trimestre, como:

  • Incerteza sobre a aprovação da reforma da previdência, considerada peça-chave na recuperação da economia nacional;
  • Altos índices de desemprego, que ainda atingem o país todo;
  • Falta de confiança da população (e dos empresários) na economia, o que diminui o consumo e investimentos, de forma geral;
  • Desaceleração da indústria em nível global.

Expectativa de melhoria estável, mas contínua

Será que os indicadores acima mostram que a economia não vai melhorar? Na verdade, é o contrário. A expectativa ainda é de crescimento, apenas não no ritmo esperado inicialmente para esse ano.

Agora, um lembrete:

A possível aprovação de pautas importantes da agenda econômica do governo, como a própria reforma da previdência, podem fazer essas previsões subirem de novo. Até lá, a expectativa é de que a melhora seja estável, mas contínua.

Mas existe uma boa notícia:

O mercado imobiliário não segue o mesmo padrão decepcionante do restante da economia. Vamos falar sobre isso a seguir.

Como o mercado imobiliário se saiu no primeiro trimestre de 2019

Se o progresso da economia nacional deixou a desejar no primeiro trimestre, não se pode dizer o mesmo sobre o avanço do mercado imobiliário. Felizmente, as previsões dos especialistas no setor são todas positivas.

Em grande parte, isso se deve aos números revelados em pesquisas, que mostram o avanço do setor e dão motivos para esperar resultados ainda melhores.

Veja alguns dos principais indicadores que apontam para o fim da crise no mercado imobiliário:

Indicadores positivos

Vários dos indicadores que servem de termômetro para o desempenho do setor imobiliário mostram números animadores. Isso serve para dar base às expectativas otimistas e mostrar que elas têm fundamento.

Por exemplo, segundo o Sindicato da Habitação do estado de São Paulo, o SECOVI, foram vendidas 2.176 unidades residenciais novas na cidade de São Paulo em fevereiro deste ano.

Na prática, isso é 34,2% mais do que em janeiro (1.622 unidades vendidas) e 50,3% a mais em vendas do que fevereiro de 2018 (1.448 unidades).

mercado imobiliário

Também em fevereiro, a Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio) registrou o lançamento de 870 unidades residenciais na cidade de São Paulo. O resultado é 204,2% superior a janeiro deste ano (286 unidades) e 155,1% melhor que fevereiro de 2018 (341 unidades).

O que esperar do mercado imobiliário no decorrer de 2019

Com a melhora mostrada no primeiro trimestre, é impossível não se perguntar:

O que mais podemos esperar para o decorrer de 2019?

De forma bem resumida, pode esperar muito mais ação da parte de empresas e consumidores. Veja abaixo como isso vai acontecer:

Movimentação maior de construtoras e incorporadoras

Com a movimentação favorável do mercado em relação à compra de imóveis, é natural que as construtoras e incorporadoras voltem a investir pesado em novos empreendimentos.

E que tipo de investimentos isso envolve?

Em muitos casos, a compra de terrenos para novos empreendimentos, obtenção de licenças e busca por incentivos fiscais específicos. Muitos novos projetos também devem ser anunciados na planta.

mercado imobiliário

Crescimento maior no segundo semestre

Muitos especialistas acreditam num crescimento de até 30% do mercado imobiliário em 2019. Mas é à partir do segundo semestre que os resultados mais expressivos devem aparecer.

O motivo disso é simples:

Ainda existe muito desemprego e incerteza por parte de alguns compradores. Além disso, é agora que muitas empresas estão voltando a investir em empreendimentos para atender a demanda reprimida.

Com isso, a tendência é que o mercado volte ao ritmo mais acelerado com força no segundo semestre deste ano, e que isso aumente ainda mais em 2020.

O que fazer para se beneficiar com o aquecimento do mercado imobiliário

Se as empresas do setor imobiliário vão se movimentar para atender a demanda crescente de compradores mais confiantes, não fique para trás.

É preciso agir rápido e de maneira certeira para tirar proveito do bom momento do mercado e não ser engolido pela concorrência.

Investir em qualificação

Quando o mercado está muito aquecido, o comprador tem maior poder de negociação, e a concorrência fica bastante acirrada. Com isso, cai muito a sua margem de erro.

E nada melhor para diminuir as chances de errar do que qualificar bem seus colaboradores e garantir que eles entreguem sempre o mais alto nível de qualidade.

mercado imobiliário

Colocar a tecnologia no centro dos processos

Você já ouviu falar na indústria 4.0? As empresas que saem na frente nesse tipo de iniciativa e colocam a tecnologia no centro dos processos, ganham larga vantagem.

Afinal, as soluções de ponta que já existem no mercado servem para otimizar todas as áreas de uma empresa. Com isso, você vai desperdiçar menos, produzir mais e com maior qualidade.

Aplicar uma política de Compliance

A seriedade e a transparência também são requisitos hoje em dia. A cada dia fica mais claro que fazer negócios com práticas ilegais não é algo que fica escondido por muito tempo.

O melhor caminho para mostrar ao mercado que a sua empresa é séria e confiável é adotar uma política de Compliance bem estruturada.

Só por fazer isso, a sua empresa já vai se separar da maioria, que ainda compartilha da má fama associada a empreendimentos de construção civil no Brasil.

O mercado imobiliário já mostrou fortes sinais de recuperação e crescimento no primeiro trimestre de 2019. Agora é a hora de se preparar para aproveitar plenamente o cenário favorável no decorrer do ano e fortalecer sua empresa de vez.

Para investir pesado nos itens visto aqui, você precisa evitar todo tipo de desperdício possível. Pensando nisso, aprenda como aplicar a engenharia de custos nas suas obras e economizar recursos valiosos!

Tomás Lima

  • Gestor de Conteúdo
  • Graduado em Administração pela UFMG
  • Apaixonado por Construção Civil
 

Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa