Ebook OS 10 ERROS MAIS COMUNS EM ORÇAMENTO DE OBRAS (e como evitá-los) - Parte 2 de 2

Esse material é útil para

  • Equalização de propostas em orçamentos de obras
  • Curva ABC de Serviços
  • Dimensionamento do canteiro de obras
  • ISS
  • Lucro e impostos

Sobre o Material:

Indicado para:

  • Gestores de construtoras;
  • Engenheiros civis;
  • Orçamentistas.

É útil porque: ensina de forma prática e aplicável como evitar os erros mais comuns ao orçamento de obras, continuação da parte 1.

O assunto:

Após anos de observação e experiência, Aldo Dórea Mattos conseguiu compilar os 10 erros mais comuns em orçamento de obras. 

A lista criada por ele coloca o dedo na ferida de várias construtoras do país e as convida a repensarem seus processos de forma a trazer à sua realidade uma gestão de obras mais assertiva.

Fazer corretamente o orçamento de obras traz vantagens não apenas à construtora, mas também aos seus clientes. 

Os fatores que geram erros no orçamento de obras podem ser:

Técnicos – erros conceituais, falta de critério, desconhecimento das boas práticas, etc; Organizacionais – insuficiência de prazo para elaboração do orçamento, ausência de banco de dados de composições de custo, utilização indevida de preços tabelados, etc.

Os 10 Erros estão distribuídos ao longo de todo o ciclo de um orçamento de obras típico:

 

  1. Não fazer visita técnica
  2. Desconhecer os critérios de medição
  3. Ignorar a Convenção Coletiva de Trabalho
  4. Não montar a própria composição de custos
  5. Desconhecer FOB e CIF e seu impacto na questão do frete e descarga
  6. Não equalizar propostas em orçamentos de obras
  7. Não fazer Curva ABC de Serviços
  8. Não dimensionar o canteiro de obras corretamente
  9. Aplicar errado o ISS
  10. Aplicar errado o lucro e os impostos

Este conteúdo, lançado originalmente no Buildin está agora disponível à toda comunidade Sienge. Basta preencher o formulário ao lado para fazer o download.

Produzido por:

sienge conteúdo

O Sienge é uma plataforma de gestão especializada no setor da construção com mais de 3000 clientes em todo o Brasil.

O sistema é desenvolvido pela Softplan, uma empresa de tecnologia de Florianópolis que atua no mercado há mais de 29 anos.

A plataforma é composta por vários módulos interligados, assim é possível optar por quais e quantos contratar. Cada um deles é focado em resolver os problemas e facilitar o cotidiano de empresas que trabalham com construção.

 

Aldo Dórea Mattos

Aldo Dórea Mattos

Aldo possui experiência em grandes projetos de infraestrutura e é consultor nas áreas de engenharia de custos, planejamento, resolução de disputas e gestão de projetos para empresas públicas e privadas. Além disso, é fundador da seção brasileira da Association for the Advancement of Cost Engineering (AACE) e referência no setor da construção civil.

Sobre o Material:

Indicado para:

  • Gestores de construtoras;
  • Engenheiros civis;
  • Orçamentistas.

É útil porque: ensina de forma prática e aplicável como evitar os erros mais comuns ao orçamento de obras, continuação da parte 1.

O assunto:

Após anos de observação e experiência, Aldo Dórea Mattos conseguiu compilar os 10 erros mais comuns em orçamento de obras. 

A lista criada por ele coloca o dedo na ferida de várias construtoras do país e as convida a repensarem seus processos de forma a trazer à sua realidade uma gestão de obras mais assertiva.

Fazer corretamente o orçamento de obras traz vantagens não apenas à construtora, mas também aos seus clientes. 

Os fatores que geram erros no orçamento de obras podem ser:

Técnicos – erros conceituais, falta de critério, desconhecimento das boas práticas, etc; Organizacionais – insuficiência de prazo para elaboração do orçamento, ausência de banco de dados de composições de custo, utilização indevida de preços tabelados, etc.

Os 10 Erros estão distribuídos ao longo de todo o ciclo de um orçamento de obras típico:

 

  1. Não fazer visita técnica
  2. Desconhecer os critérios de medição
  3. Ignorar a Convenção Coletiva de Trabalho
  4. Não montar a própria composição de custos
  5. Desconhecer FOB e CIF e seu impacto na questão do frete e descarga
  6. Não equalizar propostas em orçamentos de obras
  7. Não fazer Curva ABC de Serviços
  8. Não dimensionar o canteiro de obras corretamente
  9. Aplicar errado o ISS
  10. Aplicar errado o lucro e os impostos

Este conteúdo, lançado originalmente no Buildin está agora disponível à toda comunidade Sienge. Basta preencher o formulário ao lado para fazer o download.

Produzido por:

sienge conteúdo

O Sienge é uma plataforma de gestão especializada no setor da construção com mais de 3000 clientes em todo o Brasil.

O sistema é desenvolvido pela Softplan, uma empresa de tecnologia de Florianópolis que atua no mercado há mais de 29 anos.

A plataforma é composta por vários módulos interligados, assim é possível optar por quais e quantos contratar. Cada um deles é focado em resolver os problemas e facilitar o cotidiano de empresas que trabalham com construção.

 

Aldo Dórea Mattos

Aldo Dórea Mattos

Aldo possui experiência em grandes projetos de infraestrutura e é consultor nas áreas de engenharia de custos, planejamento, resolução de disputas e gestão de projetos para empresas públicas e privadas. Além disso, é fundador da seção brasileira da Association for the Advancement of Cost Engineering (AACE) e referência no setor da construção civil.