Por que adotar o lifelong learning na indústria da construção

Romário Ferreira

Romário Ferreira

Cofundador da Grua Conteúdo, agência especializada em marketing de conteúdo e curadoria para a construção civil. Foi head de eventos do Buildin, repórter e editor de revistas especializadas da Editora Pini e atuou na indústria de conferências. Jornalista por formação, é especialista em marketing de conteúdo e produção de congressos corporativos.

31 de agosto 2021

Compartilhe

Não é novidade que a indústria da construção está se transformando. São inúmeras soluções e tecnologias surgindo, empresas inovando cada vez mais. Ou seja, um cenário que demanda atualização e aprendizados constantes – e, portanto, ideal para colocar o lifelong learning em prática.

Por isso, é importante que você e a sua empresa entendam bem o conceito e a importância do lifelong learning. A tendência pode até ser novidade no nome, mas ela existe desde sempre. Afinal, quem não se adaptou no passado já ficou para trás. A diferença é que agora isso acontece com mais velocidade.

Neste artigo, eu vou mostrar o que você precisa saber sobre lifelong learning e como adotar o conceito com sucesso na indústria da construção.

O que é lifelong learning?

O próprio termo em inglês já explica a ideia por trás do lifelong learning: “aprendizado ao longo da vida”, ou seja, aprendizado contínuo e sem fim. 

Desta forma, adotar o lifelong learning na vida e nos negócios significa pensar que sempre existe algo a aprender. E esse conceito fica claro quando paramos de pensar em aprendizado como apenas ir à escola ou fazer cursos.

A educação tradicional, por si só, já mudou (e continua mudando) muito depois da transformação digital. Agora podemos ir até além das experiências formais de estudo e partir para uma abordagem na qual tudo se torna uma oportunidade de aprender.

E esse pensamento vale tanto para os aprendizados de gestão como para a parte técnica da construção. Afinal, há cada vez mais soluções, baseadas em diferentes tecnologias, para os canteiros de obras. 

Conheça os 4 pilares do lifelong learning

A organização responsável por promover o conceito de lifelong learning no mundo é a Lifelong Learning Council Queensland (LLCQ). Ela definiu 4 pilares do que considera essencial para espalhar a ideia de aprendizado sem fim em todo tipo de organização.

De acordo com a LLCQ, você precisa aprender a:

  1. Conhecer: antes de ir atrás de conhecimento é preciso saber como estudar. Assim é possível absorver melhor as ideias e conceitos, reter melhor tudo o que aprendeu.
  2. Fazer: depois de reter o conhecimento, é hora de colocá-lo em prática, ou seja, de fazer o que se aprendeu. Essa é a segunda etapa do processo, pois sem aplicação o conhecimento não tem real valor.
  3. Viver: não adianta nada ter todo o conhecimento e saber aplicar muito bem sem ter bons relacionamentos. O terceiro pilar se refere a saber conviver com outros, resolver conflitos e espalhar o aprendizado em grupo, não de forma isolada.
  4. Ser: todo mundo pode aprender, mas só com autorresponsabilidade é possível manter na vida o compromisso de sempre aprender e dividir conhecimento.

Por que o lifelong learning é importante para a indústria da construção

Como já mencionei, o próprio cenário atual da indústria da construção exige adaptação constante. Já fomos um dos setores menos digitalizados do mercado, mas essa história está mudando. 

lifelong learning é importante para a indústria da construção

Em geral, há 3 benefícios práticos de aplicar o lifelong learning no treinamento da sua empresa, seja ela construtora, incorporadora, construtech ou fabricante de materiais.

1. Adaptação rápida às mudanças de cenário

Com o lifelong learning fazendo parte da cultura da empresa, seus colaboradores vão conseguir se adaptar muito melhor e mais rápido a qualquer mudança no cenário de negócios e até a novidades na atuação da própria empresa.

Pense em quanta economia isso gera e, mais do que isso, em quanto estresse é reduzido por ter profissionais e parceiros preparados para sempre agir rapidamente. O lifelong learning ajuda muito a incutir essa mentalidade.

2. Desenvolvimento de longo prazo

Além disso, não são benefícios imediatos, mas também de médio e longo prazo. Pense no efeito que terá sobre os colaboradores passar anos aplicando esse conceito em tudo o que fazem.

Todas as áreas do negócio tendem a ficar melhores e o progresso será contínuo com total consistência. A sua empresa terá até maior facilidade em lidar com as dores comuns do crescimento e da expansão.

3. Autonomia individual para promover o progresso coletivo

Por fim, o lifelong learning promove a autonomia pessoal como uma ferramenta para ajudar o coletivo, e você verá isso na sua empresa. Na prática, significa que cada pessoa vai trabalhar melhor e isso tornará as equipes melhores.

Por fim, temos a questão da qualidade de vida. Uma pessoa que nunca desiste de aprender vai se sentir sempre motivada a descobrir coisas novas, experimentar e inovar, e isso é bom para todos à sua volta.

o lifelong learning promove a autonomia pessoal como uma ferramenta para ajudar o coletivo

Desse modo, fica claro que o lifelong learning faz todo o sentido do ponto de vista comercial, mas também se alinha muito bem com a qualidade de vida do colaborador. A questão que falta responder é como você pode adotar esse conceito aí na sua empresa, certo? Vamos falar disso agora.

Como adotar o lifelong learning na indústria da construção

O nosso conhecimento em educação corporativa aponta 3 caminhos naturais para adotar o lifelong learning – com sucesso – em uma empresa. Vou compartilhar com você a seguir. 

1. Treinamentos constantes

É possível fazer isso de maneira presencial ou virtual (EAD), e as opções são vastas nos dois modelos. Apenas não deixe de realizar treinamentos de acordo com a necessidade. Em alguns casos, você pode até realizar treinamentos nos quais um membro da equipe ensina algo novo aos outros.

O ponto-chave é compartilhar conhecimento prático que as pessoas certas precisam para tomar decisões e realizar ações melhores.

2. Microlearning

Basta traduzir para entender o conceito: “micro” tem o mesmo significado na língua portuguesa, enquanto “learning” é “aprendizado”. Assim, microlearning é uma forma de micro aprendizado, ou seja, de aprender em pequenas doses.

Essa ferramenta tem se tornado cada vez mais popular no mundo corporativo, e pode ser o que a sua empresa precisa. Nunca tivemos acesso a tanta informação e a necessidade de se adaptar a diferentes funções é maior do que nunca. 

Segundo o estudo “Microlearning in Action”, da EI Design, o tempo médio de atenção humana está diminuindo consideravelmente ao longo dos últimos anos. A pesquisa mostra que:

  • as pessoas ficam totalmente alertas e atentas nos primeiros 8 minutos;
  • depois de 20 minutos, o nível de atenção começa a diminuir;
  • quando atinge a faixa de 60 a 120 minutos, o nível de alerta cai completamente. 

Além disso, há a curva de esquecimento do conteúdo estudado, sendo necessário estudar ou rever conteúdos no futuro. 

Portanto, o microlearning não é apenas uma tendência, mas uma solução para problemas atuais. Por isso que, para muitos especialistas, o microlearning é o formato ideal para os estudantes de hoje em dia. 

3. Muita colaboração

Por último vem o incentivo à colaboração e troca de ideias. Afinal, o simples fato de alguém se sentir na liberdade de dar uma sugestão, compartilhar uma ideia ou problema pode ser a chave para descobrir novas soluções e realizar melhorias.

incentivar a colaboração também pode ser um grande aliado das iniciativas de inovação

A autonomia é uma parte importante do lifelong learning, até porque não tem como aprender sempre se você estiver preso a muitas regras. Aliás, incentivar a colaboração também pode ser um grande aliado das iniciativas de inovação, como o intraempreendedorismo

Conclusão

Sabemos que o desenvolvimento da construção passa pela digitalização. Ou seja, envolve preparação e abertura para a inovação, o que explica a atenção crescente que construtoras e incorporadoras têm dado ao tema.

A inovação, para acontecer, não depende apenas de novas tecnologias. É preciso que elas sejam disseminadas no mercado. E nem sempre é simples conseguir atenção e engajamento no atual contexto de atenção escassa em que vivemos. Com isso, surge um desafio que se torna estratégico: educar e qualificar funcionários e parceiros, além de conscientizar clientes.

Por isso, nós, da Grua Conteúdo, preparamos um e-book com 7 passos para produzir conteúdos técnicos e educativos na construção civil. São passos que te ajudarão a colocar o lifelong em prática.

Você vai entender também que não existe “o” conteúdo certo, e sim o conteúdo para a pessoa certa, no momento certo e no formato certo. E como o público é diverso, o conteúdo certo varia – e muito.

Acesse agora o e-book e saiba como melhorar sua estratégia de conteúdo e comunicação! 

Compartilhe