Posts Tagged / sustentabilidade Construção Civil

Levando conhecimento para a Indústria da Construção




classificação de resíduos da construção
Como classificar e reaproveitar os resíduos da construção civil?
Postado dia 28 de outubro de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Gestão, Sustentabilidade, Tendências

gerenciamento de resíduosA indústria da construção civil produz uma quantidade significativa de resíduos e, de acordo com a Abrecon, Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição, o Brasil joga fora oito bilhões de reais ao ano por não reciclar os materiais. Esses números expressivos tornam cada vez mais evidente a necessidade da gestão de resíduos no setor.

Nesse processo, gerenciar os resíduos das obras de forma eficiente e classificá-los de modo que sejam destinados aos lugares corretos – não entulhados em lixos comuns – é de extrema importância para a sustentabilidade na construção civil. Essa classificação vai depender de fatores como: a natureza dos resíduos, a facilidade de segregação, a produtividade e a qualidade dos materiais reciclados.

Além da classificação, para a efetiva gestão de resíduos da construção civil, ainda  deverão ser consideradas dois aspectos:

  • Estratégias de gestão: para onde vão?
  • Tecnologias de eliminação: de que forma eles serão destinados?

 

  1. Sustentabilidade na construção civil: tabela de classificação dos resíduos

    A resolução 307, da CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) regulamenta diretrizes, metas de redução, reciclagem e reutilização, além dos critérios essenciais para a gestão dos resíduos da construção civil. Ela também apresenta formas de classificar os resíduos gerados. Confira na tabela abaixo.

    tabela de classificação de resíduos da consturção

    Lembre-se que é muito importante para a sustentabilidade na construção civil que sua empresa garanta que os resíduos gerados terão a destinação correta. Portanto, conheça as exigências das cidades para o licenciamento de transportadoras, cooperativas de reciclagem, aterros, entre outros agentes envolvidos no processo de descarte de resíduos.Para a separação dos materiais, o Plano Integrado de Gestão de Resíduos, instituído pela Lei 12.305/2010, determina que parte da responsabilidade da destinação do RCC (resíduos de construção civil) é do município. Sendo assim, cabe ao poder municipal definir as áreas para recebimento das sobras dos materiais. Mas, as construtoras precisam fazer sua parte para a sustentabilidade na construção civil, com um plano integrado de gestão de resíduos na obra  e organizar todo o procedimento com a sua equipe.

     

    Veja como fazer gerenciamento de resíduos na construção no nosso Ebook!

     


  2. Além do reconhecimento por parte do mercado e dos consumidores com o processo de gerenciamento de resíduos da construção civil, ao transformar-se em uma organização sustentável, o impacto para a construtora é muito significativo também no canteiro de obras. Com essas práticas, é possível:

    • Organizar o canteiro de obras;
    • Preservar o meio ambiente, contribuindo com a sustentabilidade ambiental e conscientização dos profissionais;
    • Obter um retorno financeiro para a construtora, por meio do reaproveitamento, da reciclagem e da redução do desperdício.

    Considerando que os resíduos da construção civil chegam a apresentar 50% do material desperdiçado no segmento, segundo dados da Abrecon, a prática de classificação e gerenciamento torna o processo construtivo mais rentável. Consequentemente, impulsiona o desenvolvimento econômico e social, além de reduzir drasticamente os níveis de poluição.

    banner sobre planejamento de obra
  3. Como gerenciar os resíduos da construção civil durante a obra?

Quando os materiais são ordenados conforme suas classes, a sujeira no local é reduzida e a organização do canteiro potencializada. Segundo o engenheiro consultor técnico do Sindicato da Construção de Minas Gerais (SINDUSCON-MG), Roberto Matozinhos, “quando o plano de gerenciamento é elaborado desde as fases iniciais do projeto ele acaba se tornando um instrumento de gestão da obra. Por isso, o planejamento do controle dos resíduos da construção civil, apoiado na sua classificação para orientar as ações, é fundamental.

 

Como planejar as etapas da produção na obra:

 

  • Reúna os envolvidos da obra, inclusive os fornecedores, para estruturar o projeto de forma sustentável, apresentando a importância de classificar os materiais e destiná-los ao lugar correto. A equipe precisa estar consciente que classificar é o “pontapé inicial” para organização e gestão dos resíduos na construção civil.
  • Elabore o planejamento da obra visando a classificação dos resíduos da construção civil, procurando utilizar a quantidade exata de materiais e já programando o destino das sobras. Em harmonia com a equipe de trabalho, o planejamento da obra deve visar a utilização do menor número de materiais que puder, assim como a substituição de materiais prejudiciais ao meio ambiente por outros ecologicamente corretos. Como é o caso da tinta natural, que possui um revestimento cujo principal componente é a terra crua. Hoje já é possível contar com muitas opções sustentáveis.
  • Observe o modo de produção do começo ao fim e faça o levantamento dos resíduos que serão gerados. Ao iniciar a execução da obra, tenha uma atenção especial com cada passo: identifique se cada material está no seu lugar e observe os que já foram utilizados e os que estão sendo descartados. Por esse motivo, cada classe de resíduos da construção civil precisa estar no seu devido lugar para melhor organização no ambiente e facilidade ao destiná-los no final da obra.

 

Nas resoluções 307 e 448 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), é de responsabilidade dos geradores elaborar e implementar o plano, prevendo o correto manejo e distinção ambientalmente adequada dos resíduos.

Optar por tecnologia para facilitar o gerenciamento dos resíduo da construção civil também deve estar no radar da sua construtora para coordenar cada etapa da obra. Com uma solução especialista, é possível identificar os materiais comprados, os que estão em uso e os que estão sendo descartados. Assim, você valida se cada um deles está sendo direcionado ao local adequado, facilitando o processo no momento da triagem e garante a sustentabilidade na construção civil.

O acondicionamento inicial dos resíduos pode ser feito em pilhas formadas próximas aos locais de geração. Já o processo de destinação dos resíduos da construção civil pode ser feito de várias formas: separados por classes, eles  podem ser transportados por carrinhos, elevadores de carga ou guinchos até o local de depósito escolhido. Materiais como argamassa e madeira, por exemplo, podem ser submetidos à trituração. Isso prova que o reaproveitamento das sobras de materiais podem ser feitos tanto dentro, quanto fora do canteiro de obras.

Quando se trata de sustentabilidade na construção civil, reduzir a geração de poluentes também é alvo. Conheça materiais construtivos que pensam no equilíbrio, respeitando as pessoas e o meio ambiente.

E a técnica de construção seca, sua construtora já usa? Ela alia produtividade e preservação ambiental na execução das obras. Confira aqui.

Essa política de gestão na obra é caracterizada por adotar soluções de prevenção criando métodos de exercer a atividade sem produzir impactos negativos. A reciclagem e reutilização desses resíduos da construção civil é, de fato, o melhor caminho para o desenvolvimento sustentável.

É fácil perceber que os resíduos da construção civil apresentam um grande potencial de uso. O aproveitamento dos materiais precisa se tornar uma prática comum, dando atenção à sustentabilidade e também, trazendo benefícios para as construtoras. Para esse processo, porém, é necessário investir em planejamentos e conscientização da equipe. Lembre-se: reduzir, reutilizar e reciclar são os pilares iniciais para transformar uma construtora em referência de sustentabilidade na construção civil. É por isso que a classificação de resíduos – como primeiro passo – é imprescindível!

 

banner do ebook sobre desperdicio
sustentabilidade na construção civil materiais de construção
Sustentabilidade na Construção Civil: materiais de construção sustentáveis
Postado dia 13 de outubro de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Sustentabilidade, Tendências

O conceito de desenvolvimento sustentável tem pautado o crescimento das cidades. A sustentabilidade, propagada desde a década de 70, após a  Conferência das Nações Unidas, em Estocolmo, tem como proposta o atendimento às necessidades humanas, com o uso consciente dos recursos naturais. Para pertencer a este novo mundo verde e ser ecologicamente correto, desde então processos e produtos vêm passando por uma reformulação. Este desafio vale para todos os setores e demanda também a sustentabilidade na Construção Civil, que pode inovar nas técnicas e materiais construtivos, pensando no equilíbrio, respeitando as pessoas e o meio ambiente.

 

Sustentabilidade na construção civil: alternativas

sustentabilidade na construção civil materiais de construçãoCom o uso exagerado de recursos, a preocupação com a sustentabilidade na construção civil é cada vez maior. Nesse cenário, a consciência sobre a importância do ecossistema equilibrado e a vontade de fazer diferente, pensando em um amanhã melhor, têm motivado a criação de novas alternativas. Com a oferta de materiais de construção sustentáveis, os profissionais da área e as construtoras vêm investindo esforços conjuntos para adotar materiais verdes e fazer uma gestão completa aplicando sustentabilidade na construção civil do começo ao fim da obra.

A seguir apresentamos as etapas da obra e, respectivamente, alguns materiais de construção sustentáveis que ajudam a tornar a execução de um empreendimento focado em sustentabilidade na construção civil.

Materiais de construção sustentáveis: Fundação da obra

  1. Solo Cimento
    Material homogêneo, resultante da mistura de solo, cimento e água, o solo cimento é usado, principalmente, em construções de pequeno porte. Composto por uma parte maior de areia e outra menor de argila, é o tipo de cimento para argamassa ou estrutura sendo aplicado em revestimentos de pisos e paredes devido à elasticidade. Além disso, é usado também para pavimentação, em muros de arrimo, e confecção de tijolos e telhas sem que haja uma queima prévia. Uma ótima opção de material voltado para sustentabilidade na construção civil.

  2. Concreto reciclado
    Concreto é um material composto por cimento, areia, água, compostos britados (brita, cascalho e/ou pedregulho) que eventualmente contém materiais ligantes como colas, fibras e outros aditivos. O concreto reciclável pode ser feito a partir de várias combinações, com diferentes fórmulas: alguns são fabricados com escória de alto forno, material refugado, enquanto outros são feitos com sobras de minérios e asfalto, recolhidos em demolições e entulhos.
banner sobre o quiz insumos da construção civil

Materiais de construção sustentáveis: Estrutura

  1. Madeiras alternativas

    A madeira é um material usado na construção civil, porém, a sua extração em larga escala, sem as devidas preocupações, causa sérios danos ao meio ambiente. Pensando na preservação da natureza, uma alternativa é adotar o uso de madeiras de reflorestamento e certificadas para garantir a sustentabilidade na construção civil. Veja a seguir como reconhecer cada uma delas:

  • Madeira de Reflorestamento: vem de lugares que mantém uma área de floresta original ou replantada, com manejo sustentável de produção. As matas são preservadas ao mesmo tempo em que sustentam o ritmo da extração.
  • Madeiras Certificadas: são aquelas cuja origem de pode ser comprovada por meio de selos concedidos por órgãos competentes e avaliadores. O selo verde do Forest Stewardship Council (Conselho de Manejo Florestal) é um dos mais conhecidos e está presente em mais de 50 países. Além desta, outras certificadoras de madeira também garantem a procedência. São elas:
  • IDHEA – Instituto para o Desenvolvimento da Habitação Ecológica
  • Instituto Falcão Bauer
  • ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas
  • Fundação Vanzolini
  • BVQI – Bureau Veritas Quality International

 Materiais de construção sustentáveis: Cobertura

  1. Telhas “ecológicas”
    Com características mecânicas melhores do que as das telhas de fibra de vidro e amianto, as telhas ecológicas são mais leves e não prejudicam a saúde nem o meio ambiente. Estas podem ser feitas a partir de placas prensadas de fibras naturais ou de materiais reciclados. As telhas recicladas com embalagens tetrapak contém uma porcentagem de alumínio, refletindo a luz solar e garantindo uma excelente condição térmica aos ambientes e promovendo a sustentabilidade na construção civil..

  2. Telhado verde
    Instalados na cobertura da obra, os telhados verdes permitem a implantação de solo e vegetação em uma camada impermeabilizada sobre as construções. O telhado verde tem baixa inércia térmica da terra e da água vinda dos vegetais da cobertura, absorvendo até 90% mais o calor que os sistemas convencionais. Como o calor não é propagado para o interior da construção, a temperatura fica mais amena e é possível dispensar o uso do ar condicionado, economizando energia e, principalmente, poupando recursos naturais. O sistema também absorve os ruídos, permitindo o isolamento acústico. Mais natureza, beleza, conforto e economia com a sustentabilidade na construção civil.

Materiais de construção sustentáveis: Sistemas de energia

  1. Coletores de Água da Chuva

    O sistema de coleta aproveita a estrutura da edificação e direciona a água de calhas e rufos para um reservatório, também chamado de cisterna, que pode ser ligado a torneiras, vasos sanitários e estruturas que não precisam de água potável. Com a captação da água da chuva, é possível economizar este insumo e diminuir o número de áreas impermeabilizadas.

  1. Aquecimento Geotérmico

    O aquecimento geotérmico é tão natural quanto a coleta da água da chuva já que permite o aproveitamento do vento ou da luz do sol. Contudo, a sua instalação é mais exigente.

    A implementação consiste em uma mistura de água e materiais que não congelam ou evaporam com facilidade quando expostos à temperatura média do solo (15ºC), passando no subterrâneo por canos ligados a uma bomba movida à eletricidade, que esquenta/esfria a mistura e a distribui por todo o sistema.

    Depois da instalação, com os movimentos da crosta terrestre, o calor é trazido para perto da superfície. Esse processo é possível por meio da intrusão de magma fundido e pela circulação de águas subterrâneas que levam à formação de reservatórios de água quente sob grande pressão.

    Segundo dados publicados no Portal Energia, estima-se que a energia geotérmica requer 70% menos de energia, se comparada ao sistema convencional de aquecimento e refrigeração. Além disso, o sistema controla a umidade dentro das instalações domésticas e comerciais.

Materiais de construção sustentáveis: Acabamento

  1. Vidro Inteligente

    Os vidros eletrocrômicos permitem controlar o quanto uma área será iluminada e transparente à radiação solar na fachada ou mesmo em ambientes internos. Segundo dados de estudos realizados nos Estados Unidos, referenciados no artigo “Janelas Eletrocrômicas: Uma Nova Era em Eficiência Energética”, as janelas com vidros inteligentes são até 75% mais eficientes no verão e 45% no inverno, quando comparadas às janelas comuns, resultado em uma economia de energia de até 25% no total.

  1.  Tintas à base de óleo e água

    Resinas, tintas, colas, seladores contêm substâncias orgânicas tóxicas, derivadas do petróleo, e compostos voláteis altamente poluidores no contato com córregos e lençóis freáticos. Com substâncias tão pesadas, estes podem causar a danos à saúde e ao meio ambiente, mas, ainda assim, são necessários e amplamente usados no acabamento de obras.  

    Por isso, o mercado já oferece alternativas e produtos verdes. Colas e tintas, por exemplo, são fabricadas à base de água. Seguindo a mesma tendência, tintas, vernizes, impermeabilizantes e solventes passaram a ser feitos à base de óleos vegetais, evitando, assim, o uso e o descarte de produtos químicos prejudiciais à saúde.

  1.  Piso intertravado

    Composto por peças de concreto modulares, com diversas formas e cores, que são assentadas como um quebra cabeça. Devido à sua resistência é aplicado em calçadas, parques e pisos externos. Ao contrário dos demais, os pisos intertravados permitem que a água da chuva permeie entre as juntas e encontre o solo, facilitando a drenagem. Sustentabilidade na construção civil: o meio ambiente agradece!
banner sobre o quiz insumos da construção civil

Ao contrário do que pode parecer em um primeiro momento de avaliação sobre as alternativas verdes, priorizar o uso de procedimentos e materiais de construção sustentáveis em detrimento dos convencionais, pode baratear a obra e permite uma melhor gestão dos custos de engenharia civil e manutenção, além de promover a sustentabilidade na construção civil.

Além dos benefícios ecológicos, as escolhas de materiais de construção sustentáveis podem trazer ganhos financeiros. O telhado verde, por exemplo, permite a cobertura de grandes áreas planas ou inclinadas com um investimento muito baixo. Os materiais reciclados de construção também podem ser muito baratos. Como são produzidos a partir de resíduos que seriam descartados, o custo é bem menor se comparado aos materiais 100% novos, e ainda contribuem para a redução do desperdício através da sustentabilidade na construção civil.

sustentabilidade na construção civil casinhaQuando as construtoras projetam empreendimentos que utilizam materiais de construção sustentáveis, a economia e os benefícios não são mensurados apenas durante a obra mas, principalmente, no uso do imóvel. Se o ambiente tiver sido planejado para ser bem ventilado o morador irá reduzir o uso de ar condicionado ou ventilador, poupando também recursos naturais. A sustentabilidade na construção civil está diretamente ligada ao bem-estar e ao conforto dos proprietários. Mais do que isso, uma obra que utiliza materiais de construção sustentáveis pensa nas pessoas e na natureza, ou seja, na comunidade em equilíbrio. Com a sustentabilidade na construção civil,  empresa e sociedade ganham juntas.

O Ministério do Meio Ambiente estima que mais de 50% dos resíduos sólidos gerados pelo conjunto das atividades humanas sejam provenientes da Construção Civil. Daí a preocupação de repensar a relação entre construção, meio ambiente e qualidade de vida. O compromisso com a sustentabilidade na construção civil deve ser de todos os envolvidos: clientes, profissionais, empresas e comunidade. As escolhas de hoje não podem comprometer a capacidade das gerações futuras suprirem suas próprias necessidades. A sustentabilidade na construção civil representa, acima de tudo, o dever de manter uma relação equilibrada com o ambiente para garantir qualidade de vida hoje e amanhã.

Energia Solar na Construção Civil
Energia Solar – A evolução na Construção Civil
Postado dia 13 de maio de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção, Sustentabilidade, Tendências

A Energia Solar na Construção Civil vem evoluindo cada vez mais e é o momento de prestar mais atenção neste recurso, neste post falaremos sobre isso.

A possibilidade de crise e o risco do apagão se constituem em temores reais, mas, como vimos nas publicações anteriores (clique aqui e aqui), a energia solar é uma alternativa viável e sustentável para continuar garantindo resultados.

Se a decisão de adotar este tipo de estratégia e investir em uma solução de energia solar já foram tomadas, é hora de entender como conduzir a implementação dos recursos necessários. É preciso ter em mente que a redução de custos de produção na construção civil pode beneficiar diretamente os clientes finais. Para isso, nada de mágica. Reduzir o preço de um produto tem a ver com controlar rigorosamente todas as etapas de sua produção, e controle é um mecanismo chave na administração de empresas.

banner sobre o quiz desperdicio

Assim, controlar a gestão de novos custos, a negociação que envolve novas aquisições e o cronograma de execução do projeto é um desafio que se impõe ao mercado. No momento de aderir ao uso de uma nova matriz energética, como a solar, é importante entender que o apoio de recursos automatizados favorece o controle do todo e minimiza riscos. Recorrer a uma solução de tecnologia voltada para a construção civil é sem dúvida um atalho para o objetivo de minimizar riscos e custos.

Adotar geração própria de energia solar é uma decisão acertada e que garante eficiência à produção e redução de custos em médio e longo prazo. É também um legado de sustentabilidade e um recado de amadurecimento e força ao mercado.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Como a Energia Solar pode Ajudar Construtoras
Energia Solar – Como ele pode te ajudar na crise econômica
Postado dia 6 de maio de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção, Sustentabilidade

A Energia Solar é certamente uma das alternativas mais sustentáveis para gerar eletricidade.

As formas processadas de energia, colocadas à disposição dos consumidores onde e quando necessárias, podem ser eletricidade, gasolina, álcool, óleo diesel, gás natural, etc. O processamento é a forma de produção desta energia – na verdade, de conversão, posto que a energia é abundante na natureza, mas precisa ser transformada para ser utilizada. No Brasil, a matriz hidráulica (a força de quedas d’água artificiais das hidrelétricas) gera 75% de nossa eletricidade. Uma alternativa viável, cujo uso precisa ser mais explorado em nosso país, é energia processada por meio de grandes paineis de captação da luz e calor do sol: a energia solar.

No cenário econômico atual, a construção civil precisa encontrar novas formas de garantir a eficiência energética e, assim, a sustentabilidade de seus negócios. Isso porquê a matriz hidráulica está atrelada ao clima. Assim, quando o nível das águas é reduzido durante o período de estiagem, a produção escasseia, e quanto mais escasso o produto, maior o seu preço – logo, o resultado se reflete nas contas e pode também impactar a produção.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel, que regula os serviços fornecidos pelas concessionárias de energia, em 2015 a projeção não é das melhores para a indústria nacional, e nem para os consumidores finais. As contas devem subir em média 40% em cada estado, tornando o ano especialmente difícil.  Para construtoras, é tempo de repensar diretrizes e focar no objetivo da sustentabilidade. O risco de apagão, que é real quando se trata de energia elétrica produzida pela matriz hidráulica, é praticamente inexistente quando se trata de energia solar.

A energia solar tem outras vantagens: aproveita-se um recurso abundante e reutilizável, como o calor do sol, e reduzem-se os impactos no meio ambiente. Embora a adoção deste tipo de produção exija um investimento inicial, o valor aplicado é rapidamente recuperado por meio da economia nas contas de eletricidade, água e gás. Para saber como a energia solar pode ser útil no canteiro de obras, entre em contato conosco e continue acompanhando nossas publicações.

banner sobre o quiz desperdicio

Energia Solar na Construção Civil: Custos e Benefícios
Construção Civil: veja como economizar usando energia solar
Postado dia 5 de maio de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção, Sustentabilidade

A construção civil já acordou e percebeu a importância (e a lucratividade) da energia solar.

Marcos também já sabe que é melhor fugir do risco e investir em energia solar (clique aqui e confira nosso post anterior sobre o assunto), e agora quer saber quanto custará para a empresa recorrer a esta alternativa.

Pois bem. A microgeração ou geração própria é a produção de energia por parte de consumidores comuns – sejam eles residenciais, comerciais e industriais. Para isso, são utilizadas pequenas turbinas eólicas e painéis fotovoltaicos. A resolução da Aneel que regulamenta a prática define que a microgeração abrange a produção energética que vai até 100 Kilowatts e a minigeração compreende o patamar de 100 KW a 1.000 KW.

Além da redução das contas mensais, são grandes os benefícios da geração própria: no caso de falha na rede elétrica, por exemplo, quem produz continua com eletricidade disponível. Além disso, a perda de energia durante esse processo é mínima, oposto do que ocorre na produção de larga escala.

banner sobre o quiz desperdicio

O custo do investimento depende, é claro, do tamanho da área que passará a usar este tipo de energia, mas, nos últimos anos, o custo ficou 50% menor. E em menos de 50 meses é possível recuperar todo o valor destinado à implantação dos equipamentos, medindo a economia tornada real.  

Outros números

A Alemanha detém 31% da fatia global de energia solar. De todo o volume produzido na Europa, 44% – ou 32,411 GW da capacidade instalada no continente, é de responsabilidade da Alemanha. Isso ajudou a conferir solidez às empresas alemãs que aderiram a esta tecnologia, apesar da crise econômica que se abate sobre o continente desde 2009. O crescimento deste tipo de investimento começou há mais de uma década, antes do período sombrio, portanto. Um decisão inteligente, que por aqui também não pode mais esperar: é hora, mais do que nunca, da Construção Civil investir em energia solar.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Construção Civil melhores cursos para engenheiros civis
Cursos para Engenheiros Civis: separamos os melhores!
Postado dia 29 de abril de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Ensino, Incorporação, Indústria da Construção, Tendências

O aprendizado contínuo sobre a Construção Civil é essencial para avançar na carreira, por isso separamos essa lista com os melhores cursos e palestras online para Engenheiros Civis para você continuar sempre aprendendo!

Além das formas tradicionais de ensino, instituições como o Coursera, o Veduca e a USP, por exemplo, disponibilizam milhares de cursos online para todos os interesses, muitos deles com legenda em português. Se você domina bem o Inglês e consegue assistir a uma aula sem legenda, também há plataformas muito boas de aprendizado como a EDX (que reúne cursos das principais universidades americanas e do mundo) e as bibliotecas de cursos Lynda e Alison. Nem todos os cursos são gratuitos, mas há vários muito interessantes que valem a pena pelo menos dar uma olhada.

Confira aqui a lista dos mais interessantes para os engenheiros civis, por área de conhecimento e instituição ou plataforma online:

Em Português

Coursera
A plataforma Coursera é uma dessas bibliotecas de cursos que faz parcerias com várias universidades de ponta para disponibilizar cursos gratuitos, porém, se você desejar um certificado, é preciso pagar. Veja alguns cursos:

  • Introdução à sustentabilidade
    Este curso introduz a abordagem acadêmica da Sustentabilidade e explora como as sociedades humanas de hoje podem sofrer em face da mudança global, degradação do ecossistema e limitação de recursos. O curso foca nas áreas chave do conhecimento da teoria e prática da sustentabilidade, incluindo população, ecossistemas, mudança global, energia, agricultura, água, economia ambiental e política, ética e história cultural. Em Inglês com legendas em Português.
  • Negociações de sucesso: estratégias e habilidades essenciais
    O curso fornece uma introdução prática e holística às estratégias e habilidades que podem levar a negociações de sucesso na vida pessoal e nas transações de negócios. O conteúdo cobre os quatro principais estágios da negociação: (1) planejamento, (2) negociação, (3) criação do contrato e (4) execução do contrato.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Sienge

Ciclo Online
Oferecemos uma grande variedade de palestras online sobre temas relacionados à indústria da construção, como por exemplo: Planejamento de Obras, Orçamentos, Organizar a empresa para enfrentar crises, etc.
Ensino à Distância
Oferecemos cursos para formar profissionais capacitados no uso do nosso sistema. Pode ser um diferencial no seu currículo!

Alison:

Os cursos são traduzidos do Inglês para o Português (algumas vezes até mal traduzidos), mas os conteúdos são bons. Aí vão alguns que podem ser de interesse:

 

  • Google SketchUp para modelagem 3D
    Ao completar esse curso, você vai saber usar os recursos do Google SketchUp necessários para fazer projetar diferentes modelos. Também vai aprender a adequar as medidas, usar vistas diferentes, agrupar ou dividir em partes os objetos enquanto desenha.
  • Comunicação empresarial
    Aqui são 4 cursos que ensinam sobre habilidades de comunicação aplicada aos negócios: Diploma em Habilidades de Comunicação Empresaria, Fundamentos da Redação Empresarial, Desenvolvimento de Negócios Eficaz – Técnicas de Apresentação, Gestão da equipe – Reuniões de sucesso.
  • Gerenciamento de projetos
    Há vários cursos sobre o assunto na Alison, o mais acessado e abrangente é o Diploma em Gerenciamento de Projetos. Há outros como Projeto de Viabilidade e Ciclo de Vida e Teoria em Gestão Moderna – Teoria e Prática do Projeto, confira:
  • Gestão estratégica
    Para os interessados em assuntos introdutórios à gestão estratégica, estratégica corporativa e tomada de decisões.
  • Segurança do trabalho
    A Alison disponibiliza alguns cursos para os interessados em aprender sobre Segurança do Trabalho, como por exemplo: Segurança e Saúde na Construção,  Segurança de construção – o pacote de gerenciamento de segurança, Segurança baseada em Comportamento, Diploma em Saúde e Segurança no Trabalho.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

AEA

Apesar de os cursos não serem gratuitos, são todos voltados para Engenheiros, Arquitetos e Designers. Possuem cursos interessantes sobre áreas como Construção Industrializada, Tecnologia, Sistemas Prediais e Estruturas e Obras Públicas e de Infraestrutura.

Sebrae EAD

São cursos mais voltados para a área de Negócios e Atendimento ao cliente, como por exemplo Gestão de Qualidade: Visão Estratégica, ou Conquistar, Encantar e Surpreender o Cliente.

SENAI EAD

Alguns dos cursos gratuitos disponíveis são voltados para Segurança do Trabalho, Legislação Trabalhista e Empreendedorismo.

Fundação Bradesco

São vários cursos online sobre assuntos relacionados à Negócios, Administração, Gestão e Governança.

FGV Online

A Fundação Getúlio Vargas oferece alguns treinamentos online gratuitos, entre os mais interessantes estão:

banner sobre o quiz insumos da construção civil

IPED

Oferecem cursos de todos os temas, de confeitaria à construção civil. Possuem uma área inteira voltada para Engenharia e Arquitetura, com cursos, por exemplo, sobre Maquetes Eletrônicas, SketchUp e VRay. Nem todos são grátis, os que são estão aqui:

  • Gestão de qualidade
    O objetivo deste curso é apresentar ferramentas que ajudam as empresas a se tornarem mais competitivas, como: 5 PDCA, benchmarking, satisfação do cliente, círculos de controle da qualidade, controle estatístico do processo, as sete ferramentas da qualidade, programa 5S, programa Kaizen entre outros.
  • Desenho arquitetônico
    De nível mais  iniciante, esse curso vai ensinar os conceitos básicos do desenho arquitetônico. Neste curso será abordada técnicas para que sejam desenvolvidos desenhos de plantas, cortes, elevações, perspectivas e valorização gráfica dentre outros conceitos básicos.

Catálogo ABNT

Apesar de os cursos não serem gratuitos, é bom saber que a ABNT fornece cursos sobre as Normas Técnicas, basta pesquisa a de seu interesse no site deles.

Fundação Vanzolini

Esta instituição privada, sem fins lucrativos, foi criada, é mantida e gerida pelos professores do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). A instituição tem como objetivo principal desenvolver e disseminar conhecimentos científicos e tecnológicos essenciais à Engenharia de Produção, à Administração Industrial, à Gestão de Operações e às demais atividades relacionadas que realiza com total caráter inovador. Os cursos que oferecem são, em maioria, presenciais e na cidade de São Paulo. Eis alguns:

    • Capacitação em Administração para Engenheiros
      Ensina os engenheiros a entenderem o funcionamento do sistema dinâmico e complexo que caracteriza uma empresa moderna, versando trabalhos que envolvem questões legais, financeiras, econômicas, relacionadas ao gerenciamento das pessoas envolvidas nos processos.

 

  • Cursos na área de Projetos
    São vários os cursos ofertados, desde certificações específicas até uma Especialização em gestão de projetos. Veja mais no link abaixo.
  • Cursos na área de Construção
    Qualidade Ambiental, ISO 14001, Gestão da Sustentabilidade, estes são alguns dos temas dos cursos na área de construção. Para saber de outros, veja no link abaixo.
banner do ebook sobre produtividade na construção

Veduca

A plataforma Veduca é uma iniciativa de e-learning que disponibiliza cursos de universidades de 6 países diferentes (Austrália, Brasil, Dinamarca, Inglaterra, Holanda e Estados Unidos). A maioria dos cursos possui legenda em Português. Veja alguns dos principais:

Unieducar

Oferece alguns cursos gratuitos e outros tantos pagos. Entre os gratuitos, vale a pena checar:

 

 

Learncafe

Cursos de temas mais genéricos, alguns gratuitos, outros pagos. É mais difícil achar algo interessante, mas vale a pena ficar atento às novidades.

Cursos Online SP

Apesar de o site ser meio feioso e desorganizado, eles disponibilizam cursos básicos sobre a Construção Civil, especialmente sobre normas e até mesmo para pedreiros, pintores e azulejistas.

EM INGLÊS

Edx

Essa plataforma reúne cursos das mais respeitadas universidades americanas e sobre os mais variados temas. A seção de engenharia e sustentabilidade é muito boa. Para economizar tempo na sua pesquisa, separamos os que tem mais potencial!

Sustentabilidade

Engenharia

Arquitetura

Lynda

A plataforma Lynda é a biblioteca de cursos voltada para aperfeiçoamento profissional que pertence ao Linkedin. Você pode usá-la no modo trial por 10 dias, após esse período é preciso fazer uma assinatura. Veja a lista dos principais cursos relacionados à área de Engenharia Civil:

 

 

Autodesk

Conhecida pelos seus softwares CAD, a Autodesk também possui cursos online de capacitação diversos. Veja os cursos que eles disponibilizam divididos por temas:

Sustentabilidade

 

  • Projeto de Construções de Alta Performance
    Aprenda a considerar fatores como vento, incidência solar, luz do dia, fluxo de ar, clima e tempo, uso de energia e influenciadores diversos da carga estrutural na hora de fazer o seu projeto.

 

BIM

 

 

Softwares Autodesk

 

 

Em Espanhol

EDx

Os cursos da plataforma EDx também estão em Espanhol, caso você domine o idoma. Aqui estão alguns dos mais interessantes:

 

 

Além de todas as alternativas apresentadas, as entidades de classe também são agentes que fomentam o debate sobre as tendências e conseguem responder rapidamente às necessidades do mercado com seminários e palestras ao vivo.

Participe sempre que possível!

Não esqueça de checar as nossas palestras on-line que promovemos através dos Ciclos Sienge On-line e a nossa gama de cursos de Ensino a Distância.

O conhecimento é seu maior patrimônio!

banner sobre o quiz desperdicio

Gestão de Resíduos: O que Sua Construtora Ganha com Isso
Gestão de Resíduos – Empresas e sociedade ganhando juntas
Postado dia 1 de outubro de 2014 | 1 Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Sustentabilidade, Tendências

Você já ouviu falar de gestão de resíduos? Fique tranquilo, o Sienge te ajuda a entender!

Segundo a ABRELPE – Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, em 2013 os municípios brasileiros coletaram mais de 117 mil toneladas/dia de RCD – Resíduos de Construção e Demolição. Número que representa um aumento de 4,6% em relação ao ano anterior. A situação é ainda mais crítica, considerando que a quantidade total desses resíduos é ainda maior, já que os municípios, geralmente coletam apenas os resíduos lançados em vias públicas.

No Brasil, longe de ser referência em práticas de Sustentabilidade Social e Ambiental, em média 50% de todo o resíduo desperdiçado nas obras é depositado sem critério em lixões ou aterros sanitários.

Leonardo é engenheiro civil de uma construtora e assim como o Marcos, o principal executivo da empresa, conhece bem o cenário do desperdício e a falta de tratamento adequado dado aos resíduos gerados pelo setor da construção civil no Brasil.

Mas ele quer fazer diferente e tem o apoio do Marcos, que já deu o primeiro e mais importante passo, investiu em uma solução voltada para o segmento da construção civil. Esta solução integra os departamentos da empresa, e permite que o Leonardo tenha uma comunicação eficiente também com o departamento de compras e acompanhe a gestão dos materiais. Dessa forma a empresa tem um processo de compras muito mais eficiente e já percebe o impacto positivo gerado sobre o fluxo de caixa. Para saber mais clique aqui

Agora Leonardo sabe que o próximo passo é melhorar a gestão dos resíduos, também conhecidos como entulhos, gerados pelas três obras em execução na empresa, assim a empresa poderá:

  • Contribuir para a sustentabilidade social e ambiental
  • Evitar o desperdício da verba disponibilizada
  • Ter a oportunidade de gerar recursos financeiros para a empresa.

Como transformar entulhos em produtos comerciais?

Para responder esta pergunta, Leonardo buscou informações e realizou diversas pesquisas. Concluiu que para fazer uma gestão eficiente do RCD, é importante que suas obras sigam as orientações descritas na Resolução 307/2002 (http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=307) do COMANA – Conselho Nacional do Meio Ambiente. Documento que “Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil”, com o objetivo de reduzir o impacto gerado por estes resíduos. Além disso, entendeu que o projeto da obra precisa ser concebido de forma racionalizada, já considerando o aproveitamento otimizado dos materiais.

Leonardo ficou entusiasmado com a quantidade de ações que podem ser realizadas para o reaproveitamento dos resíduos de obras. Com base nas informações adquiridas providenciou uma relação com as que considerou mais adequadas para implantação nas obras da empresa. São elas:

  • Optar por ferramentas e estruturas inteligentes, como andaimes de metal reutilizáveis ao invés dos andaimes de madeira comuns na construção civil.
  • Revender madeiras, que servem de combustível nos fornos de padarias, pizzarias e churrascarias, uma solução ecologicamente correta que reduz o volume de desmatamento e minimiza aterros.
  • Utilizar os resíduos de alvenaria, concreto, argamassas e solos como matéria-prima para agregados, como areia e brita podem ser reaproveitados na pavimentação e contenção de encostas.
  • Aproveitar restos de pisos e cerâmicas que podem ser cortados em pequenas peças e transformados em mosaicos para decorar paredes, tampos de mesas, bancos, e outros, reduz custos com acabamentos.
  • Usar rochas encontradas na preparação do solo, como revestimento de calçadas e em ambientes de paisagismo, reduz o consumo de recursos naturais e financeiros.
  • Armazenar os resíduos metálicos, que são gerados em grande quantidade no setor de armações de ferro, estes metais podem ser reaproveitados em estruturas de ferro ou enviados para reciclagem.

Leonardo descobriu também que é importante organizar o armazenamento destes resíduos no canteiro de obras, de acordo com as classes a que pertencem. Esse procedimento facilita a realização das ações de reaproveitamento e evita até mesmo que materiais novos sejam misturados aos resíduos e consequentemente descartados.

Depois de concluir sua pesquisa, Leonardo se sente preparado para implantar a gestão de resíduos na empresa. Não tem dúvidas de que estas ações só trazem benefícios à sociedade, contribuem para a sustentabilidade social e ambiental, resultam em redução de custos, e de quebra geram recursos financeiros para a empresa.

Esse é um assunto que tem muito a ser compartilhado! Estamos preparando outros materiais, disponíveis em breve no nosso blog. Volte sempre! Caso queira saber mais, entre em contato conosco clicando aqui. Nós do Sienge queremos ajudá-lo neste processo de mudanças magníficas.

Lean Construction: Tudo que Você Precisa Saber
Lean Construction – Tudo que você precisa saber!
Postado dia 3 de setembro de 2014 | Nenhum Comentário
Categorias: Ciclo Sienge, Indústria da Construção, Software, Tendências

Cada vez mais, as empresas de construção civil estão focadas na busca da quebra de paradigmas de gestão para seus processos de produção, que as tem levado a adotarem o Lean Construction (construção enxuta).

A Lean Construction é uma filosofia que incorpora o lean thinking, ou pensamento enxuto, idealizado pela Toyota, e baseada nas atividades por fluxo de atuação e os critérios de valor.

Nós preparamos este post com uma série de informações para ajudá-lo a entender melhor sobre como funciona o lean construction , e como vem sendo aplicado pelas empresas para melhorar seus processos e aperfeiçoar seus fluxos de atuação.
Na construção civil o modelo conceitual dominante define a produção como um conjunto de atividades de conversão, criando assim os 4 fluxos de conversão. Isso significa transformar insumos (informações ou materiais) em produtos intermediários (revestimentos, estrutura, alvenaria) e ao final a entrega (edificação, obra).

Quais são e como funcionam os 4 fluxos do Lean Construction?

#1 Fluxo de montagem – É o modelo adotado nos orçamentos convencionais, que são segmentados pelos produtos intermediários (vigas, paredes, portas), e também nos planos de obra, nos quais são representadas apenas as atividades de conversão. Assim, tanto os orçamentos quanto os planos de obra representam explicitamente a seqüência de atividades que agregam valor ao produto, também denominada de fluxo de montagem de uma edificação.

#2 Fluxo de materiais – Na construção enxuta, o fluxo de materiais compreende desde a matéria-prima até o produto final, é constituído por atividades de transporte, espera, processamento ou inspeção. As atividades de transporte, espera e inspeção são denominadas como atividades de fluxo de materiais.

#3 Fluxo de informações – Nesta filosofia, estão presentes os processos de natureza gerencial, tais como planejamento e controle e projetos. No caso de processos gerenciais, em vez de materiais, ocorre o transporte, espera, processamento e inspeção de informações. No processo de projeto os principais dados de entrada são as informações relacionadas às necessidades dos clientes e também às inúmeras características do terreno, que, após sucessivas atividades, são transformadas no produto projeto. Nesse caso, pode ser o projeto arquitetônico, estrutural ou de instalações.

#4 Fluxo de trabalho – Outro fluxo na produção que necessita ser gerenciado, que é o fluxo de trabalho. Esse fluxo trata do conjunto de operações realizadas por cada equipe no canteiro de obras. A operação referente ao trabalho realizado pode estar ligada por equipes ou por máquinas. Com o foco na redução de desperdício, podem-se adotar algumas medidas para reduzir o tempo perdido com deslocamento dos operários . Como por exemplo com o armazenamento prévio dos blocos cerâmicos nos pavimentos em que estão trabalhando e água em garrafas térmicas próximo á área em que estão trabalhando. Com essas medidas entre outras, garante-se que as equipes trabalhem o mais próximo possível de um fluxo de trabalho.

Os 4 fluxos citados auxiliam as empresas da construção civil a buscar melhores resultados e obter benefícios como aumento da confiabilidade de prazos, melhoria da produtividade e também da racionalização nas obras.
A proposta do lean construction vai além, ou seja, melhorar o processo removendo as ineficiências, implantando a auto-inspeção e a inspeção sucessiva, a redução do transporte, a melhoria do layout e a eliminação dos tempos ociosos de processo, entre outras providências.
Ou seja, até aqui vimos o primeiro ponto chave, que é minimizar os esforços das atividades que não somam funcionalidades ao produto final. O próximo ponto chave a ser avaliado é a atuação do lean constructionatuar na sistemática das necessidades dos clientes internos e externos. Mas isso já é assunto para outros posts.
Aguarde, estamos preparando outros materiais sobre o lean construction, disponíveis em breve no nosso blog. Volte sempre!

Para que os nossos materiais fiquem ainda melhores, compartilhe sua opinião sobre Lean Construction.

banner das 7 dicas de ouro de como fazer orçamento de obra
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa