5 motivos para investir em transformação digital na construção civil

André Quinderé

André Quinderé

CEO da Aval Tecnologia, engenheiro civil com pós-graduação em gestão de projetos e experiência em implantação de novas tecnologias e práticas do Lean Construction em diversos tipos de obra, totalizando mais de 3.000.000,00 de m² de área construída impactados. É um dos responsáveis pelo desenvolvimento do Agilean, solução pioneira em levar o Lean Construction de forma digital ao canteiro de obras e vencedora do Prêmio CBIC de Inovação e Sustentabilidade 2020.

29 de julho 2021

Compartilhe

A transformação digital na construção civil já é uma realidade e construtoras do mundo todo têm dado atenção ao tema. Um estudo recente da International Data Corporation (IDC) revelou que 72% das empresas acreditam que “a transformação digital é prioridade para promover as mudanças necessárias em processos, modelos de negócios e ecossistemas”. 

Em outras palavras, o mercado já entendeu que a transformação digital é uma necessidade, e não uma possibilidade. Mas existe uma diferença grande entre reconhecer a importância do tema e saber como, de fato, realizar esta jornada. E no caso da construção civil, onde o tema é ainda mais desafiador, estudos mostram uma dificuldade prática de aplicação da transformação digital.

Segundo relatório da McKinsey & Company, só 8% dos canteiros de obras em todo o mundo tomam decisões baseadas em dados em tempo real. Ou seja, ainda há poucas empresas usando o real poder da transformação digital em suas obras.

Por isso, neste artigo eu vou mostrar por que você precisa investir em transformação digital e mostrar casos de sucesso de empresas que já têm feito isso aqui no Brasil.

Não basta digitalizar, é preciso investir em transformação digital na construção civil

Um dos problemas que fazem com que muitas empresas aproveitem pouco o poder da transformação digital é que nem todo gestor entendeu o conceito da forma correta. Ou seja, muitas empresas acham que estão aplicando essa transformação quando, na verdade, estão apenas digitalizando processos. Mas, qual é a diferença entre os dois conceitos, afinal?

De maneira bem sucinta, digitalizar é substituir ferramentas analógicas por outras que sejam digitais. Por exemplo, deixar de fazer uma medição de obra com papel e caneta e usar uma planilha de excel no celular.

A transformação digital envolve otimizar ou eliminar processos e usar novos métodos de gestão. 

A digitalização tem seu lugar, mas é muito mais pontual e superficial quando comparada com a transformação digital, que envolve uma mudança estratégica e de mindset. Afinal, a transformação digital envolve otimizar ou eliminar processos e usar novos métodos de gestão. 

Assim, a mudança não acontece só na ferramenta, mas em todo o processo de trabalho. Além disso, ela é muito mais profunda, uma vez que envolve não só a tecnologia, mas também os processos e as pessoas da empresa.

Sendo assim, veja quantos benefícios há quando uma empresa resolve ir mais a fundo e investir na transformação digital em vez de ficar só na digitalização.

Por que investir em transformação digital na construção civil?

Qualquer mudança só faz sentido quando o benefício que ela gera supera o custo envolvido em mudar. E uma mudança tão profunda como a transformação digital precisa se justificar com ganhos expressivos. Por isso, listamos a seguir alguns motivos para você investir agora mesmo nessa jornada.

E vale ressaltar que estamos falando de uma indústria que tem um desperdício de 35% do seu custo total com retrabalhos e desperdícios, e que investe menos de 1% da receita anual em pesquisas e desenvolvimento. Portanto, é preciso quebrar paradigmas e visualizar a inovação como investimento, e não como mais um custo. 

1. Produtividade

Como a transformação digital traz a possibilidade de otimizar e eliminar processos que geram pouco valor, na prática isso quer dizer que ela ajuda a aumentar a produtividade. E esse problema ainda é grande na construção civil.

Um estudo da Autodesk mostrou que 35% do tempo dos gestores de uma obra é gasto em atividades que não agregam valor. Isso representa mais de 14 horas por semana por pessoa. Além disso, o mesmo estudo indica que 13% do tempo gasto é procurando dados e informações sobre projetos. Ou seja, mais de 5 horas por semana por pessoa.

Agora, imagine otimizar ou eliminar esses processos e ganhar várias horas por semana de trabalho produtivo para cada pessoa envolvida na gestão e também na produção das obras. Isso é produtividade no mais alto nível – e também uma grande economia de custos.

2. Gestão de equipes

A eficiência na gestão de equipes também é muito superior quando se juntam processos e tecnologia ao modo como se conduz os times na obra. Isso traz um nível de colaboração, transparência e eficácia muito maior do que uma simples digitalização é capaz de alcançar.

Com o Agilean, por exemplo, é possível implantar um sistema de gestão Lean e acompanhar os indicadores de produtividade da obra em tempo real. Por meio de painéis interativos, o gestor da obra acompanha o que está sendo feito, o que já foi concluído e como isso afeta o cronograma da obra.

Ou seja, você consegue até saber onde está cada profissional da sua equipe e se isso está de acordo com a atividade planejada para a equipe. Assim, isso adiciona um nível de detalhamento do serviço que seria impossível ter de outra maneira, além de permitir encontrar problemas de produtividade por conta de logística, utilizando conceitos do Lean Construction de forma totalmente digital. 

3. Gestão da qualidade

Numa gestão da qualidade tradicional, a verificação dos serviços é feita de forma manual, com checklists e fichas de verificação de serviços em papel. O primeiro grande problema disso é o tempo gasto para verificar item por item de forma física. Outro ponto negativo é que é muito difícil documentar e organizar tudo usando apenas o papel, pois o volume de dados é muito grande.

Dessa forma, é mais difícil compartilhar as informações com outros profissionais para corrigir os problemas encontrados. Por exemplo, numa auditoria online, como acontece muito durante a pandemia, é preciso tirar fotos ou prints de documentos físicos, o que dificulta o trabalho do auditor.

Mas, ao optar por um sistema de gestão da qualidade 4.0, no qual os conceitos de transformação digital são aplicados de forma integral, você resolve todos esses problemas. E mais: consegue garantir o padrão de qualidade da sua obra como um todo, não apenas para vistorias de rotina, mas para seguir no dia a dia tudo o que planejou antes de a obra começar.

4. Obras mais rápidas e enxutas

Realizar projetos de forma mais rápida, se comunicar de forma mais eficiente dentro e fora do canteiro e realizar as tarefas sem retrabalhos, com qualidade garantida, significa uma coisa: as suas obras se tornam mais rápidas e enxutas.

E nem é preciso dizer o quanto isso se traduz em ganhos financeiros para a sua empresa, já que você não tem custos com processos desnecessários e consegue ter margens diferenciadas em seus projetos, o que representa um grande diferencial competitivo no mercado atual. 

5. Previsibilidade e redução de riscos

Por último, mas não menos importante, está o benefício da previsibilidade, que ajuda na prevenção de riscos e na resolução de problemas. Imagine, por exemplo, utilizar um sistema de gestão de obra com inteligência artificial que indica os planos de ação a cada problema que surge no canteiro? Isso já é uma realidade para muitas construtoras, como as que utilizam o Agilean. 

Além de um grande diferencial competitivo, isso reflete em uma obra com uma maior aderência entre o planejamento x realizado. Assim, o sistema de gestão da produção efetivamente agrega valor para o dia a dia do gerente de obras, mesmo que a empresa não tenha uma grande infraestrutura de apoio à gestão.

A transformação digital na construção civil também está ajudando na redução de riscos operacionais nos canteiros.

Além de aspectos relacionados à produtividade e eficiência da mão de obra, a transformação digital também está ajudando na redução de riscos operacionais nos canteiros, onde os algoritmos conseguem detectar situações de possíveis acidentes antes que eles efetivamente aconteçam, melhorando os níveis de segurança em nosso setor.

Ou seja, tanto do ponto de vista comercial, de processos e humano, a transformação digital tem ajudado bastante no desenvolvimento da indústria da construção civil.

Estudos de casos de transformação digital na construção civil que você precisa conhecer

Quer saber como é possível ver todos os benefícios que citei acima na prática? Basta avaliar estudos de caso de empresas reais, que trabalham sob circunstâncias semelhantes a você e que conseguiram atingir bons resultados. 

1. Andrade Gutierrez

A Andrade Gutierrez, por exemplo, usava planilhas em excel para criar as linhas de balanço e após gerado o cronograma a equipe ainda tinha que elaborar as ordens de serviço alinhadas com esses planos. Todo esse processo criava etapas a mais que não geravam valor ao produto final, mas consumiam bastante tempo dos gestores das obras.

Com o Agilean, foi possível reduzir em 60% o tempo gasto para planejar e reprogramar as linhas de balanço. Além disso, dobrou a adesão do planejamento ao efetivamente realizado. Assim, a AG ganhou produtividade enquanto mantém o alto nível de qualidade das obras. 

2. Dimas Construções

Todos nós sabemos que administrar obras grandes, com uma força de trabalho que fica entre 150 e 200 pessoas, não é nada fácil. Esse era o caso da Dimas Construções, que usou o Agilean para integrar a gestão e otimizar decisões importantes relacionadas a qualidade, cronograma e custos.

Assim, através do uso de inteligência artificial, foi possível simular diversos cenários nas obras da Dimas em questão de minutos. Isso gerou um ganho de até 10% do custo das obras, uma economia significativa.

3. KPR Rodan

Na KPR Rodan, empresa focada em obras do MCMV, seus gestores conseguiram integrar o planejamento com as atividades de produção dos canteiros e as inspeções de qualidade.

Dessa forma, a construtora reduziu o retrabalho em suas obras e criou uma cultura forte de análise de indicadores em frequência, no mínimo, semanal.

4. UNA Construtora

A UNA Construtora conseguiu reduzir em até 45% o seu processo de planejamento e controle de construção. Reuniões que duravam 4 horas passaram a durar 30 minutos. E o desperdício de tempo médio mensal da equipe foi de 3 horas para apenas 45 minutos.

Portanto, fica evidente o quanto a transformação digital na construção civil é importante. Mais do que isso, vimos como ela já está funcionando para quem a aplicou desde cedo.

Se a sua empresa ainda não faz isso, é hora de agir com estratégia, deixar de apenas digitalizar processos e aplicar a transformação digital de forma completa o quanto antes.

Compartilhe