Posts Tagged / orçamento de obra

Levando conhecimento para a Indústria da Construção




planejamento de obra
Planejamento de obra passo a passo
Postado dia 18 de novembro de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Indústria da Construção, Sienge

O planejamento de obra é uma etapa essencial para garantir o sucesso de um empreendimento – e de uma empresa! No Brasil nós temos o costume de planejar os projetos até um certo ponto e depois improvisar conforme o que aparece, e é aí que costumam ocorrer as perdas, desperdícios e atrasos. Um planejamento de obra cuidadoso auxilia a manter os imprevistos e o caos das obras sob controle, prevendo as entregas e mantendo as atividades dentro do prazo.

Uma matéria da Revista Exame em 2015, chamada “O Custo da Burrice”, demonstra como a falta de planejamento de obra prejudica a construção no Brasil. De acordo com a reportagem, o costume brasileiro é dedicar pouco tempo da obra para o planejamento, ⅕ do total. Em países mais desenvolvidos, a elaboração de projetos, montagem dos cronogramas e as projeções de custos consomem muito mais tempo: cerca de 40% do tempo previsto para uma obra no Japão; na Alemanha, 50%.

A falta de organização se reflete diretamente na qualidade da infraestrutura do país, inclusive quando se trata de obras públicas. O metrô de São Paulo, por exemplo, entrou em operação em 1974 e tem 78 km de trilhos. O metrô de Seul, na Coreia do Sul, foi inaugurado no mesmo ano e já tem 386 km.

 

Fonte: Mobilize

Fonte: Mobilize


As linhas de metrô do Rio de Janeiro, que começaram a operar em 1993, hoje são praticamente as mesmas. O trem de superfície apenas melhorou com as obras das Olimpíadas – outro exemplo de como somos ruins em planejar e executar dentro dos prazos.

metro-rio-x-xangai

Problemas de projeto? Falta de investimento? Nem sempre este é o problema! Um bom planejamento de obra é crucial para conseguir sucesso nos empreendimentos – e uma evolução constante. Basta dedicar-se com mais afinco à esta tarefa e munir-se das informações e ferramentas adequadas.

E então, vamos detalhar passo a passo como fazer um bom planejamento de obra?

1º passo: Estudo de viabilidade de obra

Antes de mais nada, é preciso saber se a empresa tem dinheiro em caixa suficiente para cobrir os custos operacionais. Caso haja, é preciso avaliar se o novo projeto vai trazer lucro ou não. Ou seja, é preciso fazer um estudo de viabilidade financeira da obra!

Se você já faz um controle bem organizado dos custos das suas obras, prever o desembolso e o lucro para a próxima não deve ser grande problema. Caso o seu controle de custos ainda não esteja bom ou confiável o suficiente, você pode começar utilizando a nossa planilha gratuita de Gestão de Custo de Obras.

Para obter o máximo de confiabilidade no seu estudo de viabilidade econômica o mais recomendado é munir-se do máximo de informações possíveis. Projetos e memoriais descritivos do empreendimento são bons pontos de partida para um estudo de viabilidade econômica. Além disso, é importante ter dados que permitam prever o que esperar deste empreendimento.

Algumas informações que podem ajudar no seu planejamento de obra e estudo de viabilidade:

  • Equipamentos e ferramentas que serão utilizados
  • Custo para execução da fundação
  • Custos e orçamentos para preparação do terreno
  • Custos de terceirização e/ou contratação de mão de obra
  • Prazos para cada etapa da obra
  • Taxa de remuneração da construtora
  • Custo dos projetos arquitetônico, estrutural, elétrico, hidrossanitário, prevenção de incêndio, ambiental, etc.
  • Custos da regularização e licenciamento de obra
  • Possibilidades de financiamento e condições de pagamento
  • Cálculo de Orçamento de Obra
  • Cronograma de Obra organizado
  • Cálculo de Retorno de Investimento (ROI)
  • Cálculo de BDI
  • Planejamento de vendas

Nesta etapa de estudo de viabilidade, o orçamentista é de fundamental importância. Esse profissional em conjunto com os decisores – diretores, sócios, acionistas – é quem vai fornecer as bases para uma definição do projeto.

Business Intelligence

A tecnologia pode auxiliar – e muito – na tomada de decisão! Ferramentas de Business Intelligence voltadas para a construção oferecem uma visão gerencial dos custos das suas obras e da sua empresa, o que pode fazer a diferença na sua análise de viabilidade e evitar investimentos equivocados.

2º passo – Orçamento de obra

O projeto é viável, você e sua empresa tomaram a decisão de construir: é hora de detalhar o orçamento de obra! Essa etapa de orçamento é crucial para o planejamento de obra!

Você pode utilizar de planilhas para fazer este controle ou então automatizar o processo com um ERP. O Sienge, por exemplo, permite utilizar informações do projeto desenvolvido em BIM para gerar orçamentos automáticos.

BDI: calculando Benefícios e Despesas Indiretas

O índice BDI na Construção Civil – do Inglês Budget Difference Income ou Benefícios e Despesas Indiretas em Português  – é um elemento orçamentário específico para cada obra e que ajuda a conseguir um preço de venda final melhor levando em conta os custos indiretos. Estes custos indiretos são geralmente tributos municipais, estaduais, margem de incerteza, etc. Para saber mais sobre como calcular o BDI no orçamento da sua obra, leia nosso post completo sobre o assunto.

 

ROI – Return on Investment ou Retorno do Investimento

O Retorno do Investimento é um cálculo simples e que muitas vezes é neglicenciado. Trata-se de saber, efetivamente, qual foi o lucro do seu empreendimento.

Segundo a Endeavor, uma das maiores organizações de apoio ao empreendedorismo, a seguinte fórmula é suficiente para este cálculo:

ROI = (GANHO OBTIDO – INVESTIMENTO INICIAL) / INVESTIMENTO INICIAL

Neste exemplo, supondo que o ganho no seu empreendimento tenha sido 500 mil reais e o investimento inicial tenha sido de 100 mil reais, temos:

ROI = (500.000 – 100.000) / 100.000

ROI = 4


O resultado significa que o retorno foi de quatro vezes o investimento inicial. Para você obter o ROI em forma de porcentagem,é só multiplicar o resultado por 100. Nesse caso, seria de 400%.

3 º passo –  Cronograma físico-financeiro

Com o orçamento detalhado e definido, o Cronograma Físico-Financeiro é o próximo passo: com ele você consegue distribuir os custos por data e etapa da obra.

A importância de um Cronograma Físico-Financeiro na sua obra, é saber com boa previsibilidade quanto tempo os serviços irão durar e quanto irão custar.

Com um Cronograma Físico-Financeiro você pode:

  1. Mapear todas as atividades e custos relacionados desde o começo até o fim da obra

  2. Identificar custos mensais acumulados

  3. Ter um planejamento de obra mais realista

  4. Melhorar o controle do fluxo de caixa

  5. Melhorar a previsibilidade da obra

4 º passo –  Regularização da obra

Ainda durante a fase de projeto já é importante se preocupar com a regularização da sua obra! A burocracia para conseguir todas as permissões e licenças de um empreendimento pode empurrar os prazos para frente e causar alterações no projeto. Ou seja, custos extra!

Uma obra sem os requisitos necessários pode receber multas e notificações!  Fique atento para ter tudo que é preciso no seu planejamento de obra! Verifique se o seu canteiro tem tudo que é exigido, como por exemplo a placa indicando o responsável técnico, espaço dedicado para armazenamento de materiais, cercamento com tapumes e passagem para pedestres.

Preste atenção aos requisitos necessários para a regularização e licenciamento da obra, como:

  • Matrícula do imóvel
  • Contratação de Profissional Habilitado
  • Projeto Arquitetônico
  • Alvará de Construção
  • Anotação de Responsabilidade Técnica (ART)
  • Placa, plantas e ART na Obra
  • Certidão Negativa de Débito (CND) INSS
  • Atestado das concessionárias de água e esgoto
  • Atestado de conformidade da instalação de energia elétrica
  • Auto de vistoria do corpo de bombeiros
  • Habite-se
  • Registro do imóvel

4º passo –  Acompanhamento de atividades da obra

A execução da obra precisa ser acompanhada e avaliada constantemente. Esse é o ponto nervoso que garante o sucesso de um planejamento de obra ou não!

Para garantir uma equipe de execução eficiente e organizada, é essencial ter ou contratar um time excelente.

Avalie o que é mais vantajoso para sua empresa: aumentar o time de execução ou terceirizar a empreitada.

Se a mão de obra for terceirizada, é preciso ter ainda mais cuidado – especialmente com o contrato de empreitada/prestação de serviços. A terceirização da mão de obra é uma boa saída, mas está mais propensa à processos trabalhistas.

Caso queira contratar uma equipe para prestar serviços na sua obra, nós temos um Modelo de Contrato de Prestação de Serviços de Construção que pode ajudar. O documento foi revisado por nosso assessor jurídico e está disponível gratuitamente.

>> Aproveite o nosso checklist para elaboração de um contrato de prestação de serviços de construção

  • Segurança do trabalho

A integridade dos trabalhadores do canteiro de obra deve ser sempre uma prioridade! Acidentes instalam um clima de incerteza, prejudicam o trabalhador, a empresa e a equipe. Para prevenir ocorrências no canteiro de obra é bom garantir:

– Um bom planejamento do canteiro de obra

– Fiscalizar o uso de EPIs e EPCs

– Cercar a obra com tapumes, andaimes e telas de segurança para evitar acidentes com pedestres

– Seguir as normas de segurança

– Armazenar os materiais nos locais adequados

  • Diário de Obra

 

O diário de obras é um documento muito importante para o planejamento de obra porque dá uma visão real do que está acontecendo na construção. Preenchê-lo e manter um histórico proporciona uma visão da evolução da obra dia a dia e facilita quando há alguma dúvida ou impasse sobre atrasos ou medições.

Por exemplo, se uma concretagem estava agendada para um dia em que choveu e teve que ser adiada, esse fato deve constar no diário de obras.

Aproveite o nosso Modelo gratuito de Diário de Obras para o seu Planejamento de obra!

5º passo – Ajustando os prazos

A verdade é que um bom planejamento de obra não vai exigir muitas mudanças ou revisões. Porém, quando se verifica que o previsto está longe do realizado, é preciso reformular e adaptar. Estes ajustes são essenciais para ter um método cada vez mais afinado e preciso.  

Se formos nos basear nas práticas mais eficientes, podemos adotar métodos como Lean Construction e o Método Tempo-Caminho, por exemplo.

  • Lean Construction

    O método de Lean Construction é baseado em uma linha japonesa de pensamento que procura trabalhar com construções enxutas. Ou seja, o foco é comprar e armazenar apenas a quantidade de material necessária para cada etapa, evitando o desperdício. Essa prática baseia-se muito na corrente do toyotismo.

  • Planejamento de Obras com o Método Tempo-Caminho

    O planejamento de obras Tempo-Caminho ajuda a definir diferentes prazos de execução para cada tarefa. Por exemplo o tempo dedicado à Estrutura em uma obra deve ser maior do que o tempo dedicado à Alvenaria. O responsável pelo planejamento de obra pode controlar e prever esses tempos diferentes através de gráficos. Saiba mais sobre o assunto lendo o nosso post.

banner do ebook sobre desperdicio

6º passo – Acabamento e licenciamento

Quando a obra chega ao momento de acabamento, é hora de conferir se o licenciamento e a entrega do imóvel estão encaminhados e bem planejados.

– Verifique se o Habite-se, Alvarás sanitários, vistorias e outros documentos estão em dia
– Planeje a entrega do imóvel para o cliente

O momento de entregar as chaves com o imóvel pronto para ser usado costuma ser especial para quem vai ocupá-lo. Planeje este ato e garanta que tudo está em ordem para que seu cliente possa aproveitar ao máximo o novo empreendimento!

Um documento que ajuda bastante a conservar a integridade do trabalho da sua equipe e evita o desgaste dos imóveis é o Manual do Proprietário de Imóveis. Nós preparamos um modelo gratuito que você pode usar com os seus clientes!

Veja alguns materiais que ajudam a melhorar a Entrega do Imóvel:

A tecnologia ajuda a fazer Planejamento de Obra

O planejamento de obras tem vários fatores que o alteram e precisa ser muito bem feito e monitorado. É preciso tomar cuidado para não se perder no meio de tantas informações e prazos. É nessa hora que a tecnologia se torna uma grande aliada!

Ao invés de usar várias planilhas que não são integradas e precisam ser preenchidas à mão, linha a linha, você pode usar um software de gestão, como o Sienge. O Sienge é voltado para empresas de construção e leva em conta todos os passos sobre os quais falamos neste post!

O melhor é que com as integrações do Sienge, você pode orçar, planejar, acompanhar, cotar com fornecedores, comprar suprimentos, emitir notas, fazer fluxo de caixa e muito mais – tudo no mesmo ambiente!

Ficou curioso?

>>Conheça as nossa solução para Planejamento de Obra!

orçamento na construção civil
Orçamento na Construção Civil: por que elaborar um?
Postado dia 19 de outubro de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Indústria da Construção

Na Construção Civil, o orçamento de obra é indispensável para o sucesso das empresas em seus projetos. Ter todas as etapas e atividades desenhadas, estimar os recursos necessários e prever a composição das equipes de profissionais são apenas algumas das tarefas mais desafiadoras. No projeto da obra, o orçamento, requer atenção e foco dos profissionais envolvidos. Um bom orçamento na Construção Civil permite prever receitas e despesas futuras, controlar desvios e até projetar, com bastante precisão o resultado econômico a ser alcançado na conclusão do projeto.

orçamento na construção civilO orçamento na Construção Civil deve contemplar todas as necessidades da obra – aquelas já apresentadas e também aquelas que estão por vir. Com um universo de possibilidades tão amplo, prever o custo das situações inusitadas, que fogem do roteiro da obra, é um dos maiores desafios e realizar um bom orçamento requer um trabalho minucioso e a contribuição de diversas áreas da empresa, como compras e recursos humanos.

 

 

 

Mas, verdade seja dita: quando a construtora investe em planejamento e se antecipa, tudo fica mais fácil e o esforço inicial garante ótimos resultados.

 

 

Um orçamento na Construção Civil bem elaborado é a chave para o sucesso dos negócios.

 

Ainda assim, muitos se arriscam ao não se dedicar à sua elaboração e outros até iniciam a construção sem ter o orçamento pronto. O descuido nesta etapa impacta em todas as demais. Para quem corre o risco e começa uma construção sem orçamento, qual o tamanho do problema? Você pode conferir a resposta dessa pergunta nesta palestra, do consultor Ronaldo Machado Júnior.

Neste post, lançamos outra pergunta: orçamento na Construção Civil, quais as vantagens de ter um?

Muito além de um simples cálculo de preço de referência, o orçamento na Construção Civil tem como objetivo projetar com precisão o resultado econômico a ser obtido no momento da conclusão da obra. O orçamento é fundamental para a tomada das melhores decisões, seja na hora de negociar o prazo de um contrato de prestação de serviços de Construção Civil, seja para definir o preço do empreendimento imobiliário e iniciar as vendas.

 

 

Banner Palestra Construção sem Orçamento

Na obra e na empresa: vantagens e benefícios do orçamento na Construção Civil

Se sua construtora tem se deparado com baixo resultado financeiro nas obras, o vilão pode ser o orçamento mal elaborado ou, então, o pouco tempo dedicado a ele.  Para mostrar as vantagens do

– na tentativa de convencer você a fazê-lo – elencamos cinco (boas) razões que justificam a elaboração para cada obra.

  1. Torna o planejamento da obra muito mais assertivo: o orçamento na Construção Civil divide-se em três etapas: estimativa de preços e prazos; detalhamento do planejamento e do orçamento; e acompanhamento por meio de sistema de gestão. Assim é possível fazer uma melhor gestão de obra e seguir à risca o planejamento.

  2. Permite a criação de uma boa base de insumos e composições: com um orçamento na Construção Civil completo, com todos os quantitativos de consumo de material, a construção flui com mais segurança, controle e menos desvios. Há clareza do que fazer, de quanto comprar e quanto pagar por cada insumo ou serviço.

  3. Gera um maior controle no canteiro de obras: com o orçamento na Construção Civil definido, todo o planejamento da obra é favorecido. Pode-se determinar a rotina da equipe no canteiro,  planejar atividades com margem de tempo nos cronogramas, e garantir o controle dos custos do canteiro de obras, evitando gastos adicionais e inesperados.   

  4. Garante mais rentabilidade nas vendas: quanto mais assertivo o orçamento na Construção Civil mais confiança ele gera sobre o custo da obra e o valor de venda, de modo que torna-se mais fácil identificar a rentabilidade de cada empreendimento.

  5. Resulta em credibilidade e confiança no mercado: a elaboração de um orçamento na Construção Civil assertivo ajuda na definição das datas de compras e aquisições de máquinas, equipamentos e insumos na hora certa para a obra começar e terminar. Tal controle evita possíveis atrasos, garantindo a confiança dos clientes e a credibilidade perante o mercado.
superbanner do ebook 7 dicas de ouro de como fazer orçamento de obra

Orçamento na Construção Civil: mais controle e rentabilidade

orçamento na construção civil 2Um estudo recente realizado pela consultoria Deloitte junto a construtoras aponta o desvio médio de 21,7% entre o orçado e o custo real de uma obra. Neste cenário, diagnosticar os fatores que acarretam a imprecisão do orçamento na Construção Civil é o primeiro passo para reduzir a margem de riscos e manter os desvios controlados. Assim, o orçamento na Construção Civil é uma ferramenta e também um diferencial competitivo.  

Na gestão de obras, o orçamento bem elaborado contribui para o levantamento dos recursos necessários e, principalmente, para o controle apurado de custos, garantindo a correta definição da margem de lucro da construtora e o seu alcance. Com o orçamento na Construção Civil, a empresa ganha maior poder de negociação junto aos fornecedores, e acesso a um histórico valioso de informações sobre os insumos e as correções mais comuns nas obras.

A compatibilização de projetos da construção (topográfico, estrutural, hidrossanitário, elétrico, de refrigeração e arquitetônico) também fica mais fácil, na prática, quando já está estipulada no orçamento. Com esse indicativo no orçamento, temos diminuição de custo e tempo no canteiro de obras, redução do desperdício e eliminação do retrabalho.

Orçamento na Construção Civil: construção colaborativa

Com tantos benefícios e vantagens não dá para deixar de se dedicar ao planejamento e ao orçamento na Construção Civil. O processo de elaboração é exigente, mas recompensador. O melhor é saber que, com o auxílio da tecnologia, a definição do orçamento na Construção Civil pode ser feita com a participação de todos os perfis profissionais envolvidos no planejamento e na execução da obra. Com o orçamento colaborativo, é possível evitar as oscilações entre a falta de insumos (que pode comprometer os prazos) e o excesso de estoque (cujo armazenamento inadequado pode resultar em desperdício de material).

Veja quais profissionais e áreas estratégicas podem participar e contribuir na fase de levantamento de custos da construção:

  • Engenheiro da obra: é importante conhecer o perfil desse profissional e sua autonomia na tomada de decisões sobre custos. As informações preliminares dadas por ele podem evitar equívocos no orçamento na Construção Civil e retrabalho, evitando também trocas de fornecedores ou de tipo de material.
  • Compras: o olhar desta área contribui para mitigar problemas no orçamento com fornecedores, por exemplo. Avaliar os prestadores de serviço evita que sua empresa dependa de um único fornecedor, o que pode gerar impactos e custos na obra.
  • Planejamento: ter uma análise global do projeto contribui para dimensionar os custos com mais precisão. Assim, será possível prever o trabalho de logística ou ainda identificar melhores técnicas e serviços a serem adotados.

Métodos e ferramentas simplificam o orçamento na Construção Civil

Com a exigência e a competitividade no mercado, as construtoras têm o desafio de buscar e adotar ferramentas que permitam um o maior controle nos métodos de planejamento, e mais precisão no orçamento na Construção Civil e nas etapas de execução. Para a gestão das informações da obra e, principalmente, para apoiar o controle de custos, a curva ABC é uma metodologia facilitadora que permite estabelecer um orçamento na Construção Civil organizado, com foco na gestão do custo, e possibilidade de mensurar os custos de insumos, mão de obra e equipamentos, fatores que mais pesam no valor total da obra ou do serviço. E o melhor de tudo: ela pode ser feita utilizando o Excel ou por meio de um software especializado na Construção Civil.

Sistema para gestão de custos

Se a opção for usar um software para instituir a Curva ABC de Orçamento na Construção Civil, o sistema, dentre outras funções, é capaz de:

  • Projetar a coleta de dados (memorial descritivo, projetos, encarregados, clientes);
  • Capturar informações consultando, inclusive, a base de dados e o histórico gerado;
  • Calcular o percentual de modo automatizado;  
  • Estruturar o relatório da curva ABC, com relatórios gerenciais e de engenharia, e o desenho da própria curva.  

Na prática, a curva ABC indica os insumos mais utilizados; o que pode ser priorizado na redução de custos, e os impactos dados pela variação de preço dos insumos. Com o método e a adoção de um sistema, o gerente tem um maior controle sobre o orçamento na Construção Civil, negociando itens que mais representam o custo total, com maior potencial de barateamento. Como tem um maior domínio sobre o processo, o gestor pode delegar a outras pessoas a negociação de itens que não impactam tanto no orçamento geral.

Com um ERP (sistema de gestão integrado) especializado, desenvolvido especificamente para o setor da construção, é possível eliminar os controles paralelos que cada orçamentista e engenheiro de obra fazem da curva ABC e concentrar em uma única solução as informações, com mais organização e acuracidade, gerando inteligência competitiva para a construtora.

Se a estratégia é implantar um sistema de gestão para simplificar e integrar os processos, reduzindo custos, a questão é: como escolher a solução ideal para sua construtora?  Quais critérios tornarão sua escolha assertiva e trarão ganhos rapidamente?

Para lhe ajudar nesta decisão, foram selecionados quatro critérios muito importantes que devem ser considerados nesta análise:

 

  • Ter flexibilidade para simulações: a solução ideal para a confecção de seu orçamento na Construção Civil precisa permitir o registro de vários cenários, para que você possa trabalhar com várias opções até concluir qual será o oficial para a obra em questão.
  • Permitir análises em níveis de agrupamento: uma solução tecnológica de qualidade deve permitir de forma fácil a confecção de planilhas orçamentárias a partir da configuração de composições, etapas e sub-etapas específicas de cada obra.
  • Ter integração com outras áreas da empresa: a solução ideal aumenta a velocidade na montagem do orçamento na Construção Civil pelo reaproveitamento das informações já existentes em sua empresa. Para garantir assertividade no processo orçamentário, e dar uma visão física, econômica e financeira, a integração com as demais áreas é fundamental.
  • Manter histórico dos orçamentos na Construção Civil: a possibilidade de revisitar orçamentos já concluídos ajuda demais sua empresa a reutilizar experiências já vividas. O reaproveitamento de orçamentos e a integração com as demais áreas contribuem para garantir maior assertividade e velocidade na confecção de novos orçamentos.

 

Planilha Orçamentária

Se a construtora visa trabalhar na fase de elaboração e acompanhamento do orçamento das obras, além do software, qual outro método pode ser usado?

Diante da importância e da necessidade de priorizar a gestão de custos, outro caminho possível para fazer a gestão de orçamentos na Construção Civil é adotar uma planilha de orçamento empresarial. Com o uso desta, a construtora garante eficácia no orçamento e na projeção de vendas e de investimentos, bem como assegura a correta elaboração do demonstrativo de resultados. A planilha de orçamento da obra permite ao gestor organizar e prever os gastos de cada obra, bem como fazer a gestão de quantitativos da mesma. Está tudo previsto e registrado: basta fomentar e acompanhar!

Tudo muito prático, mas por onde começar?

Para te ajudar, produzimos um Modelo Gratuito de Orçamento de Obra que você pode baixar clicando abaixo:

banner da planilha de orçamento de obra


Veja como utilizar o nosso modelo neste vídeo:

 

 

engenharia de custos
Qual a importância da engenharia de custos na obra?
Postado dia 26 de setembro de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Gestão, Indústria da Construção

No cenário da construção civil brasileira, os atrasos na entrega de obras – sejam  residenciais, sejam comerciais – são recorrentes. Segundo dados divulgados na matéria do Jornal O Dia, em 2013, a Secretaria Nacional do Consumidor recebeu 34.534 reclamações na área de habitação, sendo que 22% correspondem ao não cumprimento de contrato por parte das construtoras. Os casos e os números justificam porque as pessoas já estão desacreditadas quanto aos prazos dados para entrega de empreendimentos imobiliários. Mas, a questão é que, mesmo sabendo que os atrasos são comuns, os clientes estão dispostos a comprar. Então, como trabalhar para evitar estouro de orçamento, atrasos na entrega das obras e mudar essa visão? A engenharia de custos pode ser a resposta!

Uma gestão inteligente, aliada à orientação da engenharia de custos, deve definir o melhor caminho a ser seguido, para que o projeto seja executado conforme o planejado. É por isso que o orçamento da obra está diretamente ligado à qualidade do projeto que o originou.

Um bom projeto requer um bom planejamento orçamentário para que o desenho ganhe vida e saia do papel. Diante da necessidade de manter este alinhamento, a engenharia de custos participa e acompanha a construção como responsável pelo levantamento do valor a ser investido em cada etapa da obra. Cabe aos profissionais que atuam nesta área a responsabilidade de prever os custos para executar o projeto, tais como:

    • Pessoal: salários, encargos sociais, benefícios e vale-transporte;
    • Materiais: fornecimento e impostos (IPI e ICMS);
    • Equipamentos: fornecimento e impostos – IPI, ICMS, Importação;
    • Taxas e seguros: Crea, Licença, e Seguro de Vida, Predial, Automotiva e Garantia de Obras;
    • Transportes

Na engenharia de custos, nenhuma das variáveis utilizadas em um orçamento pode ser previamente fixada, afinal, estas dependem exclusivamente de informações sobre o projeto, a localização do serviço, as exigências do Edital de Licitações ou ainda do Memorial Descritivo do empreendimento. Cada projeto requer uma análise totalmente diferente, feita sob medida para a obra ser construída em tempo, com qualidade e com custos sob controle.

Neste sentido, a atuação do engenheiro de custos é focada, principalmente, na elaboração e validação de orçamentos e planejamento de custos do empreendimento para todas as fases da obra, e também na gestão de custos e do fluxo de caixa. Dentre outras atividades, cabe também ao engenheiro de custos a tarefa de analisar o desempenho e os resultados dos projetos em andamento (com visitas ao canteiro de obras), bem como monitorar desvios, abrangendo evolução física, financiamento à produção, incorrido e à incorrer.  

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Segundo dados da Catho, o engenheiro de custos é o profissional que “faz análise, composição e controle de custos de projetos (obras); elabora e controla os orçamentos, e planeja a apropriação de custos diretos e indiretos.” Hoje, no Brasil, o salário-médio é de R$ 3.971,20.

Para que o profissional possa de fato contribuir com a qualidade da obra, é preciso também que ele vivencie de perto a rotina da construtora. Desde o desenho do projeto e reuniões de planejamento, acompanhamento da obra com visitas ao canteiro de obras até o relatório final após a entrega da obra. Com essa participação, o engenheiro de custos pode identificar fragilidades, corrigi-las e  indicar o melhor caminho para que a construtora não fuja, ou desvie o mínimo possível, dos custos estimados para o projeto. Dessa forma, o profissional vai também consolidando um modelo de trabalho e histórico de informações, que propicia o refinamento do seu trabalho.

 

Durante o andamento do projeto, um dos fatores que provoca mais impacto no orçamento é o atraso da obra, que desencadeia uma série de prejuízos para as empresas da construção civil. Com o cronograma comprometido, a engenharia de custos da obra assume o desafio de evitar o efeito dominó do atraso e a geração de reflexos como:

  • Aumento de custo: quando a obra atrasa, os custos fixos do canteiro extrapolam o gasto previsto.
  • Problemas no fluxo de caixa: o adiamento da realização do lucro da construtora impacta o fluxo de caixa, de modo que influencia o capital de giro e pode afetar o desempenho da construtora.
  • Indisponibilidade das equipes: a dificuldade de originar novos negócios fica maior por conta da indisponibilidade dos profissionais, que ficam mais tempo focados em um mesmo projeto.
  • Perda de credibilidade: a percepção de que a construtora não honra seus compromissos coloca em risco vendas futuras e a confiança do consumidor no mercado imobiliário.
  • Perda de clientes e devolução de parcelas: compradores insatisfeitos podem entrar com ação judicial solicitando a rescisão do contrato e a devolução integral dos valores pagos, com correção monetária.
  • Indenizações: mesmo após a entrega, os clientes têm a opção de entrar na Justiça pedindo indenização por danos morais e materiais.
Receba Novidades do Blog
Coloque o seu email acima para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Diante de possíveis complicações, durante a execução do projeto, se for preciso, o replanejamento dos custos e serviços deve ser feito de imediato.  Neste cenário, o engenheiro de custos deve estar preparado para transitar, com facilidade, por todas as etapas do ciclo de vida de uma edificação, participando do processo desde o estudo de viabilidade até a gestão econômica do ativo. O profissional especialista atua, portanto, como um gerente de múltiplas habilidades, algumas adquiridas com estudo e capacitação, outras com experiência e vivência em diferentes obras e empreendimentos.

No Brasil, o Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos (Ibec), oferece suporte para a formação de engenheiro de custos, com cursos de capacitação, especialização e MBA Executivo. Como uma organização sem fins políticos e/ou lucrativos, desde 1978, o Ibec:

“Visa promover as técnicas e tecnologias da Engenharia de Custos, como ciência multidisciplinar, integrando empresas e profissionais, atuantes em todos os segmentos e promovendo encontros, palestras, reuniões técnicas, cursos, seminários, congressos, publicações e principalmente o intercâmbio com as congêneres dos demais países do mundo.”

Com o movimento de profissionalização, as construtoras passam a contar com especialistas treinados, com sólidos conhecimentos em relação ao processo  de gerenciamento de custos e orçamentos de obras. Em parceria com os demais profissionais da equipe, o engenheiro de custos trabalha focado para maximizar os resultados, diminuindo e evitando atrasos, e garantindo a qualidade da obra no tempo certo.

Para Gustavo Martins, autor do blog Engenheiro de Custos, o principal atributo do engenheiro de custos é ser um bom gestor, entendendo a sua importância nas etapas do ciclo de vida de uma construção e interligar de fato as áreas de orçamento, planejamento, riscos, viabilidade do projeto, entre outros.Colocando-se sempre em comunicação com outros profissionais para encontrar soluções técnicas adequadas para a empresa.

O ganho da construtora com o investimento na engenharia de custos é inquestionável. Para evitar o cenário de corrida contra o relógio no canteiro de obras e desgaste com o cliente na central de atendimento, priorize a engenharia de custos nos próximos empreendimentos ou, se aproprie desta prática e contrate um especialista na área.

Com a técnica da engenharia de custos e a atuação de um profissional da área, todos ganham: construtora, profissionais e clientes. Este profissional mantém um olho no planejamento orçamentário e no fluxo de caixa, outro no cronograma e, em parceria com os demais profissionais, ajuda a garantir a entrega das chaves.

superbanner do ebook 7 dicas de ouro de como fazer orçamento de obra
orçamento de obra
Saiba quais são os 5 benefícios de um bom orçamento de obra
Postado dia 21 de junho de 2016 | Nenhum Comentário
Categorias: Construção, Indústria da Construção

Veja nesse post as 5 principais vantagens que um bom orçamento de obra traz para a sua construtora e saia na frente da concorrência!

O mercado da construção civil está cada vez mais exigente, sempre buscando a qualidade e o menor custo. Uma obra para ser bem executada e gerar lucros para o negócio, necessita antes de tudo de um bom orçamento de obra, que considere todas as suas etapas e dê atenção especial à fase de projetos, como etapa inicial de um empreendimento, da qual depende toda a execução da construção.

Muito além de um simples cálculo de preço de referência, o orçamento de obra tem como objetivo projetar com precisão o resultado econômico a ser obtido no momento da sua conclusão. Por isso, o orçamento é fundamental para a tomada das melhores decisões, seja na hora de negociar o prazo de um contrato de prestação de serviços de construção civil ou para estipular o preço do empreendimento imobiliário para o momento das vendas.

Se sua construtora tem se deparado com baixo resultado financeiro nas obras, o vilão pode ser o orçamento ou a falta de tempo dedicado a ele.

Confira cinco vantagens e entenda por que fazer orçamento para cada obra a ser construída, pode ajudar (e muito!) sua empresa:

1) Torna o planejamento da obra muito mais assertivo

A elaboração do orçamento se divide em três etapas:

1ª etapa: Serve para determinar a estimativa de custos e prazos para a obra. Tal análise é determinante para tomada de decisão, como por exemplo se o engenheiro levará adiante o empreendimento.

2ª etapa: É hora de investir um tempo para desenvolver orçamento e planejamento detalhados. Durante a execução da obra, com o orçamento em mãos, será muito mais fácil realizar o acompanhamento físico-financeiro da construção e manter os custos sob controle. Nesse cenário é possível antecipar alternativas para diversas situações críticas que podem ocorrer durante a execução dos trabalhos, auxiliando inclusive a evitar falta de algum material ou insumo necessário para o andamento da obra.

3ª etapa
: Por fim, o acompanhamento do orçamento por meio de sistemas de gestão especializados na construção civil  reduz drasticamente os riscos financeiros, além de ajudar a manter o cronograma da obra sempre em dia.

banner da planilha de orçamento de obra

2) Permite a criação de uma boa base de insumos e composições

Trabalhar com um orçamento de obra completo, incluindo todos os quantitativos de consumo de material, faz a construção da obra fluir com mais segurança, controle e com menos desvios. Há clareza do que fazer, de quanto comprar e quanto pagar por cada insumo ou serviço.

Nesse sentido, utilizar a ferramenta CPU (Composição de Preço Unitário) para preparação de orçamentos com montagem do custo de cada serviço da obra por uma unidade básica é uma ótima alternativa. Para isso, o engenheiro precisa dispor de uma tabela com todos os preços dos insumos da sua obra e outra com as quantidades a serem consumidas nos serviços a serem executados, e assim  orçar todos os custos diretos do empreendimento.

Com o orçamento utilizando a CPU, é possível ter uma estimativa de quanto de investimento cada tarefa consumirá em cada estágio da obra. O engenheiro também pode definir prazos e dimensionar o time com de acordo com essas informações. Para ajudar você pode consultar algumas fontes, como a Tabela de Composições de Preços para Orçamento (TCPO) da Editora Pini e outras opções muito boas e gratuitas disponíveis na internet.

3) Gera um maior controle no canteiro de obras

O orçamento também garante o controle dos custos envolvidos no canteiro de obras, evitando surpresas com gastos adicionais e inesperados.  Ajuda também na execução das atividades ao permitir que todos os insumos necessários sejam  orçados e consequentemente comprados no momento adequado para utilização  no canteiro da obra, e à medida que as etapas da construção avançam.

Com o orçamento definido, é favorecido todo o planejamento da obra de modo que pode-se determinar desde o início a rotina da equipe no canteiro e planejar atividades com margem de tempo nos cronogramas. É possível analisar também diferentes fatores de contratação, como por exemplo, se será melhor a locação de um equipamento por hora ou por preço fechado, e em qual período. Essas análises podem evitar que uma retroescavadeira fique parada enquanto sua construtora está pagando por ela, evitando assim o desperdício de tempo perdido e processo ineficiente na sua construção.

Nessa situação, talvez seja necessário aumentar o tempo de locação do veículo, gerando aumento do custo desse contrato, o que contribuirá para a obra estourar sua previsão de custos inicial. Um orçamento bem definido faz com que o engenheiro saiba exatamente o que vai gastar e garante segurança na execução do projeto.

Banner Palestra Construção sem Orçamento

4) Garante mais rentabilidade das vendas

Um orçamento assertivo gera uma confiança de quanto a obra vai custar e por quanto ela será vendida, sendo mais fácil identificar a rentabilidade (quanto do dinheiro investido no negócio está se transformando em lucro) de cada empreendimento. Prova disso é que cada vez mais a engenharia de custos está sendo estudada como forma de planejar, orçar e controlar a execução da obra.

Uma ferramenta que pode potencializar a importância e o uso do orçamento, propiciando controle financeiro total do empreendimento, é o cronograma financeiro de obra. Ele distribui na linha do tempo o avanço físico de uma obra e a estimativa do quanto será gasto na realização de cada umas de suas etapas. Outro recurso que também contribui bastante para a elaboração desse planejamento financeiro é a utilização da curva ABC, metodologia que permite estabelecer um orçamento organizado com foco na gestão do custo.

Dica: envolva todo o seu time a favor do orçamento da obra!
Para incentivar sua equipe de obra a prezar pelo detalhamento do orçamento, cada integrante pode ser avaliado pelo custo total da obra. Assim, você pode atrelar o pagamento de prêmios à observância ao orçamento de obra ou metas mínimas de desvio.

5) Resulta em credibilidade e confiança do mercado

Quem nunca ouviu falar de pagamento de indenizações, despesas extras, multas e até rescisões de contrato por problemas com atraso de obra? Basta acessar o site Reclame Aqui para ver centenas de reclamações que deixam certas construtoras com má reputação no mercado.

Também há os casos de desistência da compra do imóvel por diversos motivos, que acabam ocasionando devoluções e distratos. Por isso, é muito importante e obrigatório que a sua construtora inclua uma cláusula de distrato de contrato.

A elaboração de um orçamento assertivo ajuda na definição das datas de compras e aquisições de máquinas, equipamentos e insumos na hora certa para a obra começar, evitando possíveis atrasos.

Palestra Online Como vender Internet

Por exemplo, ao fazer o orçamento contando com o planejamento de datas, o engenheiro pode se programar para adquirir um determinado equipamento, que levará alguns meses para chegar, por falta de disponibilidade do fabricante. Assim, o profissional tem ciência da demora em determinado processo, de forma que possa considerar esses gargalos para fixar a data de entrega da obra. Gerando assim, confiança no consumidor e a certeza de que as chaves são entregues no prazo ou até antes da data acordada.

Os benefícios são inúmeros ao se atentar para fazer um orçamento de obra detalhado de cada obra a ser executada. Nesta etapa, é necessário ter o máximo de cuidado e você pode perceber como vale a pena investir tempo nela. Vale ressaltar que, uma medida de grande efetividade é garantir autonomia e independência para a área de orçamentos dentro da construtora. É muito importante que esse setor não seja submetido às pressões da incorporação nem da engenharia.

Para não ter surpresas com custos imprevistos na obra, falta de insumos que acarretam atrasos na data de entrega e consequentemente, menos lucro no negócio, faça orçamento de obra!

Acesse aqui um modelo de planilha específica para fazer orçamentos das suas obras. Ela certamente irá ajudar muito sua empresa nesse importante trabalho.

superbanner do ebook 7 dicas de ouro de como fazer orçamento de obra
banner do ebook sobre desperdicio
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa