Posts Tagged / SPED Fiscal

Levando conhecimento para a Indústria da Construção




Mudanças no SPED contribuições para a Construção. Fique atento!
SPED apresenta mudanças para a Construção Civil
Postado dia 14 de março de 2014 | Nenhum Comentário
Categorias: Fiscal, Funcionalidades Sienge, Indústria da Construção, Sienge

A principal mudança no SPED se refere a entrega da EFD Contribuições. O Sienge te ajuda a entender cada um dos pontos.

O Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) é um programa do governo que visa deixar todo o conjunto de declarações e obrigações fiscais e contábeis em meio eletrônico.

O SPED Fiscal é a categoria mais importante para a indústria da construção civil. O sistema exige maior integração dos processos da empresa – sobretudo com a parte financeira. Considerando os segmentos de trabalho dos nossos clientes, a maior modificação referente à demonstração do EFD Contribuições ocorreu para as empresas de Sociedade em Conta de Participação – SCP.

Até fevereiro de 2014, em relação aos dados de dezembro de 2013 e meses anteriores, a entrega da EFD Contribuições era feita em um único arquivo para a empresa sócio ostensiva e SCP. A partir de março de 2014, para os fatos geradores desde janeiro de 2014, a empresa sócia ostensiva deve transmitir um arquivo e a SCP outro.

A alteração é válida apenas para as Sociedades em Conta de Participação. No arquivo referente à declaração da EFD, deve-se informar se a empresa cadastrada no Sienge é principal, filial ou SCP. Assim como nos parâmetros da geração do arquivo, a empresa deve informar também a natureza da pessoa jurídica.  Veja abaixo, como você fará isso no Sienge.

img-blog

Para os nossos clientes, a declaração será feita normalmente através do sistema Obrigações Fiscais. Na versão 7.24, liberada no dia 11/03/14, essa mudança já está disponível. Os clientes que possuem sua base hospedada em data center terão essa atualização feita automaticamente. Já para aqueles que não possuem, será necessário fazer a atualização do sistema manualmente.

Se você ficou com alguma dúvida sobre como gerar a EFD ou SPED Fiscal, abra um chamado através do Espaço Cliente Sienge ou ligue para (48) 3027-8100.

Se você ainda não conhece o sistema Obrigações Fiscais, saiba como ele pode ajudar a sua empresa, entrando em contato com um de nossos consultores.

eSocial: O Que vai Mudar para Sua Empresa
eSocial – O que é e como afetará a sua empresa
Postado dia 21 de outubro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Fiscal, Incorporação, Indústria da Construção, Sienge, Software

Alvo de muitos dúvidas, o eSocial será obrigatório para algumas empresas já em 2014. Saiba como evitar surpresas e problemas.

A nova obrigação abrange a todos os contribuintes, desde o empregador doméstico até as grandes empresas, contemplando a escrituração digital da folha de pagamento, as alterações no contrato de trabalho e nas atividades desempenhadas pelo trabalhador, as informações sobre os serviços contratados por empreitada ou por intermédio de cooperativas, entre outras.

Todas as obrigações trabalhistas, previdenciárias e fiscais a respeito de contratações de trabalhos no Brasil farão parte do eSocial, o que resultará na eliminação de uma série de obrigações acessórias, entre outras obrigações fiscais.

Para as empresas em geral, a escrituração do eSocial será feita através de arquivos digitais, bem semelhante ao do SPED, que já vem sendo declarado faz algum tempo (aprenda mais sobre o SPED no nosso Blog).

banner do ebook sobre produtividade na construção

O calendário de implantação do eSocial nas empresas, divulgado em eventos onde a Receita Federal tem participado, é o seguinte:

  • Empresas tributadas pelo Lucro Real devem efetuar o cadastramento em janeiro de 2014 e entregar a folha de pagamento, através do eSocial, em março de 2014;

  • Empresas tributadas pelo Lucro Presumido devem efetuar o cadastramento em julho de 2014 e entregar a folha de pagamento, através do eSocial, em setembro de 2014;

  • As demais empresas devem efetuar o cadastramento em janeiro de 2015 e entregar a folha de pagamento, através do eSocial, em março de 2015;

  • No exercício de 2014 não haverá mais DIRF;

Para as empresas da construção essa declaração acontecerá no ano que vêm, então é bom estar em dia com a declaração para evitar multas. Para as empresas que usam o Sienge com o nosso software de RH, além de deter melhor as informações referentes a folha de pagamento, ainda conseguirão gerar o arquivo compatível com o leitor da receita.

Quando estiver mais próximo da declaração do eSocial vamos fazer um post especial explicando como fazer a declaração do eSocial através do nosso software de RH, se você quiser ser informado sobre esse post, preencha o formulário abaixo:

SPED Fiscal
SPED Fiscal é o tema do nosso Ciclo Sienge Norte
Postado dia 10 de setembro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Ciclo Sienge, Ensino, Funcionalidades Sienge, Incorporação, Indústria da Construção, Sienge

Chegou a hora do Norte do país receber nosso aguardado Ciclo Sienge de palestras. E o tema é Sped Fiscal, o qual temos recebido diversas dúvidas.

Segundo o Ministério da Fazenda o projeto do SPED tem como objetivo uniformizar e racionalizar o processo de declarações das obrigações acessórias, assim as declarações podem ser enviadas em um único documento,  para os diferentes órgãos do governo.

Recentemente, após o lançamento do do Sped Fiscal, que teve sua primeira declaração obrigatória no início de 2013, o Governo fez o Sped Social ou eSocial, que é um novo componente do SPED, abrangendo folha de pagamento e as obrigações trabalhistas, previdenciárias e fiscais relativas aos vínculos trabalhistas.

O SPED Fiscal envolve um série de especificidades, e cada tipo de negócio tem diferentes orbigações fiscais para declarar, o mesmo acontece para o SPED Fiscal para  indústria da construção. Veja a baixo alguns dos assuntos que serão abordados no nosso Ciclo Sienge de Palestras no norte do Brasil:

  • Consistência das informações;

  • Atendimento de prazos;

  • Incidência de multas;

  • EFD Contribuições para empresas de lucro presumido.

Vá ao link a baixo para se inscrever no Ciclo Sienge edição Norte:

Ciclo Sienge de Palestras

TEMA - SPED FISCAL PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL
Vagas limitadas

SPED Fiscal

SPED Fiscal
SPED Fiscal
SPED Fiscal – Ciclo Sienge de Palestras para a construção civil
Postado dia 24 de junho de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Ciclo Sienge, Ensino, Fiscal, Gestão, Indústria da Construção, Sienge, Software, Tendências

Dando continuidade aos nossos esforços de deixar o SPED Fiscal cada vez mais claro, oferecemos mais um Ciclo Sienge sobre o tema.

O Ciclo Sienge de Palestras é mais uma forma que temos de nos aproximarmos dos nossos clientes, parceiros e sindicatos, como já foi falado em posts anteriores, e é por isso que retomamos com os Ciclos de Palestras no segundo semente.

Nessa segunda etapa explicaremos as especificidades e particularidades do Sped Fiscal na indústria da construção, em especial o EFD contribuições que afeta diretamente as empresas de incorporação imobiliária. Além disso, será mostrado como um sistema de gestão pode facilitar esse processo, evitando atrasos e multas.

Veja aqui os tópicos que serão abordados:

  • Consistência das informações;
  • Atendimento de prazos;
  • Incidência de multas;
  • EFD Contribuições para empresas de lucro presumido.

Confira algumas das cidades por onde o Ciclo passará e faça sua inscrição:

Ciclo Sienge de Palestras

TEMA - SPED FISCAL PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL
Vagas limitadas
Ciclo Sienge - SPED Fiscal
Ciclo Sienge - SPED Fiscal
Ciclo Sienge - SPED Fiscal
E para conhecer mais de nossos ciclos online e presenciais, acesse nossa página exclusiva para os eventos: https://www.sienge.com.br/ciclo-sienge/ .
Para entender um pouco mais de nossas funcionalidades e diferenciais, acesse: https://www.sienge.com.br/solucoes/.
Ciclo Sienge
Sienge – Resumo do que aconteceu até agora nos ciclos
Postado dia 7 de junho de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Ciclo Sienge, Ensino, Fiscal, Gestão, Indústria da Construção, Sienge, Software

Presente em diversas cidades do Brasil, o Ciclo Sienge dissemina conteúdo de qualidade para o mercado da construção civil.

A realização dos Ciclos Sienge é a chance que temos de nos aproximar de nossos clientes, assim conseguimos falar de forma mais enfática sobre algumas necessidades que normalmente, pela distância, não temos condição de conhecer.

Ciclo Sienge

Ciclo Sienge Maringá – PR, dia 9 de abril

Nessas conversas descobrimos, por exemplo, que o SPED Fiscal para a indústria da construção – o assunto que foi tratado nesse primeiro semestre dos Ciclos – foi muito importante porque conseguimos levar conhecimento específico sobre um tema que é uma necessidade real para o mercado, mas que ainda não tem muitas fontes de informações, exatamente pelo fato de ser um tema novo.

Os Ciclos também são ótimas oportunidades para nos aproximarmos dos sindicatos das regiões onde foram realizados. Com essa relação conseguimos entender um pouco mais sobre as necessidades e particularidades de cada local, assim podemos ser mais efetivos ao trabalhar com nossos clientes.

Depois desses 6 meses de trabalho, encerramos de forma muito positiva o primeiro semestre do Ciclo Sienge de Palestras. Mas nossa programação já está pronta para o próximo semestre, visitaremos 6 estados e logo colocaremos mais informações sobre as cidades, os temas e as datas.

Se você participou do Ciclo Sienge e quer deixar sua opinião para melhorarmos e atendermos cada vez mais suas necessidades, acesse o link: http://www.surveygizmo.com/s3/1232658/Pesquisa-de-Satisfa-o-Ciclo-Sienge-2013.

SPED Fiscal
SPED Fiscal – Ciclo Sienge para a indústria da construção civil
Postado dia 5 de abril de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Ciclo Sienge, Ensino, Fiscal, Funcionalidades Sienge, Indústria da Construção, Sienge, Software

O assunto SPED Fiscal pode causar dor de cabeça em muitas pessoas. Mas com o Sienge tudo fica mais tranquilo.

Segundo estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário 65% das empresas de pequeno porte e 49% das empresas de médio porte, apresentam indícios de sonegação, o que em 2008 na indústria da construção representou mais de 4 bilhões de reais. Com o objetivo de combater a sonegação e ao mesmo tempo aumentar a regulação nos principais setores da economia, o governo federal lançou em 2007 o SPED (sistema público de escrituração digital).

Em 2012 essa novidade chegou à indústria da construção, exigindo maior organização, consistência e segurança nas informações a serem declaradas, agora em formato digital.

Em mais um rodada do Ciclo Sienge de Palestras explicaremos questões fundamentais ainda não plenamente esclarecidas para a indústria da construção e mostraremos como ferramentas de gestão podem facilitar o atendimento dessa obrigatoriedade.

As principais características abordadas sobre o SPED Fiscal serão:

  • Consistência das informações;
  • Atendimento de prazos;
  • Incidência de multas;
  • EFD Contribuições para empresas de lucro presumido.

As próximas palestras sobre SPED Fiscal confirmadas são:

Minas Gerais, BH, dia 09/04, para se inscrever clique aqui

Salvador, BA, dia 10/04;  para se inscrever clique aqui

Vitória, ES, dia 11/04;  para se inscrever clique aqui

Niterói, RJ, dia 22/04;  para se inscrever clique aqui

Declarar SPED com o Sienge é Muito mais Fácil
SPED Fiscal – Declarar com o Sienge é muito mais fácil!
Postado dia 27 de março de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Fiscal, Funcionalidades Sienge, Incorporação, Indústria da Construção, Sienge, Software, Tendências

O Sienge pode te ajudar muito com a declaração do SPED Fiscal! E fique tranquilo, nós vamos te ajudar.

Dia 28 de fevereiro de 2013 as empresas de lucro presumido tiveram a primeira experiência na declaração do SPED fiscal. Instituído em 2007, o SPED faz parte do projeto do governo de Escriturações Fiscal Digital que visa diminuir custo burocrático da apuração fiscal das empresas, além de aprimorar o combate a corrupção, diminuir obrigações acessórias e escriturar os livros fiscais de forma digital.

A declaração do SPED fiscal está divida em dois vértices:

  • EFD fiscal basicamente refere ao objetivo de substituir por meio digital a escrituração e a impressão dos livros fiscais Registro de Entradas, Registro de Saídas, Registro de Inventário, Registro de Apuração do IPI e Registro de Apuração do ICMS.
  • EFD PIS/CONFINS trata-se de um arquivo digital instituído no Sistema Publico de Escrituração Digital – SPED, a ser utilizado pelas pessoas jurídicas de direito privado na escrituração da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins, nos regimes de apuração não-cumulativo e/ou cumulativo, com base no conjunto de documentos e operações representativos das receitas auferidas, bem como dos custos, despesas, encargos e aquisições geradores de créditos da não-cumulatividade.

Veja abaixo os benefícios da declaração do SPED:

  • Redução no tempo para o atendimento das obrigações fiscais;
  • Redução dos custos com armazenamento e controle de documentos fiscais;
  • Simplificação do processo de declaração fiscal, facilitando o atendimento das obrigações dentro dos prazos estabelecidos;

Pensando na tendência do governo federal em estimular a declaração de tributos por meio digital. O Sienge desenvolveu o sistema de obrigações fiscais que, entre outras funções, atende também ao SPED. Nele é possível gerar os arquivos EFD fiscal e o EFD PIS/CONFINS com o leiaute estabelecido pela receita e exportá-los para o validador da receita.

O Sienge auxilia na sistematização do registro de SPED, pois possuí campos específicos que geram as informações necessárias possibilitando, portanto, a exportação do arquivo da contabilidade do Sienge para o site da receita federal, onde são coletadas as escriturações de forma digital.

Há telas no sistema que abrangem o cadastro de: produtos fiscais, documento fiscal – onde há uma categorização da nota: bloco C ou bloco D. O usuário também pode determinar se a nota será gerada no sistema de contas a pagar ou contas a receber. Após todas as informações fiscais estarem preenchidas o sistema preencherá automaticamente o somatório destes dados na nota.

Hoje são mais de 150 clientes do Sienge que usam o sistema de obrigações ficais para declarar o SPED. Veja as dicas que montamos para facilitar a declaração do SPED  através do Sienge:

1.       Configure o código IBGE no cadastro dos municípios. É através deste código que há a identificação dos municípios dentro dos arquivos EFD e EFD Contribuições.

2.       No cadastro do documento de contrato para incorporação, informe o regime de caixa no campo ‘Regime contábil para apuração do PIS/Cofins’. Esta marcação do documento é ainda mais importante se sua empresa trabalha no regime de competência.

3.       Cadastre a ‘Parametrização Anual Contábil e Fiscal’ para todos os anos, a partir do ano que houver o primeiro registro financeiro. Como exemplo, caso sua empresa tenha registros desde 2010 e a partir de agora esteja implantando a parte fiscal, não registre apenas as informações de 2013, mas sim destes quatro anos.

4.       Utilize o ‘Relatório de Inconsistências para Geração do EFD – Contribuições’ antes das gerações dos arquivos digitais para ter um resumo daquilo que ainda falta ser editado antes da geração.

5.       Crie ‘Produtos Fiscais’ associando seus insumos das tabelas. Estes proporcionarão um ganho operacional ao indicar itens das notas de produtos e/ou serviços.

SPED Fiscal Construção Civil
SPED Fiscal – Como funciona na indústria da construção civil
Postado dia 17 de janeiro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Fiscal, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Sienge

Organizar sua gestão financeira pode evitar sérios problemas fiscais à sua empresa. Saiba aqui no Blog do Sienge como funciona o SPED Fiscal na construção civil.

O sistema público de escrituração digital – SPED é um projeto do governo federal que visa digitalizar o conjunto de declaração e obrigações fiscais para o meio eletrônico, onde as empresas prestam informações para fiscos das unidades federativas e Secretaria da Fazenda, estes devem ser declarados com uma periodicidade mensal. O plano do governo é subdividido em categorias: SPED contábil, nota fiscal eletrônica (NF-E) e Escrituração Contábil Digital (ECD).

Instituído pela Receita Federal – no ano de 2007, com o objetivo de diminuir custo burocrático da apuração fiscal das empresas, além de aprimorar o combate contra a sonegação, diminuir obrigações acessórias e escriturar os livros fiscais de forma digital.

SPED contábil trata-se da apuração do conjunto de escriturações de documentos fiscais e de declaração de impostos das empresas por meio digital. O que deve ser entregue a receita federal mensalmente.

O sistema exige maior integração dos processos da empresa – sobretudo com a parte financeira. Assim como tende a exigir uma informação minuciosa destas ações. É composto por subprojetos, entre eles: EFD (Escrituração Fiscal Digital) contribuições – nomeado: SPED fiscal, nota fiscal eletrônica, nota de produto, nota de serviço, conhecimento de frete eletrônico.

SPED Fiscal

O EFD contribuições é obrigatório para empresas de lucro real e para algumas empresas de lucro presumido desde março de 2012. Todavia para contribuições tanto no que se refere à prestação de serviço quanto à atividade imobiliária teve seu prazo estendido para fevereiro de 2013 contemplando contribuições referentes a janeiro do mesmo ano.

Logo o SIENGE auxilia na sistematização do registro de SPED Fiscal, pois criou campos específicos que geram as informações necessárias, possibilitando, portanto, a geração do arquivo no sistema de obrigações fiscais para a leitura no validador da receita. Através dos processos de cadastros do SIENGE é necessário parametrizar configurações específicas no preenchimento de dados para atender a essa leitura específica legal.

banner do cronograma eficiente em obras
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa