Posts Tagged / construção civil

Levando conhecimento para a Indústria da Construção




economia e construção civil
As previsões para a Economia e a Construção Civil em 2017
Postado dia 20 de dezembro de 2016 | 2 Comentários
Categorias: Construção, Indústria da Construção, Tendências

O ano de 2015 foi um dos piores da história do Brasil para a Economia e Construção Civil, especialmente, para a Construção. 2016 foi – e está sendo – um período de pequenas melhoras, porém a recuperação não aconteceu no ritmo em que se esperava. Já 2017 promete melhoras significativas no cenário de Economia e Construção. No último mês de outubro, por exemplo, a pesquisa mensal da Confederação Nacional das Indústrias (CNI) apontou que Atividade da Construção diminuiu em relação a setembro, acumulando quedas em 3 meses consecutivos.

Analisando os resultados da pesquisa da CNI, a atividade da construção estava em baixa no começo de janeiro de 2016 e veio crescendo levemente até julho. Nos últimos 3 meses, porém, a atividade do setor voltou a cair. Agosto, setembro e outubro configuraram queda da atividade da construção, que permanece um tanto longe de voltar a um cenário de Economia e Construção Civil otimista.



evolucaoatividadedaconstrucao

O cenário ruim do mercado da construção civil no Brasil apenas consolida a percepção de que a Economia e Construção do país sofrem – e devem demorar um pouco para se recuperar. O PIB (Produto Interno Bruto) teve a pior variação negativa em 25 anos. Em 2015, o PIB recuou 3,8%, o que demonstra recessão efetiva da Economia do país. O cálculo do Produto Interno Bruto é um indicador que busca medir a atividade econômica através da soma de todos os bens e serviços produzidos no país.

Em 2016 a previsão é de que o PIB ainda apresente variação negativa. O último Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central, aponta que a expectativa do mercado é de que o recuo do PIB seja de 3,5% ao final de 2016. Ainda segundo o Boletim Focus, a expectativa é de que 2017 termine com o recuo de 0,98% do PIB. Ou seja, o mercado não espera o fim da recessão tão cedo.

O que é o boletim Focus?
O Boletim Focus é um relatório divulgado semanalmente pelo Banco Central do Brasil (BC ou BACEN). Este relatório contém uma série de projeções sobre a economia brasileira coletadas junto a alguns dos principais economistas em atuação no país.


A pesquisa mensal “Sondagem da Construção” do Ibre/FGV mede, entre outros índices, a confiança de Economia e Construção. No mês de novembro de 2016, o Índice de Confiança da Construção (ICST) recuou 2,3 pontos, alcançando 72,4 pontos após quatro altas consecutivas.

O índice mantém-se estável em médias móveis trimestrais (73,9 pontos), sinalizando uma acomodação no quarto trimestre.

banner sobre a palestra planejando futuro das obras


“Nos últimos meses, o anúncio de retomada de obras contribuiu para a redução do pessimismo empresarial. No entanto, o nível de atividade ainda fraco gerou uma correção das expectativas do setor em novembro. A queda da confiança não significa a inversão do ciclo, mas mostra que o caminho a percorrer ainda é longo”, observou Ana Maria Castelo, Coordenadora de Projetos da Construção da FGV/IBRE.

A situação da carteira de contratos das empresas da construção retrata bem o cenário do setor. O mercado da construção recebeu boas notícias, como a retomada dos investimentos no Minha Casa Minha Vida e a criação do Cartão Reforma. Porém, todas as boas notícias que favoreceram o setor não contribuíram para a melhora dos negócios correntes, o que ainda deve demorar a acontecer.

“Na comparação com o ano passado, aumentou o número de empresas reportando uma carteira de contratos abaixo do normal. Isso significa que a atividade nos próximos meses se manterá baixa, o que explica o aumento das intenções de demissão nos próximos três meses”, observou Ana Maria Castelo.


Se a sua empresa está com menos clientes e obras do que o esperado para esta época do ano, saiba que não é um caso isolado! Observe o gráfico abaixo e perceba como aumentou a proporção das empresas do setor da construção que estão com menos contratos do que no ano passado:

carteira-de-contratos-industria-da-construcao

O Índice Nacional de Custo da Construção – Mensal (INCC-M) registrou, em novembro, a mesma taxa do mês anterior, de 0,17%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de -0,05%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,03%. O índice referente à Mão de Obra registrou variação de 0,36%. No mês anterior, a taxa de variação foi de 0,30%. Este índice é utilizado para calcular o reajuste do financiamento de imóveis em construção, por isso é importante prestar atenção a eles. O INCC-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

O índice que mede a intenção de investimento das empresas de construção também caiu em novembro após acumular alta de 3,5 pontos nos três meses anteriores. O indicador atingiu 27,3 pontos, 1,5 ponto menor que o observado em outubro e 8,4 pontos inferior à média da série histórica iniciada em novembro de 2013.

resultados-cni-por-porte-de-empresa

Nos últimos 25 o Brasil viveu algumas grandes crises em: 1992, 2009 e 2015. É interessante notar que duas delas resultaram em impeachments de presidentes, o que demonstra como a nossa política pode interferir da atividade econômica e vice-versa. Um especial do G1 mostra em detalhes o que aconteceu em cada um destes momentos.  Vamos relembrar:

  • 1992: Crise inflacionária faz o dólar disparar em relação à moeda da época, o Cruzeiro. O então presidente Fernando Collor confisca as reservas da poupança da população para dar lastro à moeda nacional, causando grandes impactos na Economia. Uma investigação comprova o envolvimento do presidente com corrupção e consolida-se o processo de Impeachment. Durante o processo, a Economia do país fica estagnada e demora para recuperar-se. Em 1994 é criado o Plano Real, que estabiliza os problemas enfrentados até então.

  • 2009: Em 2009 num contexto de crise mundial, o Brasil não se viu isolado. O mercado dos Estados Unidos sofre com uma bolha imobiliária, vários bancos declaram falência, a bolsa de valores sofre a maior queda desde a grande crise de 1929. Os reflexos finalmente atingem o Brasil, levando o governo a optar por programas de desoneração como a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Isso fez com que a Economia não sofresse e levou o PIB a um crescimento de 7,5%.

  • 2015: A mesma desoneração adotada em 2009, que elevou o consumo de eletrodomésticos, carros e outros itens tornou-se um problema econômico. Com a retirada dos incentivos fiscais, o ritmo de consumo e o poder de compra reduziram severamente. Isso combinado com a alta da inflação levou o PIB a uma queda de 3,8%. Em adição a isso, a operação Lava-Jato comprova práticas corruptas na Petrobras e em algumas das maiores construtoras e empreiteiras do país.

Depois do cenário tumultuado de 2015, soma-se a crise política ocasionada pela operação Lava-Jato e pelas acusações ao governo Dilma de ter cometido irresponsabilidade fiscal no fechamento do orçamento. Tudo isso leva ao impeachment de Dilma, substituída por seu vice, Temer. A Economia dá sinais de recuperação, mas os índices de confiança seguem em baixa. Ou seja, o mercado segue desconfiado. A crise política parece estender-se mais do que se imaginava, com novas operações da Polícia Federal deflagrando crimes e com a frágil estrutura política sustentada pelo presidente em exercício.

Se o passado serve de indicação, o ano de 2017 não deve ser o pior nem o melhor para a Economia, assim como 1993 não o foi. O ano que se segue a uma crise econômica ou política costuma ser de acomodação e reestruturação. Segundo o consultor econômico Ricardo Amorim, a chamada Era da Informação ocasionou o maior crescimento já registrado entre os países emergentes. Em 2015, de cada U$1 produzido, U$0,73 vieram de países emergentes. Dessa forma é possível acreditar que o Brasil, na condição de emergente deve se recuperar em breve.

Além disso, a inflação que chegou a superar os 10% no final de dezembro de 2015, está prevista para terminar o ano um pouco acima do teto da meta. O último Boletim Focus aponta que o mercado espera que o IPCA (índice referência para a inflação) termine na casa dos 6,7% – ou seja, levemente acima do teto da meta.

Já para 2017, o cenário é muito mais otimistao mercado espera uma inflação abaixo da meta, na casa dos 4,8%. O que isso significa na prática? Com a inflação sob controle, o custo de vida diminui e os salários ficam menos “achatados”. Isso faz com que as famílias que estão cortando custos passem a consumir mais, o que traz ganhos e movimentação para o mercado. 


Outra boa notícia é que a taxa de juros, a Selic, que atualmente é de 13,75% ao ano, deve baixar em 2017. O Boletim Focus prevê uma taxa entre 10,7% e 11,7% para 2017. A expectativa é que em abril de 2018 a Selic atinja 10%. O número ainda corresponde à maior taxa de juros reais em todo o mundo, mas a sua queda deve deve incrementar o número de financiamentos e contratos de longo prazo. Isso deve aquecer a Economia, especialmente no que toca à compra de carros e imóveis: os produtos mais financiados no país. 

Ainda segundo Amorim, os primeiros setores a se recuperarem depois de uma crise costumam ser o automotivo e o imobiliário. Apesar de não termos visto uma recuperação significativa em números ainda, as projeções apontam para que isso aconteça gradativamente. O consultor econômico aconselha que o melhor momento para investir é agora, em que o pessimismo domina quem está desinformado. O pior já passou e a recuperação deve ser lenta mas progressiva a partir de agora.

No texto do seu blog, Ricardo aponta que a própria desvalorização do Real e o forte crescimento do desemprego – que reduz salários – estão tornando a produção no Brasil mais competitiva, o que gradualmente deve causar uma recuperação em setores com forte concorrência externa, exportadores e na indústria em geral.

Ainda segundo dados da Ricam Consultoria, a cada triênio em que o PIB se manteve em baixa, o que se seguiu foi um crescimento acelerado, conforme é possível verificar na imagem abaixo.

111

E então, está pronto para enxergar a crise de uma forma mais otimista?

Toda dificuldade traz oportunidades, por isso esteja preparado para o cenário da Economia e Construção Civil do ano que vem e estruture a sua empresa para acompanhar o aumento da atividade – que deve acontecer em breve!

Pode contar conosco aqui no Sienge para apoiar as melhorias dos seus processos!

 

banner sobre a palestra crise na construção
gestão de obra gestão de pessoas
Gestão de obra e a importância da gestão de pessoas para a construtora
Postado dia 16 de dezembro de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Blog RH, Construção, Gestão, Indústria da Construção

No segmento da construção civil, o sucesso na gestão de obra está diretamente ligado à gestão de pessoas. As construtoras e incorporadoras têm como desafio desenvolver estratégias e oferecer benefícios para engajar e motivar seus profissionais, mantendo-os focados nos objetivos definidos. Para engajar a todos,  fortalecer a equipe e estreitar o relacionamento com os trabalhadores é indispensável. Além disso, outro desafio para os líderes e gerentes de planejamento que ficam à frente da gestão de obra, é gerenciar (bem de perto!) as tarefas de cada profissional para garantir o andamento e a entrega da obra dentro do prazo.

Atrelado a isso, cada funcionário, seja contratado, seja terceirizado, tem direitos trabalhistas garantidos pela legislação, e cabe à construtora tomar ações para  cumprir essas exigências legais, além é claro, de zelar pela vida e bem estar dos envolvidos nos canteiros de obra. A contrapartida também é necessária: trabalhadores devem ter um sentimento de pertencimento e, sobretudo, de comprometimento com seu trabalho. Quando falta essa postura, o responsável pela gestão de obra e das pessoas precisa lidar com questões como faltas frequentes – justificadas e injustificadas – e alta rotatividade (turnover). São estas e outras questões envolvidas na gestão de obra e do time que você vai ver a seguir.

Gestão de obra: como contratar bons profissionais

Diante do atual cenário brasileiro e do momento que a construção civil vive, muitas construtoras têm se deparado com a necessidade de enxugar sua equipe e trabalhar sob demanda. Para dar o início na empreitada de uma nova obra, poderá ser preciso aumentar o time e contratar novos profissionais. Aí, para a gestão de obra, vem a questão de como recrutar e ter sucesso na contratação? Confira este passo a passo:

 

  • Divulgue a vaga

Ao divulgar a vaga para o público-alvo e pelo canal certo, a construtora aumenta muito as chances de ter sucesso na contratação. É preciso definir, de modo estratégico, a ferramenta a ser usada para divulgar as vagas e encontrar profissionais qualificados. Uma das alternativas é contar com sites especializados na divulgação de vagas, como Catho, Sine, Contrata Obra e Engenharia Civil Brasil.

 

  • Indique as funções e atribuições do profissional

Ao divulgar as vagas, deixe claro qual será a função de cada um e qual o tipo de serviço a ser executado. A correta divulgação, com todas as especificações, facilita o processo e garante uma seleção mais exitosa. Afinal, o objetivo é encontrar o profissional mais habilitado para cada tarefa no canteiro de obra, não é mesmo?

 

  • Qualificação e dedicação

Muito além da competência e da formação técnica para a função, busque identificar se o candidato à vaga é idôneo, responsável e pontual. Estas são características que também influenciam e, de algum modo, podem definir seu desempenho nas atividades laborais. Se possível, chame o mestre de obras para participar da seleção, ele tem experiência e feeling para identificar atributos e diferentes perfis.

 

  • Busque o histórico profissional e avalie o perfil

A carteira de Trabalho não é a sua única fonte de informação sobre a carreira do candidato. Busque saber mais sobre ele – perfil, qualidades e o motivo da saída de obras ou empregos anteriores – se possível com as empresas nas quais ele já trabalhou. Outro aspecto importante deve ser avaliado: o candidato busca aprimoramento, estuda, faz cursos? O conhecimento e a atualização também impactam no seu rendimento.

banner sobre ebook gerenciamento de obra do inicio ao fim

Como reconhecer e nomear líderes na gestão de obra

Para conduzir a obra, é preciso ter um time completo, qualificado e focado nas principais metas do projeto. O desempenho de cada profissional reflete na qualidade do trabalho desenvolvido e também, no ritmo de andamento da obra. Por isso, ter um líder preparado comandando as equipes é fundamental para tornar a gestão de obra mais eficiente e eficaz. Mas para eleger um líder, antes é preciso identificá-lo.

Dentre os profissionais da equipe, engenheiros, mestres de obras e encarregados destacam-se porque intuitivamente, pelas funções que acumulam, eles tendem a assumir a responsabilidade de liderar e motivar os profissionais. Os responsáveis pela gestão de obra da construtora têm o desafio de observar os profissionais e buscar reconhecer neles características e atitudes inspiradoras de liderança. Ao identificar um potencial líder, peça para que tome a frente dos trabalhos, ajudando na gestão de obra e motivando e engajando a equipe. O sucesso da construtora depende do trabalho de líderes maduros e profissionais dedicados e produtivos.  

Na gestão de obra, a liderança tem o papel de compartilhar com a equipe os objetivos do projeto, e ressaltar para cada um a importância da sua contribuição. Um líder empático ajudará a construtora a impulsionar o desenvolvimento de todos e até, reter talentos.   

 

Gestão de obra e a terceirização de profissionais

Como a  construtora desenvolve diferentes projetos e, muitas vezes, vários simultaneamente, nem sempre é possível executar a obra somente com os profissionais que integram o time da construtora. Além disso, dependendo da fase e da gestão de obra, vale a pena contratar profissionais especializados por meio da terceirização.

Segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI), 70% das empresas, incluindo as de construção civil, já utilizam serviços terceirizados. Além disso, o mesmo estudo aponta que 84% destas companhias pretendem manter e ampliar o uso deste modelo.

Para as construtoras que optam pela contratação de mão de obra terceirizada, vale destacar que cabe a elas a responsabilidade subsidiária. Ou seja, em caso de descumprimento das obrigações trabalhistas por parte da terceirizada, e da impossibilidade de arcar com as dívidas resultantes, a empresa contratante pode ser acionada pelo trabalhador que recorre à justiça. Na gestão de obra, é valioso identificar se a contratação direta de mão de obra ou por meio de terceirizado irá caracterizar vínculo empregatício em determinado contrato.

 

Dois perfis de profissionais: contratados x terceirizados

Enquanto algumas construtoras vêm investindo na terceirização da mão de obra para ganhar fôlego, no cronograma de prazos e na planilha de custos, outras fazem o contrário: em vez de terceirizar a mão de obra – e a responsabilidade pela execução do serviço – elas vêm optando por investir em equipes próprias e fortalecer o time de profissionais.  Esse movimento tem sido registrado porque muitas construtoras entendem que a terceirização não permite manter o mesmo tipo de controle de qualidade e prazo, de modo que constituir uma equipe própria acaba sendo a melhor estratégia. Diante das duas alternativas, os responsáveis pela gestão de obra precisam conhecer as vantagens de contar com profissionais contratados e terceirizados em seu quadro.

Contratados: a entrega dos profissionais contratados, que integram o time da construtora, tende a ser maior por haver um sentimento de pertencimento. Se além dos direitos trabalhistas garantidos, a construtora também cumpre as normas regulamentadoras e oferece outros benefícios aos profissionais, a produtividade será maior e a gestão de obra fica mais simples. Logo, vemos que o investimento na gestão de obra e das pessoas está conectado ao desempenho da equipe e aos resultados dos processos.

Terceirizados: a expectativa é que os funcionários entreguem mais em menos tempo. Para um bom desempenho dos profissionais terceirizados, é fundamental que eles se sintam parte da equipe, conheçam os objetivos  e, sobretudo, tenham condições de trabalho e benefícios garantidos. Assim, os terceirizados têm uma produtividade maior, diminuindo retrabalho e até a rotatividade.

 

Gestão de obra: como gerenciar faltas, tempo de folga, férias, intervalo de almoço

Benefícios para quem é assíduo

O absenteísmo, indicador que mede a ausência dos funcionários em executar suas atividades ou funções laborais, é preocupação constante nas empresas, e na construção civil não é diferente. Para incentivar a pontualidade e a assiduidade, muitas empresas vêm concedendo bônus aos funcionários assíduos. Para quem bate o ponto todos os dias, a premiação é dada em dinheiro e pode chegar a 12% do salário mensal. Com a implantação do projeto de bonificação pela assiduidade, as empresas registram índices bem mais altos de presença no trabalho.

Intervalo de almoço

A hora de parada para o almoço é um momento importante para os trabalhadores, por isso é essencial ter esse período bem definido. É bom saber o que a lei trabalhista indica sobre o intervalo.

– Jornada diária de mais de 6 horas: tempo mínimo de intervalo é de 45 minutos.

–  Jornada diária de mais de 8 horas: o tempo mínimo de intervalo é de uma hora.

Vale lembrar que o intervalo não é contabilizado como horário de trabalho, por isso a construtora não precisa remunerar este período.

 

Dias de folga

Além de ser direito do trabalhador, o dia de folga é uma pausa saudável. Depois do descanso até a produtividade aumenta. Na gestão de obra, a construtora deve conceder aos profissionais, no mínimo, um dia de folga por semana. Os dias de descanso são regulamentados pela lei n° 605, de janeiro de 1949.

Cabe à empresa especificar em qual dia da semana será o descanso, já que não é obrigatório conceder a folga aos sábados e domingos. Ainda assim, na gestão de obra, o ideal é definir um ou dois dias semanais de descanso, para que o trabalhador possa se programar. Se a construtora precisar que o profissional trabalhe no domingo ou feriado, é possível, desde que seja concedido um dia de folga/semana. Outra alternativa é compensá-lo com o pagamento do adicional de 35%.

Férias

Assim como todo trabalhador, os profissionais da construção civil têm direito a usufruir de férias após cumprir o período aquisitivo de um ano. O número de dias de férias é escalonado, de acordo com a assiduidade do trabalhador. Conforme prevê o decreto-lei n° 1.535, de abril de 1977, quem não faltou mais de cinco vezes no ano tem direito aos 30 dias, e assim por diante. Além de ser justo (e obrigatório!) conceder as férias, é importante oportunizar a escolha do período ao trabalhador. De todo modo, analise antes se o período escolhido não prejudica o andamento da obra e, se for o caso, negocie com o profissional. Quando o gestor mantém diálogo aberto com os envolvidos fica fácil chegar a um consenso. É bom ter em mente que ao usufruir de um período de férias o profissional sempre volta mais disposto e motivado.

 

Leis trabalhistas aplicadas ao funcionário da construção civil

A Convenção Coletiva do Trabalho (CLT) é o instrumento que detalha os direitos e as obrigações entre empregador e empregado e deve ser observada principalmente pela construtora. O piso salarial de diferentes categorias como, por exemplo, servente, mestre de obras e contramestre é um dos direitos trabalhistas previstos em lei, entre outros direitos.

Sejam contratados, sejam terceirizados: todos os funcionários têm sua jornada de trabalho amparada pela legislação trabalhista e, claro, têm direito a alguns benefícios.  As construtoras devem estar atentas às ações necessárias para a gestão de obra, mas, principalmente, aos direitos trabalhistas que devem ser respeitados.

Confira as leis trabalhistas que merecem atenção na gestão da obra:

·     Jornada de trabalho de 44 horas semanais: são oito horas diárias de trabalho de segunda a sexta mais quatro horas que podem ser trabalhadas no sábado. Para dar folga aos sábados, uma alternativa é dividir estas quatro horas e incluir carga horária de cada dia da semana. A jornada de trabalho é o número de horas trabalhadas desde o momento em que se inicia o expediente até seu término, sem considerar o tempo de intervalo. Qualquer hora que exceda as 44 previstas é considerada extra e deve ser remunerada com um adicional de 50% no mínimo em relação à hora normal. Ao funcionário não é permitido fazer mais de duas horas extras por dia.

·     Controle de ponto: se a construtora tem mais de dez empregados, ela é obrigada a registrar a jornada de trabalho usando cartão de ponto, livro ou outra ferramenta de controle de horário. O próprio trabalhador deve registrar corretamente o horário início e o término da jornada. O registro de horários falsos consiste em fraude.

·    Adicional noturno: quando o trabalhador atua no período noturno, das 22h às 5 horas, ele tem direito a um acréscimo salarial de, no mínimo, 20%. Comumente, o percentual é definido na convenção coletiva. O acréscimo é uma forma de recompensar o profissional da construção civil pelo desconforto físico causado pelo serviço prestado à noite.

·     FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço): consiste no depósito de dado percentual, geralmente 8%, sobre parcelas salariais. O valor deve ser depositado pelo empregador até o dia 7 de cada mês em relação ao período anterior. É um direito assegurado pela Constituição Federal.

·    Vale-transporte: é o benefício que deve ser antecipado pela empresa para que o profissional utilize no transporte público, no trajeto de ida e volta do trabalho. Cabe à construtora custear as despesas com deslocamento que ultrapassam 6% (seis por cento) do salário básico do empregado.

·     Aviso prévio: a empregadora e o profissional têm o direito de rescindir o contrato de trabalho a qualquer tempo, a única condição é avisar a outra parte por escrito com antecedência de 30 dias. Se a construtora optar por dispensar o empregado do serviço sem exigir o cumprimento do aviso prévio, deverá indenizar, no pagamento das verbas rescisórias, o valor equivalente a 30 dias de salário. Durante o aviso prévio, o profissional pode trabalhar duas horas a menos por dia ou deixar de trabalhar por sete dias seguidos.

·     Décimo terceiro salário: é o benefício pago aos empregados até o dia 20 do mês de dezembro, conhecido também como gratificação natalina. Metade do valor deve ser antecipada ao trabalhador até o dia 30 de novembro. Em caso de rescisão contratual, com exceção da justa causa, a construtora deverá pagar o décimo terceiro proporcional ao número de meses trabalhados no respectivo ano.

 

 

banner sobre a palestra planejando futuro das obras
gestão de qualidade na construção civil
Como atua a Gestão de Qualidade na Construção Civil
Postado dia 5 de agosto de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Indústria da Construção, Sienge, Software

A tomada de decisão pode ser fortemente sustentada pela Gestão de Qualidade na construção civil. Saiba como utilizar as informações a favor da sua empresa:

Carla trabalha em uma construtora e é responsável pela área de Gestão de Qualidade. Toda segunda-feira pela manhã ela reserva alguns minutos da sua rotina para extrair informações estratégicas que serão utilizadas na reunião gerencial, que acontece sempre na parte da tarde do mesmo dia. Hoje esse processo é bem simples e tranquilo, mas nem sempre foi assim.

No passado Carla só conseguia entregar os relatórios a cada quinze dias, e para isso passava quase uma semana fazendo contato com cada área e envolvidos no processo para coletar as informações. Para piorar, as informações chegavam com erros. Até a hora da reunião, Carla tinha informações defasadas, que se tornavam inúteis!

Cansada dessa maratona e das divergências dos dados, Carla pesquisou as melhores opções de software para automatizar esse processo. Feita a análise aprofundada das alternativas, faltava convencer Marcos, o proprietário da construtora e Leonardo, o engenheiro responsável pelas obras. Convencê-los foi o mais fácil, afinal, eles já tinham percebido que essa era uma necessidade da empresa.

Hoje Carla extrai as informações de forma simples e rápida. Entre os dados estão:

  • Percentual de entrega dos serviços de empreiteiros e terceirizados em geral
  • Produtividade diária
  • Consumo de materiais x serviços executados
  • Compras previstas x realizadas
  • Fluxo de desembolso
  • Apontamento de horas dos fornecedores
  • Relatório de medição
  • Locação x utilização de máquinas e equipamentos
banner sobre o quiz insumos da construção civil

É muito comum encontrar empresas com dificuldades em extrair as informações em tempo real sobre o desempenho das obras.
Na sua empresa estas informações são acessíveis a qualquer momento e com exatidão?

Os benefícios de ter estas informações você já sabe, hoje a Carla e seus superiores também sabem. Atualmente ela percebe que esse trabalho suporta as decisões que são tomadas para o futuro da empresa! Confira os principais benefícios:

  • Ter informações precisas e em tempo real para tomada de decisões gerenciais
  • Ganhar tempo (muito tempo) no levantamento das informações
  • Menor margem de erro, porque quando anotadas nos formulários, uma letra ilegível pode ser interpretada de forma errada
  • Facilitar a localização das informações que estão organizadas na web, e não em uma pilha de papéis
  • Fazer a conexão do escritório com o canteiro de obras
  • Corrigir erros imediatamente quando são verificados desvios
  • Evitar desperdícios
  • Minimizar atrasos de cronograma
  • Associar as compras por contrato e/ou por obra
  • Reduzir do índice de compras emergenciais
  • Ter maior controle sob os desperdícios
  • Possuir um fluxo de desembolso mais próximo da realidade
  • Controlar de forma rápida e segura o apontamento de horas e fornecedores
banner do quadro de indicadores

Para que sua construtura possa também usufruir destes benefícios que a Carla da Gestão de Qualidade na construção civil implementou na construtora em que ela trabalha, existem soluções especializadas em gestão de obras. Estas soluções permitem acesso de qualquer lugar, a qualquer hora e com investimentos bem acessíveis.

Se você tem interesse em saber mais sobre Gestão de Qualidade na construção civil, entre em contato com o Sienge.

banner sobre a palestra construção sem orçamento

construção civil
Como usar as redes sociais na construção civil
Postado dia 15 de julho de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção, Tendências

Manter o relacionamento ativo com seus públicos-alvo é fator essencial e indiscutível para garantir a presença no mercado da construção civil.

O atual desafio da construção civil é fazer o uso adequado e eficiente dos canais de redes sociais levando aos diferentes públicos informações relevantes sobre os empreendimentos imobiliários.

De acordo com a pesquisa divulgada pelas empresas comScore e Shareablee em setembro em 2014, o Brasil é o país latino com maior número de visitantes diários em redes sociais. São cerca de 30 mil – pouco menos da metade do total de 60,5 mil usuários do continente.

Antes de realizar a compra de um imóvel, os clientes costumam fazer pesquisas na internet em busca de informações e experiências de outros consumidores.

Diante deste novo cotidiano, a construção civil precisa estar muito bem preparada para utilizar eficazmente todos os recursos disponíveis na internet. A exposição das empresas e marcas nas redes sociais viabiliza a concretização de novos negócios e gera resultados efetivos para todas as partes envolvidas.

Além de ampliar os formatos de propaganda e interação com o público, as redes sociais permitiram ao consumidor um maior poder de escolha, pois suas decisões de compra são fortemente influenciadas por críticas, opiniões e reclamações de conhecidos ou terceiros.

Palestra Online Como vender Internet

Assim como as organizações de outros setores, a construção civil deve definir estratégias e conteúdos específicos para garantir a presença ativa nas redes digitais.

Para ajudá-lo neste processo, listamos aqui dicas essenciais para promover o seu empreendimento e obter melhores resultados.

Rede: entenda as especificidades de cada rede digital, de que modo as empresas estão presentes e qual é o melhor comportamento a ser adotado.

Público: estude o perfil das pessoas presentes em sua rede. Faixa etária, sexo, classe social. Analise o que elas procuram, querem e desejam. Descubra qual é a forma de tratamento ideal para que estas se tornem parceiras e seguidoras de sua marca.

Social: Interaja ativamente com seus públicos. Estabeleça diálogos que permitam o envolvimento de seus prospects e clientes. Ao invés de simplesmente responder, vá além e ofereça soluções que resultem em satisfação. Entenda o que os clientes pensam a respeito dos seus empreendimentos.

Interação: Mantenha um canal de diálogo aberto com as pessoas. Demonstre que a sua empresa está acessível e disposta a responder prontamente a uma crítica, dúvida ou elogio. Convide seu cliente a colaborar com ideias em novos projetos e lançamentos. Não deixe de fornecer todas as informações necessárias ao público, como dados institucionais, site, endereço e canais de contato.

Conteúdo: É o conteúdo que promoverá o engajamento e as interações com seus clientes. Por isso, defina uma matriz com todas as categorias de temas relacionados ao seu negócio que possam ser interessantes para o público.

É extremamente importante manter a atualização contínua da rede com conteúdos de qualidade. Acompanhe tendências e faça um planejamento mensal de publicações. Vale ressaltar que o novo consumidor tem voz ativa e grande poder de influência sendo capaz de compartilhar em grande escala conteúdos e opiniões a favor ou contra a construção civil.

Lembre-se, as redes sociais são poderosos canais de comunicação para aproximar a construção civil de seu público. Explore suas possibilidades e obtenha resultados efetivos em seu negócio.

banner sobre o quiz desperdicio

O Mercado Imobiliário Recuou?
Mercado Imobiliário – Chegou a hora do time de vendas!
Postado dia 7 de julho de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Gestão, Incorporação, Tendências

Com os estoques em alta o mercado imobiliário precisa garantir o alto desempenho de vendas, para atender às metas estabelecidas e não fechar no vermelho.

Para quem está com dinheiro na mão, esse é o melhor cenário para fazer um bom negócio, por isso, o alinhamento de sua equipe comercial fará toda a diferença! E como garantir um discurso perfeito na ponta da língua?

Como você já leu no post Veja como melhorar a comunicação com o time comercial e vender mais!”, a comunicação entre a equipe é fundamental para conquistar bons resultados no Mercado Imobiliário.

Para alcançar esse resultado, a estratégia é adotar uma solução tecnológica especializada no mercado da construção civil, capaz de manter a equipe de vendas interna (corretores próprios) e os corretores das imobiliárias com as mesmas informações sobre as negociações e as reservas das unidades.

Palestra Online Como vender Internet

Todos precisam acessar em tempo real os materiais relacionados às vendas como tabela de preços, modelo de contratos e reserva das unidades. Com o  compartilhamento dessas informações e documentos, o  time fica muito mais produtivo e atinge melhor resultado!

Onde quer que estejam, os corretores devem conseguir acessar os dados sobre os clientes interessados no empreendimento, atendimentos efetuados, propostas em andamento e unidades disponíveis, por exemplo.

A solução certa pode ajudar o time de vendas a submeter propostas automaticamente para aprovação da gerência (quando o corretor não tiver alçada para uma negociação mais agressiva), ou até elaborar contratos automaticamente, agilizando o fechamento do contrato.

Dessa forma, é possível ter uma visão geral e sistêmica dos empreendimentos, eliminando o risco de venda duplicada e permitindo melhor controle da produtividade comercial, por empreendimento e por corretor.

Além disso, uma solução adequada viabiliza a avaliação constante das estratégias e a rápida adequação às demandas do mercado, em termos de preço e flexibilidade de pagamento, variáveis imprescindíveis na negociação em 2015.

Com tudo que foi apresentado, você já sabe como garantir o alto desempenho de sua força de vendas no Mercado Imobiliário, certo? Se quiser mais detalhes sobre a solução ideal para te ajudar, fale conosco!

banner sobre o quiz insumos da construção civil

serviços de construção civil
Como organizar as finanças em empresas de serviços de construção civil
Postado dia 24 de junho de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Indústria da Construção

A gestão de empresas de serviços de construção civil precisa contar com um controle financeiro altamente eficaz para ser competitiva e eficiente na crise. Veja como fazer:

De um lado, uma recessão econômica que, já faz algum tempo, vem tirando o sono de colaboradores e dos que estão à frente de prestadoras de serviços de construção civil de todos os portes. Do outro, a grande propensão que as empresas têm em serem prejudicadas por cenários econômicos desfavoráveis como este, a exemplo das pequenas empresas de construção – como as que estão enquadradas no regime Simples Nacional.

Um levantamento divulgado no início de 2016 pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon/SP) mostrou que 514 mil postos de trabalho foram fechados no setor em todo o país. Saber de dados como esses é, sem dúvidas, preocupante, mas saiba também que passar por uma crise não é de todo ruim. A partir dela, muitos profissionais apostam na alternativa e na oportunidade de mostrar seu lado empreendedor e montar sua própria empresa de serviços de construção civil.

Se você faz parte desse time, ou, então, já é há algum tempo proprietário de uma pequena construtora que quer se manter competitiva mesmo em tempos de recessão, este post chegou na hora certa!

Para começar, o primeiro ponto a se destacar aqui é que não, você não precisa colocar em prática nenhuma ação mirabolante para sustentar seus negócios no mercado, pelo contrário: são os processos do dia a dia que, quando bem gerenciados, são capazes de garantir vida longa à sua construtora, mesmo diante de crises como esta. E é em meio a esses itens que se inclui a gestão financeira.

Nesse ponto, você pode até estar com a consciência tranquila por já dar atenção a esse aspecto dentro da sua pequena empresa de serviços em construção civil. Mas fica a pergunta: será que sua construtora sabe o que é e tem praticado uma gestão financeira eficiente de fato?

O que é uma gestão financeira eficiente e por que é importante nas pequenas empresas de construção

A administração ou gestão financeira é aplicada para controlar os recursos financeiros de uma empresa da forma mais produtiva possível. O processo compreende principalmente elaboração de planejamentos, acompanhamentos e análises para garantir equilíbrio entre entrada e saída de recursos e orientar os próximos passos de um negócio, visando sempre o desenvolvimento sustentável e a evolução da empresa de serviços de construção civil e possibilitando a identificação de oportunidades de investimento ou de redução de custos, como desperdícios e gastos desnecessários.

Mas o que significa, afinal, ter uma gestão financeira adequada? Em geral, os principais sinais são:

#1 Custos, despesas, recebimentos e pagamentos na ponta do lápis

Ao ter conhecimento de seus custos e suas despesas é possível planejar-se de forma mais assertiva para não ser pego de surpresa no meio do caminho. Além disso, precificar de forma adequada cada serviço, de modo que o valor obtido seja justo, valorize seu trabalho, pague as contas e ainda ajude sua construtora a obter o lucro desejado. Saber o quanto sua pequena empresa de construção civil recebe e gasta, bem como de quem e para que, ajuda a controlar melhor o caixa e saber o quanto de lucro está sendo gerado e as fatias que você poderá usar para se manter e reinvestir no negócio.

#2 Contas a pagar e a receber funcionando em sintonia

Conciliar pagamentos e recebimentos ajuda, e muito, a alcançar e manter o equilíbrio financeiro da sua empresa de serviços de construção civil. Um exemplo dessa prática é combinar acertos de compras com fornecedores e pagamentos de salários, por exemplo, para alguns dias após a data em que os clientes fazem o pagamento das parcelas dos imóveis adquiridos.

#3 O que é da empresa, é da empresa

Sabe essa história de que “a empresa é minha e eu posso retirar dinheiro do caixa quando e para o que eu quiser”? Pois é, essa atitude não é nem um pouco recomendável, e, infelizmente, se repete com bastante frequência na gestão de pequenas empresas. Para evitar essa postura altamente prejudicial para o seu caixa e negócio de forma geral, a dica é estipular um “pró-labore” (uma espécie de “salário” fixo para o proprietário) alinhado à realidade da empresa. Isso facilita na hora de separar o dinheiro para seu uso pessoal e o valor que será destinado para a manutenção da pequena empresa de serviços em construção civil.

Como as pequenas empresas de construção podem chegar lá

Quantos dos sinais acima você conseguiu identificar dentro de seu negócio? Se a resposta para essa pergunta não for, lá, muito animadora e a organização das suas finanças estiver caminhando a passos mais lentos do que você gostaria, é bom saber que existem várias ferramentas que podem ajudar sua construtora a ter uma gestão financeira mais competitiva. Entre elas estão:

 

  • Ferramentas de gestão de obras

 

Se as pequenas empresas de construção, além de prestarem serviços específicos, também trabalham com a execução de obras, é importante destacar que o primeiro passo a ser tomado antes de início de qualquer nova empreitada é a elaboração de orçamentos assertivos. Só assim você terá real ideia do quanto terá que desembolsar e poderá buscar meios para levantamento dos recursos e até enxergar oportunidades de economia e redução de custos. Importante: não caia na armadilha de achar que seus projetos não têm porte suficiente para precisarem passar por “formalidades” como essas – são em deslizes como esses que imprevistos acontecem, e o prejuízo gerado por eles pode prejudicar sua pequena empresa de serviços em construção civil!

Já o cronograma físico-financeiro é considerado uma forma bastante eficiente de fazer o acompanhamento do consumo dos valores previstos no orçamento à medida que a obra avança. É gerado a partir da integração de informações do cronograma de obra e do orçamento e, por meio dele, a pequena construtora pode controlar se a obra está evoluindo de acordo com o que já foi gasto até então e identificar possíveis desvios, podendo colocar em prática ações corretivas em tempo hábil.

 

  • A tecnologia

 

Uma solução tecnológica especializada em construção civil faz toda a diferença no desafio de implementar uma gestão financeira mais eficiente nas pequenas empresas de construção por diversos motivos: o sistema proporciona a integração e o acompanhamento de dados produzidos por ferramentas de gestão de obras, conforme citado no tópico acima; ajuda a empresa de serviços de construção civil a conciliar pagamentos e recebimentos e administrar melhor contas a pagar e a receber; e também permite o uso de recursos altamente tecnológicos e eficientes para aperfeiçoar a gestão financeira, como é o caso dos indicadores de Business Intelligence (BI), por exemplo; dentre inúmeras outras funcionalidades que disponibiliza com foco na administração mais eficiente de finanças.

Essa visibilidade plena dos processos financeiros da gestão de pequenas empresas faz com que você tenha mais segurança para tomar decisões e também o ajuda a formar uma estrutura sólida e se preparar para enfrentar a crise e sair mais forte dela.

Lembre-se: momentos de recessão são capazes de fortalecer seu negócio e torná-lo ainda mais preparado para aproveitar oportunidades tanto hoje quanto lá na frente, quando a poeira baixar. Cabe somente a você optar por esse caminho e garantir o lugar cativo da sua pequena empresa de serviços de construção civil no cenário econômico por muitos anos ainda!

Este post faz parte da série que ajuda sua pequena construtora a se manter firme, forte e competitiva para garantir a sustentação dos seus negócios no mercado. Continue ligado no blog e não perca os próximos conteúdos que estão por vir!

5 ebooks grátis sobre engenharia e construção civil para baixar agora
Construct separou 5 ebooks grátis sobre engenharia e construção civil para baixar agora
Postado dia 8 de junho de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: construct, Ebook, Tendências

Com esta seleção de livros digitais totalmente gratuitos, você vai ficar sem desculpas para deixar de estudar e acessar materiais de qualidade para crescer profissionalmente e alavancar resultados na sua empresa!

Nosso parceiro Blog Construct elaborou uma lista de 5 ebooks grátis que vão ajudar você a resolver os problemas do dia a dia. O conteúdo aborda questões práticas e atuais como o uso de tecnologia móvel nos projetos de construção civil aumenta a produtividade. Também comenta a importância de tornar a empresa competitiva em um cenário de dificuldade econômica como o de hoje, apontando qual caminho seguir para se diferenciar dos competidores. Mas não só de prática vivem os engenheiros de construção civil. Há conteúdo a respeito da escolha dos materiais adequados para as obras em cada uma das situações encaradas no dia a dia.

Confira a lista completa no Blog Construct.

Boa leitura!

processo de compras sienge
Processo de Compras – 6 passos para potencializar seu lucro!
Postado dia 11 de maio de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Incorporação, Indústria da Construção, Software

Opa, compra de insumos? Por que este é um tema recorrente quando pensamos na indústria da construção civil? Você, que é dono ou atua como engenheiro ou responsável técnico na sua construtora, sabe que em uma obra de médio porte, os materiais representam valores significativos do total do projeto. O custo com insumos pode chegar até 50% do valor da obra. Desta maneira, um processo de compras bem organizado e eficiente, tem um impacto significativo no lucro da sua construtora. Veja a seguir quais são os 6 passos para implementar um processo de compras campeão em sua construtora, que, aliado às atividades de produção e vendas, potencializará seu lucro!

#1 Tenha um gestor de suprimentos ou comprador – e adicione qualificação ao processo de compras e relacionamento com fornecedores

É essencial criar na sua construtora a função do comprador. Ponto. Independente do tamanho da sua construtora, concentre o processo de compras em uma pessoa que terá exclusivamente esta função. Se o porte da sua construtura demandar, crie uma equipe com um gestor de suprimentos. Isso vai evitar que as compras sejam feitas pelo diretor técnico ou pelo engenheiro de obra, que deveriam priorizar suas atividades para gerir os prazos, gerenciar mão-de-obra e entrega de materiais e garantir a execução da obra com qualidade. Um comprador ou gestor de suprimentos deve ter as seguintes atribuições na sua construtora:

  • Centralizar o cadastro de fornecedores e torná-lo acessível aos demais departamentos

  • Criar uma classificação de materiais e insumos, por ordem de importância econômica e/ou frequência de uso

  • Criar um processo de cotação e compras e torná-lo acessível a todos os departamentos

  • Homologar novos fornecedores

  • Negociar contratos de compras para itens de consumo elevado

  • Fazer a negociação de valores, prazo de entrega e prazo de pagamento visando o bom andamento das obras e a saúde do fluxo de caixa da empresa

  • Centralizar a compra de materiais que são necessários em mais de uma obra simultaneamente, e executar a compra destes insumos de uma só fez, conseguindo assim barganhar melhores condições financeiras com os fornecedores

  • Desenvolver e manter o bom relacionamento com os fornecedores

O comprador ou gestor de suprimentos deve desenvolver e implementar  um processo de compras eficiente, liberando seu tempo para para direcionar seus esforços em desenvolver bons fornecedores e criar um forte relacionamento com os mesmos. Este é o primeiro passo para que a área de compras tenha um impacto positivo nos lucros da sua construtora.

#2 Utilize um processo de planejamento, controle e produção da obra que envolva a área de compras – e evite fazer compras emergenciais!

Um sistema de planejamento, controle e produção da obra consiste em você gerar visões de longo, médio e curto prazo da obra.

O planejamento de longo prazo é direcionado a alta direção da construtora e é definido como plano mestre. É no plano mestre que estarão definidos os milestones principais do empreendimento. O acompanhamento da realização destes milestones no plano mestre é a ferramenta para comunicar a alta gerência da execução da obra.

O planejamento de médio prazo contém as atividades e  a descrição dos processos que serão utilizados na obra. Descrição de métodos construtivos, especificação dos recursos (insumos e mão-de-obra) necessários para a execução, quantificação dos insumos e mão-de-obra e restrições técnicas para o desenvolvimento das atividades são detalhadas nesta etapa.

Aqui é importante envolver a equipe de compras, pois ao se especificar insumos e quantidades, o comprador já pode direcionar fornecedores ou se preparar para desenvolver novos parceiros para fornecimento de novos materiais. Esta interação entre compras e planejamento de obra é fundamental para que seja feito um bom planejamento e cronograma de aquisição de materiais, evitando compras emergenciais com alto custo para a construtora.

O planejamento de curto prazo vai orientar a equipe de canteiro de obras diretamente, detalhando todos materiais, insumos, máquinas e mão-de-obra necessários para a realização de cada atividade. Deve ser feito em ciclos semanais, e gerar através destas reuniões a previsão de consumo da semana. A interação entre o engenheiro de obra com a equipe de compras aqui é fundamental, para checar se os insumos necessários estão disponíveis para o canteiro de obras. A planilha de previsão de consumo juntamente com o plano de médio prazo visam reduzir a incidência de compras emergências no decorrer da execução de atividades sem tempo hábil a obter margem de negociação.

#3 Classifique os insumos por valor econômico e frequência de consumo e faça compras por contrato – para agilizar a compra de materiais!

A classificação dos insumos por valor econômico e frequência de consumo é uma prática que indica quem na construtora pode comprá-los e de quais autorizações vai precisar. Com esta prática, materiais de baixo valor e consumo constante no canteiro, como pregos, fitas adesivas, pequenos materiais elétricos, lâmpadas, podem ser cotados e comprados pelo engenheiro de obra. Um exemplo de classificação de insumos:

  • de consumo constante: cimento, areia, cal, material geral de obra e material geral de elétrica

  • de compras programadas: cerâmicas, esquadrias , elevadores

  • de compras emergenciais: para resolver imprevistos – que devemos evitar sempre

É possível também associar esta ação com compras por contrato: o departamento de compras pode fechar contratos de compra para itens de maior consumo na obra como cimento, areia, ferragens. Com a utilização de contratos de compra, além de agilizar as compras, a sua construtora será beneficiada com melhores negociações de preço!

Esta é uma prática simples que agiliza a compra de materiais e reflete positivamente no fluxo de caixa!

banner sobre o quiz insumos da construção civil

#4 Controle o recebimento de materiais no canteiro de obras – e evite compras em duplicidade!

Compras em duplicidade podem ser evitadas sim, e com isso evitar gastos fora de hora que impactam o fluxo de caixa da sua construtora!

Para isso, formalize e dedique uma pessoa no canteiro de obras para controlar o recebimento dos insumos. Esta atividade pode ser feita pelo apontador ou pelo engenheiro de obra, que deverá conferir os materiais recebidos no canteiro de posse do pedido de compras – aqui novamente a interação entre a área de compras e canteiro de obras é fundamental!

Ao conferir os materiais recebidos, o apontador ou engenheiro de obra deve registrar o recebimento dos mesmos e enviar a nota fiscal para o departamento financeiro, ou, em caso de problemas no recebimento, reportar ao departamento de compras.

Este controle evitará compras em duplicidade e impactos indesejados no fluxo de caixa da sua construtora, pois todas a áreas envolvidas serão comunicadas sobre os materiais recebidos.

#5 Mantenha o relacionamento com os fornecedores – e negocie melhores preços!

Depois de seguir os 4 passos anteriores, o departamento de compras poderá direcionar seus esforços e cultivar o relacionamento com os principais fornecedores.

Esta é uma atividade que visa manutenção e ampliação de parcerias, tornando o fornecedor um ator estratégico para as obras.

Ao cultivar relacionamentos de longo prazo e estabelecer uma relação de confiança e do tipo ganha-ganha entre a sua construtora e os seus parceiros de fornecimento, o comprador terá condições mais claras para negociar melhores preços e prazos. E com isso, o seu fornecedor  também ganha pois amplia a constância das suas vendas sob uma base sólida de fornecimento!

#6 Utilize um sistema de gestão especializado em obras e projetos

Depois de ler estes 5 passos para ter um processo de compras eficiente, você deve estar se perguntando: “Como implementar este processo na minha construtora de forma ágil e segura?”. A tecnologia está aí para ajudar sua construtora a elevar os patamares de gestão.

Para suportar estes controles e atingir um patamar de excelência na gestão de compras da sua construtora, existem hoje sistemas de gestão especializados em construtoras, que gerenciam desde o projeto, planejamento e execução da obra, até o processo de compras, financeiro e recursos humanos.

Com o apoio de um sistema de gestão você obterá benefícios como automação da comunicação entre as áreas, padronização dos processos de negócio, centralização de cadastros e relatórios gerenciais para análise dos resultados das obras.

E agora que você já sabe como implementar um processo de compras vencedor e como ele impacta nos lucros e resultados da sua construtora, entre em contato conosco para tirar suas dúvidas e compartilhar suas experiências. Basta preencher os dados abaixo e nós entraremos em contato.

Se você quer saber como o Sienge pode ajudar nesse processo de compras, deixe uma mensagem abaixo:

 

banner sobre o quiz insumos da construção civil
O Novo engenheiro Civil é cada vez mais cobiçado pelo mercado, pelo seu potencial de crescimento e atualizações, saiba como se destacar neste setor.
Engenheiro Civil, você faz parte do novo perfil profissional?
Postado dia 6 de maio de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Ensino, Indústria da Construção, Tendências

O Engenheiro Civil é um dos primeiros a chegar à obra, acompanha todos os detalhes da execução, além das atividades do escritório que não podem ser esquecidas. Você tem o perfil que as empresas procuram?

O Engenheiro Civil é tradicionalmente o profissional que aplica seu conhecimento em Ciências Exatas para garantir que as construções serão estáveis e funcionais, mas a função atualmente vai além disso. O domínio de uma boa comunicação interpessoal, a capacidade de orientar e explicar as plantas baixas e outros projetos para o empreiteiro e os outros executores, gerência de pessoal, habilidades administrativas e financeiras, tudo isso é fundamental para um bom profissional.

A atividade é regulada pelas Leis nº 5.194, de 24 de dezembro de 1966 e nº8.195, de 26 de junho de 1991, que determinam que para o exercício da profissão é necessário ter diploma de curso superior de Engenharia Civil válido pelo MEC e um registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA). O salário para cargos de nível inicial fica em torno de R$4mil reais; de nível médio, R$5,3 mil e nível experiente, de R$10 mil a R$20 mil.

Depois de terminar o curso superior, sempre fica aquela pergunta: o que eu faço agora? Aonde vou trabalhar? Ou, quando o mercado passa por um desaquecimento e você se vê sem emprego, precisa correr atrás para se adaptar à concorrência. Mas quais as áreas em que um Engenheiro Civil pode atuar? As mais comuns são:

  • Concreto, estruturas
  • Fundação, solos
  • Execução de construção, construtoras
  • Projeto hidráulico, saneamento
  • Estradas
  • Gerenciamento de obras
  • Terra e pavimentação
  • Calculista projetista
  • Engenheiro de obras
  • Empreendedor
  • Professor, acadêmico
  • Fiscal
  • Orçamentos, incorporadora
  • Coordenador de manutenção civil
  • Coordenador de projetos imobiliários
  • Coordenador de planejamento e controle de obras
  • Coordenador de compras
  • Gerente de projeto
  • Gerente de obra
  • Gerente de operações
  • Engenheiro para manutenção
  • Diretor de engenharia civil
  • Diretor de infraestrutura predial
  • Diretor de operações
  • Diretor de licitações
  • Vendedor técnico

Uma área não exclui a outra, mas cada uma requer conhecimentos específicos que, muitas vezes, não são obtidos durante um curso superior ou no dia a dia do mercado do trabalho. Segundo reportagem da revista Exame, as empresas procuram hoje, por profissionais que tenham atuado em estágios durante o curso superior e que tenham domínio (ou pelo menos noções básicas) de Inglês ou Espanhol. Cursos de especialização são um diferencial caso o objetivo seja mirar numa área específica. Um engenheiro que pretenda trabalhar com cálculo estrutural, por exemplo, ganha muito se fizer cursos ou até mesmo uma especialização no assunto.

Nem só de cursos e capacitações se alimenta um currículo: trabalho voluntário e hobbies também contam muitos pontos com os recrutadores (mostram que você tem outros interesses, que vai saber equilibrar vida profissional e pessoal e também a capacidade de se engajar e desenvolver empatia com outras atividades e grupos). Algumas características de personalidade ajudam na hora de se candidatar a alguns empregos. Um candidato à vaga de Engenheiro de Obras, por exemplo, deve ter espírito de liderança, grande capacidade de se comunicar e a vontade de “meter a mão na massa”, ou seja, tem um perfil mais prático e mais próximo da equipe de obra do que do escritório (vai preferir ter as botas sujas de concreto do que usar terno e gravata nas reuniões da diretoria).

Outra exigência do mercado que deixa cada vez mais gente de fora é o domínio da tecnologia. Prancheta e cálculo à mão são coisas do passado (ainda são utilizados como apoio), o computador tomou conta de tudo. Além dos softwares de desenho, há os de cálculo de estrutura, levantamento topográfico, projeto hidráulico, elétrico, sistemas de gestão de obras, venda, orçamento, entre tantos outros. Hoje em dia, dominar esses programas já não é diferencial, é preciso saber empreender, aplicar sustentabilidade nas obras, usar tecnologias móveis… ufa! Quanta coisa, não é mesmo? Para dar conta de se capacitar para todas essas tarefas com excelência e estar de acordo com o que as empresas procuram, a tecnologia vem sendo a maior aliada do Engenheiro Civil. Você está conectado com essa tendência?

Quer saber mais sobre como a tecnologia beneficia diferentes áreas da sua empresa no segmento da construção?
Leia o nosso ebook sobre o assunto!

Pranchetas, esboços no papel e soluções empíricas estão dando lugar à tecnologia móvel, softwares especializados e novos materiais no dia a dia deste segmento. Todas essas iniciativas apoiam a gestão estratégica, otimizando recursos, reduzindo custos e ampliando a competitividade das construtoras e incorporadoras.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

De acordo com o jornal DCI, a implementação de novas ferramentas tecnológicas é uma das apostas das construtoras brasileiras para expansão. Entre as pequenas e médias, novas ferramentas em celulares e tablets podem diminuir custos operacionais. Entre as grandes, a inovação aparece para o consumidor final, com empreendimentos que abusem do uso de novas tecnologias.

O Coursera, plataforma educacional com mais de 600 cursos online e 7,2 milhões de alunos, divulgou um estudo apontando que o Engenheiro Civil brasileiro está marcando presença nas aulas de Engenharia de Software. Essa atualização colabora para a implementação de novas tecnologias e fortalece o setor no longo prazo.

Na Europa, um terço dos estudantes universitários estão matriculados em cursos na área de tecnologia (os chamados 5B). Esse dado já mostra a experiência do velho continente em formar profissionais para o futuro e não para o presente. A visão estratégica da própria carreira é um grande passo para que o Engenheiro Civil assuma seu papel como o mais importante agente de mudanças no ramo da Construção Civil.

Independente do treinamento que sua empresa possa te oferecer, este é o momento ideal para você retomar as rédeas da sua carreira. Espera-se do Engenheiro Civil grande habilidade na área de exatas, mas também é preciso desenvolver novas competências comportamentais como capacidade de comunicação, liderança e relacionamento, além de noções de marketing, empreendedorismo e inovação.

Um levantamento recente do Sinduscon, em parceria com a FGV, mostra que 60% dos empresários do setor têm planos de investir em tecnologia, e os destaques do momento são os sistemas de gestão de obras e aplicativos móveis. Busque informações sobre eles, consulte blogs e sites especializados e participe de eventos para que o seu dia a dia seja mais eficiente e sua empregabilidade se mantenha em alta. Para se manter em alta, é bom também acompanhar os cursos de tecnologia que ensinam a usar softwares e sistemas do seu interesse, como por exemplo as ferramentas CAD (computer aided design) e os sistemas de gestão, emissão de ARTs e outros.

Voltar ao banco da escola sempre é uma opção salutar e hoje, ainda é possível fazer isso na poltrona de casa ou na cadeira do escritório, via cursos online.

Quer saber mais sobre cursos online para melhorar seu currículo num mercado de trabalho cada vez mais competitivo?
Leia o nosso post que lista os melhores cursos para Engenheiros Civis!

Mais uma vez, a tecnologia vem como grande amiga para ajudar a entrar ou se recolocar no mercado!

A receita é frear a lei da inércia e buscar energia para gerar um novo movimento: o do sucesso!

banner sobre a palestra planejando futuro das obras

blog-crescimento-construtora-fundamental
Construção Civil – Qual a tecnologia mais adequada?
Postado dia 6 de agosto de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Gestão, Indústria da Construção, Software

Saiba como uma solução especializada pode ajudar no crescimento da Construção Civil.

Apesar do cenário difícil na economia, as empresas que tornam seus processos internos ágeis e estruturados, tendem a atravessar melhor a turbulência e sair dela fortalecidas. Por isso, esse é o momento ideal para revisitar processos e identificar seus pontos de melhoria.

A qualidade dos processos internos será a catalizadora do crescimento das empresas da construção civil e a tecnologia tem papel fundamental, pois é ela que potencializa esses processos, organizando, padronizando e agilizando-os. Uma solução especializada no segmento da construção civil é capaz de integrar os departamentos e garantir execuções mais rápidas e eficientes, otimizando seus recursos (seja material, financeiro ou mão de obra).

Quer saber como um software de gestão especializado na indústria da Construção Civil pode ajudar em cada departamento da sua construtora? Confira:

#1 COMPRAS

Segundo levantamento do IBGE, divulgado em julho de 2015 pelo jornal Estado de Minas, o valor dos materiais já representa mais que 50% do custo nacional da construção por metro quadrado. Portanto, um processo de compras eficiente impacta diretamente na rentabilidade da sua construtora. Nesse departamento, um software de gestão especializado possibilita:

  • Integração com outras áreas: a equipe de projetos ou a área de engenharia pode dar entrada nas solicitações de compra, permitindo que os compradores se dediquem à seleção e negociação com fornecedores.
  • Agrupamento de solicitações: a partir do cadastro das cotações de preço já existentes, o sistema consegue agrupá-las por semelhança e assim ampliar seu poder de negociação junto aos fornecedores.
  • Integração com fornecedores: por meio de um portal, os fornecedores cadastrados recebem as solicitações e enviam suas cotações e depois é criado um mapa comparativo e alertas para facilitar a escolha do melhor parceiro. Eleitos os fornecedores, os pedidos podem ser gerados de forma automática, agilizando muito o processo.
  • Workflow: permite um processo padronizado com um fluxo de tarefas, aprovações e avaliação dos fornecedores que facilita a organização da equipe.

#2 FINANCEIRO

Já existem empresas que estão oferecendo financiamento diretamente aos seus clientes para impulsionar as vendas. Será que essa seria uma boa opção para a sua construtora? Uma solução moderna de tecnologia, totalmente focada no segmento da construção civil pode te ajudar a avaliar possibilidades como essa, com exatidão para não comprometer o capital de giro. Veja o que mais ela pode oferecer:

  • Integração total: o software reflete as movimentações do setor de Compras e Comercial diretamente no módulo financeiro, garantindo dados precisos. Dessa forma, é possível fazer melhor gestão do fluxo de caixa, articulando o desembolso com o recebimento de cada obra, por exemplo.
  • Visão geral: relatórios operacionais completos, com múltiplas possibilidades de visualização das contas a pagar, a receber, extrato credor, inadimplência, descontos, saldos de adiantamento, entre outros.
  • Verificação de baixas: a manutenção do histórico de clientes integrado ao sistema Contratos e Medições economiza até 90% do tempo dedicado a conferência das baixas junto ao banco.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

#3 ENGENHARIA

Faz parte da rotina dos engenheiros acompanhar mais de uma obra acontecendo ao mesmo tempo e em localidades diferentes. Para não deixar escapar nenhum detalhe que acarrete em retrabalho ou atraso na entrega do projeto, a tecnologia ideal deve permitir total controle da gestão dos empreendimentos, inclusive por tablet ou smartphone. Veja como a tecnologia ajuda a Construção Civil em cada etapa:

  • Orçamento: velocidade na montagem dos orçamentos, reaproveitando informações já cadastradas no sistema, além de permitir a configuração das composições, etapas e subetapas específicas de cada obra.
  • Planejamento: eficiência total com a lista de tarefas vinculadas aos custos, além de cronogramas físicos e financeiros da obra. Você pode ainda usar calendários para estabelecer os dias de trabalho e feriado/folga dentro de cada obra (informação valiosa para a área de Recursos Humanos, não é mesmo?).
  • Acompanhamento: visualizar graficamente as medições físicas das obras torna muito mais fácil a comparação entre o planejado e o realizado, trazendo agilidade para solucionar imprevistos ou atrasos nos empreendimentos.

Como você pôde perceber, a tecnologia especializada no setor da construção civil é a mola propulsora para o crescimento das construtoras. Esse é o momento ideal para colocar a casa em ordem, otimizando os processos para que, mais adiante, quando o mercado recuperar seu fôlego, você esteja pronto para aproveitar as oportunidades.

superbanner da planilha do modelo de diário de obras

Construção Civil
Construção Civil – Você está preparado para crescer?
Postado dia 4 de agosto de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão

Passada a euforia dos anos 2010, a retração econômica do país têm impactado a construção civil. A Exame ouviu especialistas do setor e publicou: “são unânimes em afirmar que a recuperação da crise será lenta e deverá começar apenas em 2017”.

Por isso, esse é o momento ideal para “arrumar a casa” e preparar o mercado da construção civil para o novo crescimento, que certamente virá.

Olhando seus processos no detalhe e identificando melhorias em cada um deles, é possível obter melhores resultados operacionais que podem também mitigar os efeitos da crise no seu negócio. Já parou para fazer uma avaliação do que pode ser melhorado em seus principais procedimentos? Para te ajudar nessa análise, preparamos uma lista de exemplos de tarefas que podem ser melhoradas na construção civil. Confira:

Compras

  • Você já pensou em agrupar as solicitações semelhantes de várias obras? Assim, consegue aumentar o volume e garantir mais poder de negociação com seus fornecedores.
  • Enviar as solicitações de cotação automaticamente para todos os fornecedores cadastrados, traz produtividade imediata ao departamento. Com a cotação aprovada, você pode gerar o pedido de compra também de forma automática para o fornecedor escolhido.
  • Quando o cronograma da obra anda junto com o planejamento de materiais fica mais fácil evitar excesso ou falta de insumos no canteiro de obras. Pense nisso! Existem tecnologias para ajudá-lo a ter este acompanhamento em tempo real.

Comercial

  • Organização também traz produtividade. Por isso, manter as informações sobre prospects e clientes consolidadas ajuda muito o time comercial a otimizar seus contatos.
  • Já aconteceu da sua equipe vender mais de uma vez a mesma unidade? A unificação das reservas e vendas elimina de vez esse risco.
  • Saber como vai o negócio passa pela avaliação do desempenho de vendas por corretor e por empreendimento. Não deixe de acompanhar esse indicador.
  • Dar autonomia para os clientes pode gerar mais produtividade também. O ideal é que eles possam solicitar informações sobre o andamento das obras, reimprimir boletos, emitir extratos e pagamentos efetuados para declaração de IR, por exemplo, sem precisar acessar a equipe comercial diretamente.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Financeiro

  • A eficiência financeira vem da integração dos dados dos departamentos (como compras, comercial e recursos humanos) diretamente com a área financeira para fazer o controle preciso do fluxo de caixa. Isso evita redigitações e problemas de liquidez.
  • O controle do fluxo de caixa merece toda a atenção neste momento instável da economia, então, quanto mais detalhadamente você visualizar as contas a pagar, a receber, extrato credor e saldos de adiantamento, melhor.
  • A conciliação bancária consome um tempo gigante do departamento financeiro. Automatizar os processos de contas a pagar e a receber libera tempo para a equipe se dedicar à ações mais estratégicas e de maior valor agregado para a construção civil.

Engenharia

  • É possível encontrar formas de agilizar o cadastro e a escolha dos insumos e serviços necessários para a elaboração de orçamento de obras, compras de materiais e contratação de mão de obra. Agora, é um bom momento para encontrar tecnologias que ajudem nessa tarefa.
  • Ter uma visão panorâmica das obras (baseada em relatórios de cronogramas físicos e financeiros, necessidades de compras e dimensionamento de equipes) vai garantir o dinamismo do seu projeto.
  • Mesmo com todo o seu planejamento, imprevistos acontecem, não é mesmo? A solução é acompanhar a execução da obra por meio de relatórios da forma mais visual possível.
  • Hoje é difícil imaginar um dia fora de casa sem o celular, não é mesmo? Então, nada mais natural (e produtivo) do que acessar as informações dos empreendimentos em andamento em tempo real.

Ao ler essa lista você já deve ter pensado em diversas maneiras para “arrumar a casa”, certo? A dica final é que a tecnologia será sua grande aliada para automatizar, integrar e organizar os processos citados aqui, garantindo terreno fértil para a expansão da Construção Civil.

Continue acompanhando nosso blog, porque o próximo post vai te oferecer dicas práticas para melhorar esses processos com a ajuda de soluções tecnológicas que já estão disponíveis! Aproveite!

banner sobre o quiz desperdicio

Sustentabilidade na Construção Civil
Sustentabilidade na Construção Civil em 10 dicas
Postado dia 30 de julho de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção, Sustentabilidade

As crises hídrica e energética que se instalaram no país não são a única justificativa para que a demanda por Sustentabilidade na Construção Civil cresça.

O que vemos hoje é uma grande mudança na mentalidade dos consumidores, que estão muito mais preocupados com questões ambientais e com qualidade de vida – e alarmado com esta transformação, o mercado vem se adequando a este pensamento de Sustentabilidade na Construção Civil.

Listamos abaixo 10 dicas de como tornar um empreendimento sustentável, sem complicações.

1)     Utilize materiais de construção de baixo impacto ambiental, que poupam recursos naturais e são mais duráveis. O custo de alguns pode ser um pouco mais elevado a princípio, porém em longo prazo exigem menos manutenção.

2)     A gestão de resíduos deve abranger desde a etapa de construção – afinal os entulhos dos canteiros de obras respondem por uma parcela significativa dos impactos causados pela construção civil no meio ambiente – até sua finalização, prevendo espaços destinados à separação dos resíduos domésticos, para facilitar a reciclagem.

3)  Os telhados verdes – técnica de arquitetura que utiliza cobertura vegetal como grama e plantas – além de facilitar a drenagem da água da chuva, fornece isolamento acústico e térmico. Os empreendimentos mais ousados estão utilizando esta área como um jardim suspenso, disponibilizando bancos de descanso para os usuários.

4)     O incentivo ao uso da bicicleta como meio de transporte é uma tendência mundial – temos como exemplo no Brasil as novas políticas adotadas pela cidade de São Paulo – e os edifícios residenciais e comerciais podem facilitar a guarda destas por meio de bicicletários. O apoio à redução da poluição e do trânsito são os principais benefícios desta medida.

Em edificações comerciais ainda há a possibilidade de construir vestiários com duchas, para permitir que os funcionários que vão pedalando tomem banho antes do expediente.

5)     Durante a obra e posteriormente, o uso de energia renovável tem como objetivo reduzir custos. Com a crise energética vivida no país, é uma maneira de garantir o acesso básico a este recurso. Algumas sugestões encontradas no mercado são: coletores solares térmicos, painéis fotovoltaicos, mini-turbinas eólicas e cisternas de aquecimento a biomassa.

6)     Planeje áreas que possam funcionar com iluminação natural, assim será possível minimizar o uso da iluminação artificial – e quando ela for necessária, opte por lâmpadas de baixo consumo.

7)     Um bom e correto isolamento térmico irá evitar perdas de calor no inverno e ganhos de calor no verão. Dessa maneira é possível manter uma temperatura constante no interior da edificação, diminuindo e até evitando o uso de aparelhos elétricos para equilibrar a temperatura.

8)     Cores ajudam a economizar: as escuras podem absorver até 98% do calor solar, enquanto que as cores claras – principalmente o branco – absorvem somente 20%. Isso pode gerar uma grande redução no consumo de energia elétrica para refrigerar o ambiente, segundo a Agência Fapesp.

9)  A reutilização de água é uma solução mais econômica e sustentável, pois irá diminuir o volume de água jogado nas vias públicas – prevenindo enchentes. Principalmente nas capitais, hoje é uma necessidade latente por conta da crise hídrica.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

10) Um empreendimento com ventilação adequada irá evitar que a umidade do ar afete o conforto dos moradores e ainda a necessidade de manutenção e obras futuras.

Se algumas soluções hoje só são possíveis por conta da tecnologia que evoluiu – como os materiais que proporcionam baixo impacto ambiental – outras são decisões muito simples – como a escolha da cor da fachada, que pode gerar economia de energia elétrica.

Os consumidores enxergam a Sustentabilidade na Construção Civil como um importante diferencial, o que é um ótimo argumento de vendas para as construtoras e incorporadoras! Em um mercado tão competitivo, se diferenciar sempre será uma questão de sobrevivência.

Os ganhos ao adotar as práticas de Sustentabilidade na Construção Civil não são apenas comerciais. A imagem da empresa é afetada positivamente, pois reflete nela a responsabilidade perante a sociedade e o meio ambiente. Por fim, com o tempo estes valores irão enriquecer ainda mais a reputação da companhia!

banner sobre o quiz desperdicio

Construção Civil
Construção Civil – Como selecionar os melhores fornecedores
Postado dia 23 de julho de 2015 | 2 Comentários
Categorias: Indústria da Construção

O antigo método de cotação no qual alguém da sua equipe dedicava tempo para o contato individual com os potenciais fornecedores e depois realizava o comparativo entre os concorrentes ficou no passado de vez.

Tempos difíceis na economia, como o que atravessamos nesse momento, pedem agilidade máxima, produtividade e, claro, redução de custos. Por isso, contar com ferramentas práticas que otimizem processos estratégicos, como é a escolha de um fornecedor, faz toda a diferença no seu resultado final também na Construção Civil.

Considere que você tem um fornecedor de confiança, que já presta serviços para sua empresa do ramo da Construção Civil há anos e dispensa credenciais. Na pressão por orçamentos mais enxutos, você se vê desafiado a considerar novos fornecedores, situação que pode te deixar inseguro em relação à qualidade que você já conhece. Com uma solução específica, é possível realizar o processo de forma prática e ajuda a ter segurança na definição de um novo parceiro.

A Softplan, por exemplo, disponibiliza uma ferramenta chamada Portal do Fornecedor, pela qual é possível disponibilizar as solicitações de cotação para diversos fornecedores, cruzar os dados recebidos e depois avaliar os parceiros escolhidos, de forma simples, prática e muito mais rápida.

A partir de um cadastro de cotação no sistema, os fornecedores são acionados e incluem diretamente todas as informações que você solicitar, como: preço, prazo de entrega e condições de pagamento. Com base nesse processo padronizado, a solução cria um mapa comparativo das cotações e gera alertas indicando os melhores preços e as melhores relações entre custo e benefício oferecidas, facilitando a análise e escolha do melhor parceiro para cada tipo de solicitação.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Após a definição do fornecedor, é possível incluir uma avaliação juntamente com o registro da chegada e inspeção do material. Assim, todos os dados acumulados no sistema ajudam a manter a qualidade do fornecimento, pois os parceiros com entregas abaixo da meta (seja por pontualidade ou qualidade do produto) podem ser barrados no momento de novas cotações, de forma imparcial e sem depender da memória dos colaboradores. Além disso, pedidos similares reaproveitam as informações já inseridas no sistema para gerar novas solicitações, tornando o processo mais rápido.

Adotar uma solução como o Portal do Fornecedor amplia sua capacidade de análise das propostas e garante resultados efetivos com base em dados enviados pelos candidatos à parceiros e nas avaliações realizadas, criando um ambiente de concorrência leal, seguro e altamente profissional para suas escolhas.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Construção Civil
Construção Civil – Suas compras no prazo e custos previstos
Postado dia 14 de julho de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Indústria da Construção

Fazer uma boa gestão de recursos na Construção Civil nunca foi tão fácil. É o Sienge mais uma vez facilitando sua vida!

Em como fazer gestão de suprimentos de forma conectada com o canteiro de obras, você pôde entender um pouco mais a importância desta área para a sua empresa. Fazer as compras dos materiais, resguardando os orçamentos e atendendo os prazos estipulados pelos projetos é um grande desafio!

Para trazer mais eficiência para sua área de Compras, siga dicas abaixo. Elas vão ajudar sua construtora a fazer compras no prazo e no custo previstos.

#1 Trabalhe com processos bem definidos e integrados.

Processos bem definidos, atividades relacionadas entre si e integração entre as áreas da sua construtora. Com esses pilares, seu time se torna muito mais eficiente. A área de projetos sinaliza as demandas, prazos para utilização dos insumos e publica o orçamento a ser seguido. De posse dessas informações, sua área de Compras faz as cotações em busca do melhor preço, planeja e aprova os pedidos e organiza a disponibilidade do material. Certamente a formalização e a integração dessas atividades trará assertividade e velocidade a rotina dos compradores.

#2 Compartilhe a entrada das solicitações de compra.

Permita que o próprio time da obra ou de engenharia dê entrada nas solicitações de compra. Delegar esse registro ao canteiro de obras ou escritório de projetos, traz agilidade na entrada das informações. Dessa forma, libera tempo do time de compras para atuar em questões mais estratégicas da área, como desenvolver e negociar com os fornecedores. As compras avulsas, aquelas menores solicitadas mais pontualmente, são solicitadas e registradas quando necessárias. Ao mesmo, as grandes compras de insumos para as obras são registradas pelo responsável de cada obra.

#3 Busque integração também com os fornecedores.

Que tal permitir que os próprios fornecedores dêem entrada nas informações de cotação solicitadas? Imagine o ganho de produtividade para seu time de compras! A partir da sinalização da sua área de Compras, os fornecedores acionados já informam o preço, frete, prazos de entrega, condições de pagamento, entre outras informações relevantes para aquela aquisição. A partir daí, o profissional da área de Compras faz as análises das propostas e as melhores negociações para a construtora. Ah, lembre-se de buscar sempre mais de uma cotação para a mesma compra. Assim você terá opções para negociação, além de desenvolver sua rede de fornecedores.

banner sobre o quiz desperdicio

#4 Faça os pedidos de forma mais precisa.

A integração com o escritório de projetos deve também agregar conhecimento sobre os insumos utilizados nos processos construtivos. Assim, as compras são mais assertivas tanto nas especificações quanto nas quantidades. Ter muita  atenção e controle sobre as datas necessárias para entrega, também é condição para garantir a disponibilidade dos materiais no tempo certo para cada obra. Além disso, lidar com a quantidade certa de insumos, e no tempo adequado para uso, evita o desperdício dos materiais.

#5 Busque apoio na tecnologia.

Utilizar uma solução de gestão especializada em obras, certamente fará toda a diferença para a eficiência na sua área de compras. Procure uma solução que ajude sua empresa a colocar em prática as dicas citadas. Além de permitir a integração das área da sua construtora, soluções tecnológicas também facilitam a padronização dos processos.

E para o dia a dia, um mapa comparativo das cotações para uma mesma solicitação de compras vai facilitar muito a análise das cotações. Alertas destacando os melhores preços e cotações com melhor custo benefício também ajudam na identificação do melhor negócio.

A tecnologia também permite a otimização dos pedidos, facilitando o reaproveitamento das informações. Por exemplo: já foi feita a compra de kits hidráulicos, que envolvem diferentes materiais, como tubos, registros, conexões, joelhos, para um pavimento daquela obra ou em outra obra similar. Por que não ter a facilidade de refazer este pedido novamente, assim que necessário?

Dicas como esta podem ajudar empresas da Construção Civil a realizarem as compras no prazo e dentro dos custos orçados.

E continue acompanhando nosso blog! Logo vamos mostrar pra você como a solução ideal traz ao processo de compras mais eficiência, com comunicação, integração e segurança! Conte sempre com a equipe Sienge / Softplan.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Gestão de Custos
Gestão de Custos – A construção civil em outro nível
Postado dia 7 de julho de 2015 | 1 Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Software

Cada custo deve ser apropriado de forma correta, na obra em que estava trabalhando quando o custo foi gerado e a Gestão de Custos vai te ajudar muito!

Então, que tal agora conhecer as principais características a serem analisadas no momento da escolha da solução ideal para ajudar você a fazer a Gestão de Custos com precisão? Vamos a elas:

#1 Consolidar os custos envolvidos na rotina de manutenção preventiva.

Gerenciar detalhadamente todo o custo necessário para a operação de cada máquina, permite a apropriação conforme o período da manutenção e a obra em que estava trabalhando na época. A rotina de manutenção das máquinas e equipamentos envolve troca de peças, óleo, graxa, pneus entre outros, que ocorrem durante toda a vida útil deste componente.

#2 Gerenciar a alocação das máquinas e equipamentos.

Permitir que o custo de um equipamento seja diluído para composição do custo de cada serviço de forma individualizada. Desta forma, o custo é apropriado diretamente na obra em que o equipamento estiver de fato trabalhando.

Custo de aquisição, vida útil, valor residual, depreciação são todos envolvidos no cálculo do custo hora desta máquina e sua apropriação é direta nas obras em que trabalham.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

#3 Fornecer opções de registro e análise em diferentes níveis de detalhamento.

Sua construtora pode optar por níveis diferentes de detalhamento quando faz a estruturação da análise financeira de seus empreendimentos. Logo, a apropriação dos custos de sua obra, pode ser realizada também em diferentes níveis, como por exemplo, por obra, célula construtiva, etapa, ou serviço, de acordo com sua estratégia. Uma boa solução de gestão de obras deve oferecer a visibilidade destes custos nestes níveis, de forma prática, integrada e confiável.

#4 Dar visibilidade da tendência dos custos da obra.

Acompanhar e analisar os insumos orçados em comparação com os apropriados e o que está sendo realizado, dá a sua empresa a oportunidade de ajustar os custos de suas obras na hora certa. Consolidar andamento físico e financeiro pode apontar uma tendência de desvio dos custos da obra, quando o andamento está desencontrado. Esta é um recurso essencial em uma solução de gestão de obras.

#5 Apresentar diferenças entre apropriações e orçamento.

Uma solução completa, integra o orçamento da obra com o controle financeiro da sua empresa. Desta forma, identifica facilmente diferenças de apropriação financeiras na obra, que não foram orçados. Esta informação é base para análises gerenciais dos orçamentos de obra e serve como lição aprendida para melhorar orçamentos de novos empreendimentos.

#6 Armazenar e fornecer comparativos de histórico de custos.

A apropriação de Gestão de Custos em suas obras, por meio de um software para construção civil, dá a sua empresa a possibilidade de construir um grande histórico de informações relativas a composição de custos. Com ele, sua empresa passa a contar com orçamentos cada vez mais precisos, pois tem como base o custo já realizado por cada máquina em obras similares.

Com estas dicas você encontrará uma solução tecnológica que vai atender as necessidades de sua construtora, permitir a apropriação exata dos custos nas suas respectivas obras, e trazer a visão real da rentabilidade de seus empreendimentos.

Fale conosco, faça sua Gestão de Custos corretamente e tenha o resultado final de sua com precisão!

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Mercado Imobiliário
Construção Civil ganha produtividade usando smartphones
Postado dia 30 de junho de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção, Tendências

A solidez e a importância econômica do mercado da construção civil no Brasil, evidenciam cada vez mais a necessidade de aumentar a produtividade no setor.

Entre 2007 e 2012, de acordo com o IBGE, o setor da Construção Civil cresceu 1,8 vez a mais do que o PIB brasileiro. Entretanto, estima-se que 2015 deve registrar uma retração de 1,2% (fonte: CNI – Confederação Nacional da Indústria). Na falta de certeza quanto ao que ocorrerá a médio prazo, manter sua construtora ou incorporadora competitiva é essencial, e exigirá atenção redobrada e esforços ainda maiores.

Um estudo feito por EY, mostrou que existem inicialmente sete alavancas relevantes para melhorar a produtividade da indústria da Construção Civil:

  • Planejamento da execução de empreendimentos;
  • Adoção de métodos de gestão
  • Equipamentos;
  • Materiais;
  • Métodos construtivos;
  • Melhorias de projeto; e
  • Qualificação da mão-de-obra.

No entanto, sabemos que colocar tudo isso em prática é nada fácil, especialmente quando falamos da Construção Civil, que tem sua natureza distribuída. Segundo André Viola Ferreira, Sócio-líder da Real Estate Brasil e América do Sul: “ Muitos aspectos externos ao canteiro de obras têm impacto sobre a produtividade, como a prospecção do terreno e repasse final do imóvel. Por isso, é fundamental conectar o projeto aos diversos departamentos, de modo a firmar o foco na cadeia de valor do empreendimento, do início ao fim.”

superbanner do ebook como aumentar a produtividade do time de sua construtora

A utilização de tecnologias que promovem a mobilidade na indústria da Construção Civil podem ser uma resposta para a relação entre a produtividade vs. descentralização do setor, e estão cada vez mais populares entre as empresas e profissionais do setor.

Por meio da utilização de dispositivos móveis, como smartphones e tablets, há mais agilidade e precisão das informações, pois são lançadas diretamente no local da obra sem intermédio de papel ou planilhas. Esta tecnologia também permite que as informações estejam sempre na palma da mão dos gestores, onde e quando você quiser.

Com os dispositivos móveis para a construção civil, você ganha muito mais produtividade, pois:

  • há mais agilidade nos lançamentos de atividades efetuados no canteiro de obras, tendo mais facilidade para seguir o planejamento inicial
  • maior assertividade já que as informações coletadas no canteiro de obra são inseridas direto no sistema usando um tablet ou smartphone, sem preenchimento manual das planilhas
  • fornece mais segurança – informações estão na rede com protocolos de segurança, e não em papéis que podem ser extraviados
  • é de fácil acesso – você pode acessar de qualquer lugar a qualquer hora, permitindo que operações, como aprovações de compra ou contrato, sejam feitas com agilidade, evitando atrasos na obra, por exemplo.
  • recurso de apontamentos de mão de obra diretamente no canteiro de obras, de forma  automática e integrada.O resultado disso é que você pode fazer uma gestão mais apurada de horas trabalhadas, turnos extras, assim como a necessidade de realocação de trabalhadoras ausentes.

Além de melhorar a produtividade, os aplicativos moveis para a construção civil ajudam em muitos outras atividades do dia-a-dia. Conheça aqui alguns aplicativos que melhorarão a rotina e os resultados de sua construtora ou incorporadora.

Outro modelo que pode ser muito bem aproveitado em sua empresa, é a computação em nuvem, isso significa que tudo é armazenado em computadores ou servidores compartilhados e interligados pela internet. Estes serviços tem segurança para que cada informação seja acessada apenas pelo seu dono, e de qualquer lugar do mundo!

Sua construtora se beneficiará com:

  • flexibilidade,
  • capacidade de processamento de grandes volumes de informações,-
  • recuperação e  backups dos dados automáticos.

Todos estes recursos promovem a otimização de seus processos e a integração de suas áreas. Menos papel e planilhas e eliminação de retrabalho com digitação de dados. Mais produtividade com as informações oriundas das obras chegando no lugar certo e no tempo certo.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Se você quiser melhorar a produtividade para sua construtora ou incorporadora entre em contato conosco e descubra como:

Quer saber como podemos podemos te ajudar?

Construção Civil
Construção Civil – Controle seus processos com smartphones
Postado dia 26 de junho de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Gestão, Indústria da Construção, Tendências

Controlar os processos frente a esse cenário é uma atividade nada fácil. Entretanto, a popularização dos dispositivos móveis, pode e deve ser muito bem aproveitado pela construção civil.

São canteiros de obra, escritórios e plantão de vendas distribuídos. A troca de informações entre eles é constante e muito forte. Por meio da utilização de dispositivos como smartphones e tablets, há mais agilidade e precisão das informações, pois são lançadas diretamente no local da obra sem intermédio de papel ou planilhas. Esta tecnologia também permite que as informações estejam sempre na palma da mão dos gestores, onde e quando você quiser.

Veja como a utilização de dispositivos móveis na indústria da construção civil ajudam a controlar a produtividade:

Acessível de qualquer lugar: canteiros espalhados em diferentes localidades deixam de ser uma dificuldade. Portanto, se você que é o responsável por compras está fisicamente numa obra, e precisa aprovar um processo de outra obra, conseguirá fazer isto facilmente, usando apenas um smartphone. As medições feitas nos canteiros são observadas em tempo real pelo escritório de projetos, por exemplo, permitindo a visualização do avanço físico da obra. Ou seja, sua empresa garante integração em tempo real e agilidade na rotina diária.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Menos erros e mais segurança das informações: Já imaginou perder um dia de apontamento de obra ou consumo de matéria-prima? O retrabalho e o custo que sua empresa teria? Com o usos de dispositivos móveis o risco de perda das informações ou documentos é reduzida.

Melhor aproveitamento do tempo: O uso de aplicativos mobile também acabam com a redigitação de dados, reduzem consideravelmente o tempo gasto para compilar informações para relatórios, e acaba com a necessidade de aferir as informações escritas à mão. Menos preocupação e mais tempo disponível pra você aplicar no negócio da sua empresa.

Essas são algumas as várias vantagens identificadas na construção civil. Você lembrou de mais alguma? Contribua através dos comentários, assim você pode ajudar colegas que talvez ainda não tenham aproveitado da tecnologia da mesma forma.

Gostou? Leia também o post PRINCIPAIS APLICATIVOS MOBILE PARA ENGENHEIROS.

banner sobre o quiz desperdicio

Quer saber como o Sienge pode ajudar a Construção Civil?

Nota Fiscal Eletrônica
Nota Fiscal Eletrônica – Como funciona na prática
Postado dia 23 de junho de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Fiscal, Indústria da Construção, Sienge, Software

O tema nota fiscal eletrônica (NFe) é pauta em todas as construtoras desde 2005, quando o Governo Federal iniciou o projeto SPED Fiscal.

Com a nota fiscal eletrônica, todos os impactados (governo, sociedade e empresas contribuintes)  se beneficiam com a redução do custo burocrático da apuração fiscal e aprimoramento no combate a corrupção.

O esforço para as construtoras se adequarem a este modelo é grande, pois envolve novo processo tecnológico, ferramentas de segurança e validação dos dados e comunicação com a SEFAZ (Secretaria da Fazenda). Com o apoio de um software de gestão todo o processo fica muito mais fácil. Veja como o Sienge ajuda você!

1 – Recepção da Nota Fiscal

Além de automatizar o processo de recebimento do XML (eXtensible Markup Language) , o sistema aproveita os dados que constam no XML da nota para registrar a nota de entrada no sistema. O Sienge tem um recurso que verifica automaticamente e de forma periódica a chegada de novas notas fiscais por email. Ao receber o email, o sistema salva o XML da Nota Fiscal Eletrônica no seu repositório de documentos, desde que a nota esteja autorizada pela SEFAZ. A partir daí, você consegue consultar no sistema as notas recebidas e usar os dados da Nota Fiscal Eletrônica. Aproveitando estas informações, o sistema facilita o preenchimento automático no cadastro de nota fiscal de entrada (sistema de compras), a partir dos pedidos pendentes. Você ganha em segurança e diminui a ocorrência de falhas com a integração do processo.

2 – Emissão da Nota Fiscal Eletrônica

O Sienge automatiza o processo de emissão da Nota Fiscal Eletrônica de venda, Nota Fiscal Eletrônica de transferência e Nota Fiscal Eletrônica de devolução.

Para a nota de transferência e de venda, tanto o sistema de estoque como o sistema de locação de equipamentos estão integrados, o que possibilita a emissão da Nota Fiscal Eletrônica de forma automática no momento em que é feita a movimentação.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Facilitando ainda mais o processo de emissão da Nota Fiscal Eletrônica na operação de venda, o Sienge possibilita informar o preço do produto conforme a tabela de preços de cada cliente. A comunicação com a SEFAZ para a geração do XML da nota é feita de forma automática, bem como a geração do título no sistema de Contas a Receber.

A emissão da Nota Fiscal Eletrônica de devolução é feita no sistema de Compras, o que resulta na rastreabilidade com o pedido.

Para somar ainda mais agilidade e integração ao processo de emissão da Nota Fiscal Eletrônica, o Sienge auxilia no preenchimento de informações do peso da carga, como caminhão vazio e carregado, provenientes do software de balança.

Com a utilização de um sistema de gestão que tem recursos integrados para a emissão da Nota Fiscal Eletrônica, como o Sienge, sua empresa se beneficia com: menos riscos de levar multas, minimização de possíveis falhas de digitação, otimização no registro das notas fiscais de entrada (compras) e integração automática com o sistema da SEFAZ. Para saber mais ainda sobre como o Sienge ajuda no processo de Nota Fiscal Eletrônica, baixe este e-book gratuito que preparamos especialmente para você.

banner sobre a palestra crise na construção

Principais Aplicativos para Engenheiros
Aplicativos para engenheiros também nos smartphones
Postado dia 17 de junho de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção, Tendências

Nos mais diversos mercados a tecnologia está mudando a forma como as profissões atuam. E na engenharia não é diferente. Conheças os melhores aplicativos para engenheiros.

Na indústria da construção civil não é diferente do restante do mercado. Existe uma gama imensa de aplicativos para engenheiros disponíveis no mercado, vão desde, calculadoras e trenas, até sistemas mais complexos de medição de obras e gestão de obras, por exemplo.

Apesar dessa vastidão de aplicativos para engenheiros é interessante observar o que realmente esses apps ajudarão na sua rotina de trabalho. Por isso fizemos uma lista de aplicativos para engenheiros que ajudarão na hora de decidir qual app você deve investir.

Confira, abaixo:

1 – AutoCAD 360

O aplicativo AutoCAD 360 permite que os usuários criem, editem e compartilhem desenhos quando estão no canteiro de obras, através de seus dispositivos móveis – Tablets e Smartphones. É possível trabalhar off-line e quanto estiver conectado à rede carregar as informações.

2- Evernote

Com o Evernote você pode fotografar uma parede e fazer comentários na foto sobre essa parede, por exemplo. Você pode baixar a planta de um determinado projeto e anotar as “correções” que precisam ser feitas. O Evernote transforma aquele seu lembrete mental em um documento físico, com imagens, sons e comentários.

3- Smart Tools

Este aplicativo, “Ferramentas Inteligentes”, traduzido literalmente, é, na verdade, uma caixa de ferramentas no seu smartphone ou tablet, ele possui funções que permitem medir distâncias, campo magnético, ângulos, inclinações, som e vibrações, bem como com lanterna, GPS e lupa.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

4- Aprovação de Pedidos de Compra

Não deixe sua obra atrasar por falta de mais agilidade para aprovar as solicitações de compra. Com o aplicativo “Aprovação de compras mobile” você faz a aprovação ou reprovação de um pedido com um clique, de qualquer dispositivo móvel e direto no aplicativo. Sem a necessidade de acessar uma rede, abrir seu notebook.

O aplicativo permite:

  • Acessar os dados de pedidos de compra agrupados por obra.
  • Autorizar ou reprovar os pedidos de compra.
  • Notificar o comprador, responsável pelo pedido de compra.
  • Trabalhar com os dados offline após sincronização.

5- Registro de Medição Física

Escrever com a caneta no papel, revisar o texto escrito, organizar as informações e digitar no computador. Estes passos ficaram para trás! Com o aplicativo de “Registro de Medição Física” é possível acessar os itens a serem medidos por obra e unidade construtiva, medir os itens do acompanhamento de obras, tudo isso no seu dispositivo móvel.

6- Aprovação de Contratos de Venda

Aprove de forma mais rápida e prática as negociações que seu time comercial envia para você, e não perca mais vendas.

O aplicativo permite:

  • Acessar os dados do contrato a ser aprovado, agrupados por empreendimento ou em lista geral.
  • Realizar a aprovação imediata ou por sincronização.
  • Enviar e-mail ao cadastrante e/ou aos corretores do contrato, por sincronização ou de forma imediata.

Estes são alguns dos aplicativos para engenheiros! Além desse conteúdo recomendamos a leitura do eBook com dicas de como implementar uma cultura móvel na sua empresa. 

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Construção Civil mobile na construção sienge mobile mobile para construção
Aplicativos mobile para construção – 6 razões para começar usar
Postado dia 8 de junho de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Funcionalidades Sienge, Indústria da Construção, Software, Tendências

O mundo mobile e seus aplicativos estão mudando o mundo e a indústria da Construção Civil está seguindo o mesmo caminho. Saiba mais sobre aplicativos mobile para construção!

Nunca é fácil mudar uma prática que já está enraizada na cultura da sua empresa, mas com uma boa quantidade de esforço e um planejamento cuidadoso, aos poucos, é perfeitamente possível de modernizar. É assim a melhor maneira para trazer um negócio para a realidade da cultura do mundo mobile, que chegou nos últimos anos tomando a vida pessoal de todos e está conquistando, aos poucos, as empresas.

Está na hora de usar aplicativos mobile para construção!

Na sua vida pessoal você provavelmente já não sabe mais ficar sem Facebook, Whatsapp, e-mails e outros aplicativos e utilidades do seu smartphone. Se na sua empresa ainda não é assim, é provável que em breve o seja. É apenas uma questão de tempo até todo mundo ter a facilidade de trabalhar numa cultura móvel, sem precisar estar no escritório, ou, no caso específico da construção, conseguir trabalhar em conjunto com o escritório diretamente do campo de obras.

Quer implantar uma cultura móvel na sua empresa e não sabe por onde começar?
Baixe gratuitamente o nosso eBook “Passos para Implantar uma Cultura Móvel na sua Empresa”

Práticas como home office (ou seja, trabalhar de casa, sem precisar ir ao trabalho) e usar grupos de conversa no Skype, Slack, Viber, Telegram ou Whatsapp para gerenciar times e projetos já são realidade em várias empresas, mas como focar em aplicativos que sejam úteis especificamente para a construção?

banner sobre o quiz desperdicio

Dar conta de monitorar várias equipes com atribuições completamente diferentes, em ambientes diferentes; o andamento da obra; o estoque de insumos; as solicitações de compras; entre outras atividades pode ser muito complexo, ainda mais quando todas as informações são anotadas em um pedaço de papel. Automatizar esses processos pode facilitar muito a vida das empresas, e os apps podem ser uma grande saída!

Os aplicativos mobile para construção melhoram, e muito, a comunicação entre o escritório e o canteiro de obras, permitindo que as informações sejam coletadas e enviadas para o escritório, e vice-versa, em tempo real. Os apps mobile para construção são usados a fim de acompanhar os projetos, deixar pequenas atividades mais eficientes, e melhorar a relação entre quem trabalha no campo e quem trabalha no computador. Enfim, o ideal é otimizar o tempo e reduzir o custo total do projeto.

Veja aqui 6 motivos porque os aplicativos mobile para construção estão mudando o cenário deste mercado:

  1. Melhora na administração de locação equipamentos utilizados na obra:
    Empresas da indústria da Construção Civil que utilizam soluções móveis como banco de dados registram ganhos, maximizam o uso dos equipamentos da obra através da melhor gestão. O acesso a informações sobre disponibilidade, localização, e cronograma de manutenção do equipamentos, em tempo real, é essencial para o planejamento de uso.
  2. Melhorar a eficiência do departamento administrativo financeiro da empresa:
    Ao eliminar o uso de papel, as empresas da indústria da Construção Civil acabam com a redigitação de dados, reduzem consideravelmente o tempo gasto para compilar informações para relatórios, acabam com a necessidade de aferir as informações escritas à mão e reduzem o risco de perda de documentos importantes. Com o aumento da eficiência do back office é possível alocar melhor os funcionários para atividades menos operacionais, ganhando uma equipe mais produtiva, menos estressada, além de muita facilidade para prover informações assertivas.
  3. Redução dos atrasos na obra:
    Existem um monte de situações que podem atrasar um projeto, algumas são inevitáveis, como por exemplo condições climáticas. Entretanto outras, como o atraso na entrega dos materiais, falta de insumos e problemas técnicos, podem ser facilmente remediadas e evitadas quando a obra está sendo acompanhada com a ajuda de soluções móveis – como aplicativos mobile. Através dos apps, o engenheiro, ou o responsável por um determinado projeto, pode aprovar uma solicitação de compra enquanto está em trânsito, em uma reunião ou até mesmo na sala de embarque, por exemplo, assim evita-se a falta de material na obra.
  4. Melhorar a comunicação entre o canteiro de obra e os demais setores:
    Através dos aplicativos é possível coletar, receber e compartilhar informações da obra em tempo real. Assim, as partes envolvidas no projeto tem acesso às mesmas informações ao mesmo tempo, o que reduz drasticamente a chance de erros, subsidia a tomada de decisão de gestores e responsáveis de obra quando identificam situações críticas. Isso tudo contribui para a visão do todo na empresa e ajuda na hora de fazer um planejamento financeiro e também os cronogramas das obras.
  5. Mais acuracidade na equipe de documentação:
    Usar dispositivos móveis para registar as informações no canteiro de obras melhora a precisão e reduz possíveis problemas que surgem em função de dados inconsistentes, perda de documentos, entre outros. Fotografar uma nota fiscal ou algum erro no projeto para registrar no relatório de acompanhamento pode ser uma melhora e tanto para o andamento do projeto: tanto para a prestação de contas para os clientes, ou para a tomada de decisão, auditoria, entre outros. Dessa forma, os pequenos detalhes não se perdem no mar de informações que cada profissional tem que organizar numa visita técnica ou fiscalização, por exemplo.
  6. Ficar de acordo com os regulamentos previstos para as obras:
    Com aplicativos que fornecem acesso bidirecional à informação, empresas da indústria da Construção Civil podem arquivar versões virtuais de legislações, de todos os projetos do empreendimento – estrutural, arquitetônico e hídrico, por exemplo – para o acesso offline rápido pelas equipes de campo. Isso melhora a produtividade, agiliza consultas importantes e melhora a organização no canteiro de obras.

Aproveite para ficar por dentro das normas baixando gratuitamente o nosso Guia de Normas da Construção!

Ter soluções que forneçam facilidade, agilidade e uma melhora na comunicação entre os locais de trabalho ajuda e muito no dia a dia das pessoas que trabalham no setor da Construção Civil.

Se quiser saber mais sobre os nossos aplicativos mobile para construção, clique aqui.
As opções Sienge Mobile, ou analise uma por uma:

Registro de Medição Física
Aprovação de Contratos de Venda
Quadro de Disponibilidade
Aprovação de Pedido de Compra

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Quer conhecer os aplicativos ideais para você começar a testar nas suas obras?
Descubra os melhores no nosso post:
Principais aplicativos mobile para engenheiros

Construção Civil
Construção Civil – Trabalhe sua comunicação interna
Postado dia 21 de maio de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Gestão, Incorporação, Indústria da Construção

Como a melhora na comunicação interna pode fazer seu time de vendas render mais. Um desafio constante na Construção Civil.

No caso das incorporadoras, o desafio ganha um peso ainda maior porque é preciso manter os corretores internos e os que trabalham para as imobiliárias na ‘mesma página’, ou seja, tendo acesso às mesmas informações.  

A falta de comunicação adequada traz uma série de pequenos problemas nos processos de vendas, podendo ocasionar perdas financeiras para a Construção Civil. Por exemplo, se uma incorporadora não mantém atualizado o sistema de reservas e vendas de unidades, o corretor corre o risco de fechar um negócio e vender uma unidade que não está mais disponível.

Pode parecer bobagem, mas quando estão em jogo muitos empreendimentos, com inúmeras unidades, é fácil que os erros aconteçam. Se houver uma gestão eficiente e uma solução de tecnologia que seja capaz de unificar as informações, integrando todo o time, o controle das vendas será bem facilitado.

No e-book “Saiba como o uso da tecnologia beneficia as diferentes áreas da sua empresa no segmento da construção”, você encontra as principais vantagens em investir mais em tecnologia para integrar todas as áreas da sua empresa.

Se você, gestor, passa por uma situação desta com sua equipe, saiba que é primordial que o processo de comunicação seja claro e transparente. A equipe comercial precisa ter fácil acesso, de preferência em tempo real, às tabelas de preços, modelos de contratos, reservas de unidades e demais informações essenciais para o fluxo de vendas.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Já pensou ter em um único ambiente todas as informações que sua equipe precisa para vender mais? Utilizar recursos tecnológicos que permitam compartilhar informações dos clientes e disponibilidade de unidades entre o time comercial é um excelente primeiro passo para elevar a comunicação e facilitar as vendas.

Além disso, você pode – e deve! – fazer uso de dispositivos móveis para levar a informação até os corretores, que estão na rua o tempo todo. Assim, com um clique no dispositivo móvel eles consultam os empreendimentos de qualquer local e a qualquer hora.

Com seu time informado e com acesso fácil às informações que precisa, sua incorporadora terá, sem dúvida, melhor performance comercial e venderá mais! E você ainda pode ter mais tempo e visão do todo para planejar novas estratégias com o objetivo de aumentar o volume de vendas.

banner sobre o quiz desperdicio

Mercado Imobiliário
Mercado Imobiliário – Como driblar os problemas na economia
Postado dia 19 de maio de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Gestão, Indústria da Construção, Tendências

Os problemas na economia afetam todos, mas poucos sabem tirar proveito dessa situação e dar a volta por cima no Mercado Imobiliário.

Para o Mercado Imobiliário, as previsões de crescimento também não são positivas e de acordo com pesquisa realizada pelo Sinduscon-SP em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) há a expectativa de aumento das demissões na área por conta da diminuição do volume de obras. Mas saiba que mesmo diante de um momento de incerteza, você pode tomar decisões para obter os melhores resultados para o seu negócio, com redução de custos e aumento da lucratividade.

banner do ebook sobre produtividade na construção

Por isso, agora mais do que nunca, é hora de colocar em prática a gestão integrada da sua empresa, buscando ter o controle de custos altamente eficiente. A gestão integrada pode resultar em 30% de eficiência em despesas e prazos, o que, sem dúvida, é uma importante vantagem competitiva.

Além das previsões da economia do país, o Mercado Imobiliário precisa driblar outros contratempos do dia a dia para melhorarem sua performance. Entre eles o desperdício dos materiais usados em obras, os gastos excessivos com a compra de materiais importados, devido à alta do dólar, e a falta de gerenciamento adequado da equipe. Não é uma tarefa fácil. Mas, um bom planejamento realizado antes de iniciar a obra certamente vai ajudar e, muito, principalmente na redução de custos.

banner sobre o quiz desperdicio

Hoje em dia, a tecnologia dispõe de softwares que auxiliam em todo esse processo. Os sistemas de gestão de obras permitem que as empresas desenvolvam seu trabalho de forma organizada, com controle do orçamento, planejamento e acompanhamento físico da obra e ainda, com a possibilidade de integração com outros departamentos. A integração com o RH, por exemplo, permite avaliar a produtividade dos funcionários e, a partir daí, criar planos de ação para melhorar o desempenho da equipe. No e-book “Saiba como o uso da tecnologia beneficia as diferentes áreas da sua empresa no segmento da construção” , você encontra as principais vantagens e benefícios em investir mais em tecnologia e como integrar todas as áreas da sua empresa. Não deixa de ler!

Aproveite que o ano ainda está começando e coloque em prática estas orientações. Diante de um momento econômico cheio de incertezas, como o que estamos vivendo, é fundamental controlar o que só depende de você e ajustar os custos que estão, muitas vezes, dentro de casa. Agir agora é a garantia de competitividade e continuidade no Mercado Imobiliário.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Locação de Equipamentos: saiba o custo real de sua obra
Locação de Equipamentos: você sabe o custo real de sua obra?
Postado dia 13 de maio de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Funcionalidades Sienge, Indústria da Construção, Novidade Sienge

O Sienge quer fazer da locação de equipamentos assunto fácil de lidar. Confira nesse post exclusivo.

Um bom orçamento garante grande parte do sucesso de sua obra <leia mais no post Porque é importante investir mais tempo na elaboração do orçamento de obras>. Elaborar um orçamento conciso é essencial para o entendimento do custo real da obra. Para isso é necessário ter conhecimento de todos as variáveis que compõem os custos de obra, sendo eles diretos ou indiretos.

Na indústria da construção boa parte dos custos de uma obra são indiretos, ou seja, os custos que o orçamentista não consegue atribuir diretamente a um serviço. Como por exemplo, despesa com energia, salário do engenheiro, e locação de equipamentos internos usados na obra.

No caso de uma grua, o orçamentista conseguirá diluir o custo da grua na composição de cada serviço individualmente – transformando-o em custo direto, somente se ele tiver noção bem clara de quanto tempo esse equipamento será utilizado em cada obra.

O mais importante em relação a locação de equipamentos é saber o custo final da obra com precisão. E coletando informações da indústria da construção descobrimos que várias empresas não fazem distribuição destes custos e por isso acabam se enganando em relação ao custo real da obra.

“Estima-se que cerca de ⅓ do custo da obra está relacionado a custos com equipamentos e máquinas.”

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Então imagine uma empresa que não aloca o custo de utilização de equipamentos próprios nas suas obras, ou mesmo a manutenção e compra de novos equipamentos. Essa conta acaba sendo paga pela empresa e não pelos empreendimento que realmente os utilizaram.  Portanto, a não alocação desses custos gera uma percepção errada sobre o real valor do custo de obra, o que faz com que a empresa acredite que uma determinada obra foi lucrativa, quando na verdade ela não foi.

Ter esse processo organizado traz os seguintes benefícios para sua empresa:

  • Evita obra parada por falta de equipamento
  • Visão de médio e longo prazo em relação a utilização do equipamento
  • Reduz custos com equipamentos parados
  • Mais precisão na definição do custo REAL da obra
  • Aumenta a produtividade no canteiro de obras

Pensando em tudo isso desenvolvemos o sistema de Locação de Equipamentos. Com ele você controlará a alocação interna de custos com máquinas e equipamentos, a localização dos equipamentos e planejará a utilização dos equipamentos.

banner sobre o quiz desperdicio

Se você quiser conhecer o sistema deixe uma mensagem abaixo.

Conte sempre com a equipe Sienge.

Energia Solar na Construção Civil
Energia Solar – A evolução na Construção Civil
Postado dia | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção, Sustentabilidade, Tendências

A Energia Solar na Construção Civil vem evoluindo cada vez mais e é o momento de prestar mais atenção neste recurso, neste post falaremos sobre isso.

A possibilidade de crise e o risco do apagão se constituem em temores reais, mas, como vimos nas publicações anteriores (clique aqui e aqui), a energia solar é uma alternativa viável e sustentável para continuar garantindo resultados.

Se a decisão de adotar este tipo de estratégia e investir em uma solução de energia solar já foram tomadas, é hora de entender como conduzir a implementação dos recursos necessários. É preciso ter em mente que a redução de custos de produção na construção civil pode beneficiar diretamente os clientes finais. Para isso, nada de mágica. Reduzir o preço de um produto tem a ver com controlar rigorosamente todas as etapas de sua produção, e controle é um mecanismo chave na administração de empresas.

banner sobre o quiz desperdicio

Assim, controlar a gestão de novos custos, a negociação que envolve novas aquisições e o cronograma de execução do projeto é um desafio que se impõe ao mercado. No momento de aderir ao uso de uma nova matriz energética, como a solar, é importante entender que o apoio de recursos automatizados favorece o controle do todo e minimiza riscos. Recorrer a uma solução de tecnologia voltada para a construção civil é sem dúvida um atalho para o objetivo de minimizar riscos e custos.

Adotar geração própria de energia solar é uma decisão acertada e que garante eficiência à produção e redução de custos em médio e longo prazo. É também um legado de sustentabilidade e um recado de amadurecimento e força ao mercado.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Como a Energia Solar pode Ajudar Construtoras
Energia Solar – Como ele pode te ajudar na crise econômica
Postado dia 6 de maio de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção, Sustentabilidade

A Energia Solar é certamente uma das alternativas mais sustentáveis para gerar eletricidade.

As formas processadas de energia, colocadas à disposição dos consumidores onde e quando necessárias, podem ser eletricidade, gasolina, álcool, óleo diesel, gás natural, etc. O processamento é a forma de produção desta energia – na verdade, de conversão, posto que a energia é abundante na natureza, mas precisa ser transformada para ser utilizada. No Brasil, a matriz hidráulica (a força de quedas d’água artificiais das hidrelétricas) gera 75% de nossa eletricidade. Uma alternativa viável, cujo uso precisa ser mais explorado em nosso país, é energia processada por meio de grandes paineis de captação da luz e calor do sol: a energia solar.

No cenário econômico atual, a construção civil precisa encontrar novas formas de garantir a eficiência energética e, assim, a sustentabilidade de seus negócios. Isso porquê a matriz hidráulica está atrelada ao clima. Assim, quando o nível das águas é reduzido durante o período de estiagem, a produção escasseia, e quanto mais escasso o produto, maior o seu preço – logo, o resultado se reflete nas contas e pode também impactar a produção.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel, que regula os serviços fornecidos pelas concessionárias de energia, em 2015 a projeção não é das melhores para a indústria nacional, e nem para os consumidores finais. As contas devem subir em média 40% em cada estado, tornando o ano especialmente difícil.  Para construtoras, é tempo de repensar diretrizes e focar no objetivo da sustentabilidade. O risco de apagão, que é real quando se trata de energia elétrica produzida pela matriz hidráulica, é praticamente inexistente quando se trata de energia solar.

A energia solar tem outras vantagens: aproveita-se um recurso abundante e reutilizável, como o calor do sol, e reduzem-se os impactos no meio ambiente. Embora a adoção deste tipo de produção exija um investimento inicial, o valor aplicado é rapidamente recuperado por meio da economia nas contas de eletricidade, água e gás. Para saber como a energia solar pode ser útil no canteiro de obras, entre em contato conosco e continue acompanhando nossas publicações.

banner sobre o quiz desperdicio

Energia Solar na Construção Civil: Custos e Benefícios
Construção Civil: veja como economizar usando energia solar
Postado dia 5 de maio de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção, Sustentabilidade

A construção civil já acordou e percebeu a importância (e a lucratividade) da energia solar.

Marcos também já sabe que é melhor fugir do risco e investir em energia solar (clique aqui e confira nosso post anterior sobre o assunto), e agora quer saber quanto custará para a empresa recorrer a esta alternativa.

Pois bem. A microgeração ou geração própria é a produção de energia por parte de consumidores comuns – sejam eles residenciais, comerciais e industriais. Para isso, são utilizadas pequenas turbinas eólicas e painéis fotovoltaicos. A resolução da Aneel que regulamenta a prática define que a microgeração abrange a produção energética que vai até 100 Kilowatts e a minigeração compreende o patamar de 100 KW a 1.000 KW.

Além da redução das contas mensais, são grandes os benefícios da geração própria: no caso de falha na rede elétrica, por exemplo, quem produz continua com eletricidade disponível. Além disso, a perda de energia durante esse processo é mínima, oposto do que ocorre na produção de larga escala.

banner sobre o quiz desperdicio

O custo do investimento depende, é claro, do tamanho da área que passará a usar este tipo de energia, mas, nos últimos anos, o custo ficou 50% menor. E em menos de 50 meses é possível recuperar todo o valor destinado à implantação dos equipamentos, medindo a economia tornada real.  

Outros números

A Alemanha detém 31% da fatia global de energia solar. De todo o volume produzido na Europa, 44% – ou 32,411 GW da capacidade instalada no continente, é de responsabilidade da Alemanha. Isso ajudou a conferir solidez às empresas alemãs que aderiram a esta tecnologia, apesar da crise econômica que se abate sobre o continente desde 2009. O crescimento deste tipo de investimento começou há mais de uma década, antes do período sombrio, portanto. Um decisão inteligente, que por aqui também não pode mais esperar: é hora, mais do que nunca, da Construção Civil investir em energia solar.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Operação Lava Jato
Operação Lava Jato pode ser oportunidade para sua empresa
Postado dia 30 de abril de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção

Intuito da Operação Lava Jato: desmontar um esquema de lavagem de dinheiro.

Assim foi chamada porque os envolvidos faziam uso de redes de lavanderias e postos de combustíveis, para movimentar valores envolvidos em transações ilícitas. São fraudes para super faturamento de obras, recebimento de propina, sonegação de impostos e evasão de divisas. Estão envolvidos empresas e empreiteiras, políticos e até executivos da Petrobrás – uma das maiores empresas do Brasil e do mundo.

E o que sua construtora ou incorporadora tem a ver com a Operação Lava Jato? A resposta é: oportunidade!

Isso mesmo, apesar de todo o processo em andamento e da indignação pública, as obras de infra-estrutura do país precisam ter continuidade. Ao que tudo indica, as grandes empreiteiras que hoje estão listadas na Operação Lava Jato, terão dificuldades para continuar a frente destes projetos.

Esta crise é uma deixa para o setor público reciclar os fornecedores contratados para construção civil, ampliando o rol de empresas aptas para a execução dos projetos. Construtoras ou incorporadoras idôneas têm a chance de executar parte de grandes obras, onde têm mais experiência. Há também a possibilidade de participar de consórcios ou até assumir a gestão de empreendimentos.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Sua construtora deve aproveitar as oportunidades que a Operação Lava Jato fez surgir! Com credibilidade e competência, você abraçará projetos que anteriormente seriam encaminhados às empreiteiras tradicionais.

Este é um excelente momento para promover campanhas de marketing, por exemplo. Converse com seus clientes, revisite seus projetos. Mostre ao mercado seu diferencial! Apresente cases de sucesso e boas referências. Demonstre sua aptidão técnica e de planejamento e gestão das obras. Assim sua empresa será percebida como séria, comprometida e realizadora.

Licitações são grandes oportunidades de negócio e são bastante relevantes para sua construtora ou incorporadora.Agora mais do que nunca, fique atento aos editais, que podem ser adaptados ou flexibilizados, revertendo em boas chances para sua empresa. Relembre do tema em <DICAS PARA SAIR NA FRENTE NO MOMENTO DA LICITAÇÃO>.

Apresente sua construtora ou incorporadora para o mercado, como uma ótima alternativa para fornecimento destes serviços. E prepare-se para o crescimento!

banner sobre o quiz desperdicio

Se precisar de ajuda, com uma solução tecnológica especializada para suportar tudo isso, fale conosco!

Construção Civil
Gestão de Obras – Conecte seu sistema a outras ferramentas
Postado dia 29 de abril de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção, Software

Para tirar o máximo de proveito dos recursos tecnológicas, os sistemas de gestão de obras precisam se conectar com outras soluções, chegando assim na automatização completa dos processos, com o máximo de produtividade.

Veja neste post exemplos de integrações que são essenciais para obter uma boa amplitude na Gestão de Obras de sua construtora. Vamos lá?

MS Project – Na prática, todos os recursos de planejamento e atualização da evolução física do projeto que exitem no MS Project, devem poder ser feitos no seu sistema de gestão de obras. Então, porque integrar  o sistema de gestão de obras com o MS Project? Muitas licitações e até concorrências no setor privado exigem que o orçamento e planejamento da obra seja entregue no formato MS Project. Por isso, é essencial que o ERP tenha este recurso de integração.

Softwares Contábeis e de Recursos Humanos – é comum encontrar no mercado construtoras e incorporadoras que terceirizam boa parte dos seus procedimentos contábeis, fiscais e folha de pagamento. Os escritórios usam seus próprios sistemas para fazer a escrituração contábil e apuração dos resultados. Para alimentar estes sistemas, é essencial que o seu ERP gere as informações de faturamento, pagamento a fornecedores, folha de pagamento, entre outros para o escritório contábil. Você não quer ficar sem seus demonstrativos fiscais e apuração de resultados, certo?

banner sobre ebook gerenciamento de obra do inicio ao fim

Ferramentas de Produtividade – para dar agilidade e flexibilidade a sua rotina diária, a integração do seu ERP com editores de texto como Word, planilhas eletrônicas como Excel e sistemas de e-mail como Outlook é uma ótima solução. Por intermédio desta integração você pode gerar contratos e aditivos no Word com os dados informados no sistema. Pode também montar planilhas dinâmicas no Excel cruzando dados de mais de um relatório emitido no ERP.  E, se quiser, é possível atualizar a agenda de compromissos da força de vendas e promover campanhas de e-mail marketing. A rotina fica bem mais prática, certo?

Importação de Composições de Serviços e Insumos – poder importar os padrões de composições de serviços e insumos praticados no mercado de construção para o seu sistema de gestão de obras certamente vai agilizar a confecção dos orçamentos. Você vai orçar seus empreendimentos com os valores mais atualizados do mercado, sem fazer estimativas baseadas apenas em valores praticados internamente. Além do mais, em muitas licitações públicas ou concorrências dos projetos privados é pré-requisito utilizar os valores das composições de mercado para participar do processo e apresentar a proposta.

Integração com ERPs – existem inúmeros sistemas de gestão (ERPs) no mercado. Entretanto, pouquíssimos deles possuem vocação e as funcionalidades específicas para atender o segmento de construção e incorporação. Normalmente, os ERPs são voltados a atender –  e muito bem – os processos do backoffice. Por vezes, empresas quer reportam para sua matriz no exterior precisam de um ERP mais robusto. Com isso, adotam uma solução exclusivamente para fazer a gestão das obras (orçamento, planejamento e execução) que integra com os processos do backoffice no ERP. Este modelo é interessante e viabiliza uma solução completa para sua empresa.

Uma boa solução de gestão de obras deve oferecer estes recursos de integração, para que você possa aproveitar o máximo da tecnologia.

banner sobre o quiz desperdicio

Conectar o sistema de gestão de obras com outras ferramentas significa mais amplitude na cobertura dos processos de negócio e mais produtividade para sua empresa.!

Construção Civil melhores cursos para engenheiros civis
Cursos para Engenheiros Civis: separamos os melhores!
Postado dia | Nenhum Comentário
Categorias: Ensino, Incorporação, Indústria da Construção, Tendências

O aprendizado contínuo sobre a Construção Civil é essencial para avançar na carreira, por isso separamos essa lista com os melhores cursos e palestras online para Engenheiros Civis para você continuar sempre aprendendo!

Além das formas tradicionais de ensino, instituições como o Coursera, o Veduca e a USP, por exemplo, disponibilizam milhares de cursos online para todos os interesses, muitos deles com legenda em português. Se você domina bem o Inglês e consegue assistir a uma aula sem legenda, também há plataformas muito boas de aprendizado como a EDX (que reúne cursos das principais universidades americanas e do mundo) e as bibliotecas de cursos Lynda e Alison. Nem todos os cursos são gratuitos, mas há vários muito interessantes que valem a pena pelo menos dar uma olhada.

Confira aqui a lista dos mais interessantes para os engenheiros civis, por área de conhecimento e instituição ou plataforma online:

Em Português

Coursera
A plataforma Coursera é uma dessas bibliotecas de cursos que faz parcerias com várias universidades de ponta para disponibilizar cursos gratuitos, porém, se você desejar um certificado, é preciso pagar. Veja alguns cursos:

  • Introdução à sustentabilidade
    Este curso introduz a abordagem acadêmica da Sustentabilidade e explora como as sociedades humanas de hoje podem sofrer em face da mudança global, degradação do ecossistema e limitação de recursos. O curso foca nas áreas chave do conhecimento da teoria e prática da sustentabilidade, incluindo população, ecossistemas, mudança global, energia, agricultura, água, economia ambiental e política, ética e história cultural. Em Inglês com legendas em Português.
  • Negociações de sucesso: estratégias e habilidades essenciais
    O curso fornece uma introdução prática e holística às estratégias e habilidades que podem levar a negociações de sucesso na vida pessoal e nas transações de negócios. O conteúdo cobre os quatro principais estágios da negociação: (1) planejamento, (2) negociação, (3) criação do contrato e (4) execução do contrato.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Sienge

Ciclo Online
Oferecemos uma grande variedade de palestras online sobre temas relacionados à indústria da construção, como por exemplo: Planejamento de Obras, Orçamentos, Organizar a empresa para enfrentar crises, etc.
Ensino à Distância
Oferecemos cursos para formar profissionais capacitados no uso do nosso sistema. Pode ser um diferencial no seu currículo!

Alison:

Os cursos são traduzidos do Inglês para o Português (algumas vezes até mal traduzidos), mas os conteúdos são bons. Aí vão alguns que podem ser de interesse:

 

  • Google SketchUp para modelagem 3D
    Ao completar esse curso, você vai saber usar os recursos do Google SketchUp necessários para fazer projetar diferentes modelos. Também vai aprender a adequar as medidas, usar vistas diferentes, agrupar ou dividir em partes os objetos enquanto desenha.
  • Comunicação empresarial
    Aqui são 4 cursos que ensinam sobre habilidades de comunicação aplicada aos negócios: Diploma em Habilidades de Comunicação Empresaria, Fundamentos da Redação Empresarial, Desenvolvimento de Negócios Eficaz – Técnicas de Apresentação, Gestão da equipe – Reuniões de sucesso.
  • Gerenciamento de projetos
    Há vários cursos sobre o assunto na Alison, o mais acessado e abrangente é o Diploma em Gerenciamento de Projetos. Há outros como Projeto de Viabilidade e Ciclo de Vida e Teoria em Gestão Moderna – Teoria e Prática do Projeto, confira:
  • Gestão estratégica
    Para os interessados em assuntos introdutórios à gestão estratégica, estratégica corporativa e tomada de decisões.
  • Segurança do trabalho
    A Alison disponibiliza alguns cursos para os interessados em aprender sobre Segurança do Trabalho, como por exemplo: Segurança e Saúde na Construção,  Segurança de construção – o pacote de gerenciamento de segurança, Segurança baseada em Comportamento, Diploma em Saúde e Segurança no Trabalho.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

AEA

Apesar de os cursos não serem gratuitos, são todos voltados para Engenheiros, Arquitetos e Designers. Possuem cursos interessantes sobre áreas como Construção Industrializada, Tecnologia, Sistemas Prediais e Estruturas e Obras Públicas e de Infraestrutura.

Sebrae EAD

São cursos mais voltados para a área de Negócios e Atendimento ao cliente, como por exemplo Gestão de Qualidade: Visão Estratégica, ou Conquistar, Encantar e Surpreender o Cliente.

SENAI EAD

Alguns dos cursos gratuitos disponíveis são voltados para Segurança do Trabalho, Legislação Trabalhista e Empreendedorismo.

Fundação Bradesco

São vários cursos online sobre assuntos relacionados à Negócios, Administração, Gestão e Governança.

FGV Online

A Fundação Getúlio Vargas oferece alguns treinamentos online gratuitos, entre os mais interessantes estão:

banner sobre o quiz insumos da construção civil

IPED

Oferecem cursos de todos os temas, de confeitaria à construção civil. Possuem uma área inteira voltada para Engenharia e Arquitetura, com cursos, por exemplo, sobre Maquetes Eletrônicas, SketchUp e VRay. Nem todos são grátis, os que são estão aqui:

  • Gestão de qualidade
    O objetivo deste curso é apresentar ferramentas que ajudam as empresas a se tornarem mais competitivas, como: 5 PDCA, benchmarking, satisfação do cliente, círculos de controle da qualidade, controle estatístico do processo, as sete ferramentas da qualidade, programa 5S, programa Kaizen entre outros.
  • Desenho arquitetônico
    De nível mais  iniciante, esse curso vai ensinar os conceitos básicos do desenho arquitetônico. Neste curso será abordada técnicas para que sejam desenvolvidos desenhos de plantas, cortes, elevações, perspectivas e valorização gráfica dentre outros conceitos básicos.

Catálogo ABNT

Apesar de os cursos não serem gratuitos, é bom saber que a ABNT fornece cursos sobre as Normas Técnicas, basta pesquisa a de seu interesse no site deles.

Fundação Vanzolini

Esta instituição privada, sem fins lucrativos, foi criada, é mantida e gerida pelos professores do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). A instituição tem como objetivo principal desenvolver e disseminar conhecimentos científicos e tecnológicos essenciais à Engenharia de Produção, à Administração Industrial, à Gestão de Operações e às demais atividades relacionadas que realiza com total caráter inovador. Os cursos que oferecem são, em maioria, presenciais e na cidade de São Paulo. Eis alguns:

    • Capacitação em Administração para Engenheiros
      Ensina os engenheiros a entenderem o funcionamento do sistema dinâmico e complexo que caracteriza uma empresa moderna, versando trabalhos que envolvem questões legais, financeiras, econômicas, relacionadas ao gerenciamento das pessoas envolvidas nos processos.

 

  • Cursos na área de Projetos
    São vários os cursos ofertados, desde certificações específicas até uma Especialização em gestão de projetos. Veja mais no link abaixo.
  • Cursos na área de Construção
    Qualidade Ambiental, ISO 14001, Gestão da Sustentabilidade, estes são alguns dos temas dos cursos na área de construção. Para saber de outros, veja no link abaixo.
banner do ebook sobre produtividade na construção

Veduca

A plataforma Veduca é uma iniciativa de e-learning que disponibiliza cursos de universidades de 6 países diferentes (Austrália, Brasil, Dinamarca, Inglaterra, Holanda e Estados Unidos). A maioria dos cursos possui legenda em Português. Veja alguns dos principais:

Unieducar

Oferece alguns cursos gratuitos e outros tantos pagos. Entre os gratuitos, vale a pena checar:

 

 

Learncafe

Cursos de temas mais genéricos, alguns gratuitos, outros pagos. É mais difícil achar algo interessante, mas vale a pena ficar atento às novidades.

Cursos Online SP

Apesar de o site ser meio feioso e desorganizado, eles disponibilizam cursos básicos sobre a Construção Civil, especialmente sobre normas e até mesmo para pedreiros, pintores e azulejistas.

EM INGLÊS

Edx

Essa plataforma reúne cursos das mais respeitadas universidades americanas e sobre os mais variados temas. A seção de engenharia e sustentabilidade é muito boa. Para economizar tempo na sua pesquisa, separamos os que tem mais potencial!

Sustentabilidade

Engenharia

Arquitetura

Lynda

A plataforma Lynda é a biblioteca de cursos voltada para aperfeiçoamento profissional que pertence ao Linkedin. Você pode usá-la no modo trial por 10 dias, após esse período é preciso fazer uma assinatura. Veja a lista dos principais cursos relacionados à área de Engenharia Civil:

 

 

Autodesk

Conhecida pelos seus softwares CAD, a Autodesk também possui cursos online de capacitação diversos. Veja os cursos que eles disponibilizam divididos por temas:

Sustentabilidade

 

  • Projeto de Construções de Alta Performance
    Aprenda a considerar fatores como vento, incidência solar, luz do dia, fluxo de ar, clima e tempo, uso de energia e influenciadores diversos da carga estrutural na hora de fazer o seu projeto.

 

BIM

 

 

Softwares Autodesk

 

 

Em Espanhol

EDx

Os cursos da plataforma EDx também estão em Espanhol, caso você domine o idoma. Aqui estão alguns dos mais interessantes:

 

 

Além de todas as alternativas apresentadas, as entidades de classe também são agentes que fomentam o debate sobre as tendências e conseguem responder rapidamente às necessidades do mercado com seminários e palestras ao vivo.

Participe sempre que possível!

Não esqueça de checar as nossas palestras on-line que promovemos através dos Ciclos Sienge On-line e a nossa gama de cursos de Ensino a Distância.

O conhecimento é seu maior patrimônio!

banner sobre o quiz desperdicio

Orçamento de Obras
Orçamento de Obras – 4 critérios para escolher sua solução
Postado dia 17 de março de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Funcionalidades Sienge, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção

Um bom software para construção civil deve apresentar algumas características essenciais para a produção de um bom orçamento de obras. Saiba quais são esses critérios.

Também já sabe que a assertividade na estimativa de custos, como mão de obra e materiais, depende do grau de eficiência do orçamento elaborado para sua obra. Leia mais em <Conheça grandes benefícios de um bom planejamento orçamentário de obras>.

Fazer uso de uma eficiente solução tecnológica para apoiar a facilitar a confecção de orçamento de obras se torna condição para que você alcance total sucesso nesta empreitada.

Você sabe o que considerar no momento de avaliar a solução ideal para sua empresa?  Já sabe quais critérios tornarão sua escolha assertiva e trarão ganhos rapidamente?

Para lhe ajudar nesta escolha, foram selecionados 4 critérios muito importantes e que você precisa considerar ao fazer esta análise:

#1 Ter flexibilidade para simulações

A solução ideal para a confecção de seu orçamento precisa permitir o registro de vários cenários orçamentários, para que você possa trabalhar com várias opções até concluir qual cenário será o oficial para a obra em questão.

Por exemplo, você pode criar um cenário onde irá optar por horas extras, e outro com um quadro maior de funcionários. Ou um cenário que alugue a máquina A, e outro que alugue a B.

Deve também possibilitar que você trabalhe, depois de escolher o cenário oficial, com uma linha de base – quer servirá para comparativo do que se imaginava inicialmente para o projeto – assim como com versões de replanejamento que possam acontecer durante a execução.

Ah, cada replanejamento deve ser controlado por versões, com o histórico de alterações, para que você possa analisar as variações ocorridas e tomar ações para minimizar estes desvios no futuro.

#2 Permitir análises em níveis de agrupamento

Uma solução tecnológica de qualidade deve permitir de forma fácil a confecção de planilhas orçamentárias a partir da configuração de composições, etapas e sub-etapas específicas de cada obra.

Ainda de acordo com o tipo de obra, deve ser possível orçar com maior ou menor detalhamento de níveis, assim como por preços unitários ou preços por verba, de acordo com cada situação.

Permitir também que os serviços sejam orçados com composições ou verbas no mesmo cenário orçamentário é um diferencial.

Deve oferecer relatórios com diversas visões e informações do orçamento, para facilitar e flexibilizar as análises de sua empresa.

superbanner do ebook 7 dicas de ouro de como fazer orçamento de obra

#3 Ter integração com outras áreas da empresa

Uma solução de primeira, aumenta a velocidade na montagem do orçamento pelo reaproveitamento das informações já existentes em sua empresa.

Para garantir produtividade e assertividade no processo orçamentário, e dar uma visão física, econômica e financeira, a integração com as demais áreas é importantíssima.

A solução que você escolher deve integrar todas as áreas da empresa envolvidas nesta fluxo, e facilitar a troca de informações do canteiro de obras.

Por exemplo, contar com os custos de Folha de Pagamento, para compor os custos diretos com os funcionários, assim como os encargos, agiliza demais o trabalho. Receber informações de valores de suprimentos também ajuda a deixar o orçamento de obras mais próximo da realidade.

Esta integração também é condição para que você possa fazer os comparativos entre o previsto e o realizado, para controlar as despesas e vigiar a rentabilidade da obra.

#4 Manter histórico dos orçamentos

A possibilidade de revisitar orçamentos já concluídos ajuda demais sua empresa a reutilizar experiências já vividas.

O reaproveitamento de orçamentos, aliado a integração com as demais áreas contribui muito para a maior assertividade e velocidade na confecção de novos orçamentos.

Uma boa solução também deve ser útil após a conclusão da obra,  para  gerenciar as unidades a venda e até mesmo o contas a receber do empreendimento, criando um  um histórico que será útil em projetos futuros.

Utilize estes critérios ao avaliar soluções para orçamento de obras, e você certamente vai encontrar a melhor para sua empresa.

banner da planilha de orçamento de obra

Quer saber mais? Fale conosco e conheça a solução tecnológica ideal para apoiar sua empresa!

Construção Civil
Construção Civil – Como escolher a melhor construtora?
Postado dia 9 de março de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Incorporação, Indústria da Construção

O mercado da construção civil é bem movimentado, com uma grande variedade de opções de construtoras. O Blog do Sienge te ajuda a escolher a melhor opção.

Saber avaliar e contratar a melhor construtora de modo a garantir a capacidade de execução do serviço no prazo acordado e com qualidade é uma tarefa que requer muito cuidado e atenção. É essencial entender quais obrigações e responsabilidades estão previstas no código civil para evitar surpresas, minimizar impactos financeiros e assim concluir a entrega da obra com maior exatidão.

Uma escolha bem feita é fator determinante para o sucesso da execução do seu empreendimento. Confira alguns cuidados que você e seu time deve considerar na hora de avaliar uma construtora parceira.

1. Conheça o fornecedor – investigue a experiência, a saúde financeira, a reputação e o histórico das empresas candidatas. Confira o alvará de funcionamento e verifique se respeitam as normas legais e trabalhistas, as práticas de segurança no trabalho e ambientais.

2. Capacitação – exija que a equipe técnica possua a certificação obrigatória para exercer o desempenho de suas funções assegurando a qualidade e segurança. Profissionais bem capacitados podem ser seus aliados no controle dos recursos e processos da obra.

banner sobre a palestra crise na construção

3. Peça Referências – indicações de fornecedores não são suficientes para protegê-lo de fraudes e profissionais desonestos. Por isso, converse com os clientes e peça autorização para fazer visitas técnicas a obras em execução e finalizadas para conhecer o padrão do serviço prestado, limpeza, bom aproveitamento de recursos e acabamento.

4. Preço – Solicite orçamento para 4 ou 5 fornecedores e pesquise separadamente os preços dos materiais, o custo do serviço, o valor médio pago aos profissionais e não deixe de considerar os custos indiretos. Se houver algum preço muito abaixo ou acima do praticado no mercado, desconfie e questione.

Antes de decidir, lembre-se que nem sempre o menor orçamento é o mais vantajoso. Tenha a certeza de que o serviço prestado será bem feito e confira se os materiais utilizados são de boa qualidade.

Após seguir as etapas mencionadas acima e escolher o sua construtora, negocie todos os acordos, custos, prazos, multas, serviços extras, níveis de qualidade e métodos de medição da entrega dos serviços. É importante registrar em contrato todos os direitos e deveres do incorporador, do construtor e do empreiteiro previstos no Código Civil, Código de Defesa do Consumidor, Código Penal e leis específicas do setor.

Quanto às condições de pagamento, o ideal é atrelar o pagamento à execução do serviço, sem adiantamentos. Deixe pelo menos uma parcela para ser paga depois da entrega e aceite da obra. Defina os percentuais de multas e indenizações decorrentes de atrasos, acidentes, eventuais danos e prejuízos.

O prazo de garantia legal da obra e a responsabilidade do empreiteiro é de cinco anos. Isso significa que neste prazo ele responde pelos defeitos do material que aplica e pelas imperfeições dos serviços, como por exemplo, danos causados por infiltrações, vazamentos, quedas de blocos de revestimentos, problemas com estrutura, entre outros. E, pode ainda ser responsabilizado por qualquer dano causado a terceiros.

Inclua cláusulas que tratem sobre a possibilidade de alterações do projeto e modificações em suas especificações. Cabe ressaltar que todas as partes envolvidas também respondem criminalmente por desabamentos ou desmoronamentos de construções, ocasionados por erro no projeto ou na execução da obra, colocando em risco a integridade física ou o patrimônio de terceiros.

O fornecedor competente não terá problemas de atender a sua demanda e, embora não seja possível eliminar 100% os imprevistos, ele estará preparado para resolvê-los da melhor forma possível.

Contar com ótimos parceiros, comprometidos e qualificados é fundamental para entregar seus empreendimentos no prazo, deixar o cliente satisfeito e garantir a longevidade da sua empresa.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Alavancando a Produtividade na Construção Civil
Construção Civil – Confira nosso ebook sobre produtividade
Postado dia 25 de fevereiro de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Gestão, Indústria da Construção

Produtividade é o fator chave para gerar competitividade na indústria da construção civil.

Reduzir o tempo gasto para executar um serviço ou aumentar a qualidade dos produtos sem acréscimo de mão de obra ou dos recursos necessários para esta realização tem sido alvo da construção civil.

Vale lembrar que ser mais produtivo não implicará só em produzir maior quantidade, mas também manter a qualidade do serviço prestado. Só assim não será perdido tempo nem dinheiro com retrabalho, nem terá a reputação como empresa prejudicada junto ao mercado.

Você vai pensar: “ok, na teoria está bem claro o que é a tal produtividade. Mas e na prática, o que de fato posso fazer em minha construtora ou incorporadora para aumentar a produtividade em meus canteiros de obra?”

É complexo mesmo, por que são muitos fatores, muitas pessoas envolvidas, com os perfis mais diversos. Há diferentes obras em diferentes localizações, estas obras tem influências distintas, e que necessitam de ações diversas entre si para terem sucesso.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Resolvemos organizar idéias e estratégias que podem ser aplicadas para aumentar a produtividade em sua empresa, e separamos elas em 4  grandes pilares,  alavancadores da produtividade e que merecem atenção especial.

Você vai encontrar neste ebook dicas valiosas para analisar estes pilares em seus empreendimentos e direcionar estratégias para trabalhar cada um deles de forma eficiente. Como resultado, poderá aumentar a produtividade em suas obras.

FAÇA DOWNLOAD DO EBOOK e saiba como aumentar na prática a produtividade na construção civil. É o Sienge te dando a força necessária.
Dicas de Planejamento para o Sucesso na Construção Civil
Construção Civil – Dicas de planejamento para obter sucesso
Postado dia 14 de janeiro de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Gestão, Indústria da Construção, Software

Para auxílio a tomada de decisão e uma maior assertividade nas estratégias, fazer um bom planejamento é essencial na Construção Civil.

Assim você vai perceber a realidade, avaliar caminhos e construir um referencial para dirigir sua empresa na indústria da construção civil. Avaliar racionalmente as ações a serem tomadas é outro benefício trazido por um bom planejamento.

Destacamos dicas muito importantes para você, que decidiu trabalhar com construção civil e quer alcançar objetivos pré-definidos que irão constituir o sucesso de sua empresa. Vamos a elas.

Quanto as responsabilidades sociais e trabalhistas

É importante que você dê atenção ao planejamento da rotina trabalhista e como são contratados seus funcionários. Seguir as Leis Sociais e Trabalhistas reduz o risco de processos e de prejuízos de ordem social e financeira.

Entre outras ações, sua empresa deve fazer o melhor uso da alocação e das formas de contratação mais econômicas, oferecer benefícios sociais e seguir as orientações de medicina e segurança e do trabalho, gerando compromentimeto dos funcionários com o negócio da empresa.

Quanto as responsabilidades ambientais

Ser sustentável na construção civil é um grande desafio, por isso mesmo, se torna um fortíssimo diferencial em relação a resultados e a imagem social da empresa.

É importante então definir quais serão as ações sustentáveis na sua empresa, como destinar resíduos das contruções a obras populares ou de caráter público e controlar o uso da água e energia, para reduzir desperdícios.

Além disto é possível usar tintas sem solvente e materiais menos agressivos de forma
geral, os ares condicionados de forma mais consciente e inibir o uso desnecessário e simultâneo dos elevadores.
Quanto as responsabilidades com o consumidor
Adquirir um imóvel, seja para fins residenciais ou comerciais, é um passo muito importante e exige grande comprometimento financeiro do comprador.

banner sobre planejamento de obra

Para garantir que sua construtora ou incorporadora não irá frustar o consumidor, é importante providenciar em tempo a documentação exigida para a liberação do imóvel e seguir um processo de trabalho que atenda as especificações apresentadas inicialmente.

Também é importante trabalhar com orçamentos detalhados em cada uma de suas obras, negociar com fornecedores comprometidos com prazo, não aceitar o uso de material de baixa qualidade e ficar atento aos equipamentos que serão necessários para a conclusão de seu empreendimento.

Quanto as responsabilidades financeiras

Um bom plano de negócios visa lucro aos sócios da empresa. E estes por sua vez acompanharão bem de perto os resultados de seu investimento.

Considere em seu planejamento ações para garantir pontualidade nas entregas, fluxo de caixa com receita e despesas sincronizadas e que facilite a contratação de mão de obra. Não acumule obras em atraso, que fatalmente exigirão mais dinheiro para conclusão.

Um planejamento financeiro detalhado que permita ações pró-ativas pela saúde financeira das obras e da empresa também é grande aliado para o sucesso na construção civil.

Ah, preste bastante atenção ao fazer sua opção quanto ao regime tributário (lucro real ou presumido) e o regime societário (SPE ou SCP ou consórcio) para sua empresa.

Reavalie seu plano de negócios, com olhar bem crítico, e aplique estas dicas nos pontos que merecem uma revisão!

banner sobre a palestra planejando futuro das obras

Conte conosco se tiver dúvidas. Estamos a disposição para lhe apresentar um software para construção civil que irá ajudar e muito seu planejamento!

Baixe a nossa planilha de planejamento de obra gratuitamente!

Atendimento ao Cliente na Construção Civil
Saiba como otimizar a gestão de clientes na Construção Civil
Postado dia 13 de janeiro de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção

O que sua construtora ou incorporadora tem feito para se diferenciar dos concorrentes no mercado da Construção Civil?

Divulgaremos no blog uma série de posts falando de assuntos que são diferenciais de padrão de excelência na Construção Civil, e o primeiro post será este sobre gestão de clientes.  Este assunto pode estar no piloto automático para muita empresa, mas não para as que querem se destacar e ficar entre as empresas mais lembradas pelos consumidores na Construção Civil.

Então, o que sua construtora ou incorporadora pode fazer? Pode começar com medidas simples e de impacto espetacularmente positivo aos olhos dos clientes. Muitas destas medidas não dependem de investimento, dependem principalmente da mudança de atitude e postura  da empresa. Veja como :

  • Cumprir o que prometer: o compromisso assumido com o cliente é lei. Tem que ser cumprido. Se não puder cumprir não assuma.
  • Antecipar-se aos problemas: identificou algum problema? Não espere o cliente reclamar. Antecipe-se. Informe ao cliente e planeje a correção. O cliente saberá que é importante e que sua empresa é ágil.
  • Dar retorno às solicitações: o cliente precisa ser comunicado sobre o andamento das suas solicitações, principalmente sobre quando serão concluídas. Precisa perceber que sua solicitação está sendo tratada.
  • Falar a verdade: por pior que seja a circunstância nunca minta ou enrole seu cliente. Se isto ocorrer ele vai acabar descobrindo. E quando descobrir a confiança na sua empresa vai acabar e você vai perdê-lo.
  • Tecnologia como aliada: ter todas as informações dos clientes como propostas, pagamentos, solicitações em um único lugar, atualizadas e disponíveis transmite segurança ao cliente. Ele vai perceber que a empresa acompanha de perto tudo o que acontece com ele.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

  • Treinamento do time: preparar os colaboradores para que de maneira sutil e agradável consigam identificar as diferenças e as necessidades de cada cliente, para os tratarem de forma adequada. Lembrar que cada cliente é único.
  • Cultura interna da empresa: o objetivo de atender com excelência não é só da área de gestão de clientes, precisa ser de todos os colaboradores..
  • Ouvir o cliente: gerar um processo de melhoria continua através da análise e implementação de sugestões que os clientes fazem por meio das pesquisas de satisfação, pode ser uma excelente alternativa.

Com estas medidas a excelência na gestão de clientes está garantida, fazendo com que o cliente tenha a sensação de conforto, conveniência, segurança, praticidade e satisfação pela escolha da sua empresa.

Não é só o cliente que ganha com este padrão de excelência na gestão de clientes na Construção Civil. Clientes satisfeitos garantem o crescimento e a conquista do mercado. Isto mesmo! Além de serem fiéis a sua empresa, ainda dão boas indicações que resultam em novos clientes.

banner sobre o quiz desperdicio

Continue acompanhando nossos posts. Por meio de conteúdo feito especialmente para a Construção Civil, queremos ajudá-lo a tornar-se referência no mercado.

Construção Civil
Construção Civil: 10 razões para fazer manutenção preventiva
Postado dia 12 de novembro de 2014 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Funcionalidades Sienge, Indústria da Construção, Software

Conheça agora 10 razões pelas quais a indústria da construção civil nunca deve deixar de fazer a manutenção preventiva.

1) Proteger o patrimônio na construção civil, pois a prevenção aumenta a vida útil das máquinas e equipamentos, que possuem alto valor financeiro e tem grande representatividade no seu patrimônio.

2) Permitir que sua construtora escolha o momento de efetuar a parada da máquina, programando a manutenção preventiva para um período de baixa utilização ou demanda, reduzindo assim o impacto na obra.

3) Diminuir o custo com manutenções corretivas e emergenciais da construtora. O custo das manutenções preventivas é infinitamente menor, mantém as condições ideais para o bom funcionamento, eliminando possíveis causas de problemas maiores e mais caros.

4)  Escolher onde executar as manutenções preventivas: na oficina da própria construtora ou em oficina terceirizada, aquela que oferecer a melhor opção custo/ benefício.

5) Gerar economia na compra dos insumos como óleos, pneus e lubrificantes, utilizados na oficina da construtora nas manutenções preventivas, pois podem ser comprados com antecedência.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

6) Reduzir o desperdício de materiais que estavam prontos para serem usados por conta de uma máquina parada em manutenção corretiva. Os gastos com mão-de-obra parada, equipamentos alugados, também são evitados quando a construtora efetua a manutenção preventiva.

7) Considerar no cronograma da obra o planejamento das manutenções preventivas das máquinas que serão utilizadas, para que este tempo seja contemplado no prazo final de entrega da obra, evitando assim atrasos.

8) Apropriar os custos das manutenções preventivas no custo da obra, para que seja  absorvido pelo projeto e não onere outros custos na Construção Civil.

9) Melhorar o nível de qualidade do serviço executado pelo perfeito funcionamento das máquinas alcançado com a manutenção preventiva, atendendo as exigências da ISO 9000.

10) Garantir a segurança dos operadores das máquinas e equipamentos, evitando assim possíveis acidentes, pelo seu mau funcionamento.

O planejamento das manutenções preventivas só traz ganhos para a Construção Civil, por isso deve ser implementado o quanto antes. A construtora aumenta seu grau de confiança nas máquinas sabendo que poderá usar ao máximo seus recursos,  se beneficiando com redução de custos e segurança para os operadores. O cliente fica satisfeito com o obra entregue no prazo e com qualidade. É melhor prevenir do que remediar, e na sua construtora esta velha máxima também vale, não é mesmo?

O uso de um software para Construção Civil, pode facilitar a vida do engenheiro responsável, pois dá acesso a funcionalidades de gestão de ativos que permitem automatizar o planejamento das manutenções conforme o uso das máquinas.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Peça uma demonstração da gestão de ativos e desfrute das vantagens que a manutenção preventiva oferece!

Ensino a Distância: Um Grande Aliado da sua Empresa
Ensino a distância: saiba porque ele se tornou um grande aliado para sua empresa
Postado dia 14 de outubro de 2014 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Funcionalidades Sienge, Indústria da Construção, Novidade Sienge, Software, Sustentabilidade, Tendências

Ensino a distância ou EAD é o uso da tecnologia para facilitar a replicação do conhecimento, através da otimização do tempo e da flexibilização de fronteiras.

Isso mesmo! Ao utilizar o EAD, o acesso ao conhecimento se dá a qualquer instante, de acordo com a agenda de cada um, e de qualquer lugar, sem necessidade de dispormos de turma ou instrutor.

Estamos dizendo que o EAD resolve:

  • Limitações de horário.
  • Barreiras geográficas.
  • Diferença de perfil do público.
  • Custos de deslocamento e infra-estrutura.
  • Acesso a informação quando necessário.

Então, vamos analisar sua empresa sob a ótica da capacitação, considerando as necessidades versus uma linha imaginária de tempo:

Você adquire uma solução de software para suportar sua operação. Basicamente podemos identificar 3 ações relacionadas ao conhecimento:

14 Ensino a distância saiba porque ele se tornou um grande aliado para sua empresa Documentos Google

  • Ao adquirir o software o conhecimento está presente durante todo o estudo das possíveis soluções a serem adquiridas.
  • Depois da seleção, o time é capacitado, nas mais diversas funcionalidades da solução, de acordo com seu processo atual de trabalho.
  • O conhecimento é consolidado através da implantação e utilização da solução em seu dia-a-dia.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Após entrar em operação, com o passar do tempo, muita coisa acontece, e muitos impactos ocorrem diretamente na gestão do conhecimento em sua empresa:

14 Ensino a distância saiba porque ele se tornou um grande aliado para sua empresa Documentos Google

  • As mudanças de quadro de pessoal são muito comuns e o conhecimento também se perde!
  • Sua empresa cresce! Uma nova planta é criada. Fica longe, e precisa operar sua solução. O conhecimento precisa chegar até lá! E tempo para capacitar os novos funcionários? Ninguém tem!
  • Há uma mudança na legislação, o software é adequado a ela. Seu time precisa conhecer tais mudanças!
  • Com o crescimento de sua empresa, também os processos são ampliados ou evoluídos, e precisam ser suportados por seu software. E todos devem saber e usar isto!
  • Tem aquela funcionalidade que só é utilizada de tempos em tempos … esqueci como faz!

Aqui é onde se encaixa o treinamento integrado ao menu do Sienge. Ao aplicar os conceitos de ensino a distância, ele veio para ajudar sua empresa a obter os ganhos da capacitação através do EAD:

  • Capacitação de novos colaboradores.
  • Reciclagem de conhecimento.
  • Implantação mais ágil, com transmissão de conhecimentos básicos via Ensino a Distância.
  • Informação eficaz sobre novos cursos.
  • Cursos disponíveis 24 horas durante os 7 dias da semana, acessados de qualquer lugar.
  • Acesso ao cursos de todos os sistemas do Sienge, mesmo os ainda não utilizados.
  • Treinamentos setorizados, o que facilita o acesso a informação desejada.
  • Dúvidas tiradas ao revisitar treinamentos anteriores.

Considerando o cenário competitivo da Indústria de Construção Civil, sua empresa precisa otimizar os investimentos na geração e manutenção do conhecimento.
Os treinamentos com Ensino a Distância integrados ao menu do Sienge, permitem isso, ao qualificar os profissionais, suportar a evolução de seus processos e permitir o uso mais abrangente da tecnologia.
Interessado? Mas é claro que sim!

banner sobre o quiz desperdicio

Entre em contato conosco e veja detalhes sobre a solução de treinamentos EAD integrados ao menu do Sienge.

Construção Civil
Construção Civil – 6 vantagens de se investir em tecnologia
Postado dia 24 de setembro de 2014 | Nenhum Comentário
Categorias: Funcionalidades Sienge, Gestão, Indústria da Construção, Sienge, Software, Tendências

Segundo o Sindicato das Indústrias da Construção Civil de São Paulo (SindusCon), 60% dos empresários do setor tem planos para investir em tecnologia nos próximos meses.

Segundo o sindicato, isso acontece em função dos benefícios que as empresas já sabem que podem obter através desse investimento. Manter as áreas como canteiro de obras, escritório e área financeira conectadas e trilhando caminhos que os levem ao mesmo objetivo é fundamental, e certamente é um dos grandes desafios enfrentados por engenheiros de obras ou gerentes de projetos de empresas da indústria da construção civil.

Atividades como coleta de informações, antes feitas separadamente em cada área, sem a conexão de um setor com o outro, hoje, através de um ERP, é possível  interagir e conectá-las, desde áreas financeira, contábil, recebimento, faturamento, tributos, materiais, empreiteiros, patrimônio, e obras e obter  benefícios que convergem para melhores resultados.

Neste eBook você vai encontrar todas as informações que você precisa saber sobre as principais vantagens de investir em tecnologia e como integrar todas as áreas. Faça o download do eBook e entenda qual o papel da tecnologia nesse processo, e que tudo isso está facilmente ao seu alcance.
Faça download do e-book e saiba como o Sienge pode facilitar ainda mais a Construção Civil.

Lean Construction: Tudo que Você Precisa Saber
Lean Construction – Tudo que você precisa saber!
Postado dia 3 de setembro de 2014 | Nenhum Comentário
Categorias: Ciclo Sienge, Indústria da Construção, Software, Tendências

Cada vez mais, as empresas de construção civil estão focadas na busca da quebra de paradigmas de gestão para seus processos de produção, que as tem levado a adotarem o Lean Construction (construção enxuta).

A Lean Construction é uma filosofia que incorpora o lean thinking, ou pensamento enxuto, idealizado pela Toyota, e baseada nas atividades por fluxo de atuação e os critérios de valor.

Nós preparamos este post com uma série de informações para ajudá-lo a entender melhor sobre como funciona o lean construction , e como vem sendo aplicado pelas empresas para melhorar seus processos e aperfeiçoar seus fluxos de atuação.
Na construção civil o modelo conceitual dominante define a produção como um conjunto de atividades de conversão, criando assim os 4 fluxos de conversão. Isso significa transformar insumos (informações ou materiais) em produtos intermediários (revestimentos, estrutura, alvenaria) e ao final a entrega (edificação, obra).

Quais são e como funcionam os 4 fluxos do Lean Construction?

#1 Fluxo de montagem – É o modelo adotado nos orçamentos convencionais, que são segmentados pelos produtos intermediários (vigas, paredes, portas), e também nos planos de obra, nos quais são representadas apenas as atividades de conversão. Assim, tanto os orçamentos quanto os planos de obra representam explicitamente a seqüência de atividades que agregam valor ao produto, também denominada de fluxo de montagem de uma edificação.

#2 Fluxo de materiais – Na construção enxuta, o fluxo de materiais compreende desde a matéria-prima até o produto final, é constituído por atividades de transporte, espera, processamento ou inspeção. As atividades de transporte, espera e inspeção são denominadas como atividades de fluxo de materiais.

#3 Fluxo de informações – Nesta filosofia, estão presentes os processos de natureza gerencial, tais como planejamento e controle e projetos. No caso de processos gerenciais, em vez de materiais, ocorre o transporte, espera, processamento e inspeção de informações. No processo de projeto os principais dados de entrada são as informações relacionadas às necessidades dos clientes e também às inúmeras características do terreno, que, após sucessivas atividades, são transformadas no produto projeto. Nesse caso, pode ser o projeto arquitetônico, estrutural ou de instalações.

#4 Fluxo de trabalho – Outro fluxo na produção que necessita ser gerenciado, que é o fluxo de trabalho. Esse fluxo trata do conjunto de operações realizadas por cada equipe no canteiro de obras. A operação referente ao trabalho realizado pode estar ligada por equipes ou por máquinas. Com o foco na redução de desperdício, podem-se adotar algumas medidas para reduzir o tempo perdido com deslocamento dos operários . Como por exemplo com o armazenamento prévio dos blocos cerâmicos nos pavimentos em que estão trabalhando e água em garrafas térmicas próximo á área em que estão trabalhando. Com essas medidas entre outras, garante-se que as equipes trabalhem o mais próximo possível de um fluxo de trabalho.

Os 4 fluxos citados auxiliam as empresas da construção civil a buscar melhores resultados e obter benefícios como aumento da confiabilidade de prazos, melhoria da produtividade e também da racionalização nas obras.
A proposta do lean construction vai além, ou seja, melhorar o processo removendo as ineficiências, implantando a auto-inspeção e a inspeção sucessiva, a redução do transporte, a melhoria do layout e a eliminação dos tempos ociosos de processo, entre outras providências.
Ou seja, até aqui vimos o primeiro ponto chave, que é minimizar os esforços das atividades que não somam funcionalidades ao produto final. O próximo ponto chave a ser avaliado é a atuação do lean constructionatuar na sistemática das necessidades dos clientes internos e externos. Mas isso já é assunto para outros posts.
Aguarde, estamos preparando outros materiais sobre o lean construction, disponíveis em breve no nosso blog. Volte sempre!

Para que os nossos materiais fiquem ainda melhores, compartilhe sua opinião sobre Lean Construction.

Gestão de Obras
5 razões espetaculares para você adotar já um software de gestão de obras para sua empresa!
Postado dia 11 de agosto de 2014 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Indústria da Construção

E entre tantos desafios, é muito comum encontrarmos empresas que na busca por alternativas que auxiliem na gestão de suas obras, façam a seguinte pergunta: Será que está na hora de procurar um software especializado no meu segmento? Quais serão os ganhos?

1# O que você acha de dar mobilidade aos profissionais da obra?

A indústria da construção,  possui uma característica que é ter inúmeros setores de trabalho como canteiro de obras, escritório e plantão de vendas distribuídos geograficamente. E a necessidade de trocar informações entre estes setores constantemente é muito forte.  Através de um software de gestão com recursos de acesso móvel, sua empresa ganha com os seguintes benefícios:

  • agilidade nos lançamentos de atividades efetuados no canteiro de obras
  • maior assertividade já que as informações coletadas no canteiro de obra são inseridas direto no sistema usando um tablet ou smartphone, sem preenchimento manual das planilhas
  • segurança – informações estão na rede com protocolos de segurança, e não em papéis que podem ser extraviados
  • acesso fácil – você pode acessar de qualquer lugar a qualquer hora.

2# Que tal integrar o que acontece no canteiro de obras com as áreas administrativa e financeira?

A característica das construtoras, de ter mais de uma obra acontecendo simultaneamente, em localidades e cidades diferentes, gera uma demanda enorme de integração das atividades que acontecem no canteiro de obras com as áreas administrativa e financeira.

A ótima notícia é que a integração pode ser completamente automatizada através de uma solução de ERP (Enterprise Resource Planning) especializada em gestão de obra. Sua empresa se beneficiará com:

  • informações precisas oriundas do canteiro de obras  em tempo real para tomada de decisões gerenciais
  • cronograma físico-financeiro que reflita em 100% a situação real das obras
  • o escritório de projetos fica conectado com o canteiro de obras
  • automatização das atividades, como apontamentos de mão de obra reduz a possibilidade de erros operacionais e retrabalhos. E elimina a necessidade de papel!

3# Você pode automatizar a medição e gestão de contratos, sabia que isso é possível?

Com os recursos para coleta e compartilhamento de informações, você pode ter uma gestão muito mais precisa sob os contratos e controle automático das medições, com os principais ganhos:

  • obter informações precisas dos serviços de empreiteiros e terceirizados
  • verificar a produtividade diária
  • controlar diariamente o consumo de materiais x serviços executados
  • evitar atrasos de cronograma

4# Melhorar muito o processo de compras – e evitar perdas financeiras, não é ótimo?

Você, que é dono ou atua como engenheiro ou responsável técnico, sabe que em uma obra, os materiais representam valores significativos. O custo com insumos pode chegar até 50% do valor da obra. O processo de compras tem impacto direto no lucro da sua empresa. Através de um fluxo de compras organizado e eficiente sua empresa ganha com:

  • integração entre o engenheiro de obra e a equipe de compras
  • redução de compras em duplicidade ou compras desnecessárias
  • definição de quem pode fazer quais compras na empresa
  • definição no sistema das autorizações necessárias no momento da compra
  • associação das compras por contrato e/ou por obra
  • redução do índice de compras emergenciais.

5# E para finalizar, que tal melhorar a gestão do caixa da sua empresa?

Com o uso de uma soluçãoadequada ao cenário da construção, você conquista:

  • maior controle sobre os desperdícios dos recursos, bastante comuns neste segmento
  • um fluxo de desembolso mais próximo da realidade
  • gestão bem mais simples e segura dos prazos
  • melhor negociação no processo de compras
  • medição on line, que também resulta em melhor resultado financeiro pela precisão.

Casos de sucesso, demonstram que quem já substituiu o preenchimento dos formulários manuais por soluções especializadas no segmento de gestão de obras, obteve excelente desempenho na diminuição de até 50% nas horas de retrabalho e aumento de 20% na produtividade.

Quer saber mais sobre o assunto? Preencha o formulário abaixo. Nós do Sienge queremos ajudá-lo neste processo de mudanças magníficas.

Para que os  nossos materiais fiquem ainda melhores, compartilhe sua opinião sobre o tema.

Se você quer saber como um software pode ajudar nesse processo, deixe uma mensagem abaixo:

ENIC
ENIC 2014 – Entenda como foi a participação do Sienge
Postado dia 13 de junho de 2014 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Sienge, Software

Com a presença da atual presidente da república, a ENIC mostra o tamanho e a importância do evento.

img-post-1

O 86º ENIC, que reuniu políticos, empresários, técnicos, agentes financeiros, entidades do setor e importantes players da indústria da construção civil, teve também a presença da presidente Dilma Rouseff na abertura do evento, confirmando o peso do setor na economia brasileira.

Os fóruns, comissões e painéis abordaram temas de suma importância para traçar o futuro do cadeia da construção e da economia do país, cumprindo o objetivo do evento, evidenciado em seu slogan: “Cresce Brasil!” Temas estratégicos relacionados à Indústria da Construção, importantes para empresários e autoridades, foram tratados no encontro. Os assuntos vão desde materiais e tecnologia, passando por meio ambiente, ação social e cidadania, até a Política Nacional de Habitação, gestão pública e privada.

O Sienge participou como patrocinador oficial do 86º ENIC com o objetivo de se aproximar ainda mais dos atores da indústria da construção, apresentar possibilidades de parcerias e divulgar seu papel no crescimento do setor.
Em discussão proposta pela COMAT – Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade, o software também foi citado em uma palestra sobre Cloud Computing, ministrada por David Dias, Porta-voz da IBM. O Sienge é apontado como o maior case do país nessa modalidade por possuir mais de 1000 clientes operando da nuvem.
img-post-2

Um bom café é um café em boa companhia

O estande do Sienge saiu do modelo corporativo e se fez presente de uma maneira inesperada: o Café Sienge. Nada de formalidades ou longas apresentações, mas sim uma cafeteria aconchegante com espaço para uma boa conversa.
Mais de 20 anos de história e tradição em tecnologia e inovação foram ilustrados nas paredes do Café Sienge. No cardápio, uma série de benefícios de um bom café aliado às propriedades do software, traduzindo de forma criativa e bem-humorada a complexidade e eficácia do Sienge.

ENIC

Ponto de encontro dos participantes, alguns visitaram o espaço e posteriormente retornaram apresentando outras pessoas a nossa equipe. O formato, muito elogiado por participantes e expositores, foi a área de exposição mais frequentada. Mais de 900 unidades de cafés dos mais diferenciados sabores foram servidas.

Como fruto dessa espontânea interação, importantes contatos foram realizados. Destaque para a aproximação com o CBIC e com o Sinduscon de Noroeste-PR e do Rio Grande do Sul.

ENIC

Carlos Augusto de Matos, diretor da Unidade Indústria da Construção da Softplan – empresa desenvolvedora do Sienge – diz que foi possível entender melhor a cadeia da construção e o futuro do setor após a participação no evento. A equipe Sienge presente no ENIC retornou com boas expectativas sobre o mercado, entendendo que 2015 será igual ou melhor que 2014, já que durante o evento foram lançados projetos como o PAC3 e o novo Minha Casa Minha Vida pelo Governo Federal, que garantem, mesmo com a possível troca de governo, investimentos na infraestrutura no país.

O gerente comercial da Unidade Indústria da Construção da Softplan, Marcus Anselmo, salienta a importância de perceber a relevância do setor para a economia do Brasil pelo seu impacto político. Uma vez que tanto a atual presidente quanto um dos principais opositores nas eleições de 2014, reafirmaram a importância do setor, seja na construção de novas moradias ou na infraestrutura. Além disso percebe-se a proximidade do alto escalão da CBIC com o governo federal, o que mostra que o segmento continua tendo um importante papel econômico, social e político no país.

Aos olhos da Softplan, a participação do Sienge no 86º ENIC fez sentido devido à sua natureza especialista no segmento. Estar presente em um evento no qual se discutiu e definiu os rumos do segmento reafirma seu compromisso de não só cumprir seu papel como fornecedor mas de se fazer presente como parte integrante e ativa da indústria da construção.

Construção Civil
Construção Civil – Otimismo, equilíbrio ou maturidade?
Postado dia 9 de maio de 2014 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Tendências

O Brasil possui um baixo nível de endividamento de crédito imobiliário em relação ao PIB. Ponto para a construção civil!

Isso dá espaço para o crescimento do crédito imobiliário, sem riscos de desequilíbrio econômico, com a difusão de novas ferramentas para fundos imobiliários. Veja o gráfico:

Gráfico de Crédito Imobiliário:

Construção Civil

A nível comparativo:  em países como Estados Unidos, França, Inglaterra, Alemanha e Chile o crédito imobiliário é mais de 20% do PIB dos seus respectivos países.

 O nível de inadimplência do brasileiro também é baixo, o que é muito positivo para o setor, pois deixa a economia saudável. Abaixo, o gráfico mostra que o índice inadimplência do brasileiro vem diminuindo drasticamente com o passar dos anos.

Índice de inadimplência:

Construção Civil

Outra questão que determina o futuro econômico do país, é o bônus demográfico. De acordo com o gráfico abaixo, observa-se que o Brasil está no meio  da faixa de bônus, isso significa que a população economicamente ativa predomina da constituição etária do país. Que demandam moradia e estrutura.

Construção Civil

O que se espera daqui pra frente é um mercado maduro com projeções otimistas, acompanhado de um mercado com preços altos, mas sustentados pela demanda aquecida, subsidiada por: bônus demográfico, crescimento no número de famílias, crescimento da classe média/aumento da renda, ampliação do acesso ao crédito, redução da taxa de juros e inflação estável.

Também espera-se um maior equilíbrio entre o número de lançamentos e vendas, devido a sistemas de vendas mais eficientes. Isso aumentará os preços no setor, mas, dessa vez, por causa da demanda aquecida, e não por fatores como a especulação.

Cenário Atual da construção e incorporação no brasil
Atual cenário da construção civil e incorporação no Brasil
Postado dia 8 de janeiro de 2014 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Fiscal, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Software, Tendências

Através de gráficos e informações, vamos passar um panorama geral da construção civil e incorporação no Brasil.

construção civil

Nesse gráfico fica claro que a população brasileira está crescendo, ou seja, isso demandará mais habitação e maior atividade na construção civil. A faixa etária que demanda habitação, que vai de 30 a 55 anos em média, aumentará dos atuais 33% do total da população para 36% até 2020.

construção civil

Essa representação mostra uma relação da população economicamente ativa com o passar dos anos, lendo o gráfico podemos observar que ainda temos muitos anos com a população com necessidade de comprar e investir.

construção civil

E aqui, não precisa explicar muita coisa, está que o poder econômico da população brasileira está aumentando, então consequentemente o loque de potenciais compradores também aumenta.

As oportunidade para o setor existem e são sustentas principalmente pelo bônus demográfico e pelo poder aquisitivo da população. Os eventos que acontecerão no Brasil, como a Copa e as Olimpíadas, ajudam a alta dos imóveis, mas não são essenciais, já que estão mais relacionados à infraestrutura urbana, à valorização de algumas regiões e ao investimento do capital estrangeiro.

Hoje, o mercado imobiliário brasileiro está crescendo, mas em ritmo mais lento do que anos atrás, ele está em um processo de amadurecimento. Então, a super valorização nos imóveis dificilmente acontecerá daqui pra frente. Em contra partida, a ampliação de taxas e juros com valores mais competitivos para o financiamento afetam positivamente o mercado imobiliário brasileiro.

Sienge
A equipe Sienge te deseja um 2014 tão bom quanto 2013
Postado dia 19 de dezembro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Ciclo Sienge, Ensino, Funcionalidades Sienge, Indústria da Construção, Novidade Sienge, Sienge, Software

Colocamos abaixo um pouco do melhor que fizemos aqui no Sienge em 2013. E em 2014 temos ainda mais novidades!

O Ensino à Distância incorporado ao sistema, assim como o nosso sistema 100% web, comprovou a vanguarda do Sienge frente ao setor. O EaD integrado do Sienge tem intenção de facilitar o processo de implantação do nosso software dentro das empresas e proporcionar aos usuários constante reciclagem de conhecimento relacionado à utilização das ferramentas do sistema.

Gerador de Relatórios

Focado em melhorar a experiência dos nossos usuários com o Sienge aprimoramos o nosso Gerador de Relatórios, onde o usuário pode configurar seus relatórios com muita agilidade, flexibilidade e liberdade na personalização dos relatórios.

Diário de Obras

Manter os registros de suas obras atualizados, podendo acessá-lo através de qualquer dispositivo móvel a qualquer momento, é um privilégio que os clientes do Sienge possuem, através do Diário de Obras, assista o vídeo .

Pontos de atendimento

Para atender nossos clientes e futuros possíveis clientes, temos pontos de atendimentos espalhados por todo o país, na região norte, centro-oeste e sul, agora temos 4 pontos de atendimento, no nordeste e 10 no sudeste.

Ciclo Sienge

Durante esse ano percorremos o Brasil com os nossos eventos presenciais e virtuais. Ficamos muito orgulhosos com o resultado dessas palestras, afinal de contas foram mais de 5 mil inscritos e diversos feedbacks positivos de clientes, não clientes e parceiros. Conheça mais o nossos modelos de palestra e fique atento às datas de 2014 .

Quem quiser ver um pouco mais pode acessar o post Prepare-se para 2014.

Obrigado a todos que ajudaram a tornar o ano do Sienge / Softplan tão especial, esperamos você em 2014.

Alguns Desafios que Assombraram a Incorporação e Construção no Brasil
Construção Civil – Maiores desafios do setor no Brasil
Postado dia 28 de novembro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Sienge, Software, Tendências

Apesar de passar por algumas situações alarmantes, como mostram as capas das revistas, muitas das questões levantadas na Construção Civil eram especulações.

 Revista Construção Civil

Como por exemplo, em meados 2007 , a preocupação era a bolha imobiliária, a reportagem da machete “Boom ou Bolha”, questionou crescimento abrupto do setor, mas também fez o contraponto ao falar que tal desenvolvimento é sustentável e ao mostrar as diferenças entre o mercado imobiliário brasileiro e o Europeu e Americano.

Em 2008 a preocupação era a falta de material. Passados mais de três anos, a resposta foi dada pela indústria de materiais de construção, que aumentaram a capacidade de produção, ampliaram a distribuição, buscaram sistemas construtivos industrializados e recorreram à importação de materiais, quando necessário.

Construção Civil

No ano seguinte, em 2009 o assunto que estampou capas de revistas foi o fim dos bons momentos da construção civil, o que fomentou tal especulação foi a possibilidade da crise mundial atingir ou não o Brasil. O que vimos foi o setor da construção se destacar na geração de empregos formais, o aumento nos investimentos ante ao ano anterior e crescimento em ritmo intenso – compare os gráficos de venda, velocidade, lançamentos e estoque do post:  “Passado Recente da Indústria da Construção” .

Já em 2010, o que aterrorizou o setor da construção foi a falta de mão de obra. Bolha Imobiliária, altos custos, falta de crédito, foram, novamente, as preocupações em 2011. Não há provas que evidenciam estamos vivendo ou não em um bolha imobiliária, mas há estudos que mostram onde estão os riscos e quais são os pontos fortes no nosso cenário atual – veja a pesquisa feita por alguns especialistas na Exame.

Revista Construção Civil

Ano passado, falou-se da exportação de serviços brasileiros e da retração das grandes incorporadoras, já esse ano, sobre os preços, aumento necessário da produtividade, infraestrutura urbana, código florestal, subsídios do governo, novas leis relacionadas a qualidade da construção, custo da obra, bolha imobiliária.

Contudo, sabemos que questões como falta de crédito, falta de mão de obra, falta de material e os outros pontos abordadas são problemas reais, mas têm solução e precisam ser enfrentados pelo setor -leia também, é hora de aumentar a produtividade na indústria da construção. As oportunidades oportunidades existem e para enfrentar os novos desafios na indústria da construção existem diversas alternativas.

Construção Civil
Construção Civil – Passado recente do mercado
Postado dia 21 de novembro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Indústria da Construção, Sienge

Problemas que enfrentamos hoje no Ciclo de Negócios da Indústria da Construção Civil brasileira, como apagão de mão de obra, são reflexos das décadas de 80 e 90.

O mercado da engenharia civil não estava muito aquecido entre 1980 e 2000 e, em função disso, houve pouco investimento das empresas e pessoas no segmento da Construção Civil.

O mercado da construção civil brasileira foi marcado por altos e baixos, devido à má situação econômica e à instabilidade política, além de algumas crises mundiais, como a crise americana e a desvalorização do Real, que propagam certa insegurança no setor.

Em 2007, houve um “boom” do mercado da construção civil brasileira. Para perceber isto, basta comparar os lançamentos, as vendas e as unidades disponíveis no Brasil.

Construção Civil

Gráfico de Lançamentos de Imóveis

 

Construção Civil

Gráfico Comparativo: Lançamento,Vendas, Velocidade, Estoque.

Em 2009, houve uma retração no mercado devido à crise americana de 2008. Isso aconteceu, pois a confiança no setor diminuiu. Entretanto, as construtoras e incorporadoras lançaram muitos imóveis, mas não tiveram muita aderência dos compradores, o que fez o número de estoque aumentar. Esse cenário mudou nos anos seguintes, por causa da demanda da população e do bom momento político e econômico do Brasil.

No nosso próximo conteúdo você vai ver algumas questões que preocupavam o setor há alguns anos, como bolha imobiliária, apagão de mão de obra, demanda desaquecida, entre outras.

Negócio Imobiliário
Entenda o Ciclo de Vendas do Negócio Imobiliário
Postado dia 13 de novembro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Indústria da Construção, Tendências

Entender o Negócio Imobiliário não é tarefa fácil. Mas pensando em facilitar a vida das empresas, o Sienge te traz o Ciclo de Vendas.

O primeiro assunto será uma visão do passado recente da construção brasileira, seguido pelas características do mercado e finalizando com o embasamento do cenário atual e algumas perspectivas para o futuro da construção no Brasil.

A indústria da construção civil é muito complexa, pois conta com algumas variáveis que os demais setores não tem, como, por exemplo, prospecção, aquisição de terrenos, projeto, construção, entre outras. Isso resulta em um ciclo bastante longo que dura em média três anos.

Entenda o Ciclo de Vendas do Negócio Imobiliário

A figura  ilustra o ciclo do Negócio Imobiliário na incorporação, ele servirá para você entender e visualizar o processo da construção com mais fluidez.

Banner Palestra Online Como vender na internet
construção civil
O que esperar de 2014 na indústria da construção civil
Postado dia 7 de outubro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Incorporação, Indústria da Construção, Sustentabilidade, Tendências

Na indústria da construção civil isso acontece através dos sindicatos, federações, câmaras, entre outros órgãos. Esse ano, seguindo a tradição, houve o 85º ENIC – Encontro Nacional da Indústria da Construção, que acontece em Fortaleza do dia 02 a 04 de outubro, aborda algumas questões referentes ao setor.

Segundo a organização do evento os assuntos tratados serão a burocracia que limita as atividades de construção civil, com o painel Barreiras Regulares e Burocráticas na Competitividade da Construção Civil Brasileira. Outros aspectos discutidos serão a chamada especulação imobiliária e as mudanças que ocorreram no Brasil nos últimos anos e de que forma a construção civil pode acompanhá-las.

Durante o ENIC Fortaleza, o presidente da CBIC – Câmara Brasileira da Indústria da Construção, Paulo Safady Simão, ressaltou o bom momento que o Brasil está, a estabilidade econômica, o reconhecimento internacional e o amadurecimento do país como um todo, mas também frisou que toda a nova conquista representa um desafio a ser vencido.

Sobre a Construção, Safady falou que o setor é estratégico para o Brasil, pois só assim o país conseguirá responder a demanda de infraestrutura da população, como por exemplo, construção de novas escolas e creches, melhores hospitais, erradicação do déficit habitacional, melhoria imediata de toda nossa infraestrutura, entre outros desafios que têm como elementos chaves para a solução a Indústria da construção civil e do Mercado Imobiliário.

O Presidente da CBIC também falou do outro lado da moeda, que apesar de vivermos o bom momento, é inviável para a Construção continuar crescendo de maneira constantes que vêm crescendo nos últimos anos, quando conta com um ambiente de negócios arcaico. Para ele são muitos gargalos que se colocam à frente de qualquer cadeia produtiva, o que propaga uma enorme insegurança e baixo desenvolvimento na economia do país.

Então é muito importante que haja uma mudança na área tributária, na política, na área trabalhista, no Poder judiciário e promover uma ampla mudança cultural na indústria da construção civil, caso contrário o setor passará por dificuldades no futuro.

Desde o início do ultimo semestre do ano algumas boas notícias surgiram para o setor, veja e inteire-se um pouco mais sobre as principais manchetes que saíram que envolvem a construção:

Além das notícias apresentadas a cima, entrarão em vigor em 2014 mudanças nas leis, novas obrigações fiscais e benefícios para o setor . Então fique atento, pois  no próximo post falaremos um pouco mais sobre o eSocial,  um novo componente do SPED Fiscal instituído pelo Governo Federal que tem como objetivos unificar, integrar e padronizar as informações sobre os empregadores e seus empregados ou contratados.

Construção Civil
Tecnologia na Construção Civil – Usando a web para vender mais
Postado dia 26 de setembro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Ensino, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Sienge, Software, Tendências

Hoje estar presente na internet não é mais diferencial, é necessidade. E na indústria da Construção Civil é certeza de mais imóveis vendidos.

A tecnologia é uma advento que está mudando a forma com que as pessoas se relacionam, se comunicam e consomem. Assim como em outras áreas observa-se esse comportamento, na indústria da Construção Civil estar conectado, ter acesso e usufruir dos benefícios tecnológicos tornou-se uma necessidade para os consumidores. Das pessoas que procuram imóveis 64% delas utilizam redes sociais como fonte de pesquisa, assim sendo, os mercados tem que se adequar a essa nova era, veja o que números dizem sobre o setor da construção:

Se sua empresa precisa organizar seu processo comercial fale com um dos nossos consultores que eles te explicarão melhor como o Sienge pode ajudar:

Conheça mais das soluções Softplan em: https://www.softplan.com.br/solucoes/.

Construção Civil
Construção Civil – Como enfrentar os novos desafios
Postado dia 24 de setembro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Indústria da Construção, Sustentabilidade, Tendências

Todo ano o Mercado da Construção Civil sofre mudanças. E quem melhor se adéqua pode levar a melhor nesse setor tão competitivo.

Para enfrentar essas mudanças de mercado é preciso atentar-se a algumas questões, como por exemplo, alta competitividade, competência da concorrência, falta de mão-de-obra, aumento no preço dos serviços e insumos, baixa confiança de mercado e em função disso preparar-se para esse cenário. Por isso destacamos alguns pontos que as empresas da indústria da Construção Civil precisam estar atentas.

  1. Planejamento e Gestão de empresas: planejar, gerir, controlar, projetar e construir dentro de prazos e custos definidos, gerando resultados positivos para as empresas e consumidores.

  1. Normatização, qualidade e desempenho: para garantir a qualidade e o desempenho dos empreendimentos é necessário algumas ações que melhorem os processo internos e externos das empresas da Construção Civil, bem como atenção especial à nova norma de desempenho, NBR 15.575 –  instituída pela ABNT em 2013, que normatiza um nível de desempenho mínimo ao longo de uma vida útil para os elementos principais (como estrutura, vedações, instalações elétricas e hidrossanitárias, pisos, fachada e cobertura) de toda e qualquer edificação habitacional.

  1. Inovação: utilizar produtos e produzir soluções inovadoras faz com que sua empresa se mantenha na vanguarda de mercado, além de diminuir e racionalizar os gastos da empresa, aumentar o controle das ações, a qualidade dos serviços prestados e outros benefícios subsidiados pela tecnologia. Isso resulta no desenvolvimento de novos produtos imobiliários, sistemas construtivos, materiais, formas de captação de energia, pensamento e busca por diferentes alternativas para a reutilização e racionalização dos materiais. Assim como aplicar a tecnologia informação nos processos empresariais, melhorar as atividades internas das empresas.

  1. Industrialização: para o setor da Construção Civil isso vem em forma de melhorias nos insumos, maquinários altamente tecnológicos, ferramentas que promovem a mobilidade, como smartphone e tablets,  assim como processos de gestão da obra mais organizados,  através do uso de softwares. Isso tudo é o propulsor  do desenvolvimento de novos produtos imobiliários, novos sistemas construtivos, materiais e equipamentos, e novas metodologias de gestão, assim como aplicar a inteligência da tecnologia da informação nos processos empresariais e promover uma cadeia produtiva inovadora e sustentável.

  1. Qualificação profissional:  para evitar o futuro do “apagão” de mão-de-obra na Construção Civil e garantir pessoas capacitados para as necessidades atuais e futuras do setor é importante a qualificação de profissionais para as áreas todas dentro do setor, desde o operacional ao executivo.

  2. Sustentabilidade:  a discussão de planos diretores, problemas encontrados nas cidades, empreendimentos sustentáveis, novas formas  de captação energética, reciclagem de água, novos materiais, estão cada vez mais recorrentes em função disso é necessário se atualizar e começar a pensar em soluções, como por exemplo, novas formas de concepção de empreendimentos, o desenvolvimento urbano, o conceito de Cidade Inteligentes – orientam seu crescimento econômico sustentável para seus cidadãos, isso ligado a sistemas contendo informações precisas sobre o desenvolvimento das cidades, o que dá o poder de tomar decisões antecipadas para qualquer tipo de problema.

  3. Desenvolvimento imobiliário: para promover o desenvolvimento urbano de forma inovadora e sustentável, é necessário criar valor para os Stakeholders,  que são elementos essenciais para o planejamento estratégico dos negócios,  gerando resultados econômicos, financeiros e sociais para todas as partes interessadas.

Todos os pontos abordados a cima estão relacionados entre si, por isso tão necessário quanto criar soluções inovadoras e sustentáveis que se adequem ao desejo do consumidor, também é preciso ter planejamento para a empresa conseguir prever seus gastos, seguido de um acompanhamento adequado, que mostra se determinado empreendimento está de acordo com o que foi previsto.

Se você acha que sua empresa precisa se organizar melhor, fazer mais análises de suas projeções e vendas ou se ela precisa ter mais agilidade nas tomadas de decisão fale um dos nossos consultores que eles acharão a melhor solução para sua empresa.

Construção Civil
Construção Civil – É hora de aumentar a produtividade!
Postado dia 12 de setembro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Sienge, Sustentabilidade, Tendências

Qualquer pequeno diferencial é determinante para o sucesso da sua empresa e aumentar a produtividade pode te salvar. O setor da Construção Civil também está neste cenário.

Para o futuro do setor da Construção Civil, a perspectiva é de uma maior preocupação com a qualidade dos produtos ofertados. Retomando a boa engenharia e a boa arquitetura, com mais planejamento e controle das obras, com foco nos processos de gestão, nos custos e na qualidade.

Aumento na margem de rentabilidade das empresas  continua sendo prioridade para o futuro, obrigando as empresas a enxugarem suas estruturas, racionalizarem custos e lógico, serem mais assertivas nos empreendimentos.

Nos lançamentos imobiliários, haverá uma preocupação maior com a concepção do produto, baseada em pesquisas de mercado, afim de captar as necessidades reais, diferentes nichos de consumidores e a viabilidade econômica do empreendimento.

Em meio ao contexto, o movimento de sustentabilidade continua em crescimento progressivo e cada vez mais incorporado com o setor da indústria da Construção Civil, tanto nos processos de certificação (LEED, Grenbuilging, AQUA, ISOs), quanto na aplicação da sustentabilidade na fase de  de concepção do empreendimento, assim como em retrofits.

O grande desafio, porém, está no salto de produtividade da Construção Civil, que deve ter como elemento indutor um intenso movimento na inovação, seja passando pelo desenvolvimento de materiais, novas demandas imobiliárias, novas tecnologias da construção como a popularização do BIM (Building Information Modeling), desenvolvimento e melhor aplicação da TI, adequação às normas de qualidade e qualificação profissional.

A necessidade de potencialização da produtividade na indústria da Construção Civil é um desafio, entretanto, com isso, mesmo atuando em um cenário próspero, as empresas podem e estruturar cada vez mais, aprimorando todos os seus processos e reduzindo drasticamente seus riscos.

Construção Civil
Construção Civil – Feirão do Imóvel em Santa Catarina
Postado dia 28 de agosto de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Sienge

Grandes empresas com ótimas oportunidades no Feirão do Imóvel. É o grande evento do mercado da Construção Civil.

O Salão do Imóvel convida o mercado da Construção Civil a apresentarem seus mais diversificados produtos, que variam entre apartamentos residenciais e comerciais, casas, terrenos, lojas, centros comerciais, condomínios fechados, loteamentos, entre outros produtos para todos os gostos e bolsos. A Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil participam das edições praticando taxas especiais durante a feira.

A Construfair é plataforma de venda e aluguel de produtos, equipamentos e serviços para as empresas da Construção Civil e pessoas em busca de imóveis para morar. A exposição apresenta inovações tecnológicas, como sistemas e soluções para todos os níveis de necessidade dentro da indústria da construção.

Na sua 4ª edição, a Expo Condomínio, realizada pela Secovi e pelo Jornal do Condomínios, apresenta novidades par ao setor condominial. Este evento traz conhecimento do setor da Construção Civil, atingindo desde síndicos, administradores e moradores.

Em 2011 a Expo Decor Móveis passou a fazer parte da feira da construção e abrange, arquitetos, decoradores e consumidores, que vão até o local com o intuito de conhecer o que há de novo no mercado quando se fala de móveis, além de opções móveis personalizados.

Para quem visita a feira além de conhecer as novidades do setor da Construção Civil, fazer excelentes negócios, ainda pode-se participar de palestras, seminários, treinamentos e outras atividades gratuitas. Já para os expositores, a oportunidade de estar em um ambiente de negócios é propício para captar clientes e fazer boas parcerias.

Nessa edição de 2013, alguns de nossos clientes de Santa Catarina marcaram presença e nós fomos lá prestigiá-los e também recolher o feedback deles em relação a feira.

Todos os clientes que conversamos estavam satisfeitos com a participação na feira, com o estandes bem movimentados, mesmo em dias de semana em horários comerciais havia movimento. No entanto, apesar da boa  produtividade  as maiores expectativas estavam para o sexta-feira (23/08) fim do dia e fim de semana (24 e 25/08).

Muitos deles destacaram a qualidade do público que frequentou a feira, pois as pessoas estavam lá procurando imóveis e predispostas a fazer negócios. Alguns já  haviam fechado negócios desde o  primeiro dia de feira, além de muitas propostas feitas e diversas captações bem qualificadas.

Outras empresas, com o objetivo de potencializar as ações da feira, fizeram promoções específicas  que levavam benefício direto para quem quisesse comprar um imóvel como o presente de uma  Home Sala  para os clientes que comprassem um apartamento dentre três opções disponíveis na cartela, entre outros. 

Depois de ter visitado a feira e escutado alguns depoimentos e críticas contrutivas sobre o feirão, gostaríamos de parabenizar todos os nosso clientes que participaram da feira. Assim como o Sinduscon SC, que repetindo o êxito do ano passado, fez um evento bem organizado, fomentando cada vez mais a indústria da Construção Civil catarinense.

Gostaríamos de agradecer em especial o Sinduscon-SC e as empresas:

SPED Fiscal
SPED Fiscal – Ciclo Sienge de Palestras para a construção civil
Postado dia 24 de junho de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Ciclo Sienge, Ensino, Fiscal, Gestão, Indústria da Construção, Sienge, Software, Tendências

Dando continuidade aos nossos esforços de deixar o SPED Fiscal cada vez mais claro, oferecemos mais um Ciclo Sienge sobre o tema.

O Ciclo Sienge de Palestras é mais uma forma que temos de nos aproximarmos dos nossos clientes, parceiros e sindicatos, como já foi falado em posts anteriores, e é por isso que retomamos com os Ciclos de Palestras no segundo semente.

Nessa segunda etapa explicaremos as especificidades e particularidades do Sped Fiscal na indústria da construção, em especial o EFD contribuições que afeta diretamente as empresas de incorporação imobiliária. Além disso, será mostrado como um sistema de gestão pode facilitar esse processo, evitando atrasos e multas.

Veja aqui os tópicos que serão abordados:

  • Consistência das informações;
  • Atendimento de prazos;
  • Incidência de multas;
  • EFD Contribuições para empresas de lucro presumido.

Confira algumas das cidades por onde o Ciclo passará e faça sua inscrição:

Ciclo Sienge de Palestras

TEMA - SPED FISCAL PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL
Vagas limitadas
Ciclo Sienge - SPED Fiscal
Ciclo Sienge - SPED Fiscal
Ciclo Sienge - SPED Fiscal
E para conhecer mais de nossos ciclos online e presenciais, acesse nossa página exclusiva para os eventos: https://www.sienge.com.br/ciclo-sienge/ .
Para entender um pouco mais de nossas funcionalidades e diferenciais, acesse: https://www.sienge.com.br/solucoes/.
Indústria da Construção
Indústria da Construção – Os benefícios do mobile
Postado dia 22 de abril de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Funcionalidades Sienge, Indústria da Construção, Sienge, Software, Tendências

Como a indústria da construção civil pode se beneficiar das facilidades e oportunidades dos dispositivos móveis.

Não é de hoje que os dispositivos móveis, smartphones e tablets estão revolucionando a forma com que acessamos as informações e interagimos com elas. Segundo levantamento da UNCTAD, a indústria de aplicativos para celular gerou receita em torno de US$ 20 bilhões em 2011, e chegará a US$ 38 bilhões em 2014. O estudo também aponta que Brasil e China são os principais mercados do nicho.

Devido à aderência do mercado brasileiro com os dispositivos móveis – smartphone, tablet, computador, e-readers entre outros, o país está assumindo uma postura diferente em diversos segmentos de mercado, sendo uma opção de entretenimento, consumo de informações, acesso às redes sociais e execução de atividades diárias, sendo elas pessoais ou empresariais.

Penetração de: Computador, Internet, Smartphone e Tamblet de 2011 a 2016:

Indústria da Construção

Fonte: IDC, Ibope,FGV, OThink

Na indústria da construção, aderir a novas tecnologias e, principalmente, ter ferramentas que promovam o acesso às informações corporativas através de dispositivos móveis traz agilidade à empresa. Com as novas tecnologias, os funcionários inserem as informações, no software de gestão da empresa, através dos aplicativos via smartphone ou tablet. Assim, os dados são enviados em tempo real ao servidor da construtora ou incorporadora e são visualizados pelos gestores da empresa.

O rápido acesso à informação evita perdas na produção, e qualquer problema identificado é rapidamente contornado, potencializando a produtividade e a tomada de decisão.

Tendo em vista a evolução na indústria da construção no Brasil, que hoje chega a 79.408 empresas ativas no Brasil segundo o censo do IBGE de 2010, tornou-se necessário um salto de produtividade, com mecanismos de controle de gestão e ferramentas tecnológicas que auxiliem as empresas na adoção de uma postura mais competitiva perante o mercado.

Pesando nessa necessidade, o Sienge está investindo no desenvolvimento de aplicativos para smartphone e tablets, que podem ser usados online ou offline, necessitando da internet apenas para sincronizar os dados com a base do Sienge.

Os primeiros aplicativos desenvolvidos possibilitam: Registro de Medição de Acompanhamento, Aprovação de Pedido de Compra, Controle de Disponibilidade de Unidades e Aprovação de Contrato. Durante esse ano mais funcionalidade serão elencadas e transformadas em aplicativos.

Se você quiser saber mais sobre os aplicativos do Sienge ou como o sistema pode ser utilizado em dispositivos móveis, entre em contato e fale com um de nossos consultores.

Sienge
Blog do Sienge – Resumo da semana na construção civil
Postado dia 28 de janeiro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Indústria da Construção, Sienge

Reciclagem de entulhos da construção civil pode gerar cerca de R$ 26 bilhões por ano

Entulhos da construção são matérias primas valiosas para a pavimentação de vias. O calçamento a partir do reaproveitamento de materiais da indústria da construção além de drenar o solo ainda evita que milhares de toneladas de resíduos fiquem sem finalidade prejudicando o meio ambiente.

Leia a notícia

SPED fiscal para a construção civil
Organizar, planejar e automatizar os processos de declaração de SPED para economia de tempo.

Leia a notícia

“Minha Casa, Minha Vida”, será apresentado no salão internacional da construção
Entre os 170 projetos de países emergentes que estarão na 18ª edição do Salão Internacional da Construção, estão os projetos: “Minha Casa Minha Vida”, a remodelação de um bairro da zona portuária de Buenos Aires, a construção de complexos turísticos no Chile e Colômbia e a reconstrução de Havana Vieja  Construmat.

Leia a notícia

Os investimentos na infraestrutura impulsionaram o setor da construção civil no país
Grandes projetos de infraestrutura impulsionaram a construção no Norte e Sudeste, contrabalançando a perda que a indústria representou para o desenvolvimento dessas regiões em 2012.

Leia a notícia

Empresariado brasileiro está entre os mais otimistas do ano
Apesar da economia Brasileira não ter se destacado muito em 2012 os empresários do país estão otimistas em 2013. Segundo o Ranking do IBR, o Brasil está na 8º posição dentre os países mais otimistas perdendo apenas para a Rússia, Peru, Bósnia, Filipinas, Emirados Árabes, Chile, México e Índia.

Leia a notícia

BNDES prevê novo ciclo de investimentos em infraestrutura
As expectativas do presidente do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social, Luciano Coutinho, é que os investimentos na área de infraestrutura no país cheguem a R$ 156 bilhões, 12% a mais do que 2011.

Leia a notícia

SiengeFevereiro está chegando, você está preparado para o DIMOB? Faça o curso DIMOB no EaD do SIENGE com 50% de desconto.

Leia a notícia

 

Hotel suspenso sob as ruas do centro de Nova YorkO escritório de arquitetura ZA Architects  projetou um hotel que fica suspenso sobre as ruas de Nova York. A estrutura do hotel é mesclada, onde os quartos deste hotel ficam em prédios já existentes e a área comum é a estrutura suspensa.

Leia a notícia

 

DIMOB
Entenda o que é o DIMOB, quem deve declarar, o prazo de entrega e dicas para facilitar este trabalho.

Leia a notícia

Santander libera verba para financiar obras no Brasil
O presidente do Santander, Emilio Botín, anunciou esta semana R$ 3 bilhões em investimentos no Brasil, além de oferecer mais R$ 5 bilhões para financiar obras de infraestrutura.

Leia a notícia

Sienge
Blog do Sienge – Fique por dentro com o resumo da semana
Postado dia 21 de janeiro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Fiscal, Incorporação, Indústria da Construção, Sienge, Software, Sustentabilidade, Tendências

Sienge

Micro e pequenas empresas terão linha de crédito para financiar impostos
Neste mês o banco do brasil passou a oferecer um linha de crédito para financiar impostos de micro e pequenas empresas que faturam até 3,6 milhões ao ano.

Leia a notícia

Designers transformam rolhas em luminárias
O designer britânico especializado em reciclar peças do cotidiano em luminárias, transformou rolhas que eram descartadas dos bares e restaurantes em luminárias.

Leia a notícia

As cidades com melhor qualidade de vida do mundo
A consultoria Mercer divulgou em dezembro de 2012 o Ranking das cidades com melhor qualidade de vida do mundo. Das cidades brasileiras a melhor colocada foi Rio de Janeiro, seguido de Brasília.

Leia a notícia

Grupo francês anuncia investimento para a criação de centro de pesquisa no Brasil
O Grupa Lafarge anunciou na sexta-feira, dia 11, o investimento de R$ 1 bi para a criação de um centro de pesquisa na área de construção civil.

Leia a notícia

Desconto no registro do primeiro imóvel
Lei que prevê 50% de desconto no registro do primeiro imóvel ainda é muito desconhecida por brasileiros.

Leia a notícia

A casa mais fina do mundo
Com 92m² de área, a casa mais fina do mundo está na Varsóvia, na Polônia. Ela foi idealizada pelo Jakub Szczesny e construída entre uma área estreita de dois prédios.

Leia a notícia

O que o banco mundial espera do PIB brasileiro
O banco mundial divulgou esta semana o relatório de projeções macroeconômicas para 2013, que indica uma retomada do PIB este ano.
Leia a matéria e confira quais são as projeções para o brasil:

Leia a notícia

Veja as fotos no novo escritório do Google em São Paulo
Sala de jogos, sala de descanso, vista panorâmica, são as principais novidades do novo endereço. Localizado em um Luxuoso edifício da Avenida Brigadeiro Faria Lima, a Google se assegura como uma das melhores empresas para se trabalhar no mundo.

Leia a notícia

Após um ano de ajustes, SECOVI prevê melhoras no setor imobiliário para 2013
O sindicato da habitação paulista prevê crescimento de até 5% nas vendas e alta de 10% nos lançamentos

Leia a notícia

Sped fiscal para a construção civil
Organizar, planejar e automatizar os processos de declaração do Sped para a economia de tempo.

Leia a notícia

Conferencia Future Building abre espaço para debates sobre cidades inteligentes
O tema desenvolvimento das cidades inteligente estará na pauta da Conferência Future Building que acontecerá em São Paulo no mês de março e reunirá engenheiros, arquitetos, urbanistas, construtoras e fornecedores de materiais de construção, entre outros setores.

Leia a notícia

SPED Fiscal Construção Civil
SPED Fiscal – Como funciona na indústria da construção civil
Postado dia 17 de janeiro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Fiscal, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Sienge

Organizar sua gestão financeira pode evitar sérios problemas fiscais à sua empresa. Saiba aqui no Blog do Sienge como funciona o SPED Fiscal na construção civil.

O sistema público de escrituração digital – SPED é um projeto do governo federal que visa digitalizar o conjunto de declaração e obrigações fiscais para o meio eletrônico, onde as empresas prestam informações para fiscos das unidades federativas e Secretaria da Fazenda, estes devem ser declarados com uma periodicidade mensal. O plano do governo é subdividido em categorias: SPED contábil, nota fiscal eletrônica (NF-E) e Escrituração Contábil Digital (ECD).

Instituído pela Receita Federal – no ano de 2007, com o objetivo de diminuir custo burocrático da apuração fiscal das empresas, além de aprimorar o combate contra a sonegação, diminuir obrigações acessórias e escriturar os livros fiscais de forma digital.

SPED contábil trata-se da apuração do conjunto de escriturações de documentos fiscais e de declaração de impostos das empresas por meio digital. O que deve ser entregue a receita federal mensalmente.

O sistema exige maior integração dos processos da empresa – sobretudo com a parte financeira. Assim como tende a exigir uma informação minuciosa destas ações. É composto por subprojetos, entre eles: EFD (Escrituração Fiscal Digital) contribuições – nomeado: SPED fiscal, nota fiscal eletrônica, nota de produto, nota de serviço, conhecimento de frete eletrônico.

SPED Fiscal

O EFD contribuições é obrigatório para empresas de lucro real e para algumas empresas de lucro presumido desde março de 2012. Todavia para contribuições tanto no que se refere à prestação de serviço quanto à atividade imobiliária teve seu prazo estendido para fevereiro de 2013 contemplando contribuições referentes a janeiro do mesmo ano.

Logo o SIENGE auxilia na sistematização do registro de SPED Fiscal, pois criou campos específicos que geram as informações necessárias, possibilitando, portanto, a geração do arquivo no sistema de obrigações fiscais para a leitura no validador da receita. Através dos processos de cadastros do SIENGE é necessário parametrizar configurações específicas no preenchimento de dados para atender a essa leitura específica legal.

Construção Civil
Construção Civil – Governo lança nova diretriz para benefícios
Postado dia 8 de janeiro de 2013 | Nenhum Comentário
Categorias: Fiscal, Gestão, Incorporação

As construtoras que desejam a manutenção do benefício fiscal dado ao Minha Casa, Minha vida devem se adequar. É a construção civil chegando em novos padrões.

De acordo com a reportagem da revista, Valor Econômico, publicada em 08 de janeiro de 2013, as empresas do setor da Construção Civil que edificam unidades habitacionais enquadradas no programa “Minha Casa, Minha Vida” tem que adequar seu preço de venda para continuar recebendo o benefício de pagar 1% da receita mensal de tributos federais.
Construção Civil
Leia a matéria completa que destrincha a lei e sua atualização, além de trazer uma visão clara do que é previsto em lei:

Empresas da Construção Civil designadas para construir unidades habitacionais pelo programa “Minha Casa, Minha Vida” devem atentar-se para o valor comercial dessas unidades para poder continuar a pagar a alíquota unificada de tributos federais equivalentes a 1% da receita mensal auferida pelo contrato de construção.

Esse é a interpretação da Receita Federal divulgada por meio da Solução de Consulta nº 234, publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira. O “Minha Casa, Minha Vida” foi criado pela Lei nº 11.997, de 2009, para facilitar a compra da casa própria para famílias com renda mensal entre três salários mínimos.

De acordo com a Leia nº 12.024, de 2009, atualizada, a empresa contratada para construir unidades de valor de até R$ 100 mil, no âmbito do programa, fica autorizada a efetuar o pagamento unificado de 1% que corresponde ao IRPJ, Cofins, PIS e CSLL. Antes, esse valor limite era de R$ 75 mil.

Segundo o Fisco, a possibilidade de se efetuar o pagamento unificado deve ser verificada a cada mês. Isso porque sua aplicação só é cabível “se o valor comercial da unidade imobiliária não ultrapassar o limite previsto”.

Assim, se em um mesmo empreendimento houver imóveis com valor inferior e outros com valor superior ao limite, a empresa de Construção Civil pode adotar o pagamento unificado em relação às construções cujo valor está abrangido pela lei. Porém, a alienação de imóvel por valor superior ao limite “implica no descumprimento dessa condição e cobrança da diferença de tributos”.

Para o advogado Rodrigo Rig Pinheiro, do escritório Bucciolo & Advogados Associados, é recomendável um análise do contrato de construção. “ Em nenhum momento, a Lei  nº 12.024 usa a expressão ‘unidade habitacionais com valor comercial de até R$ 100 mil’ para o limite. Fala em ‘unidade habitacionais com valor de construção de ate R$ 100 mil´” afirma. Assim, seria descabido à Receita desqualificar o benefício fiscal em razão do “valor de alienação” do imóvel.

Indústria da construção prevê crescimento de até 4% em 2013, diz SindusCon-SP
Indústria da construção prevê crescimento de até 4%
Postado dia 20 de dezembro de 2012 | Nenhum Comentário
Categorias: Indústria da Construção, Tendências

2014 deve ser um ótimo ano para a Indústria da Construção, com um crescimento de até 4%. É o que aponta estudas da SindusCon-Sp.

Em coletiva, realizada dia 28 de novembro, com o presidente do SindusCon-Sp, Sergio Watanable, o vice-presidente de Economia do SindusCon-Sp, Eduardo Zaidan, e com a economista Ana Maria Castelo, da FGV, foram anunciadas as projeções de crescimento no PIB (produto interno bruto) da indústria da construção civil brasileira, a previsão foi de 3,5% ou 4% para o ano 2013.

Segundo o SindusCon-Sp, a construção civil brasileira deve ter um crescimento estimado de 4% neste ano de 2012. Sendo que a estimativa para o PIB do país em 2012 fica em alta de 1,6%, a taxa de investimento 17,5% do PIB e o emprego formal na indústria da construção provavelmente acrescerá 5,9% em relação a 2011.

Empregos no Brasil entre 2008 e 2012

Indústria da construção

As previsões para o ano de 2013 são mais otimistas que os resultados de 2012, a taxa de investimento, por exemplo, deve ficar em 19% do PIB, enquanto o produto interno bruto brasileiro variará entre 3,5 e 4%. A indústria da construção deve acompanhar o crescimento do país, portanto deve beirar uma evolução de 4%.

As instituições – FGV e SindusCon-Sp, previam para 2012 um cenário bem mais otimista do realizado, isso com base nos programas de incentivo do governo, como Minha Casa, Minha Vida, e no ritmo acelerado de obras. Entretanto, não foi o que aconteceu, o desempenho setorial foi afetado por algumas dificuldades, tais como:

º  Redução dos investimentos das empresas;

º  Queda dos investimentos do setor público para a infraestrutura;

º  Baixo ritmo de contratação de moradias para a faixa 1 do Programa Minha Casa, Minha Vida (para uma meta de 1,2 milhão de moradias nesta faixa, apenas 340 mil haviam sido contratadas até 31 de outubro);

º  Paralisação durante alguns meses dos serviços rodoviários do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes);

º  Morosidade na concessão de licenciamentos imobiliários, que afetou negativamente o início de obras.

No entanto, não há uma crise no setor, contando que o ano de 2012 crescerá mais que o PIB nacional, que a indústria da construção continua contratando e as vendas de cimento registram alta expressiva para o ano.

Nível de emprego formal taxa acumulada no ano até outubro no Brasil foi de 6,6%.

Indústria da construção

Apesar do número de empregos formais na construção civil brasileira ter caído 0,22% em outubro, durante o ano de 2012 houve um acumulo próximo a 7% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Eduardo Zaidan alarmou: “A produtividade dos trabalhadores da construção tem aumentado graças ao esforço do setor e ao investimento das construtoras em treinamento, requalificação e reciclagem”.

Emprego no Brasil, crescimento em relação ao mês anterior. Taxa acumulada: imobiliário: 3,6%; infraestrutura: 8,3%.

 

Sondagem mostra empresas otimistas com seus resultados, mas cautelosas em relação às perspectivas para a economia:

º Sondagem de Fim de Ano: expectativa de desempenho da empresa:

Indústria da construção

º Sondagem de Fim de Ano:  expectativas setorial

Indústria da construção

Veja a seguir os números da 53ª Sondagem, feita pelo SindusCon-Sp, com 177 empresários de todo o país.

Desempenho e perspectivas das empresas da construção:

Desempenho em Novembro:

Indústria da construção

*Fonte: SindusCon-SP/FGV Projetos. Os dados apresentados na tabela estão dispostos numa escala que vai de “0” a “100”, tendo o valor “50” como centro. Isso quer dizer que valores abaixo de “50” podem ser interpretados como um desempenho, ou perspectiva, não favorável. No caso de dificuldades financeiras, no entanto, valores abaixo de “50” significam dificuldades menores.

Desempenho Trimestral:

Indústria da construção

Desempenho Anual:

Indústria da construção

Desempenho e Perspectivas: Quesitos Especiais

Indústria da construção

*Fonte: SindusCon-SP/FGV Projetos. Os dados apresentados na tabela estão dispostos numa escala que vai de “0” a “100”, tendo o valor “50” como centro. Isso quer dizer que valores abaixo de “50” podem ser interpretados como um desempenho, ou perspectiva, não favorável.

Mão de obra continuará sendo gargalo

Anualmente, a FGV inclui seis questões na Sondagem de novembro sobre determinadas variáveis que poderão ter impacto nas perspectivas para o próximo ano, como intenção de lançamentos para baixa renda, crédito imobiliário e investimento em novas tecnologias. Desta vez, em quase todas elas os empresários expressaram otimismo, com exceção do quesito contratação de mão de obra, para o qual continuam antevendo dificuldades.

No caso do crédito imobiliário, as projeções começam a melhorar após a retração informada em 2011. Já o investimento em máquinas e equipamentos manteve a tendência de declínio, acompanhado da redução na dificuldade de aquisição de materiais.

Segundo Ana Castelo, o fato de a intenção de investimento em novas tecnologias permanecer em um alto patamar está diretamente ligado a maior dificuldade em se encontrar mão de obra qualificada. “Investir em novas tecnologias tem conseguido contornar com sucesso a falta de trabalhadores qualificados, mantendo a produtividade”, explica.

Perspectivas para 2013 no Brasil e na Indústria da Construção

º  Investimentos em infraestrutura crescerão mais fortemente;

º   Lançamentos e vendas no mercado imobiliário voltam a crescer;

º  Emprego cresce mais a partir do segundo semestre

º  Taxa de investimento se recupera

º   Crescimento setorial próximo ao do PIB.

Desafios para sustentar o crescimento:

º  Aumentar o investimento em infraestrutura;

º  Desenvolvimento de novas fontes de financiamento para habitação e infraestrutura;

º  Maior industrialização dos PROCESSOS construtivos;

º  Avanço sustentável com ocupação adequada do solo;

º  AUMENTAR A PRODUTIVIDADE.

Construção Civil
Construção Civil – Conheça quem ganhou o 19º Prêmio CBIC
Postado dia 19 de dezembro de 2012 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Sustentabilidade, Tendências

A CBIC premiou na última quarta-feira (12) o 19º Prêmio CBIC de inovação e sustentabilidade, nas categorias de Sistemas Construtivos, Pesquisas e Materiais. É o Oscar da Construção Civil.

Durante a cerimonia de premiação do 19º Prêmio CBIC, o presidente Paulo Safady Simão, destacou que inovação e sustentabilidade são muito importantes para o futuro da indústria da construção civil no Brasil. “Somente com inovação e sustentabilidade poderemos assegurar o salto de competitividade e produtividade imprescindíveis para conseguirmos, no prazo necessário, ampliar o bem-estar e o nível de desenvolvimento da população brasileira”, disse Safady. O presidente complementou que o para que para essa evolução na indústria da construção civil aconteça é essencial que a tecnologia e sistemas construtivos andem em paralelo a ela.

Os vencedores por categoria foram: CasaExpress, com o projeto: Sistema Construtivo de Painéis Pré Moldados mistos de concreto armado e blocos cerâmicos. Na categoria Sistemas Construtivos. Já na categoria Material, o vencedor foi Polar Comércio de Plástico, com o projeto Linha Boreal: A inovação nas instalações elétricas. E na categoria de Pesquisa o projeto vitorioso foi: Metodologia SCCAP – Racionalidade de Materiais e Confiabilidade, da EMBRE EMPRESA BRASILEIRA DE ENGENHARIA E FUNDAÇÕES LTDA – UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA.

A premiação para os vencedores será uma viagem pra Londres, a capital foi escolhida por ter conquistado referencia mundial em inovação e sustentabilidade. A viagem incluí também visitas ao Parque Olímpico, ao escritório da Foster and Partners e a Building Research Establishment.

Para ver a lista completa de vencedores acesse o site as CBIC – Câmara Brasileira da Indústria da Construção: www.cbic.org.br .

Blog do Sienge – Tudo sobre a indústria da construção civil
Postado dia 3 de dezembro de 2012 | 4 Comentários
Categorias: Indústria da Construção, Sienge

O blog do SIENGE é o canal de comunicação e de compartilhamento de conhecimento para todos os profissionais, estudantes e entusiastas da Indústria da Construção Civil.

O Sienge é o produto de uma história de mais de 20 anos de conhecimento de software e da indústria da construção. A Softplan começou a trabalhar no software lá em 1991, quando a internet ainda nem estava disponível comercialmente no país. Nem mesmo o Windows 95 estava por aí, o uso de computadores ainda era coisa de especialista. Os três sócios-fundadores da Softplan desenvolveram o Sienge juntos e começaram a procurar por construtoras e empresas que pudessem se interessar pelo sistema, daí para frente a história de sucesso você já conhece. Em todos estes anos, já passamos junto com nossos clientes por vários momentos diferentes da indústria da construção, altos e baixos, fomos nos adaptando e crescendo tecnologicamente. Quando a internet ainda estava se consolidando no país, nós já estávamos trabalhando para que o Sienge fosse totalmente Web. Estivemos sempre focados no futuro, temos um time composto por especialistas da indústria da construção e da tecnologia, e achamos injusto não compartilhar do conhecimento destes profissionais com todo um público que está sempre procurando evoluir na vida profissional.

Foi pensando em dividir a nossa experiência e expertise na construção civil que em 2012 criamos este espaço com o intuito de gerar discussões e possibilitar o compartilhamento de informações e impressões sobre assuntos relevantes do nosso segmento. Temas que vão desde tendências do mercado imobiliário e da indústria da construção civil até comportamento econômico nacional e internacional do macrossetor. Mostramos também cases de sucesso, tendências, novas tecnologias construtivas entre outros temas. Aqui você também encontra materiais úteis, como planilhas, ebooks e guias de normas feitos para te ajudar a melhorar a gestão da sua empresa e facilitar o seu cotidiano profissional.

Dentro deste espírito, esperamos a sua participação, sugerindo assuntos do seu interesse que possam ser temas dos nossos próximos posts. Estamos sempre prontos para buscar informações e tirar as dúvidas de nossos leitores. Tem algum tema para nos sugerir? Deixe um comentário no final deste post!

O diretor da Unidade da Indústria da Construção e também um dos fundadores da Softplan, Carlos Augusto de Matos, fala um pouco mais sobre a razão de ser do nosso blog:

“Criamos o Blog Sienge com o objetivo de discutir assuntos relacionados à Indústria da Construção. Esperamos que ele seja um canal movimentado e ativo, possibilitando o nosso melhor entendimento do mercado, mais eficiência na comunicação, mais interação com o público, entre outros fatores que surgirão com os desdobramentos.  Todos estão convidados a participar: clientes, prospects, colaboradores, estudantes e demais interessados.”

Construção civil

Carlos Augusto de Matos, Diretor da unidade da indústria da construção na Softplan/Poligraph.

Para quem tem curiosidade de saber um pouco mais sobre o Sienge e a Softplan, aqui vai um pouco da nossa história:

A Softplan está no mercado há mais de 20 anos, conquistou reconhecimento no território nacional e internacional com   mais de 2300 clientes.  A empresa tem uma equipe qualificada com mais de 1200 colaboradores, além de manter alianças com os mais respeitados fornecedores mundiais de tecnologia e convênios com instituições de ensino. Os sistemas são  especializados no negócio do cliente o que proporciona agilidade aos processos, otimizam tempo e economizam recursos por  meio da automação, integração e padronização das rotinas de trabalho.

A primeira solução implementada pela Softplan foi o Sienge, produto da Unidade Indústria da Construção. O Sienge é um ERP (Enterprise Resource Planning) 100% web criado para a indústria da construção civil. Para saber mais visite o nosso site.

banner sobre planejamento de obra
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa