Posts Tagged / mercado imobiliário

Levando conhecimento para a Indústria da Construção




mercado imobiliário 2017
Mercado imobiliário: retrospectiva de 2016 e tendências para 2017
Postado dia 13 de janeiro de 2017 | Nenhum Comentário
Categorias: Incorporação, Indústria da Construção, Tendências

No Brasil, os dois últimos anos não foram os melhores para o mercado imobiliário. Até 2014 o saldo era positivo: em nove anos, foi registrado um crescimento de quase 800% em relação ao número de unidades financiadas. A queda começou em 2015, segundo dados da Abecip, citados nesta matéria, o país  alcançou R$ 75,6 bilhões em financiamentos, registrando uma queda de 33%, sendo esta somada à queda real no preço dos imóveis.

Em 2016, a inflação medida pelo ICP-S (Índice de Preços ao Consumidor – Semanal) terminou dezembro em alta de 0,33%, o que fez com o indicador tenha acumulado 6,18% no ano, segundo a FGV (Fundação Getúlio Vargas). Já para 2017, o mercado tem como expectativa inflação abaixo de 5%. A boa notícia é que os preços dos imóveis devem subir menos, e, assim, o brasileiro pode voltar a investir na aquisição de imóveis.

Com um cenário mais favorável e previsões positivas, o mercado imobiliário deve ficar aquecido novamente em 2017. Para aproveitar esta nova fase, é preciso pensar em estratégias que permitam oferecer à construtora ter condições de se destacar e conquistar clientes.

Mas, antes mesmo de começar a fazer planos e estratégias para o ano novo, vale realizar um balanço de 2016 e ver o que ele trouxe de melhor para o mercado imobiliário. Confira a seguir a retrospectiva do ano passado e as principais tendências para 2017.  

Destaques do mercado imobiliário em 2016

 

  1. Aumento de vendas de imóveis: no início do segundo semestre, em agosto, o mercado imobiliário registrou a primeira alta na venda de imóveis depois de 13 meses consecutivos de queda. Segundo matéria da Exame, que apresenta dados da pesquisa realizada pela Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), foram negociadas 9,271 mil unidades, indicando um aumento de 1,4% na comparação com as vendas de agosto de 2015. Ainda em agosto, foram lançadas 4.611 unidades, registrando um aumento de 70% frente ao volume lançado no mesmo mês de 2015.

 

 

  • Queda nos juros do financiamento ajudam o mercado imobiliário: após a primeira queda da taxa Selic, em outubro, a Caixa anunciou, no dia 8 de novembro, conforme matéria da Exame, a redução dos juros de financiamentos imobiliários de 12,5% ao ano para 12,25%. Além disso, a Caixa passou a oferecer taxas de juros iguais às cobradas dos servidores públicos para clientes que adquirirem imóveis novos ou na planta cuja construção tenha sido financiada pelo banco, caso optem por receber o salário pela Caixa. Neste caso, as taxas de juros passam de 11,22% ao ano para 9,75% ao ano para imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), e de 12,5% ao ano para 10,75% ao ano para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI). Além da Caixa, o Santander também diminuiu os juros do financiamento, no dia 3 de outubro, de 11,3% ao ano para 10,7% ao ano, para imóveis enquadrados no SFI, impulsionando o fechamento de novos negócios no mercado imobiliário.

 

 

 

  • Financiamento independente é alternativa no mercado imobiliário: com a perspectiva de retomada de crescimento do mercado imobiliário, grandes grupos retornam para oferecer o financiamento independente de crédito imobiliário no Brasil. Como os bancos estão mais exigentes e restritivos na oferta, o mercado imobiliário está demandando alternativas de financiamento. Uma delas é a securitização imobiliária, que permite atender à demanda do investidor. A Tecnisa já apostou na alternativa e fechou uma operação de 90 milhões com a Ourinvest. O executivo da companhia, Nelson Campos, acredita que este é um bom momento (para retornar ao mercado imobiliário), pois, segundo ele, os imóveis voltaram ao preço de 2008.

 

 

 

  • Desemprego na construção civil ainda é alto: segundo dados do Sindicato da Construção Civil de São Paulo (Sinduscon/SP), o setor fechou 441 mil vagas de emprego formais entre outubro de 2015 e outubro deste ano, representando uma redução de 14,66%. As maiores quedas foram registradas em Rondônia (40,5%), no Pará (25,9%) e no Piauí (21,4%). Em São Paulo foram fechadas 11,3% das vagas no período de 12 meses. Segundo estimativa projetada pela economista economista da FGV, Ana Maria Castelo, em entrevista à Agência Brasil, 2016 deve fechar com a queda no nível de emprego em 14,5%, o que resulta em apenas 2,43 milhões de pessoas trabalhando na área, o mesmo patamar de agosto de 2009.

 

 

 

  • Queda real no preço dos imóveis: segundo dados do último boletim do Índice Fipe Zap, o valor médio dos imóveis subiu abaixo da inflação de janeiro a novembro deste ano. Considerando a inflação esperada para o período, o preço médio anunciado do metro quadrado apresentou queda real de 6,25% favorecendo a recuperação do mercado imobiliário. Todas as cidades brasileiras que compõem o Índice FipeZap registraram variação inferior à inflação esperada nos últimos doze meses, sendo que no caso de Rio de Janeiro, Niterói, Distrito Federal e Goiânia houve queda nominal nesse período.

 

 

Mercado imobiliário: Inflação, Selic e PIB

– Inflação: depois de dois anos de alta nos preços com a inflação elevada, o Brasil já passou pelo pico e a tendência é de que a inflação comece a desacelerar. Em 2015, a inflação chegou a 10,7%. Para 2016, economistas já veem a inflação dentro do objetivo. De acordo com a pesquisa Focus, divulgada em 16 de dezembro, a mediana das projeções aponta 6,49 % para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Para 2017 o centro da meta continua sendo de 4,5 % pelo IPCA. Considerando a margem de 1,5 ponto, o boletim Focus indica expectativas de alta da inflação de 4,90 %. Diante desta perspectiva, a meta da inflação está fixada em 4,5%, com teto em 6%.  

Com os preços subindo menos, logo as famílias terão mais renda e condições de voltar a investir no mercado imobiliário. A queda também deve levar à baixa no preço dos imóveis. Afinal, o custo com materiais e mão de obra reduz, e o preço de novos empreendimentos também.

– Selic: a taxa chegou a um dos patamares mais altos já vividos na Economia brasileira recente. Em 2014, os juros básicos estavam na casa de 11%. Já em 2015, a taxa Selic chegou a 14,25 % e assim permaneceu até outubro deste ano. Neste período, a alta da Selic foi uma manobra para que a população consumisse menos, na tentativa de conter a inflação, o que impactou o mercado imobiliário.

Os juros começaram a cair com a entrada do novo presidente e as medidas de ajuste econômico. Em outubro, segundo dados publicados no G1, o Copom anunciou o corte de 14,25 % para 14%. Esta foi a primeira redução em quatro anos. Já em novembro, o Copom anunciou um novo corte e a Selic chegou a 13,75 %, de acordo com outra matéria do G1. A expectativa é de que este movimento de queda continue. Com empréstimos e financiamentos mais acessíveis, além do aumento da renda por conta da queda da inflação, logo mais pessoas terão acesso ao financiamento imobiliário em 2017.

– PIB: o Produto Interno Bruto é o indicador da economia que revela se um país está crescendo ou não. Em 2015, o PIB registrou uma queda de 3,8%, segundo dados publicados em matéria no G1, tido como o pior resultado nos últimos 25 anos. Dentre as demais áreas da economia analisadas para o cálculo do PIB, a indústria teve uma queda de 6,2% influenciada pela retração de quase 8% do setor de construção.

Segundo dados divulgados em matéria da Agência Brasil, para 2016 a projeção era uma queda de 3%, porém a contração da economia se confirmou com um percentual ainda maior: 3,5%.

Já para 2017, as expectativas em relação ao PIB são bem mais positivas. O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê, segundo matéria publicada na Folha de São Paulo, a retomada do crescimento da Economia brasileira. Segundo o órgão, o Brasil deve voltar a ser, em 2017, o oitavo maior PIB global. Para o FMI, o PIB brasileiro pode chegar a US$ 1,95 trilhão no ano que vem ante US$ 1,90 do PIB italiano. A previsão do FMI motiva os profissionais e clientes e deve movimentar o mercado imobiliário novamente.

 

Perspectivas do mercado imobiliário para 2017

  • Preços atrativos para investir: ainda que a instabilidade da Economia brasileira não permita traçar um cenário claro no mercado imobiliário para 2017, segundo matéria da Exame, especialistas acreditam que o preço dos imóveis tende a ficar estável no próximo ano, dada a queda real de 6,25% entre dezembro de 2015 e dezembro de 2016. Em entrevista à revista Exame, João da Rocha Lima, professor do Núcleo de Real State da Poli-USP, afirmou que, “considerando um cenário no qual a economia comece a se recuperar devagar e a inflação caia, os preços devem ficar estáveis até voltarem a subir”.
  • Emprego em queda: para 2017, a previsão é que o setor de construção civil continue a cortar postos de trabalho, mesmo com a melhora no mercado imobiliário. Em entrevista à Agência Brasil, a economista da FGV, Ana Maria Castelo, estima uma queda de 5,5% no nível de emprego. Essa queda é reflexo de investimentos que estão sendo feitos pelas construtoras em produtividade, para otimização da mão de obra.

  • Empresários cautelosos: ainda que alguns índices mais positivos tenham sido registrados, o último boletim da sondagem da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgado em dezembro, mostra que o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) teve queda. O ICEI recuou 3,7 pontos na passagem de novembro para dezembro e ficou abaixo dos 50 pontos, indicando a falta de confiança dos empresários. Na construção civil, em novembro o ICEI registrado foi de 51,7, já em dezembro recuou para 48. Ainda assim, é registrada uma recuperação de confiança, em comparação a novembro de 2015, quando o índice estava em 36.

  • Consumidores pouco confiantes: em dezembro, o último boletim do Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC) registrou 100,3 pontos, valor 2,8% inferior ao de novembro, apresentando o segundo recuo consecutivo. O índice reverte o crescimento dos quatro meses anteriores: entre julho e outubro de 2016, o INEC havia crescido 3,4%. Ainda assim, o índice estava maior do que o registrado em dezembro de 2015 (4,2% de crescimento), porém 7,8% abaixo de sua média histórica. A perda de confiança do consumidor é preocupante, pois deve representar um novo freio ao consumo das famílias nos primeiros meses de 2017.  

  • Retomada da Economia: embora pareça difícil acreditar, com a desaceleração da inflação, a queda na taxa básica de juros no país e a perspectiva de aumento do PIB, a política econômica do país acaba fortalecida e, com isso, a retomada do crescimento do mercado imobiliário também deve se confirmar em 2017. Os sinais de melhora da economia representam a esperança para o mercado imobiliário, já que, aos poucos, os bancos devem voltar a fazer oferta de financiamento de imóveis para o consumidor. Como destaca matéria da revista Exame, o mercado imobiliário depende de como está o cenário no país. Já é possível prever uma melhora econômica e boas expectativas para o próximo ano, então, a tendência é que o mercado imobiliário registre melhora em 2017.
mercado imobiliário
Mercado imobiliário: o que fazer para melhorar as vendas em 2017?
Postado dia 30 de setembro de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Incorporação, Indústria da Construção, Tendências

Na última década, acompanhando o ritmo de desenvolvimento do país, o mercado imobiliário brasileiro viveu duas fases bem diferentes. Com o crescimento econômico e a expansão da construção civil, as construtoras e incorporadoras se depararam com muitas oportunidades, aumentando a oferta de imóveis. Mais recentemente, com a retração da economia, a construção civil desacelerou e o mercado imobiliário também.

Segundo dados da pesquisa da Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), coletados em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), as vendas de imóveis, em julho de 2016, totalizaram oito mil unidades. O que representa um recuo de 7,1% na comparação com mesmo mês do ano anterior.

Embora o ritmo do mercado imobiliário continue lento, ao que tudo indica o país começa, aos poucos, a tomar fôlego para voltar a crescer e melhorar as vendas. De acordo com a mesma pesquisa, o lançamento de imóveis cresceu 92,5%.

“No acumulado dos sete primeiros meses de 2016, os lançamentos totalizaram 33,9 mil unidades, crescimento de 13,8% em relação aos mesmos meses de 2015.”

soldDiante do cenário atual e com a grande oferta de imóveis, o desafio é manter a positividade e aproveitar o momento para se preparar para próximo ano, planejando e desenhando estratégias com antecedência. Enquanto o país começa a se recuperar da instabilidade política e econômica, o caminho é buscar soluções para melhorar os processos internos, a integração da equipe e, principalmente, se aproximar do cliente com o objetivo central de impulsionar as vendas. A expectativa é que a partir de 2017 o Brasil passe a viver uma fase de retomada do crescimento do mercado imobiliário.

Com essa previsão, o momento é propício para que incorporadoras e construtoras façam uma avaliação da sua estrutura. É necessário avaliar os pontos fracos e as potencialidades, identificando o que é preciso fazer para se fortalecer e ganhar destaque no mercado imobiliário.

Como o preço de casas e apartamentos está em queda há meses e muitos imóveis estão encalhados, empresas da construção civil têm concedido altos percentuais de descontos, de 30%, 50% e até 70% para conseguir vender. Muitas, se propõem ainda a pagar parte da decoração do novo imóvel. Mas, o ideal é não gastar tanto recurso para efetuar a venda. É preciso evitar a perda de qualquer percentual de lucro. Por isso, investir em estratégias de diferenciação no mercado imobiliário é fundamental.

Esta palestra online, do Sienge, mostra que um dos caminhos para se destacar no mercado imobiliário é usar as redes sociais como ferramentas para alavancar a venda de imóveis. Sabe-se que mais de 70% do processo de compra de um imóvel começa on-line, então você não tem outra escolha: é preciso construir um bom plano de comunicação digital com ênfase em vendas e relacionamento com o cliente. A presença da construtora on-line vai garantir mais proximidade com seu público.

Como melhorar as vendas: oportunidade e desafios do mercado imobiliário

mercado imobiliário vendasPara melhorar as vendas no mercado imobiliário é essencial ter processos internos claros e transparentes e, sobretudo, estratégias bem definidas. A construtora precisa se perguntar, por exemplo, se está pronta para atender todos os potenciais clientes. Nosso e-book Acessibilidade na Construção Civil: obras adaptadas do início ao fim, destaca a importância de pensar a acessibilidade como um diferencial competitivo no mercado imobiliário. Se a construtora criar um projeto acessível, ela sai ganhando e muito: com o tempo,  a prática se consolida como um valor agregado à imagem institucional e ao produto. Ou seja, a construtora conquista a clientela de pessoas com mobilidade reduzida, e os demais públicos também, já que será vista como uma agente transformadora, preocupada com o bem-estar e inclusão de todos.

Depois de realizada a venda, manter uma aproximação com os clientes e estreitar o relacionamento com eles também é importante. Uma equipe preparada, canais de comunicação, e outras ações, se bem planejadas, contribuem para a construtora consiga tê-lo sempre por perto.

Um dos maiores desafios é manter o cliente satisfeito, durante toda a execução da obra, e após a entrega das chaves também. Por isso, a construtora deve ter uma ótima estrutura e uma equipe de pós-venda formada por profissionais com boas habilidades interpessoais. É importante por exemplo, criar um material para o novo proprietário do imóvel. Você pode usar o nosso Modelo de Manual do Proprietário de Imóveis para fazer o seu. Além das chaves, o cliente recebe as principais orientações para usufruir do espaço da casa nova e ser feliz ali, sem qualquer dúvida ou dificuldade.

Veja também os nossos materiais gratuitos que auxiliam na pós-entrega do imóvel

Recibo de Quitação de Imóvel
Recibo de Entrega de Chaves

Mercado Imobiliário 2017: quais fatores vão influenciar?

Este é o momento de repensar tudo: do começo ao fim da obra, e, principalmente, em todas as formas de aumentar o potencial competitivo. Dá, sim, para acreditar em um cenário de alta no mercado, e é possível elencar algumas razões para manter um olhar mais otimista e buscar se fortalecer.

  1. Crescimento de linhas alternativas de crédito no mercado imobiliário

    As mudanças nas regras de financiamento dos bancos públicos, em 2015, levaram os clientes a buscarem novas alternativas para financiar. Com isso, os bancos privados passaram a oferecer novas linhas de crédito, e os consórcios ganharam destaque no mercado. A tendência é que continuem crescendo.

    Quer saber como construir para o Programa Minha Casa Minha Vida? Veja tudo que você precisa saber sobre o PMCMV nesta página!

  2. Mercado de luxo não tem crise

    Em todo o país, no ano passado, a procura por imóveis com preço acima de R$ 1 milhão já era crescente e a tendência é que permaneça assim. Dados levantados pelo Portal Imobiliário VivaReal indicam que a procura por imóveis nessa faixa de preço aumentou 32% no terceiro trimestre de 2015.

  3. Otimismo no mercado de locações

    Se comprar está um pouco mais difícil, a saída, muitas vezes, é optar pela locação. Ainda segundo informações do mesmo portal, o mercado imobiliário, especificamente o aluguel, setor começou a ficar aquecido em 2015. Entre maio e setembro de 2015, por exemplo, a procura por imóveis para locação subiu 32% e deve continuar crescendo. Ou seja, comprar imóvel para locar, garantindo uma renda fixa, pode ser uma ótima ideia, o que deve atrair os investidores para o mercado imobiliário.

mercado imobiliário 2017 fechando negócioEstas são algumas das razões que motivam quem trabalha no mercado imobiliário. Para fazer mais e se destacar, é preciso começar agora. Aos gestores, cabe a tarefa de fazer uma pausa, avaliar os processos internos e buscar uma visão completa de tudo o que está acontecendo no mercado imobiliário e na sua empresa, em tempo real. Para isso, o gestor pode se valer de ferramentas como Business Intelligence. É possível inovar com o uso de soluções tecnológicas especializadas na construção civil, que propiciem a comunicação entre as áreas, melhor planejamento e gestão dos projetos de obra. Além disso, a tecnologia permite uma comunicação de vendas integradas, com processos comerciais definidos e automatizados que podem ser a chave para se destacar e ser competitivo no mercado imobiliário.

 

O Mercado Imobiliário Recuou?
Mercado Imobiliário – Chegou a hora do time de vendas!
Postado dia 7 de julho de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Gestão, Incorporação, Tendências

Com os estoques em alta o mercado imobiliário precisa garantir o alto desempenho de vendas, para atender às metas estabelecidas e não fechar no vermelho.

Para quem está com dinheiro na mão, esse é o melhor cenário para fazer um bom negócio, por isso, o alinhamento de sua equipe comercial fará toda a diferença! E como garantir um discurso perfeito na ponta da língua?

Como você já leu no post Veja como melhorar a comunicação com o time comercial e vender mais!”, a comunicação entre a equipe é fundamental para conquistar bons resultados no Mercado Imobiliário.

Para alcançar esse resultado, a estratégia é adotar uma solução tecnológica especializada no mercado da construção civil, capaz de manter a equipe de vendas interna (corretores próprios) e os corretores das imobiliárias com as mesmas informações sobre as negociações e as reservas das unidades.

Palestra Online Como vender Internet

Todos precisam acessar em tempo real os materiais relacionados às vendas como tabela de preços, modelo de contratos e reserva das unidades. Com o  compartilhamento dessas informações e documentos, o  time fica muito mais produtivo e atinge melhor resultado!

Onde quer que estejam, os corretores devem conseguir acessar os dados sobre os clientes interessados no empreendimento, atendimentos efetuados, propostas em andamento e unidades disponíveis, por exemplo.

A solução certa pode ajudar o time de vendas a submeter propostas automaticamente para aprovação da gerência (quando o corretor não tiver alçada para uma negociação mais agressiva), ou até elaborar contratos automaticamente, agilizando o fechamento do contrato.

Dessa forma, é possível ter uma visão geral e sistêmica dos empreendimentos, eliminando o risco de venda duplicada e permitindo melhor controle da produtividade comercial, por empreendimento e por corretor.

Além disso, uma solução adequada viabiliza a avaliação constante das estratégias e a rápida adequação às demandas do mercado, em termos de preço e flexibilidade de pagamento, variáveis imprescindíveis na negociação em 2015.

Com tudo que foi apresentado, você já sabe como garantir o alto desempenho de sua força de vendas no Mercado Imobiliário, certo? Se quiser mais detalhes sobre a solução ideal para te ajudar, fale conosco!

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Construção Civil
Construção Civil – Trabalhe sua comunicação interna
Postado dia 21 de maio de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Gestão, Incorporação, Indústria da Construção

Como a melhora na comunicação interna pode fazer seu time de vendas render mais. Um desafio constante na Construção Civil.

No caso das incorporadoras, o desafio ganha um peso ainda maior porque é preciso manter os corretores internos e os que trabalham para as imobiliárias na ‘mesma página’, ou seja, tendo acesso às mesmas informações.  

A falta de comunicação adequada traz uma série de pequenos problemas nos processos de vendas, podendo ocasionar perdas financeiras para a Construção Civil. Por exemplo, se uma incorporadora não mantém atualizado o sistema de reservas e vendas de unidades, o corretor corre o risco de fechar um negócio e vender uma unidade que não está mais disponível.

Pode parecer bobagem, mas quando estão em jogo muitos empreendimentos, com inúmeras unidades, é fácil que os erros aconteçam. Se houver uma gestão eficiente e uma solução de tecnologia que seja capaz de unificar as informações, integrando todo o time, o controle das vendas será bem facilitado.

No e-book “Saiba como o uso da tecnologia beneficia as diferentes áreas da sua empresa no segmento da construção”, você encontra as principais vantagens em investir mais em tecnologia para integrar todas as áreas da sua empresa.

Se você, gestor, passa por uma situação desta com sua equipe, saiba que é primordial que o processo de comunicação seja claro e transparente. A equipe comercial precisa ter fácil acesso, de preferência em tempo real, às tabelas de preços, modelos de contratos, reservas de unidades e demais informações essenciais para o fluxo de vendas.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Já pensou ter em um único ambiente todas as informações que sua equipe precisa para vender mais? Utilizar recursos tecnológicos que permitam compartilhar informações dos clientes e disponibilidade de unidades entre o time comercial é um excelente primeiro passo para elevar a comunicação e facilitar as vendas.

Além disso, você pode – e deve! – fazer uso de dispositivos móveis para levar a informação até os corretores, que estão na rua o tempo todo. Assim, com um clique no dispositivo móvel eles consultam os empreendimentos de qualquer local e a qualquer hora.

Com seu time informado e com acesso fácil às informações que precisa, sua incorporadora terá, sem dúvida, melhor performance comercial e venderá mais! E você ainda pode ter mais tempo e visão do todo para planejar novas estratégias com o objetivo de aumentar o volume de vendas.

banner sobre o quiz desperdicio

Mercado Imobiliário
Mercado Imobiliário – Como driblar os problemas na economia
Postado dia 19 de maio de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Gestão, Indústria da Construção, Tendências

Os problemas na economia afetam todos, mas poucos sabem tirar proveito dessa situação e dar a volta por cima no Mercado Imobiliário.

Para o Mercado Imobiliário, as previsões de crescimento também não são positivas e de acordo com pesquisa realizada pelo Sinduscon-SP em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) há a expectativa de aumento das demissões na área por conta da diminuição do volume de obras. Mas saiba que mesmo diante de um momento de incerteza, você pode tomar decisões para obter os melhores resultados para o seu negócio, com redução de custos e aumento da lucratividade.

banner do ebook sobre produtividade na construção

Por isso, agora mais do que nunca, é hora de colocar em prática a gestão integrada da sua empresa, buscando ter o controle de custos altamente eficiente. A gestão integrada pode resultar em 30% de eficiência em despesas e prazos, o que, sem dúvida, é uma importante vantagem competitiva.

Além das previsões da economia do país, o Mercado Imobiliário precisa driblar outros contratempos do dia a dia para melhorarem sua performance. Entre eles o desperdício dos materiais usados em obras, os gastos excessivos com a compra de materiais importados, devido à alta do dólar, e a falta de gerenciamento adequado da equipe. Não é uma tarefa fácil. Mas, um bom planejamento realizado antes de iniciar a obra certamente vai ajudar e, muito, principalmente na redução de custos.

banner sobre o quiz desperdicio

Hoje em dia, a tecnologia dispõe de softwares que auxiliam em todo esse processo. Os sistemas de gestão de obras permitem que as empresas desenvolvam seu trabalho de forma organizada, com controle do orçamento, planejamento e acompanhamento físico da obra e ainda, com a possibilidade de integração com outros departamentos. A integração com o RH, por exemplo, permite avaliar a produtividade dos funcionários e, a partir daí, criar planos de ação para melhorar o desempenho da equipe. No e-book “Saiba como o uso da tecnologia beneficia as diferentes áreas da sua empresa no segmento da construção” , você encontra as principais vantagens e benefícios em investir mais em tecnologia e como integrar todas as áreas da sua empresa. Não deixa de ler!

Aproveite que o ano ainda está começando e coloque em prática estas orientações. Diante de um momento econômico cheio de incertezas, como o que estamos vivendo, é fundamental controlar o que só depende de você e ajustar os custos que estão, muitas vezes, dentro de casa. Agir agora é a garantia de competitividade e continuidade no Mercado Imobiliário.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Mercado Imobiliário
Mercado Imobiliário – Quer saber resultados sem sofrimento?
Postado dia 3 de dezembro de 2014 | Nenhum Comentário
Categorias: Incorporação, Indústria da Construção, Software

O mercado imobiliário é instável e muito competitivo. Ter um total controle dos seus resultados é um grande diferencial competitivo.

Tão importante quanto, é o planejamento fiscal e societário, se por conta de participação (SCP) ou com propósito específico (SPE), ou até por consórcio; se por lucro real ou lucro presumido.

Mercado Imobiliário

Somado a isso, temos que o mercado da construção civil é um dos setores mais relevantes da economia nacional, altamente competitivo e trabalha com grande demanda, cenário onde as empresas lidam com margens de lucro muito estreitas.

Somado a isso, temos que o mercado da construção civil é um dos setores mais relevantes da economia nacional, altamente competitivo e trabalha com grande demanda, cenário onde as empresas lidam com margens de lucro muito estreitas.

Agora, vale lembrar que sua construtora ou incorporadora têm diversos empreendimentos em realização simultaneamente, e à medida que esta quantidade aumenta, também cresce muito a complexidade de gestão no Mercado Imobiliário.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Isto nos confirma que a gestão precisa dos resultados de cada empreendimento e o tratamento destes resultados de forma unificada para sua construtora ou incorporadora são decisivos para atingir um bom desempenho em termos de resultados financeiros.

E então você pensa em todos os detalhes envolvidos na gestão de um empreendimento para apuração do resultado de cada um deles!
Ufa!!! Difícil a vida de quem gerencia tudo isto, não é?

Quer dizer então que:

O resultado final de uma obra é consequência de um bom planejamento de execução, financeiro e tributário, considerando sempre margens muito justas!

Que temos diversas obras, em diversos pontos geográficos, cada qual com suas particularidades e ocorrências!

Isso mesmo, e que o resultado financeiro de cada uma delas é igualmente importante!

Mercado Imobiliário

E como podemos ter o controle sobre todo este cenário, cheio de variações, informações relevantes e metas financeiras?

Fácil: através da análise e acompanhamento precisos dos resultados de cada empreendimento e da visualização desses resultados de forma unificada para sua construtora ou incorporadora.

A tecnologia se torna grande aliada para solucionar estes problemas, através de sistemas de gestão que permitem:

❏  Um processo de comunicação rápido e eficiente.

❏  A integração do escritório de projetos com as áreas administrativa e financeira.

❏  Atualização de informações em tempo real.

❏  A eliminação de retrabalho e ganho de tempo.

❏  Confiabilidade em informações que retratam a realidade do mercado imobiliário.

Este diferencial extraordinário na eficiência na gestão,  por meio de informações precisas ao seu alcance, fica garantido com visões gerenciais do financeiro e contábil; análise de tendência do realizado x orçado e gerencial das obras, avaliando resultado de margem; acompanhamento de viabilidade econômica;entre outros.

Em resumo, com a solução adequada, seus esforços podem ser direcionados para a estratégia de sua empresa, sendo suportado por informações relevantes para tomada de decisão no mercado imobiliário.

Torne a mensuração do resultado final de seus empreendimentos e do resultado unificado de sua construtora ou incorporadora um processo integrado e produtivo.

Fale conosco e conheça mais das características de uma solução que possa facilitar sua vida e tornar mais fácil o entendimento do mercado imobiliário.

Construção Civil
Construção Civil – Otimismo, equilíbrio ou maturidade?
Postado dia 9 de maio de 2014 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Tendências

O Brasil possui um baixo nível de endividamento de crédito imobiliário em relação ao PIB. Ponto para a construção civil!

Isso dá espaço para o crescimento do crédito imobiliário, sem riscos de desequilíbrio econômico, com a difusão de novas ferramentas para fundos imobiliários. Veja o gráfico:

Gráfico de Crédito Imobiliário:

Construção Civil

A nível comparativo:  em países como Estados Unidos, França, Inglaterra, Alemanha e Chile o crédito imobiliário é mais de 20% do PIB dos seus respectivos países.

 O nível de inadimplência do brasileiro também é baixo, o que é muito positivo para o setor, pois deixa a economia saudável. Abaixo, o gráfico mostra que o índice inadimplência do brasileiro vem diminuindo drasticamente com o passar dos anos.

Índice de inadimplência:

Construção Civil

Outra questão que determina o futuro econômico do país, é o bônus demográfico. De acordo com o gráfico abaixo, observa-se que o Brasil está no meio  da faixa de bônus, isso significa que a população economicamente ativa predomina da constituição etária do país. Que demandam moradia e estrutura.

Construção Civil

O que se espera daqui pra frente é um mercado maduro com projeções otimistas, acompanhado de um mercado com preços altos, mas sustentados pela demanda aquecida, subsidiada por: bônus demográfico, crescimento no número de famílias, crescimento da classe média/aumento da renda, ampliação do acesso ao crédito, redução da taxa de juros e inflação estável.

Também espera-se um maior equilíbrio entre o número de lançamentos e vendas, devido a sistemas de vendas mais eficientes. Isso aumentará os preços no setor, mas, dessa vez, por causa da demanda aquecida, e não por fatores como a especulação.

Mercado Imobiliário
Mercado Imobiliário – Algumas questões para se atentar
Postado dia 26 de dezembro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Fiscal, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Tendências

Saiba porque precisamos estudar bem o Mercado Imobiliário para se fazer os devidos investimentos.

Em 2006 e 2007, por exemplo, algumas grandes empresas tentaram se inserir no Mercado Imobiliário nacional, mas não foram bem aceitas, em função de algumas especificidades que existem em cada região do mercado brasileiro.

Hoje, no Brasil, há boas oportunidades, principalmente em função da expansão, da desburocratização, da melhora nas bases jurídicas, da criação do patrimônio de afetação, além de uma série de medidas que promoveram mais segurança aos investidores que injetam capital e fazem com que esse mercado gire.

Apesar de tudo estar conspirando a favor do Mercado Imobiliário, ainda é necessário se ater a algumas questões que podem apresentar riscos ou até mesmo ameaças para o futuro, como:

Mercado Imobiliário

O Blog do Sienge vai te trazer uma série de posts que vai te ajudar a entender ainda mais esse complexo cenário que se tornou o Mercado Imobiliário. Serão dicas de Gestão de Vendas, Gestão de Canteiro de Obras, entre tantas outras formas de aumentar a eficiência e a lucratividade de sua construtora ou incorporadora.

Construção Civil
Construção Civil – Passado recente do mercado
Postado dia 21 de novembro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Indústria da Construção, Sienge

Problemas que enfrentamos hoje no Ciclo de Negócios da Indústria da Construção Civil brasileira, como apagão de mão de obra, são reflexos das décadas de 80 e 90.

O mercado da engenharia civil não estava muito aquecido entre 1980 e 2000 e, em função disso, houve pouco investimento das empresas e pessoas no segmento da Construção Civil.

O mercado da construção civil brasileira foi marcado por altos e baixos, devido à má situação econômica e à instabilidade política, além de algumas crises mundiais, como a crise americana e a desvalorização do Real, que propagam certa insegurança no setor.

Em 2007, houve um “boom” do mercado da construção civil brasileira. Para perceber isto, basta comparar os lançamentos, as vendas e as unidades disponíveis no Brasil.

Construção Civil

Gráfico de Lançamentos de Imóveis

 

Construção Civil

Gráfico Comparativo: Lançamento,Vendas, Velocidade, Estoque.

Em 2009, houve uma retração no mercado devido à crise americana de 2008. Isso aconteceu, pois a confiança no setor diminuiu. Entretanto, as construtoras e incorporadoras lançaram muitos imóveis, mas não tiveram muita aderência dos compradores, o que fez o número de estoque aumentar. Esse cenário mudou nos anos seguintes, por causa da demanda da população e do bom momento político e econômico do Brasil.

No nosso próximo conteúdo você vai ver algumas questões que preocupavam o setor há alguns anos, como bolha imobiliária, apagão de mão de obra, demanda desaquecida, entre outras.

construção civil
O que esperar de 2014 na indústria da construção civil
Postado dia 7 de outubro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Incorporação, Indústria da Construção, Sustentabilidade, Tendências

Na indústria da construção civil isso acontece através dos sindicatos, federações, câmaras, entre outros órgãos. Esse ano, seguindo a tradição, houve o 85º ENIC – Encontro Nacional da Indústria da Construção, que acontece em Fortaleza do dia 02 a 04 de outubro, aborda algumas questões referentes ao setor.

Segundo a organização do evento os assuntos tratados serão a burocracia que limita as atividades de construção civil, com o painel Barreiras Regulares e Burocráticas na Competitividade da Construção Civil Brasileira. Outros aspectos discutidos serão a chamada especulação imobiliária e as mudanças que ocorreram no Brasil nos últimos anos e de que forma a construção civil pode acompanhá-las.

Durante o ENIC Fortaleza, o presidente da CBIC – Câmara Brasileira da Indústria da Construção, Paulo Safady Simão, ressaltou o bom momento que o Brasil está, a estabilidade econômica, o reconhecimento internacional e o amadurecimento do país como um todo, mas também frisou que toda a nova conquista representa um desafio a ser vencido.

Sobre a Construção, Safady falou que o setor é estratégico para o Brasil, pois só assim o país conseguirá responder a demanda de infraestrutura da população, como por exemplo, construção de novas escolas e creches, melhores hospitais, erradicação do déficit habitacional, melhoria imediata de toda nossa infraestrutura, entre outros desafios que têm como elementos chaves para a solução a Indústria da construção civil e do Mercado Imobiliário.

O Presidente da CBIC também falou do outro lado da moeda, que apesar de vivermos o bom momento, é inviável para a Construção continuar crescendo de maneira constantes que vêm crescendo nos últimos anos, quando conta com um ambiente de negócios arcaico. Para ele são muitos gargalos que se colocam à frente de qualquer cadeia produtiva, o que propaga uma enorme insegurança e baixo desenvolvimento na economia do país.

Então é muito importante que haja uma mudança na área tributária, na política, na área trabalhista, no Poder judiciário e promover uma ampla mudança cultural na indústria da construção civil, caso contrário o setor passará por dificuldades no futuro.

Desde o início do ultimo semestre do ano algumas boas notícias surgiram para o setor, veja e inteire-se um pouco mais sobre as principais manchetes que saíram que envolvem a construção:

Além das notícias apresentadas a cima, entrarão em vigor em 2014 mudanças nas leis, novas obrigações fiscais e benefícios para o setor . Então fique atento, pois  no próximo post falaremos um pouco mais sobre o eSocial,  um novo componente do SPED Fiscal instituído pelo Governo Federal que tem como objetivos unificar, integrar e padronizar as informações sobre os empregadores e seus empregados ou contratados.

Construção Civil
Tecnologia na Construção Civil – Usando a web para vender mais
Postado dia 26 de setembro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Ensino, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Sienge, Software, Tendências

Hoje estar presente na internet não é mais diferencial, é necessidade. E na indústria da Construção Civil é certeza de mais imóveis vendidos.

A tecnologia é uma advento que está mudando a forma com que as pessoas se relacionam, se comunicam e consomem. Assim como em outras áreas observa-se esse comportamento, na indústria da Construção Civil estar conectado, ter acesso e usufruir dos benefícios tecnológicos tornou-se uma necessidade para os consumidores. Das pessoas que procuram imóveis 64% delas utilizam redes sociais como fonte de pesquisa, assim sendo, os mercados tem que se adequar a essa nova era, veja o que números dizem sobre o setor da construção:

Se sua empresa precisa organizar seu processo comercial fale com um dos nossos consultores que eles te explicarão melhor como o Sienge pode ajudar:

Conheça mais das soluções Softplan em: https://www.softplan.com.br/solucoes/.

Construção Civil
Construção Civil – É hora de aumentar a produtividade!
Postado dia 12 de setembro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Sienge, Sustentabilidade, Tendências

Qualquer pequeno diferencial é determinante para o sucesso da sua empresa e aumentar a produtividade pode te salvar. O setor da Construção Civil também está neste cenário.

Para o futuro do setor da Construção Civil, a perspectiva é de uma maior preocupação com a qualidade dos produtos ofertados. Retomando a boa engenharia e a boa arquitetura, com mais planejamento e controle das obras, com foco nos processos de gestão, nos custos e na qualidade.

Aumento na margem de rentabilidade das empresas  continua sendo prioridade para o futuro, obrigando as empresas a enxugarem suas estruturas, racionalizarem custos e lógico, serem mais assertivas nos empreendimentos.

Nos lançamentos imobiliários, haverá uma preocupação maior com a concepção do produto, baseada em pesquisas de mercado, afim de captar as necessidades reais, diferentes nichos de consumidores e a viabilidade econômica do empreendimento.

Em meio ao contexto, o movimento de sustentabilidade continua em crescimento progressivo e cada vez mais incorporado com o setor da indústria da Construção Civil, tanto nos processos de certificação (LEED, Grenbuilging, AQUA, ISOs), quanto na aplicação da sustentabilidade na fase de  de concepção do empreendimento, assim como em retrofits.

O grande desafio, porém, está no salto de produtividade da Construção Civil, que deve ter como elemento indutor um intenso movimento na inovação, seja passando pelo desenvolvimento de materiais, novas demandas imobiliárias, novas tecnologias da construção como a popularização do BIM (Building Information Modeling), desenvolvimento e melhor aplicação da TI, adequação às normas de qualidade e qualificação profissional.

A necessidade de potencialização da produtividade na indústria da Construção Civil é um desafio, entretanto, com isso, mesmo atuando em um cenário próspero, as empresas podem e estruturar cada vez mais, aprimorando todos os seus processos e reduzindo drasticamente seus riscos.

Ciclo Sienge Online
Sienge – Ciclo Online com o tema Módulo de Engenharia
Postado dia 16 de agosto de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Ciclo Sienge, Ensino, Funcionalidades Sienge, Gestão, Indústria da Construção, Sienge, Tendências

Mais uma força de reduzir custos que a equipe Sienge traz gratuitamente para todo o mercado imobiliário.

Nessa edição do Ciclo Sienge Online falaremos sobre o módulo de Engenharia, desta vez o tema será Planejamento no Sienge: sua contribuição na redução dos custos. Esse tema foi escolhido por ser uma continuação do assunto abordado nas palestras anteriores, Orçamento: quando implantar.

Planejar reduz custos, riscos e evita atrasos. O Planejamento no Sienge possibilita a integração e o cruzamento das informações de Orçamento e Compras do sistema, isso significa mais inteligência, pois fornece uma visão integral das movimentações da sua empresa, com dados mais seguros e consistentes, o que deixa o processo de tomada de decisão cada vez mais preciso.
A palestra apresentará as formas, benefícios e recursos necessários para você montar seu planejamento no Sienge e ensiná-lo a utilizar as informações disponíveis no sistema de forma adequada, tudo para otimizar a utilização do nosso software para construção civil.

Mais um produto com a qualidade Softplan.

 

Ciclo Sienge Online

Portal do Corretor
Portal do Corretor – Gerencie suas vendas de forma ideal
Postado dia 25 de julho de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Funcionalidades Sienge, Incorporação, Indústria da Construção, Novidade Sienge, Sienge, Software

Gerenciar corretores é umas das tarefas mais difíceis da rotina das empresas do mercado imobiliário. Pensando em facilitar esse processo, lançamos o Portal do Corretor.

O Portal do Corretor é totalmente integrado com o restante do sistema, tem sua base no pró-vendas e a interface é simples fácil de usar, pois possuí somente informações úteis para os corretores e os dados referentes aos empreendimentos podem ser acessadas de qualquer local via web.

Pensando nos corretores, desenvolvemos o Quadro-Espelho: uma representação gráfica da situação e da disponibilidade das unidades de um determinado empreendimento. Esta situação é atualizada em tempo real, de acordo com as ações efetuadas no sistema, evitando, por exemplo, a reserva ou venda da mesma unidade para dois clientes diferentes. Além de ter um layout amigável, o Quadro Espelho serve como um atalho para outras funcionalidades, tais como, detalhes, reservas e proposta de unidades.

No Quadro Espelho o corretor pode verificar os detalhes de uma unidade, como o tamanho da área privativa, área comum e área total. Através dele, o corretor também pode reservar uma unidade para apresentá-la a um prospect ou para ter prioridade na negociação.

Palestra Online Como vender Internet

Assim como fazer uma reserva de unidade, com o Portal do Corretor é possível cadastrar uma proposta para um cliente, sendo ela através do Quadro Espelho ou do Menu da ferramenta.  Nela o corretor tem a flexibilidade de fazer uma proposta sem precisar passar por um processo burocrático, necessitando apenas da aprovação do seu gerente, que analisa a proposta feita e dá seu consentimento.  As informações deste contrato são lançadas diretamente para o sistema e posteriormente podem ser aproveitadas para a geração de um contrato, caso o cliente compre a unidade.

Através do Portal do Corretor você pode cadastrar os interesses de cada prospect: as unidades que já foram mostradas para ele, o tipo de empreendimento, o tamanho, media de preços, nível de interesse do prospect, entre outros detalhes. Desta forma o corretor pode analisar o perfil do cliente oferecendo a ele imóveis que se encaixem mais com o perfil do cliente.

Essas são apenas alguns dos benefícios do Portal do Corretor, veja abaixo uma lista de mais algumas funcionalidades:

VERIFICAR A
DISPONIBILIDADE DAS UNIDADES
EFETUAR
RESERVAS DAS UNIDADES
CADASTRAR E CONSULTAR
PROSPECTS
CADASTRO DE
PROPOSTAS

Caso você se interessou por essa ferramenta do Sienge / Softplan entre em contato conosco e tire suas dúvidas através do formulário abaixo:

Encerradas as inscrições para o Ciclo Sienge Online
Sienge – Encerradas as inscrições para o Ciclo Online
Postado dia 14 de junho de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Ciclo Sienge, Indústria da Construção, Sienge, Software

Infelizmente tivemos que encerrar as inscrições do Ciclo Sienge Online. Em breve teremos ótimas novidades!

Devido ao sucesso de inscrições da primeira edição do Ciclo Online, que irá ocorrer dia 28/06/13, já atingimos o total de vagas.

Mas não se preocupe, você ainda poderá participar da palestra com tema “Orçamento no Sienge”, estamos programando uma nova data que será comunicada em breve, aqui mesmo em nosso blog.

Ciclo Sienge - Edição On-line
Inscrições encerradas
Tema - Orçamento Sienge: quando implantar
Clique aquiClique aqui
Ciclo Sienge Online

Aproveite para conhecer mais de todos os nossos ciclos online e presenciais em: https://www.sienge.com.br/ciclo-sienge/. O melhor software para a indústria da construção civil é também o que mais te ajuda no que realmente interessa. São as dores da rotina, com resultados práticos.

Conte sempre com a nossa equipe e fique atento aos nossos próximos ciclos. Use também nossa área de contato para sugerir novos temas e enriquecer ainda mais o mercado imobiliário.

Primeiro Imóvel
Primeiro Imóvel – Saiba como conseguir desconto na aquisição
Postado dia 14 de janeiro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Fiscal, Indústria da Construção

Todos sabem a importância de se adquirir a casa própria, mais ainda o primeiro imóvel. Saiba que você tem um belo desconto nesta situação.

Previsto em lei desde 1973, pelo artigo 290 da Lei n° 6.015/73, o benefício que garante o abatimento de 50% no registro do primeiro imóvel ainda é pouco difundido entre a população e os cartórios não são obrigados a divulgar o benefício, no entanto podem ser multados e ter o funcionamento suspenso caso não cumpram a legislação.

Para ter o abatimento concedido na compra do Primeiro Imóvel, é necessário que o bem seja utilizado como residência e financiado pelo SFH, Sistema Financeiro de Habitação. Os especialistas sugerem que o comprador vá ao cartório com toda a documentação necessária que comprove que aquela está sendo sua primeira residência de fato.

Já os empreendimentos do programa Minha Casa, Minha Vida, são amparados pela Lei Federal n° 11.977/2009. Segundo essa legislação, os registros de imóveis adquiridos pelo programa terão 80% de desconto, quando os beneficiários tiverem renda familiar mensal de seis e até dez salários mínimos. E para imóveis que tem como favorecidas famílias com renda mensal de três a seis salários mínimos, o desconto vai para 90%.

Geralmente as instituições financeiras exigem uma “declaração” que comprove que o bem a ser adquirido é o Primeiro Imóvel do proprietário. Entretanto, ao requerer o desconto junto ao Cartório de Registros de Imóveis, única comprovação legal é a apresentação de certidão negativa do empreendimento.

Indústria da Construção
Cenário de crescimento na Indústria da Construção
Postado dia 26 de dezembro de 2012 | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção, Tendências

Obras do PAC, Minha casa, Minha Vida e Copa do Mundo são as grandes apostas para o crescimento da Indústria da Construção em 2013.

2012 foi um ano peculiar nos diferentes setores da indústria Brasileira, que vinha em um ritmo acelerado de crescimento, quando em 2012 se estabilizou e até decaiu em alguns momentos. No entanto, segundo o SindusCon-SP, as expectativas para 2013 são otimistas, isso devido a algumas medidas tomadas pelo governo, por conta  do comportamento de mercado da Indústria da Construção, e o crescimento da economia brasileira.

Empreendimentos imobiliários lançados em 2012 deverão ser edificados. Um número crescente de moradias do Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV) será construído. Obras de infraestrutura do PAC prosseguirão e outras serão iniciadas.

As obras de infraestrutura – esportiva, urbanismo, mobilidade, para a Copa de 2014 deverá seguir em ritmo acelerado. Edificações de portos, aeroportos e rodovias iniciarão alguns dos investimentos já foram anunciados pelo governo, como por exemplo, os R$ 5 bi em obras de infraestrutura para desastres naturais, e o pacote de aeroportos que englobará cerca de 70 novos aeroportos regionais. Visando as eleições de 2014 os Estados deverão investir em obras públicas.

A Caderneta arrecadou, no período de janeiro a outubro de 2012, R$ 27,1 bilhões, o que ultrapassou o acúmulo registrado no mesmo período de 2011, de R$ 9,4 bilhões. De acordo com a Abecip – que reúne as empresas de crédito imobiliário, isto será suficiente para garantir os recursos necessários ao financiamento até 2015, quando novas fontes como os Covered Bonds que já estarão implementados.

O setor da Indústria da Construção deverá deslanchar depois que as medidas de estímulos anunciadas pelo governo entrarem em vigor, como a desoneração da folha de pagamento – que incide sobre construtoras que em vez de 20% sobre o faturamento para o INSS, pagarão um percentual fixo de 2%.

Indústria da Construção

A redução da alíquota do Regime Especial de Tributação (RET) de 6% para 4% nos empreendimentos imobiliários, a ampliação no valor do imóvel de R$ 85 mil para R$ 100 mil – essa medida permitirá a contratação de moradias do programa Minha Casa, Minha Vida, onde os governos estaduais e municipais poderão oferecer subsídios complementares, a ampliação no valor do imóvel de R$ 85 mil para R$ 100 mil e capital de giro, o governo está disponibilizando financiamento mais barato.

Desta forma a indústria da construção terá recursos para promover o aumento da produtividade, driblando as possíveis dificuldades durante o ano.

Modelos de Gestão Empresarial, Inovador e Flexível
Gestão empresarial – Conheça modelos inovadores e flexíveis
Postado dia 6 de dezembro de 2012 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Indústria da Construção, Tendências

O atual cenário da construção tem apontado um grande crescimento e um mercado imobiliário em expansão mais concorrido e agressivo, o que implica em novas demandas em gestão empresarial.

Operar em um mercado superaquecido, com produção em escala e em diversas regiões do país é um desafio para as corporações, pois não há uma padronização no que se refere a legislação, tipo de produto imobiliário, perfil do consumidor, disponibilidade de materiais, equipamentos e mão de obra. Isso gera dificuldades para as incorporadoras e construtoras caso adotem o mesmo modelo de gestão empresarial de empreendimentos e das obras nessas diversas regiões. A situação não muda quando se fala de projetos, as empresas incorporadoras e de projetos têm enfrentado dificuldade para acompanhar essa evolução do mercado, sentindo a necessidade de viabilizar seu modelos de gestão empresarial com enfoque sazonal.

Ainda que nos últimos anos as incorporadoras e os escritórios de projetos tenham investido em massa na certificação e qualidade, racionalização dos processos, novas tecnologias construtivas, novas tecnologias de projeto e controle, na melhoria das ferramentas de simulação dos projetos e processos, muitos erros básicos ainda são constantes, isso por conta de desconhecimento técnico e gerencial. 

Muitas vezes a falta de competência técnica resulta em projetos de risco tanto quando se fala de engenharia – obra, como também riscos empresariais, muitas vezes
comprometendo a margem de lucro das empresas por fatores corriqueiros, como o desperdício de material.

A relação entre a qualidade dos projetos e os riscos de segurança estrutural vem crescendo no mercado, devido, principalmente, a uma demanda de práticas pouco rigorosas, em especial no que se refere à redução dos coeficientes de segurança e não consideração dos efeitos do vento no cálculo estrutural. Estes riscos podem se agravar com erros na execução das armações das estruturas e com a má qualidade do concreto usinado.

Uma das grandes dificuldades em se fazer uma boa gestão empresarial está na base do processo de produção: com falta de pessoas qualificadas, atualizadas e comprovadamente aptas a exercer sua função.

banner da planilha de orçamento de obra
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa