Saiba tudo que a Matriz SWOT pode fazer por sua empresa

Martha Ramos

Martha Ramos

Jornalista, Especialista em Marketing
Redatora do Sienge

30 de abril

A Matriz SWOT, que você vai conhecer neste artigo, é uma das ferramentas mais conhecidas e mais úteis que existe para a gestão dos negócios

Certamente, você quer ver sua construtora crescer, não é mesmo? Para isso é preciso traçar estratégias, ganhar eficiência, ter maior produtividade e conquistar mercados.

Mas é indispensável ter como ponto de partida um diagnóstico muito claro da sua empresa, que aponte seus pontos fortes e suas eventuais fragilidades.

Neste sentido, a Matriz ou Análise SWOT tem uma grande contribuição a dar para a sua construtora. 

Com esse instrumento você vai saber exatamente no ela tem uma posição sólida e confiável e onde precisa melhorar, com mais ou menos urgência.

Na crise que que estamos vivendo, devido à pandemia do Covid-19, essa avaliação é muito mais necessária ainda. 

Aplicando a Matriz SWOT você pode definir as mudanças necessárias e traçar as metas para superar dificuldades e ampliar seu espaço no competitivo mercado da construção civil.

“Não há executivo de grande empresa que não a conheça. Mas a ferramenta ainda é pouco conhecida – e consequentemente pouco usada – por quem tem empresas de menor porte”, diz uma publicação do Sebrae sobre a Matriz SWOT. 

Então, chegou a sua vez de conhecê-la, seguindo a leitura. 

Significado da Matriz SWOT

Basicamente, a Matriz SWOT é uma técnica de planejamento estratégico, aplicável a empresas de qualquer porte. 

Matriz SWOT: imagem de uma mesa de reunião com duas pessoas participando. Sobre a mesa estão dois notebooks abertos. Entre eles está um amontado de papéis sobre o qual as pessoas estão debruçadas. Ambas estão segurando um lápis.

Ela é indicada tanto para construtoras consolidadas como para quem está dando os primeiros passos no mercado.

Você deve estar querendo saber o significado da Matriz SWOT, que é a sigla em inglês das expressões:

1- Strengths: os pontos fortes da empresa
2- Weaknesses: os pontos fracos da empresa
3- Opportunities: oportunidades para o seu negócio
4Threats: ameaças para o seu negócio

Ela também ganhou um nome em português que se chama Análise F.O.F.A., ou Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças. 

Com ela você consegue:

  • Ter uma visão interna e externa do negócio.
  • Identificar os elementos-chave para a gestão da empresa.
  • Estabelecer prioridades de atuação e de decisões a serem tomadas.
  • Ter um diagnóstico da saúde da empresa e saber os potenciais competitivos, nos quais se pode investir para o seu crescimento, e os principais pontos críticos e de falha.
  • Identificar, resolver ou minimizar os riscos e problemas apontados na análise

Vale reforçar que ela identifica com muita facilidade os principais fatores internos e externos, favoráveis e desfavoráveis para a organização alcançar seus objetivos. 

Essas informações são essenciais em qualquer planejamento estratégico. 

A recomendação dos especialistas é que tal análise seja aplicada periodicamente nas empresas, mesmo que tudo esteja indo bem para os negócios. 

Estabeleça uma periodicidade, trimestral, semestral, anual, como lhe parecer melhor. 

Aplicação prática da Matriz SWOT

A utilização da Matriz SWOT na prática não chega a ser difícil, desde que a análise seja encarada com a máxima seriedade. 

Um de seus princípios é que seja reunido o maior número possível de informações para cada um dos seus quatro itens. 

Outra recomendação é que não haja um excesso de otimismo em relação ao próprio negócio, ou seja, não exagerar no que possam ser pontos favoráveis da empresa. 

Realismo é essencial na Matriz SWOT!

Blocos de análises

Os quatro blocos de análises (Forças, Fraquezas, Oportunidades, Ameaças) são divididos em duas áreas principais: ambiente interno e ambiente externo.

Com todos esses elementos, você forma o chamado Quadrante de Análise, abaixo. 

Matriz SWOT: imagem do chamado Quadrante de Análise. Nele aparecem quatro blocos de análises (Forças, Fraquezas, Oportunidades, Ameaças)
Imagem: Sebrae

No ambiente interno temos as Forças e Fraquezas.

Incluem-se aí avaliações sobre integração dos processos, padronização dos processos, eliminação de redundância, foco na atividade principal.

Na construção civil, você pode avaliar itens que sejam prioritários como:

  • Compra de insumos e controle de estoques
  • Máquinas e equipamentos
  • Investimentos em tecnologia
  • Qualificação da mão-de-obra
  • Planejamento estratégico
  • Comunicação interna
  • Controle de desperdícios
  • Gestão de resíduos
  • Qualidade da produção 
  • Gestão financeira
  • Credibilidade e relação com os clientes
  • Plano de marketing

No ambiente externo temos as Oportunidades e Ameaças.

Enquadram-se nesse aspecto os fatores que fogem totalmente do controle do empresário, mas que interferem com muita força na realização dos negócios.

Isto se refere, principalmente, ao comportamento das chamadas forças do mercado e as suas variáveis econômicas.

Se não há como mudá-los, é preciso conhecê-los e ter a exata dimensão da sua importância, bem como possíveis mudanças de rumo no futuro próximo ou mais distantes.

Podemos citar como exemplos:

  • Ambiente de negócios
  • Linhas de crédito para o setor
  • Inflação
  • Juros bancários
  • Custos com energia, água, etc
  • Variação de custos dos materiais e serviços
  • Programas habitacionais
  • Investimentos em infraestrutura
  • Programas econômicos
  • Novas tecnologias no mercado
  • Força da concorrência
  • Crescimento do PIB ou recessão econômica
  • Pandemias!

Avalie com muito rigor cada um dos quadros, faça combinações das forças e das oportunidades. 

Pense como converter as fraquezas e ameaças em oportunidades, ou como minimizar fraquezas e ameaças que não puderem ser convertidas.

Para maior precisão e realismo faça a análise com pessoas de sua confiança, com amplo conhecimento da organização.

Depois revise as anotações com alguém que tenha bons conhecimentos de gestão. 

Um erro bastante comum na elaboração da Matriz SWOT é a confusão entre fatores externos e internos, por isso reforce a atenção para o conceito de cada uma delas. 

Isto é, sobre os fatores internos você tem total controle, sobre os fatores externos nenhum, estão fora do seu alcance.

Medir o impacto

A análise pode ser complementada com um outro quadro que ajude a identificar o grau de impacto que os fatores podem ter no negócio. 

O impacto pode ser classificado em alto, médio ou fraco.

Também recomenda-se medir a tendência dos fatores no tempo: melhorar, manter ou piorar.

Sintetize isso num relatório e você terá um diagnóstico bastante completo da organização, a partir do qual poderá elaborar um plano estratégico robusto e eficiente.

Matriz SWOT: imagem de tablet e sobre uma mesa e mão segurando um celular em primeiro plano. Na tela do celular aparece a imagem de um gráfico.

Você vai ver que muitas providências que não pareciam necessárias ou que você estava adiando vão saltar aos olhos.

A partir disso, tome as medidas recomendáveis, imediatamente.

O fundamental, com essa avaliação, é preparar a empresa para enfrentar os contratempos da economia, bem como aproveitar plenamente as oportunidades que surgirem.

Nem sempre o vento sopra a favor, mas quando isso acontece não é admissível que uma empresa perca a chance de chegar mais longe na sua estratégia de crescimento.

Cuidados com a Matriz SWOT

Alguns especialistas na matéria, porém, apontam limitações da Matriz e alguns cuidados necessários ao utilizá-la.

Primeiro, é preciso levar em conta que a análise SWOT é uma imagem instantânea da organização, num determinado momento.

Mas tanto o ambiente interno como externo podem mudar rapidamente e, nestes casos, é preciso modificar ou adaptar as estratégias também.

Esse é mais um motivo para você realizar essa análise com uma certa periodicidade, para que não fique desatualizada.

Também é preciso não exagerar na preocupação com um determinado ponto forte, como controle de custos, e nem descuidar de outros, como a qualidade dos empreendimentos.

Outra limitação inclui o desenvolvimento da análise SWOT simplesmente para defender metas e objetivos que já foram previamente decididos por empreendedores e gestores.

Neste caso, o mau uso leva a limitações no debate de novas possibilidades e a real identificação dos problemas existentes.

Uma análise de SWOT ideal deve ser desenvolvida de maneira colaborativa, com diversidade de contribuições de gestores e colaboradores e aberta a novas propostas de gestão.

SWOT e a Arte da Guerra

O professor Marcelo Nakagawa, do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper) e Escola Politécnica da USP, lembra a principal lição da “Arte da Guerra”, antiga e célebre obra de Sun Tzu:

  • Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. 
  • Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá uma derrota.
  • Se você não conhece nem o inimigo e nem a si mesmo, perderá todas as batalhas.

Atuando num mercado altamente competitivo, como é a construção civil, você precisa conhecer as verdadeiras forças e fragilidades das sua organização

Isso é crucial para sua sobrevivência e para  poder sonhar com a ampliação dos seus negócios.

Com a Matriz SWOT você vai ter uma avaliação completa dos aspectos favoráveis e desfavoráveis da sua empresa, do mercado e da concorrência. Tudo que você precisa saber para fazer os ajustes necessários, avançar e conquistar suas metas. 

Qualquer dúvida que você tenha sobre a Matriz SWOT e outras questões de análise e estratégia fale conosco, teremos satisfação em ajudá-lo.

Agora, deixe seu comentário, queremos muito saber a sua opinião sobre esse tema, e compartilhe com seus sócios e colaboradores, poderá ser útil para eles também.

Obrigada pela leitura e até o próximo artigo.