banner sienge

A importância da comunicação na segurança do trabalho

Blog > artigo, construct, industria-da-construcao
12 de maio de 2016

Uma boa comunicação na segurança do trabalho é chave para ajudar a prevenir doenças e acidentes relacionados às atividades de uma empresa. Para empresas de construção civil, onde boa parte dos trabalhadores desenvolvem atividades fisicamente intensas e atuam em locais propensos a acidentes, como os canteiros de obras, a atenção ao tema segurança do trabalho costuma ser enfatizada. Provavelmente na sua empresa existe uma comissão permanente ou um departamento exclusivamente dedicado a garantir que todas as normas de segurança sejam cumpridas, que os funcionários sejam treinados para evitar acidentes, que a assistência médica saiba agir quando coisas ruins acontecem. Mas será que sua empresa dá a devida atenção ao papel específico da comunicação em todo esse processo?

Frequentemente, como gestores, negligenciamos o tema comunicação. Assumimos que sabemos nos comunicar bem o suficiente, já que fazemos isso o tempo todo e sem precisar pensar muito a respeito. Acreditamos que nossos líderes, pares e liderados compreendem bem nossas mensagens e comunicam-se bem uns com os outros. Deixamos de fazer um planejamento de comunicação orientando cada objetivo de negócio ou cada processo. Deixar de planejar a comunicação é um grave erro! Sem planejamento, não se estabelecem critérios de sucesso e não se identificam oportunidades de ganho de eficiência, não se identificam os pontos que podem funcionar melhor ou pior dependendo do tipo e da qualidade da comunicação. Quando deixamos de planejar a comunicação na segurança do trabalho, o custo de uma falha ou da falta de comunicação pode ser um grave acidente ou até mesmo a morte de uma pessoa.

banner do ebook sobre produtividade na construção

Pesquisando sobre esse tema recentemente, encontrei um artigo muito interessante sobre comunicação na segurança do trabalho, da australiana Angelica Vecchio-Sadus, especialista saúde e segurança corporativa. Angelica fala sobre como uma comunicação efetiva contribui para o fortalecimento de uma cultura que prima pela segurança do trabalho.

A autora destaca que precisamos unir prática e teoria das normas de segurança para que as precauções sejam eficazes, e ter esses objetivos previstos em seu plano de comunicação é o que faz a diferença. Veja alguns exemplos de como conseguir isso:

Missão, política e plano estratégico para saúde e segurança no trabalho

Definir a política das medidas de saúde e segurança da sua empresa, assim como sua missão, ajuda na hora de delimitar e comunicar a direção dos processos nessa área, e pode até se tornar uma referência nas tomadas de decisão. O plano estratégico complementa (isso) levantando as melhores maneiras de repassar esses objetivos e prioridades a todos os envolvidos na organização.

Você pode demonstrar os desempenhos por meio de gráficos indicativos que mostram melhorias contínuas e o cumprimento dos objetivos estabelecidos neste setor, ou então enfatizar consequências negativas de não seguir as medidas de segurança, como taxas de gravidade, tratamentos médicos e tempo perdido. Além disso, elaborar um manual de segurança para sua empresa pode ajudar a consolidar regras e requisitos mínimos de segurança, ou então listas de verificação que podem ser usadas como uma ferramenta para orientar e verificar processos como funcionamentos, inspeções e relatórios.

Se preferir engajar sua equipe de uma forma mais dinâmica, eventos como uma “Semana da Segurança” podem servir bem para promover um ambiente de trabalho mais saudável, conscientizando todos os funcionários e os envolvendo no comprometimento da gestão. Atividades criativas podem ser oferecidas, como seminários, concursos e artigos promocionais. Num viés mais formal, conferências sobre o tema também são uma dinâmica a ser organizada, visando compartilhar mais informações sobre saúde e segurança no trabalho e até estudos de outras organizações. Fóruns para se reunir com outros profissionais do ramo também podem ser considerados.

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Treinamentos e campanhas

Treinamentos são as melhores ferramentas para cobrir qualquer lacuna de conhecimento que grupos e áreas de alto risco tenham. Assim, a percepção de risco é ajustada. Programas de treinamento pró-ativos funcionam bem para estimular atitudes positivas e construtivas para saúde e segurança do local de trabalho, mantendo sempre em mente as necessidades específicas da sua equipe.

Para envolver toda a equipe no processo de melhorias, campanhas para estimular a comunicação de incidentes e acidentes também são importantes, pois muitos trabalhadores ainda têm receio de denunciar condições e situações irregulares por medo de serem recriminados.

Brochuras, cartazes e vídeos

Como há muitas informações sobre saúde e segurança no trabalho que devem ser repassadas, torná-las facilmente acessíveis e compreensíveis é um dos passos principais. Vídeos e até um website para fornecer e centralizar todos os documentos referentes a este setor na sua empresa podem ser bons recursos para disponibilizar essas informações. Vale apenas lembrar que o site deve ser divulgado internamente, pois precisa de visibilidade para cumprir seu objetivo.

Hoje temos uma grande variedade de publicações sobre questões de saúde e segurança no trabalho, desde simples folhetos instrutivos sobre temas específicos, como cartilhas de dicas de segurança, até outras fontes de informação para relatórios mais detalhados, livros, entre outros.  Em caso de problemas de linguagem, posters com ilustrações e símbolos podem simplificar e esclarecer certas mensagens. Para destacá-los, você pode colocar em paineis exclusivos para esse tipo de comunicação!

Avaliação de risco

Riscos como calor, produtos químicos e peças móveis podem ser uma ameaça imediata de lesão aos trabalhadores, mas nem sempre é fácil identificá-los: o monóxido de carbono, por exemplo, é muito tóxico e não tem nenhum cheiro. Uma avaliação pode ajudar a mapear os perigos no local de trabalho e sua magnitude, para então aplicar medidas e controles a fim de evitá-los.

Divulgar os resultados dessa avaliação de risco ou incidente dentro da empresa também ajuda a mostrar o compromisso da gestão em identificar e abordar as causas desses problemas. Assim, os trabalhadores são incentivados a se envolverem mais e sugerir estratégias para implementar melhorias.

Relatórios públicos

Publicar um relatório anual ou mensal sobre as iniciativas e atividades realizadas na empresa em relação às medidas de saúde e segurança no trabalho mostra comprometimento da organização, as realizações alcançadas na saúde e segurança no trabalho e no bem-estar dos funcionários. Os relatórios também podem ajudar na revisão de normas de desempenho no setor.

Alertas de segurança e relatórios de quase-acidentes, por exemplo, servem para pontos que precisam de atenção imediata e que ainda podem ser revertidos antes de se tornarem riscos e ameaças reais para os trabalhadores.

 

drew beaurline construct

por Drew Beaurline, fundador e CEO da Construct

Americano da cidade de São Francisco, Califórnia, Drew é apaixonado por tecnologias móveis e empreendedorismo. Considera como sua missão de vida criar aplicativos que as pessoas amem usar e que lhes possibilitem superar grandes desafios. Ele é um dos idealizadores do Construct App, primeiro aplicativo de comunicação desenvolvido especialmente para profissionais da construção. O Construct é simples, intuitivo e pensado para pessoas – não para processos. Drew veio para o Brasil em 2013 e vive em Belo Horizonte, na região conhecida como San Pedro Valley, onde está a sede da Construct.

 

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Brenda Bressan Thomé

  • Editora do blog Sienge
  • Especialista em comunicação em mídias digitais
  • Jornalista formada pela UFSC
  • Filha de Engenheiro Civil e apaixonada por Construção

Leave a comment

Receba Novidades do Blog
Coloque o seu email acima para receber gratuitamente as atualizações do blog!
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa