banner sienge

SPED Fiscal – Como funciona na indústria da construção civil

Blog > construcao, fiscal, gestao, incorporacao, industria-da-construcao, sienge
17 de janeiro de 2013

Organizar sua gestão financeira pode evitar sérios problemas fiscais à sua empresa. Saiba aqui no Blog do Sienge como funciona o SPED Fiscal na construção civil.

O sistema público de escrituração digital – SPED é um projeto do governo federal que visa digitalizar o conjunto de declaração e obrigações fiscais para o meio eletrônico, onde as empresas prestam informações para fiscos das unidades federativas e Secretaria da Fazenda, estes devem ser declarados com uma periodicidade mensal. O plano do governo é subdividido em categorias: SPED contábil, nota fiscal eletrônica (NF-E) e Escrituração Contábil Digital (ECD).

Instituído pela Receita Federal – no ano de 2007, com o objetivo de diminuir custo burocrático da apuração fiscal das empresas, além de aprimorar o combate contra a sonegação, diminuir obrigações acessórias e escriturar os livros fiscais de forma digital.

SPED contábil trata-se da apuração do conjunto de escriturações de documentos fiscais e de declaração de impostos das empresas por meio digital. O que deve ser entregue a receita federal mensalmente.

O sistema exige maior integração dos processos da empresa – sobretudo com a parte financeira. Assim como tende a exigir uma informação minuciosa destas ações. É composto por subprojetos, entre eles: EFD (Escrituração Fiscal Digital) contribuições – nomeado: SPED fiscal, nota fiscal eletrônica, nota de produto, nota de serviço, conhecimento de frete eletrônico.

SPED Fiscal

O EFD contribuições é obrigatório para empresas de lucro real e para algumas empresas de lucro presumido desde março de 2012. Todavia para contribuições tanto no que se refere à prestação de serviço quanto à atividade imobiliária teve seu prazo estendido para fevereiro de 2013 contemplando contribuições referentes a janeiro do mesmo ano.

Logo o SIENGE auxilia na sistematização do registro de SPED Fiscal, pois criou campos específicos que geram as informações necessárias, possibilitando, portanto, a geração do arquivo no sistema de obrigações fiscais para a leitura no validador da receita. Através dos processos de cadastros do SIENGE é necessário parametrizar configurações específicas no preenchimento de dados para atender a essa leitura específica legal.

Brenda Bressan Thomé

  • Editora do blog Sienge
  • Especialista em comunicação em mídias digitais
  • Jornalista formada pela UFSC
  • Filha de Engenheiro Civil e apaixonada por Construção

Leave a comment

Receba Novidades do Blog
Coloque o seu email acima para receber gratuitamente as atualizações do blog!
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa