7 dicas para estruturar a gestão da sua construtora durante a pandemia

Dayvson Carvalho

Dayvson Carvalho

Gestor de Projetos. Graduado em Administração pela ESAG. Apaixonado por números, dados e estatística.

18 de setembro 2020

A pandemia não ajudou a construção civil no Brasil, mas ainda é possível tirar proveito da queda de obras no setor. Por incrível que pareça, agora é o melhor momento para focar na gestão de construtora e preparar sua empresa para crescer depois da pandemia.

Muitas empresas passaram anos trabalhando em um ritmo muito forte. Mas apesar de isso parecer muito bom, esconde um problema que afeta quanto dinheiro você ganha: a falta de organização.

Por isso, neste artigo eu vou explicar os 3 pilares da boa gestão de construtora e várias dicas que você precisa seguir para se organizar agora e crescer depois da pandemia.

Entenda os 3 pilares da gestão de construtora pra se preparar durante a pandemia

Antes de partir para as dicas, é muito importante que você entenda que existem 3 pilares essenciais para uma boa gestão de construtora. Em resumo, são 3 tipos de gestão.

A boa gestão é essencial para crescer depois da pandemia

E agora é o melhor momento possível para organizar a sua construtora e deixar tudo pronto para crescer depois da pandemia. Afinal, quando há muitas obras em andamento é difícil parar para organizar processos.

Mas aí é que está o segredo:

Esses processos que ninguém tira tempo para melhorar são os que fazem toda a diferença na empresa, tanto no lucro das obras quanto no ambiente de trabalho para todos. Então, entenda melhor quais são eles e o que eles envolvem:

Gestão financeira

O primeiro pilar é a gestão financeira, ou seja, como você cuida das finanças da empresa. Quem não se interessa muito pela parte de estratégia do negócio pode achar que a gestão financeira tem a ver só com contas a pagar e receber, mas vai muito além disso.

A gestão financeira tem a ver com coisas como:

  • controle de orçamentos;
  • fluxo de caixa;
  • projeção de receitas;
  • conciliação bancária;
  • negociação de prazos de compras;
  • e muito mais.

Gestão de obras

Sabe o que vai garantir uma boa saúde financeira da empresa? A boa gestão de obras. Afinal, são as obras que vão determinar se o seu orçamento projetado vai se concretizar dentro do esperado.

Além disso, uma obra bem gerenciada custa muito menos e rende mais dinheiro, sem contar a redução de emergências que causam estresse e geram custos a mais.

E dentro da gestão de obras podemos incluir o seguinte:

  • escolha de fornecedores;
  • contratação de empreiteiros;
  • aluguel de equipamentos;
  • captação de novas obras;
  • entre outras coisas.

Gestão de pessoas

Por último, temos a gestão de pessoas. É esse trabalho que determina quanto a sua construtora vai ser produtiva e, por sua vez, lucrativa. Afinal, profissionais bem treinados e motivados são bem diferentes de colaboradores dispersos e despreparados.

E isso tem tudo a ver com o bom trabalho de gestão de quem está na liderança, desde a contratação até a manutenção dos funcionários na empresa. Assim, como parte da gestão de pessoas é preciso incluir:

  • dar treinamento e qualificação de colaboradores;
  • dividir claramente as responsabilidades;
  • dar autonomia para resolver problemas;
  • oferecer equipamentos e boas condições de trabalho;
  • e mais.

7 dicas práticas para uma boa gestão de construtora que vão transformar seu desempenho

De acordo com as 3 bases da gestão de construtora que você precisa seguir, há várias dicas que podem transformar seu desempenho, caso as coloque em prática. Por isso, vamos avaliar agora 7 dessas dicas.

Elas estão divididas entre as 3 bases de gestão, mas você vai perceber como cada uma está ligada a outra. Assim, aqui estão as dicas:

1. Trabalhe com um fluxo de caixa projetado

Muitos gestores de construtoras, ainda mais as de pequeno porte, acham que fazer orçamento é só passar uma cotação de preços para os clientes. Com a experiência longa no setor pode ser fácil e tentador passar um orçamento rápido, com base no conhecimento que já tem dos custos e prazos.

Mas trabalhar assim pode ser muito ruim para o fluxo de caixa. Afinal, não basta saber quanto a obra vai custar, mas também o cronograma em que cada etapa tem de ocorrer. Pra isso, a melhor solução é trabalhar com um fluxo de caixa projetado. Como assim?

O apelo do fluxo de caixa projetado é o seguinte:

A maioria dos gestores espera aparecer um problema para decidir como lidar com ele. E, em geral, o problema tem a ver com dinheiro. Projetar o fluxo de caixa é apenas planejar as receitas futuras com base nas receitas passadas.

Assim você consegue ter noção de quanto dinheiro vai ganhar e quanto vai gastar nos próximos meses, e consegue prever com maior precisão se precisa de mais obras.

2. Faça sua conciliação bancária

Conciliação bancária é o trabalho de conferir se tudo que foi projetado se tornou realidade ou não, e fazer ajustes com base no resultado. Por exemplo, talvez as despesas foram maiores do que o valor que você previu no passo anterior.

Então, é preciso comparar as diferenças entre previsão e realidade para ajustar o próximo planejamento. Em outras palavras, a conciliação bancária serve para ver se aquilo que você imaginou acontece no mundo real. E por que isso é importante?

Para garantir que você não faça planos que só existem na sua cabeça. De início, é normal que os planos e projeções não sejam exatos. Mas, conforme você faz ajustes baseados na conciliação bancária, vai ficar cada vez mais preciso.

3. Comece a fazer orçamentos com composições e insumos

Já falamos um pouco disso acima, mas fazer orçamentos apenas com base em estimativas e experiência de mercado é uma armadilha. Afinal, isso pode colocar os custos reais das suas obras muito acima do projetado, fazer suas margens caírem e até dar prejuízo.

Agora é o momento ideal de começar a trabalhar os orçamentos mais detalhados, calcular os custos de composições e insumos e até criar modelos com os diferentes tipos de composições para cada tipo de obra mais comum. Assim sua construtora vai ganhar tempo, precisão nos orçamentos e até facilitar o atendimento ao cliente.

4. Dê atenção ao fluxo de compras

O fluxo de compras tem a ver com o modo como você lida com seus parceiros e fornecedores. Não se trata apenas de pagar mais barato, mas de negociar os melhores acordos de prazo, condições de pagamento e qualidade.

Um sinal de alerta é comprar sempre do mesmo fornecedor, sem nem fazer mais cotações. Se você tinha esse hábito, é hora de reavaliar seu fluxo de compras nesse sentido. Em alguns casos, vale a pena até comprar de alguém de outra cidade e pagar o frete para ter mais qualidade, preços melhores ou entrega no prazo.

5. Explore novas formas de conseguir mais obras

Conseguir novas obras em plena pandemia pode parecer um desafio e tanto, mas essa tarefa vai ficar mais fácil se você explorar novas formas de atrair clientes. Aliás, a internet é uma ótima forma de encontrar mais clientes.

Entre as boas opções que vale a pena testar na internet estão:

  • anúncios no Google para pessoas que buscam construtores;
  • presença em marketplaces de construção, que conectam clientes a prestadores de serviço;
  • e a criação de conteúdo online para atrair possíveis clientes ao seu site.

Além disso, preocupe-se em apresentar seus serviços de forma profissional e atraente. Quanto mais profissionalismo passar aos clientes, mais fácil vai ser fazer eles fecharem com a sua construtora.

6. Delegue tarefas operacionais para ganhar produtividade

Gestores costumam ter tanto conhecimento estratégico quanto operacional, e isso às vezes faz com que eles fiquem com todo o trabalho para si. Mas a melhor coisa que você pode fazer agora é aprender a delegar tarefas para ganhar produtividade.

Treinar e delegar tarefas aumentam a produtividade da sua construtora

Mas não precisa delegar tudo de uma vez. Comece aos poucos e delegue tarefas parciais. Assim, você só precisa revisar e aprovar o trabalho depois, o que vai render várias horas a mais na sua agenda para melhorar outros processos.

Não pense em quanto tempo você vai perder para treinar outras pessoas a fazer o que você faz hoje. Antes, se concentre em quanto tempo e energia você vai ganhar depois que eles aprenderem a função. Agora, durante a pandemia, é a hora de colocar isso em prática.

7. Reveja sua estrutura organizacional

Por último, mas não menos importante, reveja como a sua construtora está organizada. Existem processos claros para cada setor seguir? Existe um canal claro de comunicação entre diferentes áreas e profissionais da empresa? Vocês têm ferramentas de controle do que é feito e do planejamento futuro?

Uma boa saída para melhorar todos os processos da empresa e facilitar a tarefa de praticar as outras dicas mostradas aqui é contar com um sistema integrado de gestão, como o Sienge Go!.

Esse tipo de sistema aumenta a produtividade, a organização, facilita os processos e coloca todos os colaboradores na mesma sintonia na hora de trabalhar nas obras e projetos.

A pandemia do Covid-19 pode ser um bom momento para reestruturar a sua construtora

Assim, a boa gestão de construtora depende dos 3 pilares de gestão que explicamos aqui. Se gerir bem as suas finanças, suas obras e seu pessoal, você vai preparar sua empresa agora para crescer assim que a pandemia apresentar sinais de melhora. E com uma boa plataforma de gestão, como o Sienge Go!, isso fica muito mais fácil.

Aliás, você já sabe do que o Sienge Go! é capaz de fazer? Veja como ele torna possível gerenciar suas obras de forma mais assertiva!