Ebook Tudo Sobre ERP

Como escolher o melhor ERP para sua Construtora

Blog > gestao, passo-a-passo, software, tendencias
26 de maio de 2017

melhor erp

 

Que investir em um ERP (Enterprise Resource Planning) facilitará todos os processos da sua construtora, você já sabe. Agora falta entender qual, neste vasto mercado de tecnologia, é mais adequado para os negócios da Construção Civil. Se você sente que, diante de tantas opções, faltam subsídios para fazer a melhor escolha, continue a leitura.

Como escolher um ERP? Antes de chegar à resposta dessa pergunta é melhor reformulá-la: Como escolher um ERP para a Construção Civil? Fazer o questionamento certo pode levar a sua construtora ao melhor caminho para gestão de negócio e projetos.

Existem 11 características que são primordiais para o sistema de gestão que vão ajudar a sua construtora a reduzir custos e ser mais produtiva. Entenda como cada uma delas impacta o negócio da Construção Civil e saiba como escolher o ERP que melhor se adapta à sua construtora.

1 – Ser 100% mobile

Quantos projetos a sua construtora precisa gerenciar? Quantas visitas in loco faz durante uma semana? Se tudo flui bem, o que menos você olha é o computador. A gestão na Construção Civil exige movimento e estar sempre em contato com pessoas — sejam elas da equipe ou parceiros e clientes.

Sabia que aquela informação sobre faturamento que você precisa para ter argumento em uma reunião de negócios pode estar no seu bolso? Isso mesmo, hoje o smartphone que está sempre com você é uma ferramenta de trabalho. Por isso desconfie de sistemas que não são mobile, ou seja, feitos para dispositivos móveis.

O ERP deve ser acessível de qualquer dispositivo, de qualquer lugar, de forma simples, fácil e rápida!

2 – Ser específico para Construção Civil

Digite ERP no Google. Provavelmente você já fez isso e caiu aqui. Mas antes de chegar ao lugar certo, passou por vários sites e alguns deles apontavam para gigantes do mercado, que são grandes justamente por oferecerem soluções genéricas.

Mas você deve procurar por algo específico, voltado para os problemas de uma construtora ou incorporadora, que demande menos adaptações para corresponder às suas atividades. Existem muitos ERPs, a maioria são genéricos, não pensados no ramo específico do negócio.

 

CONTEÚDO ESCOLHIDO A DEDO PARA VOCÊ:

 
        » O que é ERP na Construção Civil

3 – Cruzar informações

Como qualquer outra empresa, uma construtora ou incorporadora deve ter uma gestão integrada. O setor de compras precisa estar em contato com o de contas a pagar e a receber, para, então, chegar a uma conclusão sobre o capital de giro. Mas não é somente essa a lógica de um negócio da Construção Civil.

Para trabalhar com uma construtora ou incorporadora, deve ser considerada a venda de imóveis, por exemplo. E esse é um processo bastante específico, assim como as parcerias com corretores e imobiliárias. O Creci (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis) de cada estado estabelece o percentual das comissões de cada negócio,

Mas o que acontece se o seu sistema de gestão não estiver preparado para entender as comissões das imobiliárias e corretores? Você precisará customizar, o que acabará somando e pesando às outras modificações que realmente deixam o ERP com a cara do seu negócio. Com tantas mudanças no sistema, corre-se o risco de engessar a ferramenta e de ter complicações em atualizações futuras.

Por isso, os ERPs devem ser capazes de receber e fazer o cruzamento de informações de várias áreas diferentes da construtora.

4 – Reduzir custos

Nunca imaginou que os processos da sua construtora poderiam ficar mais baratos? Com uma visão detalhada do negócio você consegue ver onde está perdendo dinheiro e no que deve continuar investindo. Isso porque um sistema completo gera relatórios relacionados a todos os setores da construtora.

A compra dos materiais do mês implica em boas vendas a longo prazo, pois dela dependem os acabamentos que enchem os olhos do comprador e a própria qualidade da estrutura, fundamental para a reputação da construtora no mercado.

Diante de tais desafios, você precisa de um ERP que reúna informações para mapear os melhores momentos para compra de determinados suprimentos. Isso porque a estratégia de como escolher um ERP passa por ajudar sua empresa a cortar custos.

5 – Integrar com o BIM

Toda a construção tem um ciclo de vida. Se bem feita, esse período é longo e demanda apenas manutenções preventivas e estéticas. Mas você precisa prever no projeto quando será necessário um reparo corretivo. Será que o ERP que você selecionou faz isso?

Para conseguir executar essa tarefa, o sistema de gestão deve estar integrado com o BIM (Building Information Modeling), que controla todas as etapas de construção de um projeto, fazendo o inventário e o histórico completo da obra, desde custos com material à mão de obra.

Para se manter competitiva, sua construtora vai precisar de um sistema de gestão que possibilite a integração com o BIM, ferramenta que tem se tornado cada vez mais essencial para a Construção Civil.

6 – Ser visualmente útil e agradável

Pode parecer pouco importante, mas passar o dia olhando para um sistema que é visualmente truncado dificulta o trabalho de todos os setores. Achar o telefone do fornecedor de pisos cerâmicos com rapidez na nota fiscal de compra é uma maravilha. Mas onde estava mesmo?

Evite se perder em designs pouco funcionais e saiba como escolher um ERP valorizando também o visual, que vai além da estética.

Na hora de escolher o melhor ERP, procure por aqueles com designs intuitivos e modernos!

7 – Oferecer suporte

Se o pneu do carro fura e você tem seguro, basta ligar. Não precisa nem sujar as mãos. A mesma lógica pode acontecer com o setor de TI (Tecnologia da Informação) da sua construtora — ainda mais se for pequeno ou terceirizado — na contratação do ERP. Ele não deve se preocupar com o sistema de gestão. Quem tem que dar assistência é o fornecedor.

Saiba como escolher o ERP certo considerando se o fornecedor atende às necessidades da sua empresa, pois deve oferecer um suporte personalizado para os clientes.

8 – Gerar relatórios úteis

Se você quer saber como andam as vendas de um determinado projeto, pede para os gestor um relatório. Mas esse processo de extrair as informações estratégicas pode ficar todo nas costas da gerência quando o ERP não é especializado para a Construção Civil.

Quando você pensou em como escolher um ERP, imaginou que ele poderia vir com um modelo de relatório de custo reprogramado? Essa facilidade ajuda a analisar os custos da obra até o momento da pesquisa de dados e projeta os gastos atuais, para saber com antecedência quanto a obra realmente gastará até o final, permitindo ajustes e maior controle no orçamento.

Com o ERP certo a sua construtora tem os dados estratégicos sempre à mão!

9 – Ter um módulo de compras

A gestão por módulos é o mínimo que você pode esperar quando se pergunta como escolher um ERP. Existem tarefas dentro de uma construtora que geram rotinas específicas e precisam ter seu próprio lugar no sistema. O módulo de compras, por exemplo, deve ser capaz de fazer previsões financeiras, avaliar fornecedores e fornecer históricos de compras.

10 – Ter um módulo de contratos

Outro módulo necessário é o de contratos. Muitos ficam sob os cuidados de escritórios de advocacia, por exemplo. O que os deixam distantes da realidade da construtora. Por isso, o módulo de contratos e medições deve ser capaz de fazer a gestão com empreiteiros e terceiros, além de avaliar o trabalho de cada um, sendo uma ferramenta de controle dessas contratações.

11 – Estar na nuvem

A cloud computing tem tomado o mercado porque se tornou a melhor opção para permitir a escalabilidade, ou seja, o crescimento dos sistemas e aplicativos na medida da demanda e das necessidades das empresas. O que resulta em uma melhora de performance e na redução de custos.

Se você está pensando em como escolher o ERP, considere um fornecedor que ofereça uma opção SaaS (Software as a Service) para desonerar a TI da construtora. O resultado pode ser visto com a redução também das dores de cabeça, por serem os softwares em nuvem muito mais fáceis de implantar e de manter.

Além do formato SaaS, um sistema completo deve oferecer alternativas de hospedagem em Data Center. De qualquer forma, o que importa é desonerar a TI da construtora, garantindo uma aplicação escalável, disponível e segura.

Conclusão

Se a sua missão é escolher um sistema de gestão melhor ou investir pela primeira vez nesta tecnologia, avalie esses onze pontos dos quais a sua construtora não pode abrir mão.

Existe uma solução no mercado adequada às necessidades da Construção Civil. Já conhece o Sienge? Então, peça uma demonstração gratuita no formulário abaixo e experimente a mudança pela qual sua construtora tem esperado.

 

Tomás Lima

  • Gestor de Conteúdo
  • Graduado em Administração pela UFMG
  • Apaixonado por Construção Civil
 

Deixe um Comentário

Receba Novidades do Blog
Coloque o seu email acima para receber gratuitamente as atualizações do blog!
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa