banner sienge

BDI na Construção Civil: o que é e como usar?

Blog > construcao, gestao, industria-da-construcao, tendencias
23 de maio de 2016

O BDI (ou Benefícios e Despesas Indiretas) é um índice que ajuda a compor orçamentos melhores, chegando em um preço de venda adequado para cada obra. Quer saber como funciona?  Veja no nosso post:

O índice BDI na Construção Civil – do Inglês Budget Difference Income ou Benefícios e Despesas Indiretas em Português  – é um elemento orçamentário que ajuda o profissional responsável pelos orçamentos da Construção Civil a compor o preço de venda adequado levando em conta os custos indiretos (os não relacionados a materiais, mão-de-obra, etc). Vale ressaltar que esse índice não é absoluto, cada obra ou serviço deve ter um BDI próprio, pois as condições de cálculo e o preço de venda são específicos para cada caso.

Nos orçamentos, dois componentes determinam o preço final de um serviço: os custos diretos e o BDI (Benefícios e Despesas Indiretas):

  • Custos diretos são aqueles que ocorrem especificamente por causa da execução do serviço objeto do orçamento em análise. Portanto, todos os insumos incluídos em uma composição de custo unitário de serviço são considerados custos diretos;
  • Custos indiretos são os que não são incorporados ao produto final, mas contribuem para a formação do custo total:
    – Administração Central da Empresa
    – Custo financeiro do contrato
    – Seguros
    – Garantia
    – Tributos sobre a Receita

O BDI ajuda as empresas a garantir um bom custo global e a cobrir as despesas da administração central, custos financeiros, impostos, garantias, seguros, tributos e a margem de incerteza. Numa outra definição, o BDI é o rateio do Lucro mais os Custos Indiretos aplicado aos Custos Diretos e também pode ser admitido pela sigla LCI – Lucro e Custo Indireto.

Inicialmente o BDI era um conceito apenas aplicado em orçamentos de obras e empreendimentos de Engenharia Civil, mas pode ser adaptado em outras oportunidades, como por exemplo em licitações que envolvem postos de trabalho alocados.

Vale lembrar que o BDI na Construção Civil é muito importante quanto se trata de licitações. Para entender melhor o papel que o índice tem na empresa contratante  e na contratada, é importante conhecer o Decreto Nº 7.983, de 8 de abril de 2013.

Como calcular o BDI na Construção Civil

Se você quiser um modelo para aplicar uma fórmula de BDI de forma mais fácil, nós temos uma planilha desenvolvida pelos especialistas em orçamento do Sienge que vai automatizar esse cálculo para você, é só baixá-la gratuitamente aqui.

banner sobre o calculo do bdil

Existem várias formas de calcular BDI na Construção Civil, abaixo está a fórmula sugerida pelo Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos – IBEC, com base em consenso internacional, para calcular o BDI de serviços para uma empresa contratante. A fórmula para uma empresa contratada é a mesma, apenas sem levar em conta a Margem de Incerteza ou MI.

BDI = [( 1 + AC + CF +S +G + MI) -1] x 100
1 – (TM + TE +TF +MBC)

Sendo:

AC – Administração central:
É o rateio do custo da sede entre as obras da Construtora. Varia de 7% a 15% (empresas com grande faturamento anual) e de 10% a 20% (empresas com pequeno faturamento anual)

CF – Custo Financeiro:
Caberá, principalmente em razão das condições de medição e pagamento preconizadas no contrato, bem como, o programa de desembolso verificar a necessidade de incluir o custo financeiro.

S – Seguros:
Representa os custos referentes aos seguros previstos no contrato ou não, por exemplo: performance bond, garantia de execução contra terceiros, etc

G – Garantias:

Refere-se ao custo para cumprir o contrato oferecendo as garantias previstas, podem ser adotadas diversas formas: a caução, o seguro garantia ou papéis selecionados.

MI- Margem de Incerteza
Deve ser levada em conta no cálculo do BDI apenas por empresas contratantes. Visa melhorar eventuais distorções no valor aproximado pelo cálculo estimado, devido ao seu caráter genérico adotado pelos contratantes. Geralmente varia de  5% a 10%.

TM – Tributos Municipais:
Leva-se em contra tributos municipais como o ISS

TE – Tributos Estaduais:
Leva-se em contra tributos estaduais tais como o ICMS

TF – Tributos Federais:
Leva-se em conta tributos federais tais como PIS, COFINS, IRPJ, CSLL e INSS

MBC – Margem Bruta de Contribuição (ou Lucro Bruto Previsto):
A Margem Bruta de Contribuição é um valor aleatório, próprio de cada empresa ou da proposta de preços, e é baseado principalmente em função do mercado.

Como usar o BDI no orçamento

O BDI é a ferramenta ideal para fechar o preço final dos serviços considerando a realidade econômica do momento e os diferenciais da obra.

Para aplicá-lo no orçamento, utilize a fórmula abaixo:

Preço de venda = custo direto x (1 + BDI/100)

Por que é importante

Todo empreendimento de Engenharia apresenta custo direto de produção e custo indireto. Acrescendo ao custo direto o percentual relativo ao custo indireto que incide sobre o projeto, somado ao lucro, impostos e despesas indiretas, extrai-se o preço de venda do serviço.

Esse preço de venda nunca se repete, variando em função do planejamento do empreendimento, da sua localização, das características administrativas diferenciadas das empresas ou órgãos contratantes e contratados, do edital, do tamanho do serviço, da época de execução do projeto, enfim, de inúmeras variáveis que nunca se repetem identicamente.

Os conceitos e cálculos do BDI na Construção Civil são, portanto, dinâmicos. Cada orçamentista encontra um preço de serviço diferente dos demais, daí a importância de definir uma estratégia para calcular o BDI e chegar a um preço de venda sustentável, ou seja, um preço que esteja dentro de uma faixa que cubra os custos, dê lucro para a empresa e seja socialmente justo para a população.

Você sabe o que é Engenharia de Custos?

Engenharia de Custos ou Engenharia de Orçamento é o ramo das engenharias voltado ao aspecto custo de uma obra ou serviço. É toda uma área de estudo voltada para a ciência do custeio, concepção do empreendimento, viabilidade técnico-econômica, análises, diagnóstico, prognósticos, enfim, a estimar, planejar e projetar números relativos às etapas de um empreendimento.

Essa área do conhecimento está diretamente relacionada à Gerenciamento de Projetos, Gestão de Contratos, Planejamento, Licitação e Gestão Pública. Existem órgãos como a o IBEC- Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos e o ICEC – International Cost Engineering Council, que apoiam e orientam os interessados no ramo. Para se especializar na área é possível fazer cursos recomendados por entidades como as anteriormente citadas ou procurar por MBAs e Pós-Graduações relacionadas. Esta é uma área do conhecimento que ainda não é aproveitada ao máximo no Brasil e só tende a crescer, portanto um investimento nesse conhecimento pode valer a pena, especialmente quando se trata de planejar e participar de licitações.  


Referências:
Novo conceito de BDI – Obras e Serviços de Consultoria – Paulo Roberto Vilela Dias, 5ª edição, setembro de 2012, Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos

Orientação Técnica IBEC 04/2011 – Versão R01 – Rev 1/18Mar12

Cartilha BDI na Construção Civil do Crea-MG

Fórum da Construção

Ministério da Fazenda – Tributação

banner sobre o quiz insumos da construção civil

Brenda Bressan Thomé

  • Editora do blog Sienge
  • Especialista em comunicação em mídias digitais
  • Jornalista formada pela UFSC
  • Filha de Engenheiro Civil e apaixonada por Construção

3 Comments

  1. Fabio Uerlison AF Gomes

    Muito Bom, parabéns pela Planilha Disponibilizado e todo o conhecimento passado.
    obrigado.

    Responder

Leave a comment

Receba Novidades do Blog
Coloque o seu email acima para receber gratuitamente as atualizações do blog!
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa