banner sienge

AUMENTE A PRECISÃO NOS ORÇAMENTOS DA SUA CONTRUTORA COM A CURVA ABC

Blog > gestao, industria-da-construcao, sienge, software
22 de outubro de 2015

Dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) alertam que 73,2% das empresas de construção apontam o desperdício de material como principal problema nas obras. E não é nada fácil gerenciá-lo com todas as complexidades que a envolve, sobretudo, com os desafios do controle de custos e precisão no estoque dos materiais. Você está acompanhando aqui no blog uma série de três posts sobre como fazer a curva ABC, um instrumento ótimo para o controle e gerenciamento de informações que compõem a obra.

Neste último material da série, o enfoque é como a tecnologia pode ser uma grande aliada para dar mais precisão à quantificação de suprimentos, reduzindo o desperdício e automatizando o orçamento, o que favorece o planejamento assertivo. Afinal de contas, gerenciar os quantitativos da obra (informações que são mensuráveis) de forma manual ou individualizada (com controles paralelos nas áreas), além de gerar uma grande demanda de trabalho, expõe a falhas e, consequentemente, a riscos.

Quantificar para economizar e reduzir o desperdício

Para ter uma melhor noção de como a tecnologia pode ajudar nesse processo, é preciso compreender a importância da quantificação, diretamente ligada a ganhos de produtividade e a redução de custo em qualquer setor. Na construção civil isso não é diferente. Por exemplo: se for utilizado o tijolo comum em determinada obra, são necessárias 83 unidades desse tipo e, consequentemente, 25 litros de argamassa  para compor um metro quadrado (isso se ele for utilizado em pé). No caso do tijolo baiano, que possui seis furos, são necessários para esse mesmo espaço 25 unidades para 15 litros de argamassa, para atender ao mesmo metro quadrado.

superbanner do ebook 7 dicas de ouro de como fazer orçamento de obra

Só para se ter uma ideia, se a construção tiver 500 metros quadrados, a substiuição do tipo de tijolo (aliado a um menor gasto de argamassa) pode representar uma economia na casa dos R$ 20 mil. Imagine aplicar esse mesmo exemplo no planejamento de construção de um galpão, um edifício ou mesmo um porto. O valor poupado pode chegar até R$ 500 mil. Isso apenas em um único item.  

Veja outros benefícios que impactam na diminuição de custos e desperdício que você pode obter, a partir de uma solução tecnológica que dê maior precisão dos controles de insumos na obra:

  • Reduzir as chances de extravio de suprimentos;
  • Calcular com mais precisão o espaço para armazenamento dos insumos;
  • Garantir a melhoria das condições de estoque, evitando a perda de resistência dos materiais, que pode resultar em desperícios futuros;
  • Favorecer um cálculo mais preciso da quantidade de suprimentos úteis para a obra, evitando compra maior que a necessária

Curva ABC de Insumos com o apoio da solução tecnológica

Visto que a quantificação é importante dentro do processo da construção civil, é importante obtê-la a partir de ferramentas que deem a devida precisão, tais como a curva ABC. Ela faz com que o foco dos gestores esteja nos itens que realmente impactam no orçamento da obra. Para isso, ela é firmada no Princípio de Pareto (também conhecida como regra 80/20, na qual justifica que 80% dos resultados correspondem a 20% dos fatores). Trocando em miúdos para a construção civil: 20% dos materiais representam 80% do custo de obra; ou ainda 20% dos insumos totalizam 80% do extravio ou da perda. Isso justifica, então, a priorização e o foco nesses itens. Esse assunto foi detalhado noo post “Curva ABC — você sabe quais itens pesam mais na sua obra?.

Esse controle da curva ABC de Insumos pode ser potencializado com a adesão de um software especializado na construção civil. É uma ferramenta capaz de aumentar a eficiência operacional, melhorar a produtividade e dar mais foco à gestão de custos da empresa, a partir da integração de todos os dados e processos internos.

Para entender como o software pode garantir benefícios reais ao seu negócio, veja as evidências abaixo, listadas seguindo os quatro passos necessários para instituir a curva ABC de orçamento:

  • Projetar a coleta de dados (memorial descritivo, projetos, encarregados, clientes): em uma solução especializada, já há composições unitárias prontas, com os insumos relacionados, só restando confrontar com o projeto atual.
  • Capturar informações: com apoio de um software focado na construção civil, a elaboração do orçamento e planejamento da obra é facilitada a partir do histórico de aprendizado em outras empreitadas, porque consolida as informações que já foram geradas anteriormente, otimizando o tempo.
  • Cálculo do percentual: diferentemente do que ocorre no uso do Excel, por exemplo, essa etapa é feita de modo automatizado em soluções especializadas, poupando tempo para que os gestores possam se dedicar a atividades estratégicas.
  • Estruturação do relatório de curva ABC: a partir do orçamento, uma ferramenta especializada pode gerar automaticamente uma série de relatórios gerenciais e de engenharia, que vão colaborar na gestão dos quantitativos, além da elaboração da própria curva ABC.

Devido à exigência e à competitividade no mercado de construção civil, as empresas devem procurar ferramentas que possibilitem o maior controle nos métodos de planejamento que possam garantir mais precisão no orçamento e nas etapas de execução.

banner sobre o quiz desperdicio

Agende uma visita com um especialista Sienge, empresa líder no ramo de soluções tecnológicas especializadas para a construção civil, e saiba mais como sua empresa pode melhorar o controle dos insumos da obra! <link: contato>.

Brenda Bressan Thomé

  • Editora do blog Sienge
  • Especialista em comunicação em mídias digitais
  • Jornalista formada pela UFSC
  • Filha de Engenheiro Civil e apaixonada por Construção

Leave a comment

Receba Novidades do Blog
Coloque o seu email acima para receber gratuitamente as atualizações do blog!
Saiba como o Sienge pode ajudar a sua empresa