Posts Tagged / Canteiro de obras

Levando conhecimento para a Indústria da Construção




Apontador de Obras
Qual o papel do Apontador de Obras?
Postado dia 17 de agosto de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Fiscal, Gestão, Indústria da Construção, Sienge

Você sabe o que faz o Apontador de Obras e qual a sua função em uma empresa? Descubra no nosso post!

O que faz o apontador de obras? Entre todos os profissionais de uma obra, o apontador é um dos mais importantes. É ele quem integra os trabalhos no canteiro e do escritório, pois exerce funções importantes para os dois ambientes, fornecendo informações estratégicas para o acompanhamento das obras e o cumprimento do planejado.

Esse profissional é responsável por fazer levantamentos e registros diários no canteiro de obras, tais como fiscalizar o registro de ponto e ajudar a área administrativa passando informações quanto à alimentação, transporte, vestuário, etc. Além disso, também orienta o pessoal quanto às normas da empresa e normas técnicas, gerencia a presença dos visitantes e fornecedores no canteiro de obras.

De acordo com a Classificação Brasileira de Ocupação do Ministério (CBO) do Ministério de Trabalho e Emprego, a função de Apontador de Obras também pode ser chamada de: Anotador de mão-de-obra, Anotador de pessoal, Apontador de pessoal, Apropriador de mão-de-obra e Controlador de mão-de-obra. Oficialmente, a CBO determina que a função do Apontador de Obras é:

“Anotar a produção e controlar a freqüência de mão-de-obra. Acompanhar atividades de produção, conferir cargas e verificar documentação. Preencher relatórios, guias, boletins, plano de carga e recibos. Controlar movimentação de carga e descarga nos portos, terminais portuários e embarcações. Podem liderar equipes de trabalho.”

Pode-se dizer que o apontador de obras é uma espécie de “agente do RH” no canteiro, pois geralmente fica responsável por verificar a presença dos funcionários, faltas, horas extras, acompanhar pausas para almoço, final do expediente, preparar rescisões, folhas de pagamento e até mesmo ajuda a recrutar e registrar novos funcionários.

Para exercer essa função é necessário saber utilizar as ferramentas corretas para controle, tais como planilhas e softwares de gestão. Também é essencial conhecer a legislação trabalhista e as normas de segurança, bem como outras normas da construção civil. Esse trabalhador é, geralmente, subordinado ao mestre de obras e à equipe de RH da empresa.

banner sobre palestra adeus planilhas

Outra função do apontador de obras é fiscalizar o uso de equipamentos de segurança, auxiliando o técnico ou engenheiro de segurança a cumprir suas tarefas. Também pode atuar junto aos responsáveis pela compra de insumos, ajudando no controle do recebimento de fornecedores e verificando necessidades do canteiro de obras. Auxilia, por vezes, nas medições e nos levantamentos necessários para o controle de qualidade nas obras.

Segundo informações da Catho, o salário médio para Apontador de Obras no Brasil é de R$ 1.433,33. Dentre as qualificações deste profissional, a Catho aponta que 24% têm Graduação, 12% são graduados em Administração de Empresas e 5% têm Inglês intermediário.

É importante lembrar que não é pré-requisito ter uma formação especifica para trabalhar na área, mas muitas empresas exigem experiência em atividades administrativas e domínio de ferramentas de gestão.

Esse profissional é essencial para que o escritório – ou seja, a equipe administrativa – esteja ciente do que acontece no canteiro de obras. O caminho para evoluir na área e chegar a Encarregado Administrativo da Obra, é especializar-se através de cursos, ser organizado e dominar várias ferramentas de gestão que substituam as várias planilhas de controle. Os requisitos para saber coordenar atividades relacionadas à gestão de qualidade, por exemplo, são conhecimentos muito úteis para esse profissional.

Uma das maiores responsabilidades desse profissional é garantir o sucesso das equipes terceirizadas, fiscalizar o seu trabalho e determinar seus horários. Para garantir que tudo seja feito da forma mais correta, é essencial ter conhecimento da CLT e estar bem treinado.

Antigamente, o trabalho desse profissional era feito com lápis e papel, na base da prancheta. Daí o nome apontador, pois era o responsável por colocar tudo “na ponta do lápis”. Hoje em dia, nem é preciso dizer, a tecnologia transformou a função. Esse trabalho é realizado, por vezes, utilizando planilhas e fichas de controle.

Nas empresas mais modernas e automatizadas, o trabalho do apontador é totalmente integrado com outros setores da empresa através do uso de softwares de gestão, como o nosso ERP, o Sienge.

Conheça as Soluções do Sienge que podem facilitar o trabalho de medição e apontamento nas obras!

Caso deseje saber como podemos ajudar nas suas obras, mande uma mensagem através do formulário abaixo e entraremos em contato!

banner sobre o quiz insumos da construção civil

trabalho em altura epi
Trabalho em altura: reduza acidentes de trabalho no canteiro de obras
Postado dia 18 de julho de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção

Não basta saber o que é trabalho em altura, é preciso entender os riscos associados a essa prática para manter a sua construtora fora dos índices de acidentes. Isso porque, segundo o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), 40% dos acidentes de trabalho no Brasil estão relacionados a quedas de profissionais no exercício do trabalho em altura.

A participação do setor de construção civil no total de acidentes de trabalho fatais no país passou de 10% em 2007 para 16% em 2013, resultando em uma média de 450 mortes por ano – ou seja, cerca de uma por dia, conforme dados citados no e-book gratuito do Sienge “Manual de segurança no trabalho para a construção civil”.  

Prevenção a acidentes no trabalho em altura

Mas foi, por exemplo, pensando na segurança e em dar mais atenção às atividades profissionais desenvolvidas nas alturas, além de minimizar esse índice de acidentes, que surgiu a Norma Regulamentadora 35 (NR 35). Essa norma foi criada em 2010, quando a Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) promoveu o 1º Seminário Internacional de Trabalho em Altura. A intenção da NR 35, que entrou em vigor em 2012 – e foi atualizada em 2014 – é estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, de forma que garanta a segurança e a saúde dos trabalhadores do setor.

A norma é aplicável em todos os segmentos que realizam atividades acima de dois metros de altura e apresentam risco de queda. As orientações em vigor na NR 35 são relacionadas às responsabilidades da empresa e também do trabalhador. Para isso, alguns pontos são destacados na ementa: a importância de treinamentos, planejamento e execução dos trabalhos em altura, além de equipamentos de proteção e ancoragem e técnicas de emergência e resgate.

Trazendo orientações de segurança como essas para o canteiro de obras, é preciso destacar a importância de se realizar, primeiramente, uma conscientização a respeito dessas normas. Para isso, é necessário trabalhar regularmente em conjunto com a equipe em relação à adoção de atitudes seguras durante o expediente, o que faz com que o próprio trabalhador escolha ter e promover atitudes seguras. Uma das melhores estratégias é criar um sistema interno de fiscalização periódica para incentivar o comportamento seguro e evitar acidentes.

banner do ebook sobre produtividade na construção

Confira três dicas básicas para destacar a importância da segurança no canteiro de obras:

#1 Treinamentos

A construtora deve promover treinamentos teóricos e práticos periodicamente  com instruções claras para que todos, até mesmo os terceirizados, entendam claramente o que é trabalho em altura e os cuidados que ele exige. Durante as capacitações, deve-se enfatizar questões como normas aplicadas ao trabalho em altura, análise de riscos, medidas de prevenção, equipamentos de proteção e condutas em situações de emergência. Os treinamentos precisam ser ministrados por instrutores com experiência comprovada no assunto. Veja mais dicas no e-book Manual de Segurança no Trabalho para Construção Civil.

 

Uma dica para deixar esses treinamentos mais dinâmicos e interativos é utilizar vídeos sobre a NR 35. Também é possível trabalhar as orientações para a utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e Coletiva (EPCs) com demonstrações práticas envolvendo simulações de situações que necessitem essa aplicação.

#2 Planejamento da obra

Se houver outras alternativas para a realização da atividade, o trabalho em altura deve ser evitado. Quando não for possível, deve ser executado por colaboradores capacitados que estejam em estado de saúde adequado e conscientes de todos os detalhes da tarefa. Também devem ser observadas influências externas que possam alterar as condições do local como clima e trabalhos simultâneos. Além disso, é essencial garantir que os EPIs e EPCs sejam de boa qualidade e tenham Certificado de Aprovação. É relevante lembrar que um sistema de comunicação entre trabalhador e equipe e pontos de ancoragem definidos por profissionais especializados no assunto sejam incluídos nesse planejamento.

#3 Equipamentos de proteção

Os EPIs e EPCs utilizados nos trabalhos em altura devem ser selecionados de acordo com grau de eficiência, conforto e resistência mais adequados para cada atividade. Também é importante levar em consideração a realização de uma rotina de inspeções frequentes a fim de identificar possíveis defeitos e degradações decorrentes do uso contínuo dos equipamentos de proteção. Em casos como esse, os materiais devem ser descartados, salvo quando a restauração for prevista e assegurada pelo fabricante.

Além disso, a manutenção dos equipamentos de proteção e até mesmo a gestão eficiente da segurança como um todo dos profissionais que trabalham nas obras da sua construtora pode ser apoiada por uma solução tecnológica especializada no segmento de construção civil, que registra e controla informações para ajudar você a não perder um só prazo e oferecer condições de trabalho seguras em toda obra que for realizar. O sistema auxilia nessa missão de gerenciar e integrar todas as áreas de uma empresa ao mesmo tempo que atende com propriedade a produção da sua empresa.

Confira os principais equipamentos de proteção utilizados em trabalhos em altura:

  • Cinto de segurança tipo paraquedista: possui pontos de conexão a outros elementos de segurança. É capaz de reter uma pessoa em caso de queda e deixá-la suspensa;
  • Talabarte: garante que o trabalhador esteja conectado a pelo menos um ponto da estrutura durante seu deslocamento;
  • Absorvedor de energia: conectado ao talabarte, impede que a energia e o impacto da queda sejam transmitidos diretamente ao corpo do trabalhador;
  • Trava-quedas: ao sofrer um impacto, este dispositivo trava automaticamente e impede a movimentação;
  • Capacete: protege contra impactos, choques elétricos e objetos que possam cair dos andares superiores da obra, como ferramentas.

Uma única ação não é suficiente para a prevenção de acidentes contra quedas. É importante ressaltar aqui que respeito às normas, análises de riscos, procedimentos de trabalhos adequados, avaliações médicas admissionais e periódicas, trabalhadores bem treinados e equipamentos de proteção de qualidade formam um conjunto de medidas que levam a um campo de trabalho muito mais seguro.

A adoção de medidas para prevenir a queda ou reduzir seus efeitos é responsabilidade de todos. Por sua vez, o empregado também deve respeitar a legislação e as normas internas da empresa e utilizar os equipamentos de qualidade e zelar por sua manutenção, além de informar defeitos e participar dos treinamentos. Então, mãos à obra!

banner sobre o quiz insumos da construção civil
comunicação segurança do trabalho
A importância da comunicação na segurança do trabalho
Postado dia 12 de maio de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Artigo, construct, Indústria da Construção

Uma boa comunicação na segurança do trabalho é chave para ajudar a prevenir doenças e acidentes relacionados às atividades de uma empresa. Para empresas de construção civil, onde boa parte dos trabalhadores desenvolvem atividades fisicamente intensas e atuam em locais propensos a acidentes, como os canteiros de obras, a atenção ao tema segurança do trabalho costuma ser enfatizada. Provavelmente na sua empresa existe uma comissão permanente ou um departamento exclusivamente dedicado a garantir que todas as normas de segurança sejam cumpridas, que os funcionários sejam treinados para evitar acidentes, que a assistência médica saiba agir quando coisas ruins acontecem. Mas será que sua empresa dá a devida atenção ao papel específico da comunicação em todo esse processo?

Frequentemente, como gestores, negligenciamos o tema comunicação. Assumimos que sabemos nos comunicar bem o suficiente, já que fazemos isso o tempo todo e sem precisar pensar muito a respeito. Acreditamos que nossos líderes, pares e liderados compreendem bem nossas mensagens e comunicam-se bem uns com os outros. Deixamos de fazer um planejamento de comunicação orientando cada objetivo de negócio ou cada processo. Deixar de planejar a comunicação é um grave erro! Sem planejamento, não se estabelecem critérios de sucesso e não se identificam oportunidades de ganho de eficiência, não se identificam os pontos que podem funcionar melhor ou pior dependendo do tipo e da qualidade da comunicação. Quando deixamos de planejar a comunicação na segurança do trabalho, o custo de uma falha ou da falta de comunicação pode ser um grave acidente ou até mesmo a morte de uma pessoa.

banner do ebook sobre produtividade na construção

Pesquisando sobre esse tema recentemente, encontrei um artigo muito interessante sobre comunicação na segurança do trabalho, da australiana Angelica Vecchio-Sadus, especialista saúde e segurança corporativa. Angelica fala sobre como uma comunicação efetiva contribui para o fortalecimento de uma cultura que prima pela segurança do trabalho.

A autora destaca que precisamos unir prática e teoria das normas de segurança para que as precauções sejam eficazes, e ter esses objetivos previstos em seu plano de comunicação é o que faz a diferença. Veja alguns exemplos de como conseguir isso:

Missão, política e plano estratégico para saúde e segurança no trabalho

Definir a política das medidas de saúde e segurança da sua empresa, assim como sua missão, ajuda na hora de delimitar e comunicar a direção dos processos nessa área, e pode até se tornar uma referência nas tomadas de decisão. O plano estratégico complementa (isso) levantando as melhores maneiras de repassar esses objetivos e prioridades a todos os envolvidos na organização.

Você pode demonstrar os desempenhos por meio de gráficos indicativos que mostram melhorias contínuas e o cumprimento dos objetivos estabelecidos neste setor, ou então enfatizar consequências negativas de não seguir as medidas de segurança, como taxas de gravidade, tratamentos médicos e tempo perdido. Além disso, elaborar um manual de segurança para sua empresa pode ajudar a consolidar regras e requisitos mínimos de segurança, ou então listas de verificação que podem ser usadas como uma ferramenta para orientar e verificar processos como funcionamentos, inspeções e relatórios.

Se preferir engajar sua equipe de uma forma mais dinâmica, eventos como uma “Semana da Segurança” podem servir bem para promover um ambiente de trabalho mais saudável, conscientizando todos os funcionários e os envolvendo no comprometimento da gestão. Atividades criativas podem ser oferecidas, como seminários, concursos e artigos promocionais. Num viés mais formal, conferências sobre o tema também são uma dinâmica a ser organizada, visando compartilhar mais informações sobre saúde e segurança no trabalho e até estudos de outras organizações. Fóruns para se reunir com outros profissionais do ramo também podem ser considerados.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Treinamentos e campanhas

Treinamentos são as melhores ferramentas para cobrir qualquer lacuna de conhecimento que grupos e áreas de alto risco tenham. Assim, a percepção de risco é ajustada. Programas de treinamento pró-ativos funcionam bem para estimular atitudes positivas e construtivas para saúde e segurança do local de trabalho, mantendo sempre em mente as necessidades específicas da sua equipe.

Para envolver toda a equipe no processo de melhorias, campanhas para estimular a comunicação de incidentes e acidentes também são importantes, pois muitos trabalhadores ainda têm receio de denunciar condições e situações irregulares por medo de serem recriminados.

Brochuras, cartazes e vídeos

Como há muitas informações sobre saúde e segurança no trabalho que devem ser repassadas, torná-las facilmente acessíveis e compreensíveis é um dos passos principais. Vídeos e até um website para fornecer e centralizar todos os documentos referentes a este setor na sua empresa podem ser bons recursos para disponibilizar essas informações. Vale apenas lembrar que o site deve ser divulgado internamente, pois precisa de visibilidade para cumprir seu objetivo.

Hoje temos uma grande variedade de publicações sobre questões de saúde e segurança no trabalho, desde simples folhetos instrutivos sobre temas específicos, como cartilhas de dicas de segurança, até outras fontes de informação para relatórios mais detalhados, livros, entre outros.  Em caso de problemas de linguagem, posters com ilustrações e símbolos podem simplificar e esclarecer certas mensagens. Para destacá-los, você pode colocar em paineis exclusivos para esse tipo de comunicação!

Avaliação de risco

Riscos como calor, produtos químicos e peças móveis podem ser uma ameaça imediata de lesão aos trabalhadores, mas nem sempre é fácil identificá-los: o monóxido de carbono, por exemplo, é muito tóxico e não tem nenhum cheiro. Uma avaliação pode ajudar a mapear os perigos no local de trabalho e sua magnitude, para então aplicar medidas e controles a fim de evitá-los.

Divulgar os resultados dessa avaliação de risco ou incidente dentro da empresa também ajuda a mostrar o compromisso da gestão em identificar e abordar as causas desses problemas. Assim, os trabalhadores são incentivados a se envolverem mais e sugerir estratégias para implementar melhorias.

Relatórios públicos

Publicar um relatório anual ou mensal sobre as iniciativas e atividades realizadas na empresa em relação às medidas de saúde e segurança no trabalho mostra comprometimento da organização, as realizações alcançadas na saúde e segurança no trabalho e no bem-estar dos funcionários. Os relatórios também podem ajudar na revisão de normas de desempenho no setor.

Alertas de segurança e relatórios de quase-acidentes, por exemplo, servem para pontos que precisam de atenção imediata e que ainda podem ser revertidos antes de se tornarem riscos e ameaças reais para os trabalhadores.

 

drew beaurline construct

por Drew Beaurline, fundador e CEO da Construct

Americano da cidade de São Francisco, Califórnia, Drew é apaixonado por tecnologias móveis e empreendedorismo. Considera como sua missão de vida criar aplicativos que as pessoas amem usar e que lhes possibilitem superar grandes desafios. Ele é um dos idealizadores do Construct App, primeiro aplicativo de comunicação desenvolvido especialmente para profissionais da construção. O Construct é simples, intuitivo e pensado para pessoas – não para processos. Drew veio para o Brasil em 2013 e vive em Belo Horizonte, na região conhecida como San Pedro Valley, onde está a sede da Construct.

 

banner sobre o quiz insumos da construção civil
segurança no canteiro de obras
8 Dicas para começar a melhorar já a segurança no canteiro de obras
Postado dia 4 de maio de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Indústria da Construção, Sienge

Veja como melhorar a segurança no canteiro de obras e evite acidentes na sua empresa, mantendo seus trabalhadores mais confiantes e protegidos!

Imagine a seguinte situação: um operário está andando pelo canteiro de obra à procura de uma ferramenta. Ao pisar em uma pilha de entulhos, machuca o pé em um prego, se desequilibra e, com a queda, ainda bate a cabeça – acidente que o levará a ficar alguns dias afastado do trabalho devido aos ferimentos. Infelizmente, cenas como essa são comuns por trás dos tapumes. Mas, ao mesmo tempo, são uma verdadeira aula para melhorar a segurança no canteiro de obras  e reduzir acidentes. Quer ver só?

Em primeiro lugar, os entulhos não deveriam estar lá. A segunda lição é: onde estavam os equipamentos de proteção do trabalhador, como capacete e calçado de segurança? E a terceira, será que ele estava ciente da importância de utilizá-los?

Como você pode ver, tão importante quanto projetar, orçar e planejar a construção de um empreendimento é cuidar da integridade física de todos os profissionais que forem atuar e garantir a segurança no canteiro de obras – de acordo com o último Anuário Estatístico da Previdência Social, a construção civil é o quinto setor econômico com o maior número de acidentes e o segundo mais letal aos trabalhadores.

Para fugir de estatísticas como essas, é preciso fazer um planejamento de segurança de trabalho antes mesmo de as obras iniciarem. Neste post você vai encontrar itens que não podem ficar de fora desse projeto. Confira:

#1 O planejamento em si

Projetos, cronogramas, orçamentos e demais ferramentas de gestão são extremamente importantes para o acompanhamento da obra, e para garantir a integridade física e segurança de todos os profissionais que forem atuar em cada uma dessas etapas o planejamento de segurança de trabalho é essencial. Para isso, cada obra deve passar primeiramente por um levantamento de riscos para que a construtora, em parceria com especialistas no assunto, possa traçar uma estratégia de prevenção mais adequada à realidade.

#2 Uso correto de equipamentos de proteção adequados

Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria da Construção e do Mobiliário (Contricon), o alto número de acidentes de trabalho no setor está relacionado principalmente à falta do uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e Coletiva (EPCs). Daí a importância de a construtora, além de fornecer os dispositivos adequados ao risco de cada atividade, exigir o seu uso e estar atenta às trocas e manutenções.

#3 Cumprimento das normas de segurança

Você sabia que existe uma Norma Regulamentadora (NR) que exige a utilização de EPIs no canteiro de obra? Além dela, existem muitas outras normas de segurança que devem ser cumpridas pelas construtoras para garantir condições mais seguras e evitar multas, como a NR 18 (Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Construção Civil) e NR 35 (Trabalho em Altura). Conheça outras no nosso guia de normas da construção para 2016.

banner sobre ebook uso da tecnologia

#4 Conscientizar, treinar e fiscalizar

Os motivos para um trabalhador não apresentar um comportamento seguro podem ser muitos, entre eles, não estar ciente dos riscos oferecidos pela sua atividade. É por isso que devem ser realizadas regularmente campanhas de conscientização para evidenciar perigos e treinamentos para orientar quanto ao uso de equipamentos e preparar para situações críticas que possam ocorrer. Feito isso, o canteiro de obra deve ser sempre fiscalizado para estimular a adoção das práticas.

#5 Limpeza e organização

Outra orientação bastante importante que deve ser abordada em campanhas e treinamentos é a limpeza e a organização do canteiro de obra. Entulhos, ferramentas, tijolos, areia, tábuas e outros objetos não podem ficar espalhados pelo chão por um simples motivo: evitar situações como a mencionada no início deste post. Por isso, sempre que necessário, esses materiais devem ser recolhidos para não obstruírem a passagem e evitar acidentes.

#6 Apoio de especialistas no assunto

Por não ter foco principal em segurança, talvez seja complicado para a construtora definir os equipamentos de proteção mais adequados, instruir e fiscalizar equipes e até criar um layout de canteiro de obra mais propício para a prática da limpeza e organização. Por isso, conte com técnicos de segurança de trabalho especializados em construção civil para desenvolver com excelência seu projeto de melhorar a segurança no canteiro de obras!

#7 Manutenções preventivas

Um benefício extremamente importante em se realizar revisões preventivas no maquinário utilizado pela construtora é a segurança dos trabalhadores, uma vez que poderão utilizar todos os recursos oferecidos pelos equipamentos sem se preocuparem em sofrer acidentes pelo seu mau funcionamento. Por isso, vale a pena elaborar um planejamento de manutenções preventivas de todas as máquinas e todos os equipamentos que fazem parte do patrimônio da construtora para mantê-los sempre em perfeito estado de funcionamento.

#8 Conte com a tecnologia

Colocar em prática um excelente projeto de segurança de trabalho vai exigir organização da construtora para que prazos não sejam perdidos e ações sejam devidamente acompanhadas. Uma solução tecnológica especializada no segmento de construção civil é a aliada perfeita para essa missão, pois ajuda a acompanhar a saúde dos trabalhadores, controlar equipamentos de proteção e registrar e integrar dados de documentos das NRs – entre muitas outras funcionalidades!

banner do ebook sobre produtividade na construção
Construção Civil
Construção Civil – Você está preparado para crescer?
Postado dia 4 de agosto de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão

Passada a euforia dos anos 2010, a retração econômica do país têm impactado a construção civil. A Exame ouviu especialistas do setor e publicou: “são unânimes em afirmar que a recuperação da crise será lenta e deverá começar apenas em 2017”.

Por isso, esse é o momento ideal para “arrumar a casa” e preparar o mercado da construção civil para o novo crescimento, que certamente virá.

Olhando seus processos no detalhe e identificando melhorias em cada um deles, é possível obter melhores resultados operacionais que podem também mitigar os efeitos da crise no seu negócio. Já parou para fazer uma avaliação do que pode ser melhorado em seus principais procedimentos? Para te ajudar nessa análise, preparamos uma lista de exemplos de tarefas que podem ser melhoradas na construção civil. Confira:

Compras

  • Você já pensou em agrupar as solicitações semelhantes de várias obras? Assim, consegue aumentar o volume e garantir mais poder de negociação com seus fornecedores.
  • Enviar as solicitações de cotação automaticamente para todos os fornecedores cadastrados, traz produtividade imediata ao departamento. Com a cotação aprovada, você pode gerar o pedido de compra também de forma automática para o fornecedor escolhido.
  • Quando o cronograma da obra anda junto com o planejamento de materiais fica mais fácil evitar excesso ou falta de insumos no canteiro de obras. Pense nisso! Existem tecnologias para ajudá-lo a ter este acompanhamento em tempo real.

Comercial

  • Organização também traz produtividade. Por isso, manter as informações sobre prospects e clientes consolidadas ajuda muito o time comercial a otimizar seus contatos.
  • Já aconteceu da sua equipe vender mais de uma vez a mesma unidade? A unificação das reservas e vendas elimina de vez esse risco.
  • Saber como vai o negócio passa pela avaliação do desempenho de vendas por corretor e por empreendimento. Não deixe de acompanhar esse indicador.
  • Dar autonomia para os clientes pode gerar mais produtividade também. O ideal é que eles possam solicitar informações sobre o andamento das obras, reimprimir boletos, emitir extratos e pagamentos efetuados para declaração de IR, por exemplo, sem precisar acessar a equipe comercial diretamente.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Financeiro

  • A eficiência financeira vem da integração dos dados dos departamentos (como compras, comercial e recursos humanos) diretamente com a área financeira para fazer o controle preciso do fluxo de caixa. Isso evita redigitações e problemas de liquidez.
  • O controle do fluxo de caixa merece toda a atenção neste momento instável da economia, então, quanto mais detalhadamente você visualizar as contas a pagar, a receber, extrato credor e saldos de adiantamento, melhor.
  • A conciliação bancária consome um tempo gigante do departamento financeiro. Automatizar os processos de contas a pagar e a receber libera tempo para a equipe se dedicar à ações mais estratégicas e de maior valor agregado para a construção civil.

Engenharia

  • É possível encontrar formas de agilizar o cadastro e a escolha dos insumos e serviços necessários para a elaboração de orçamento de obras, compras de materiais e contratação de mão de obra. Agora, é um bom momento para encontrar tecnologias que ajudem nessa tarefa.
  • Ter uma visão panorâmica das obras (baseada em relatórios de cronogramas físicos e financeiros, necessidades de compras e dimensionamento de equipes) vai garantir o dinamismo do seu projeto.
  • Mesmo com todo o seu planejamento, imprevistos acontecem, não é mesmo? A solução é acompanhar a execução da obra por meio de relatórios da forma mais visual possível.
  • Hoje é difícil imaginar um dia fora de casa sem o celular, não é mesmo? Então, nada mais natural (e produtivo) do que acessar as informações dos empreendimentos em andamento em tempo real.

Ao ler essa lista você já deve ter pensado em diversas maneiras para “arrumar a casa”, certo? A dica final é que a tecnologia será sua grande aliada para automatizar, integrar e organizar os processos citados aqui, garantindo terreno fértil para a expansão da Construção Civil.

Continue acompanhando nosso blog, porque o próximo post vai te oferecer dicas práticas para melhorar esses processos com a ajuda de soluções tecnológicas que já estão disponíveis! Aproveite!

banner sobre o quiz desperdicio

Organização no Canteiro de Obras
Canteiro de Obras – Organização como diferencial competitivo
Postado dia 22 de janeiro de 2015 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Indústria da Construção

No canteiro de obras, a qualidade e a produtividade do trabalho estão diretamente relacionadas à organização de um fluxo de materiais, dinâmicas e processos.

Primeiro ponto é usar métodos coerentes e que sejam facilmente compreendidos aos que por ali transitam. Fundamental para evitar desperdício de tempo, perda de materiais e defeitos de execução, a organização no canteiro de obras é também decisiva para a redução de custos e também para a segurança.

Contudo, manter a organização continuamente é uma tarefa desafiadora, considerando que muitas pessoas tomam parte do processo, e às vezes de maneira segmentada. Para resolver esta questão, a chave da produtividade pode estar na adoção de boas práticas que sejam conhecidas e incorporadas por todos os profissionais da equipe, e em todos os ambientes como: refeitório, escritório, alojamento e depósito.

A organização geral engloba o bom uso e a manutenção de pertences pessoais, como EPI’s, ao controle de estoque e um planejamento que seja constantemente revisado. Para isso, é preciso conhecer bem a planta da obra e determinar qual a melhor forma de tirar proveito de suas características. Outra questão que deve ser observada com atenção se refere à preparação da execução, como, por exemplo, a necessidade de alugar equipamentos adicionais, máquinas ou mobiliários.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

O uso da água é outro ponto importante. Um canteiro de obras com organização eficiente deve dispor deste recurso de maneira abundante. Afinal, ele será empregado na preparação de materiais e na higiene pessoal dos trabalhadores.

Os espaços devem ser adequados e seguros, abrigando quantos alojamentos e estoques forem necessários. É também fundamental planejar o fluxo de transporte e logística dentro do canteiro de obras – tanto para a circulação de trabalhadores quanto de matérias-primas, de maneira que as áreas livres facilitem o trânsito, e nunca fiquem obstruídas.

Instalações elétricas e tapumes também são elementos que devem ser considerados para uma organização eficiente e eficaz no canteiro de obras, pois afetam diretamente a produtividade. Mas não basta ter ciência de que existem práticas aconselháveis. É preciso incorporá-las ao cotidiano. A tecnologia, por meio da automação de sistemas, é uma excelente aliada neste processo, oferecendo sistemas de controle altamente customizáveis com impacto direto nos controles que apoiam a organização geral.

Se você precisa de mais informações sobre como adotar estas boas práticas no Canteiro de Obras, entre em contato. Queremos ajudá-lo.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Tecnologia no Canteiro de Obras: Reduzindo Acidentes
Canteiro de obras: usando tecnologia para prevenir acidentes
Postado dia 30 de dezembro de 2014 | 1 Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Indústria da Construção

Como tornar essa gestão mais tranquila e fácil, quando há um único responsável por três canteiro de obras ao mesmo tempo?

Para reduzir o risco de acidentes no canteiro de obras, não basta que o uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) seja sempre observado e que os check lists sejam cumpridos.

O assunto deve ser tratado com seriedade. A norma NR-4, que se refere aos “Serviços Especializados de Engenharia, Segurança e Medicina do Trabalho” deve ser observada com rigor. Ao técnico de segurança do trabalho, que é antes de tudo um prevencionista, cabe a inspeção constante das instalações, o diálogo com os funcionários e com a gerência, a elaboração de relatórios e o controle de estatísticas. Todo esse processo pode ser facilitado com a adoção de um sistema de controle especializado na construção civil. Como isso pode ser feito? Quais os ganhos possíveis?

Conhecendo as soluções de tecnologia

O técnico de segurança do trabalho tem responsabilidade civil e criminal sobre tudo o que acontece no canteiro de obras em termos de acidente e doenças do trabalho. Por isso é tão importante documentar todos os procedimentos em relatórios. É aí que a tecnologia desempenha um papel importante. Um bom software especializado pode manter sob controle os documentos trabalhistas e técnicos e facilitar o gerenciamento de recursos. Outros afazeres também podem ser otimizados, como a entrega e devolução de EPIs, a organização de check lists de trabalho e as ações de acompanhamento, capacitações e treinamentos.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Para a gestão da segurança do trabalho, assim como nas demais áreas, a introdução de uma tecnologia deste tipo impacta diretamente na gestão financeira da empresa, reduzindo perdas e garantindo maior coesão às ações preventivas. O uso de um software também permite a análise de metas e a padronização de processos, como a adoção de rotinas de capacitação e a mensuração dos resultados. Também é possível alocar conteúdos e oferecer treinamentos integrados de Educação à distância, setorizados e disponíveis 24h, para serem acessados durante os 7 dias da semana.

Outro excelente ganho é a integração de bancos de dados. A gestão da segurança do trabalho e área de Recursos Humanos, por exemplo, podem compartilhar informações úteis a ambos os setores. O que não deve ser compartilhado, fica inacessível. Com módulos que gerenciam diversos níveis de permissões, o software permite a restrição do acesso às informações estratégicas e aos relatórios sigilosos apenas aos que devem ter conhecimento deste tipo de dado. A tecnologia que simplifica processos também contribui para que a segurança do trabalho seja percebida como uma área mais profissional, onde não cabem improvisos.

Para conhecer outras facilidades um sistema automatizado voltado pode oferecer e saber mais sobre como a tecnologia pode ajudar na gestão da segurança, entre em contato conosco. Podemos ajudar você a começar grandes mudanças!

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Gestão de Obras
5 razões espetaculares para você adotar já um software de gestão de obras para sua empresa!
Postado dia 11 de agosto de 2014 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Indústria da Construção

E entre tantos desafios, é muito comum encontrarmos empresas que na busca por alternativas que auxiliem na gestão de suas obras, façam a seguinte pergunta: Será que está na hora de procurar um software especializado no meu segmento? Quais serão os ganhos?

1# O que você acha de dar mobilidade aos profissionais da obra?

A indústria da construção,  possui uma característica que é ter inúmeros setores de trabalho como canteiro de obras, escritório e plantão de vendas distribuídos geograficamente. E a necessidade de trocar informações entre estes setores constantemente é muito forte.  Através de um software de gestão com recursos de acesso móvel, sua empresa ganha com os seguintes benefícios:

  • agilidade nos lançamentos de atividades efetuados no canteiro de obras
  • maior assertividade já que as informações coletadas no canteiro de obra são inseridas direto no sistema usando um tablet ou smartphone, sem preenchimento manual das planilhas
  • segurança – informações estão na rede com protocolos de segurança, e não em papéis que podem ser extraviados
  • acesso fácil – você pode acessar de qualquer lugar a qualquer hora.

2# Que tal integrar o que acontece no canteiro de obras com as áreas administrativa e financeira?

A característica das construtoras, de ter mais de uma obra acontecendo simultaneamente, em localidades e cidades diferentes, gera uma demanda enorme de integração das atividades que acontecem no canteiro de obras com as áreas administrativa e financeira.

A ótima notícia é que a integração pode ser completamente automatizada através de uma solução de ERP (Enterprise Resource Planning) especializada em gestão de obra. Sua empresa se beneficiará com:

  • informações precisas oriundas do canteiro de obras  em tempo real para tomada de decisões gerenciais
  • cronograma físico-financeiro que reflita em 100% a situação real das obras
  • o escritório de projetos fica conectado com o canteiro de obras
  • automatização das atividades, como apontamentos de mão de obra reduz a possibilidade de erros operacionais e retrabalhos. E elimina a necessidade de papel!

3# Você pode automatizar a medição e gestão de contratos, sabia que isso é possível?

Com os recursos para coleta e compartilhamento de informações, você pode ter uma gestão muito mais precisa sob os contratos e controle automático das medições, com os principais ganhos:

  • obter informações precisas dos serviços de empreiteiros e terceirizados
  • verificar a produtividade diária
  • controlar diariamente o consumo de materiais x serviços executados
  • evitar atrasos de cronograma

4# Melhorar muito o processo de compras – e evitar perdas financeiras, não é ótimo?

Você, que é dono ou atua como engenheiro ou responsável técnico, sabe que em uma obra, os materiais representam valores significativos. O custo com insumos pode chegar até 50% do valor da obra. O processo de compras tem impacto direto no lucro da sua empresa. Através de um fluxo de compras organizado e eficiente sua empresa ganha com:

  • integração entre o engenheiro de obra e a equipe de compras
  • redução de compras em duplicidade ou compras desnecessárias
  • definição de quem pode fazer quais compras na empresa
  • definição no sistema das autorizações necessárias no momento da compra
  • associação das compras por contrato e/ou por obra
  • redução do índice de compras emergenciais.

5# E para finalizar, que tal melhorar a gestão do caixa da sua empresa?

Com o uso de uma soluçãoadequada ao cenário da construção, você conquista:

  • maior controle sobre os desperdícios dos recursos, bastante comuns neste segmento
  • um fluxo de desembolso mais próximo da realidade
  • gestão bem mais simples e segura dos prazos
  • melhor negociação no processo de compras
  • medição on line, que também resulta em melhor resultado financeiro pela precisão.

Casos de sucesso, demonstram que quem já substituiu o preenchimento dos formulários manuais por soluções especializadas no segmento de gestão de obras, obteve excelente desempenho na diminuição de até 50% nas horas de retrabalho e aumento de 20% na produtividade.

Quer saber mais sobre o assunto? Preencha o formulário abaixo. Nós do Sienge queremos ajudá-lo neste processo de mudanças magníficas.

Para que os  nossos materiais fiquem ainda melhores, compartilhe sua opinião sobre o tema.

Se você quer saber como um software pode ajudar nesse processo, deixe uma mensagem abaixo:

Integrando o Canteiro de Obras com a Sua Construtora
Integrando o canteiro de obras com a sua construtora
Postado dia 1 de julho de 2014 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Funcionalidades Sienge, Gestão, Incorporação, Indústria da Construção, Software

Ter canteiro de obras por toda a cidade dificulta a gestão. Mas podem contar com o Sienge para facilitar essa tarefa.

“Hoje é dia de reunião mensal de resultados na construtora em que eu trabalho. Meu nome é Leonardo, tenho 30 anos e sou gestor de projetos da construtora em que trabalho há 5 anos.

E como sou responsável por várias obras como gerente de projetos, tenho sempre a missão de apresentar a situação de cada uma: como está o avanço físico, fluxo financeiro e comparativos entre orçamento previso e realizado.

Você acha que é tarefa fácil ? Não, não é. Todo mês nos dias que antecedem à reunião mensal eu troco o sapato pelo tênis e começo uma maratona atrás de informações certas e atuais dos canteiros de obra, cronogramas físico e financeiro atualizados, e ainda preciso fazer um double-check  a fim de ter certeza que todos os apontamentos de insumos e mão-de-obra e equipamentos foram devidamente lançados. É a única forma de apresentar números confiáveis para suportar a tomada de decisão por parte do corpo diretivo da empresa.”

Este é o cenário que vive todo mês o engenheiro de obras de uma construtora. Pensamentos como: ‘Parece que o canteiro de obras está desconectado do escritório de projetos’ ou ‘Decisões tomadas no canteiro de obras chegam como surpresas no departamento financeiro!’ passam toda hora pela cabeça deste profissional.

Em uma construtura com duas obras que ocorrem simultaneamente, os canteiros de obra estão distribuídos em diversas localidades, por vezes em diferentes cidades. Esta característica das construtoras, gera uma demanda enorme de integração das atividades que acontecem no canteiro de obras com as áreas administrativa e financeira. Por que? Porque o gerente de projeto ou o gerente financeiro precisa tomar decisões estratégicas rapidamente com base em números confiáveis e atuais das obras em andamento. Informações atualizadas de estoque de matéria prima na obra, ponto de reposição de insumos e avanço físico são essenciais para esta tomada de decisão.

O que acontece na maioria das vezes é que os processos de comunicação e atualização de informações entre o canteiro de obras e as áreas de projeto e administrativa são manuais: na base do papel e da ficha de apontamentos. E além disso, dependem das pessoas fazerem as tarefas para que a informação chegue ao destino correto. Este processo manual é lento  – o tempo decorrido entre preencher uma planilha, enviá-la para outra pessoa e esta outra pessoa recebê-la é de 3 dias – e frágil – a letra pode não ser entendida ou pode haver um erro de digitação que dificulte o entendimento.

A ótima notícia é que a integração dos diversos canteiros de obra da sua construtora com o escritório de projetos e área administrativa pode ser completamente automatizada! Com esta automatização sua construtora pode ser beneficiar com a redução de tempo para 2 minutos para que uma informação do canteiro de obras estar atualizada no escritório de projetos e zero necessidade de retrabalhos. Como fazer? Através de uma solução de ERP (Enterprise Resource Planning) especializada em construtoras. Isso mesmo: não é magia, é tecnologia!

Através de uma solução ERP para construtoras, a gestão vai se beneficiar com:

blog-post

  • informações precisas e atuais para tomar decisões gerenciais como: aceleração ou desaceleração de contratação de mão-de-obra, equipamentos e insumos. Isso reduz a necessidade de capital de giro da construtora.

  • cronograma físico-financeiro que reflita em 100% a situação real das obras. Isso cria condições para uma gestão de caixa eficiente da construtora.

  • o escritório de projetos fica conectado com o canteiro de obras, o que proporciona mais assertividade e mais agilidade no trânsito das informações entre as áreas.

  • a automatização das atividades como apontamentos de mão de obra, alocação de insumos e de equipamentos reduz a possibilidade de erros operacionais e retrabalhos; e aumenta a confiabilidade das informações. E, além de tudo, elimina a necessidade de papel ! É sua construtora funcionando com menos papel !

Com um ERP integrado para construtoras que traga estes benefícios incríveis e conecta seu canteiro de obras com o escritório de projetos de forma automática, certamente o gerente de obras da sua construtora não precisará mais correr uma maratona para levar as informações certas e atuais para a reunião de resultados.

Nós da Softplan queremos contribuir com a gestão da sua construtora. E agora que você já sabe como integrar as áreas da sua construtora, compartilhe conosco a sua experiência. Basta preencher o formulário abaixo e deixar a sua opinião sobre o assunto.

banner do ebook 7 dicas de ouro no orçamento de obra
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa