5 retrabalhos que disparam seu custo de obra

20 de maio de 2019

Você planeja o custo de obra e faz os projetos de acordo com o orçado, mas, na hora de executar, surgem retrabalhos que consomem toda a sua margem de lucro? Saiba que este não é um cenário incomum e, ele pode acarretar prejuízos, dependendo da proporção. Por isso é muito importante se evitar os retrabalhos na obra.

Neste artigo apresento a relação entre o retrabalho e o custo de obra, oriento quais os retrabalhos mais comuns e apresento maneiras de evitá-los. Para facilitar o entendimento também contextualizo os conceitos em exemplos práticos do seu dia a dia, sendo possível relacionar diretamente com cenários da sua obra.

Além disso, apresento como um bom projeto aliado a um bom contrato pode ajudar você a ter menos retrabalhos. Ainda trago dicas de ferramentas e recursos que você pode usar durante a obra, como as medições de obra, treinamentos e cronogramas. Com isso será possível melhorar diversas etapas e processos, desde a negociação até a entrega.

Qual a relação do retrabalho e o custo de obra?

São diversos os aspectos que interferem no custo de obra.  Ao gerar retrabalho, por exemplo, inevitavelmente incorrirá em algum custo extra. Outros casos são os de desperdício ou perda de materiais, além de perda de tempo da mão de obra.

Outro fator a se considerar é que, além dos custos diretos, o gasto com um possível atraso e da sua reputação também devem ser ponderados.

Aqui estão alguns exemplos dos custos envolvidos com perdas de materiais durante retrabalhos:

  •         perda de tábuas da caixaria em alterações estruturais;
  •         perda de alvenaria por alteração no layout e
  •         perda de concreto e ferragem por adequação de elemento estrutural.

Em todos esses casos, além do material, se perdeu tempo com mão de obra e, possivelmente, houve desgaste e desmotivação por parte dos colaboradores envolvidos. Esse fato nos leva a outro grupo de perdas mais difíceis de se contabilizar, como por exemplo, atraso e má reputação.

Em relação a esta última, não me refiro somente aos clientes e ao mercado, mas também, à sua empresa e aos seus colaboradores. Isso porque, provavelmente, para não atrasar a obra, os construtores terão que encaixar no cronograma esse retrabalho, gerando uma sobrecarga.

O resultado dessa sobrecarga, além do cansaço e do desgaste, é a insatisfação e a perda de produtividade. O motivo é bem simples: o colaborador perde a confiança do líder e, com isso, passa a não ter a mesma entrega ao trabalho. É claro que erros acontecem e que algum retrabalho pode acontecer. O problema está na frequência desses acontecimentos.

Os custos gerados pelo atraso, tirando os casos onde há multas previstas, nem sempre são claros. Porém, se pensarmos no simples fato de você estar envolvido em algo que já devia estar pronto, automaticamente está deixando de produzir algum outro trabalho nesse período. Outro ponto importante é que os seus custos fixos são diluídos na obra, fazendo a margem de lucro reduzir.

Quais as principais origens dos retrabalhos?

Antes de vermos os tipos dos retrabalhos e os seus respectivos impactos é importante entender de onde eles se originam. Para entender isso pedi a opinião de cinco mestres de obra sobre o que gera mais retrabalho. Apresento aqui os pontos em comum que foram levantados, confira!

1- Material equivocado ou de baixa qualidade: isso faz com que seja necessária a substituição ou reparo. Por exemplo, a substituição de uma válvula de descarga que emperrou, de uma porta que o marco empenou, de uma torneira que vaza, etc.

2- Alterações e projetos não compatibilizados: durante a obra não é raro haver alterações no projeto, o que gera retrabalhos. Um exemplo prático é quando uma parede é alterada. Isso pode impactar todos os complementares e causar um desgaste para se conseguir chegar com a elétrica e a hidráulica até a nova parede, e adequar a posição da viga que deveria ficar escondida e já não fica.

3- Mão de obra desqualificada: causa desperdícios de material, atrasos e perda de qualidade. Além disso, no caso de terceirizados, também ocorre o problema da desistência durante a empreitada por conta de orçamentos subestimados. Seja terceirizada ou CLT, a mão de obra desqualificada causa muitos retrabalhos.

4- Falta de planejamento e cronograma: isso causa sobreposição de atividades e sequência de etapas desfavorável. Exemplificando: a colocação do piso vir antes da instalação do fôrro poderá sujar os rejuntes e arranhar o piso.

Além disso existem as etapas que geralmente geram retrabalho:

  •         Reboco
  •         Acabamentos
  •         Encanamento

O reboco foi o mais apontado, pois qualquer alteração em paredes, aberturas, entre outros, gera reparo. Além disso, dependendo do tipo de reboco, deve haver um tempo de espera para cura antes da pintura. Quando esse tempo não é respeitado, pode fazer com que o reboco fique mais fraco, sendo necessário remover e refazer diversas vezes.

Quais os retrabalhos mais impactam os custos?

Apesar de os materiais de acabamento serem mais caros do que os usados para a estrutura e a vedação, nem sempre o maior custo de retrabalho está relacionado a eles.

Veja os 5 retrabalhos responsáveis pelos maiores gastos na sua obra:

  1.       Alteração de elementos estruturais
  2.       Alteração de elementos de vedação
  3.       Alteração de aberturas
  4.       Alteração em pontos hidráulicos e elétricos
  5.       Alteração em acabamentos como louças e metais

As alterações dos elementos estruturais, como também dos elementos de vedação, podem estar relacionadas a mudanças no layout dos cômodos. Já as alterações de aberturas podem estar relacionadas ao modelo, largura do requadro, tipo de fixação, etc.

As de pontos elétricos e hidráulicos estão relacionadas a alteração em layout e em equipamentos e acessórios, que serão conectados a esses sistemas. Além disso, a adição de um sistema de água quente e a alteração no sistema de aquecimento e pressurização também interferem nos tipos de tubulação e na posição dos pontos.

Quais as maneiras de se evitar retrabalhos?

Todas essas alterações citadas podem ser evitadas com a elaboração de um projeto bem compatibilizado e detalhado. Muitas dessas intercorrências são causadas por problemas que podem ser evitados na compatibilização. Outro fator a se ponderar é a alteração de projeto durante a obra e as adequações oriundas do mesmo.

Essa situação geralmente vêm do proprietário, pois isso é muito importante prevê-la em contrato. Além disso, o documento deve prever compensações por conta de problemas com os projetos, visando reduzir os riscos de quem executa.

Para evitar os retrabalhos por mal entendimento de projetos ou incapacidade técnica é importantíssimo fazer muitas visitas à obra. Complementarmente é imprescindível fazer medições periódicas para avaliar o rendimento dos colaboradores e identificar possíveis retrabalhos.

A existência de um cronograma com previsão para chegadas de materiais para cada etapa, evita que materiais sejam comprados de última hora e diminui erros nas compras. Para isso, junto com os projetos bem compatibilizados, também é necessária uma lista de materiais bem definida e detalhada.

Investir em capacitação técnica diminui erros e retrabalhos relacionados ao desconhecimento das boas práticas e técnicas. Sem dúvida isso também resultará em um aumento na produtividade e na qualidade da sua obra. Passar para toda equipe as técnicas básicas de comunicação é também uma boa estratégia para reduzir retrabalhos.

E, por fim, a utilização de um sistema ERP para controlar as compras, gastos e prazos da sua obra pode reduzir retrabalhos relacionados à administração. Por exemplo, o sistema pode apresentar os materiais que já foram comprados e entregues, evitando compras repetidas. Além disso, auxilia em toda a organização e otimiza processos de conferência.

Espero que esse artigo tenha ajudado você a entender as principais origens de retrabalhos e trazido bons insights para você aplicar na sua obra.

Compartilhe nos comentários as suas técnicas para evitar retrabalhos!

Eng. Jonathan Degani

  • CTO da Brasil ao Cubo
  • Criando inovação na Construção Civil
 

Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa